Técnico denuncia irregularidades em UPA e é afastado da função

0
Anderson Torres: melhoria para o atendimento (Fotos: Portal Infonet)

O técnico em radiologia Anderson Torres denunciou uma série de irregularidades nos procedimentos para realização de exames específicos no Hospital Municipal Fernando Franco, localizado no Conjunto Augusto Franco, em Aracaju. As denúncias foram oficializadas na Ouvidoria da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Aracaju e, para surpresa, o técnico em radiologia está suspenso da atividade profissional naquela unidade desde o domingo, 8. “Fui liberado dos serviços sem justificativa”, diz o técnico.

Técnico exibe o documento que enviou à Ouvidoria

Ele foi aprovado em processo seletivo simplificado para atuar na rede municipal de saúde, um contrato de trabalho que tem prazo por um ano com a possibilidade de prorrogação por mais um ano. O primeiro ano de trabalho vence em outubro, mas os gestores do hospital já emitiram documento, informando que não têm interesse na renovação do contrato com Anderson Torres.

Ele associa essa iniciativa dos gestores a perseguição pelo fato dele denunciar irregularidades nos procedimentos, que podem trazer consequência para a saúde dos próprios pacientes assistidos e também para o próprio profissional que atua no setor de radiologia. “A ideia é melhorar o serviço, se tivesse preocupação com meu emprego, ficaria calado”, diz Anderson Torres. Mas a coordenadora geral do Hospital Fernando Franco, Andrea de Souza Santos, diz que ele foi afastado por estar sendo investigado por suposto arrombamento de um armário da unidade.

Relatório

Em relatório enviado à Ouvidoria da SMS, o técnico denuncia a falta de habilitação técnica exigida por lei no currículo da pessoa que exerce o cargo de gerente de radiologia e falta de equipamentos, a exemplo de biombo móveis para realização de procedimentos em leitos e ausência de assinatura de médico radiologista habilitado em tabela de exposição. “Se não há assinatura, não há profissional”, conclui o técnico.

Todas as supostas irregularidades foram compactadas em um relatório enviado pelo próprio técnico Anderson Torres à Ouvidoria da Secretaria Municipal da Saúde. A mensagem teve resposta. O coordenador da Rede de Urgência e Emergência (REUE), Júlio César Marcelino Lima, destacou que a gerente de radiologia possui capacitação técnica para o cargo, que a Secretaria Municipal de Saúde já estaria adotando procedimentos para a aquisição de biombo móveis e que todos os relatos destacados na correspondência de Anderson Torres enviadas à Ouvidoria estariam em análise.

Sem reconhecimento

A assessoria de imprensa informou que a Secretaria Municipal de Saúde não reconhece as denúncias de Anderson Torres, associação a iniciativa do técnico com o fim do contrato e garantiu que o governo municipal já vem adotando medidas para aquisição dos equipamentos citados pelo técnico. Os equipamentos já foram adquiridos através de licitação, segundo a assessoria de imprensa, e que a secretaria está aguardando a chegada para a distribuição nas unidades.

A coordenadora geral do Hospital Fernando Franco, Andrea de Souza Santos, fez uma outra denúncia, mas voltada contra o técnico Anderson Torres. Segundo a coordenadora, o técnico teria arrombado um dos armários para ter acesso a documentos sigilosos e que expôs pacientes e os próprios servidores ao divulgá-los em redes sociais.

A questão virou caso de polícia. A assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde informou que houve registro desse episódio em Boletim de Ocorrência e que a questão já está em fase de investigação na Polícia Civil.

Esses episódios estão sendo acompanhados pelo Conselho Regional de Radiologia. A presidente do Conselho, Naiara Fontes, informou ao Portal Infonet que a entidade já possui um posicionamento sobre a questão de Aracaju e garantiu que o Conselho já está adotando medidas. Ela não antecipou, mas prometeu enviar uma nota técnica sobre o assunto à redação do Portal Infonet. O Portal Infonet permanece à disposição. Informações podem ser enviadas por e-mail jornalismo@infonet.com.br ou por telefone (79) 2106 – 8000.

por Cassia Santana

Comentários