Vereadora Linda Brasil reivindica o adiamento das aulas presenciais

0
Vereadora ressaltou a importância do adiamento do retorno às aulas e pede cautela (Foto: Ana Lícia Menezes/PMA)

A vereadora Linda Brasil (PSOL), participou na última segunda-feira, dia 1º, da Reunião da Comissão de Educação, Cultura e Esportes, que contou com a presença da Secretária Municipal de Educação, Cecília Leite, sobre o retorno às aulas presenciais no dia 22 do corrente mês.

Diante do cenário pandêmico e do aumento de novos casos de covid em todo o estado, principalmente em Aracaju, a vereadora ressaltou a importância do adiamento do retorno às aulas e pede cautela para que a população se mantenha cuidadosa com os protocolos de prevenção.

“Eu fico muito preocupada com o retorno às aulas, nesse momento, eu sei que esse decreto que traz esses protocolos é de dezembro, e já são quase três meses. De lá pra cá, já é uma outra realidade. A situação está muito difícil, à beira de um colapso na Saúde; alguns hospitais não estão nem recebendo novos pacientes, pois estão com a capacidade máxima. É uma situação muito adversa.”, alerta Linda Brasil.

O país está vivendo a terceira onda da pandemia. Em Aracaju, isso se reflete no anúncio dos hospitais que já estão na capacidade máxima e sem UTI’s disponíveis para novos casos. Com pouca adesão ao isolamento social, a população está vivendo com medo e insegurança.

“Eu espero que, nessa reunião do Comitê, estejam presentes os/as profissionais da Saúde e da Educação, para que seja revisto esse decreto e protocolo e seja adiado esse retorno às aulas. Os professores/as estão preocupados/as com esse retorno, gostariam de que só acontecesse quando todos os/as profissionais da Rede estivessem vacinados/as, tanto a 1ª quanto a 2ª dose.”, informou a vereadora.

A parlamentar chamou a atenção para as estruturas das escolas, onde algumas não possuem ventilação adequada e pela possibilidade de gerar aglomeração de crianças, sem um distanciamento de forma segura. Tal preocupação ocorre especialmente, com as crianças menores, que necessitam de mais cuidados. Além disso, ela ainda adverte sobre a falsa sensação de segurança que esse retorno pode propiciar à população, e dessa forma, afrouxar os cuidados com os protocolos de segurança.

“É muito difícil garantir o distanciamento de crianças menores, até os 5 e 6 anos, a sobrecarga dos professores e professoras será potencializada. Sabemos que muitas crianças são assintomáticas, estamos com dificuldades no processo de vacinação, e esse retorno às aulas pode agravar a situação. Em reunião com a Comissão de Saúde, os/as profissionais da Saúde apontaram a preocupação com esse retorno, que pode vir a sobrecarregar as unidades de saúde. Por fim, espero que, nessa reunião do Comitê, essa situação atual seja revista, e que a gente possa rever uma forma de adiar esse retorno às aulas.”, assevera.

Fonte: ASCOM/Mandata popular

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais