A CHANCE DA ETERNIDADE

0

Em economia, milagre não existe. Não se conhece no mundo, país que da noite para o dia conseguiu deixar de ser subdesenvolvido para transformar-se num país desenvolvido.

 

No Brasil, nesses últimos anos, algumas tentativas houve para tentar fazer com que o país trilhasse o caminho para transformar-se desenvolvido e somente não atingiu seu fim por interesse político, no caso do Plano Cruzado e por corrupção no caso do Plano Color, até que em junho de 1993, no governo de Itamar Franco, tendo como Ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso foi implantado o Plano Real.

 

Sem a inflação sob controle não é possível querer desenvolvimento, por isto, após o Plano Real, o controle da inflação foi preocupação constante dos governos. Até o PT, que, enquanto oposição, sempre criticou a Política Econômica do Governo de FHC, quando governo nada mais fez do que dar continuidade na política econômica usada pelo governo que sucedeu. Assim, a economia brasileira, apesar dos diversos choques externos e internos com os quais o Brasil conviveu, solidificou-se.

 

Nestes últimos anos, de acordo com pesquisas do IBGE, houve uma pequena desconcentração de renda; diminuiu o número de crianças de 7 a 14 anos, que estão fora da escola; aumentou o percentual das pessoas com 10 anos ou mais com, pelo menos, o segundo grau completo; a mortalidade infantil diminuiu e aumentou a longevidade do brasileiro.

 

Esta melhoria das condições sociais é conseqüência dos resultados econômicos que o país vem obtendo: São superávits primários constantes; são constantes recordes das exportações e dos saldos da balança comercial; são, apesar de modestos, constantes o aumento do PIB.

 

Portanto, pode-se afirmar que o Brasil já construiu os alicerces para um desenvolvimento sustentável.

 

Basta que o governo mantenha a atual política econômica, realizando os ajustes que se fizerem necessários; realize as reformas estruturais necessárias; mantenha o superávit primário com a redução dos custos e não com aumento dos impostos; implante ações para a desconcentração de renda; cuide da saúde pública; priorize a educação e utilize sempre a ética em suas ações para que o Presidente Lula entre na história como um dos maiores Presidentes do Brasil, pois para a historia o “quando acontece” prevalece sobre o “porque aconteceu”.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários