A chegada de um novo membro na família

0

 Eu cresci sempre rodeada por bichos. Talvez seja por isto, que depois de adulta decidi ter o meu trabalho vinculado à eles. É profundamente estantânea a minha conexão com um animal de estimação. E falando sinceramente, não consigo imaginar minha vida sem um companheiro de quatro patas. Muitas vezes sou surpreendida pela capacidade que os meus animais têm de me confortarem e se fazerem presentes em meus momentos de introspecção.

Eles podem não "falar", mas existem tantas coisas que são ditas sem uma palavra. Existem tantas coisas que são ditas com olhares , gestos e sons. As pessoas ignoram a enorme complexidade da comunicação não verbal. Esta conexão estabelecida com nossos bichos, dependem como em  todo relacionamento de dedicação e é estabelecida desde o começo. 

Quando decidimos ter um animalzinho em casa esta decisão se torna uma grande alegria. Geralmente o momento da sua chegada é muito esperado e costumamos dedicar muito tempo e atenção a ele. Queremos garantir que tudo corra bem e nos preocupamos em comprar sua ração, uma caminha e seus potes de comida para garantirmos seu bem estar.

  Contudo para termos um animal feliz não basta que o mantemos alimentado e o cerquemos de carinho. Existem alguns passos que se forem seguidos desde o começo ajudarão que seu novo amigo, tenha uma vida saudável.
  O mais importante é criar um ambiente de confiança e carinho. Ele se sentirá confuso e perdido. Por esta razão é importante permitir que ao chegar ele explore o ambiente que vai viver.

  Se você tiver oportunidade tenha nas primeiras noites uma pedaço de pano com o cheiro da sua mãe, durante estes primeiros dias é normal que ele se sinta pouco tranquilo, não consiga dormir e choramingue de noite. Se ele for muito pequeno por volta de uns 45 dias, você pode colocar junto da sua caminha uma garrafa pet com água morna e um relógio que faça o barulho de tic-tac para que ele pense ser o coração da sua mãe.

  Não se esqueça de escolher rapidamente seu nome e repita várias vezes para ele ir assimilando. Evite usar outros nomes ou diminuitivos, pois é nesta fase que ele aprenderá a responder.

  Se você assim como eu tiver mais do que um animal doméstico, não deixe de dar atenção aos outros durante este período de adaptação para não gerar ciúmes. As aproximações com os outros bichinhos devem ser feitas de maneira gradual sempre com sua supervisão. Caso você adote um animal adulto e já tenha outro vivendo em sua casa, existe uma forma que pode auxiliar muito nesta convivência.

O ideal é que os dois se encontre pela primeira vez em território neutro. Isto evitará que a chegada do novo bichinho seja vista como ameaçadora para o que já domina o espaço. Eles devem entrar juntos na casa, assim dará a impressão de permissão e não de invasão. Parecem bobagens , mas são cuidados pequenos que vão definir o comportamento do seu bichinho desde o começo.

Lembre-se de manter a paciência caso ele apronte alguma travessura. É um momento de adaptação para ambos, se você o repreender rispidamente ele poderá passar a te temer. Seja amável, carinhoso e compreensivo esta fase de boas vindas deverá ser um período agradável, no qual você e seu bichinho se conhecerão mutuamente e aprenderão a confiar um no outro, criando as bases de uma feliz vida juntos.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais