A DEMOCRACIA À LULA

0

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), candidato à reeleição, precisa ser eternamente vigiado quando vai fazer pronunciamentos de improviso. Mesmo nos palanques, quando está falando para multidões geralmente desatentas ao que ele diz, é impossível deixá-lo solto, porque ele incorpora o torneiro mecânico, que liderou metalúrgicos, e diz um amontoado de idiotices que atinge diretamente a imagem do inquilino do Palácio da Alvorada. Num discurso feito em Caruaru, no agreste de Pernambuco, o presidente ofereceu uma desastrosa dedução sobre a democracia. Quem estava entre o povão pode até ter concordado, pela falta de noção do que ele falava, mas o pessoal mais politizado, os candidatos que estavam no palanque, deve ter considerado no mínimo estranha a sua concepção política.

A frase pode ser inserida entre as que integram a coleção de “pérolas” que ele fala em sua “elogiada” ignorância: “democracia não é só coisa limpa”. E tentou justificar “ela às vezes tem coisas que causam preocupação e desgosto”. Sei que é difícil alguém acreditar que um presidente da República tenha coragem de falar algo tão grave assim. Em um país que não é sério, onde o voto chega a um destemperado através da negociação por um projeto assistencialista do Bolsa Família, não se pode esperar definição mais inteligente sobre o regime adotado pelo país. A democracia protege os direitos do cidadão, dentro dos limites de uma constituição soberana, mas não pode ser branda (no Brasil o é) com a prática de ilícitos que desmoralizam as diretrizes básicas da liberdade e do direito.

Não é difícil imaginar o que esse presidente fala sobre uma democracia que não é só coisa limpa. É possível que ele tente justificar o que aconteceu nos seus primeiros quatro anos de governo, que o “santo Lula” não soube, não viu “e tinha raiva de quem soubesse ou visse”. A democracia do presidente Lula é mensalão, dólares como enchimento de cuecas, companheiros participando do jogo sujo das transações financeiras que envolvem dinheiro público, sanguessugas, as estripulias do assessor Diniz, o assassinato de Celso Daniel. Enfim, todos os escândalos que deixaram o Brasil perplexo, sem que o presidente adotasse qualquer medida para demitir e prender os companheiros marginais. Os afastou por pressão de segmentos da sociedade, que não podia permitir um país de quadrilheiros. Mas, boa parte deles já está no mesmo palanque.

Com a mais absoluta certeza: o impeachment só não saiu porque a oposição não teve força de mobilizar a sociedade.  

Na realidade, quem pensa dessa forma não deveria fazer política e muito menos disputar a Presidência da República. O Brasil não pode permanecer em mãos de um cidadão que trata a democracia como um lixeiro. O país precisa de um governo diferente desse que está passando e ameaça continuar. É necessário que se valorize a honestidade e não se compactue com a corrupção que se vulgarizou nos meios políticos e ainda hoje mostra para a Nação a fotografia de um bando que assaltava os cofres públicos. Tem-se provas sobre isso, mas ninguém foi preso. É muito triste perceber que a omissão, a conivência, a convivência e a amizade com corruptos, eleitoralmente deu certo. O Governo teve competência de mostrar que não é diferente de outros que passaram pelo Planalto, com a vantagem de repartir o bolo com os excluídos, que jamais tinham participado do banquete farto da corrupção, do desrespeito, da incompetência e da tolerância.

É exatamente essa migalha, repassada aos miseráveis a título de divisão de renda – vejam que absurdo – que está fazendo de Lula um dos presidentes mais populares e, como ele mesmo diz, que tem a cara do povo. Só que esse povo representa o outro lado da cara dele, porque o ex-torneiro mecânico não está muito preocupado com quem vive recebendo apenas R$ 60 reais por criança na escola. O importante está no lucro dos banqueiros, empresários, industriais e personalidades que podem oferecer à cúpula de poder, condições de sobrevivência nababesca pós-mandato.

 

 

LULA

Já estão 90% confirmadas a presença do presidente Lula, candidato à reeleição pelo PT, no dia 15 ou 16 próximo.

Lula da Silva virá a Sergipe e passará apenas três horas, quando deve participar de passeata, carreata ou comício. Nesta reta final o tempo é curto.

 

DEFINIÇÃO

A coordenação de campanha do presidente estava preparando, na terça-feira, a agenda para a visita do presidente ao Nordeste.

César Álvares, um dos coordenadores, telefonou para Déda pedindo que ele fosse a Brasília para inserir Sergipe na Pauta. Déda foi pela manhã, conseguiu e retornou à noite.

 

DUTRA

 

O Senado aprovou terça-feira (05) emenda da Câmara dos Deputados ao Projeto de Lei do Senado 597/99, de autoria do ex-senador José Eduardo Dutra.

Dispõe sobre distribuição gratuita de medicamentos e material necessários a sua aplicação e à monitoração da glicemia capilar aos portadores de diabetes.

 

FALTOSOS

Os deputados Cleonâncio Fonseca (PP) e Heleno Silva (PL) não compareceram à sessão plenária que aprovou o voto aberto em primeiro turno.

Os dois parlamentares foram indiciados e vão responder no Conselho de Ética. Para eles seria melhor o voto fechado.

 

SANGUESSUGAS

Nove deputados responsáveis por emendas que resultaram em convênios considerados irregulares pelo TCU foram enviados à CPI dos Sanguessugas para investigação.

Jackson Barreto (PTB) está na relação, por uma emenda que equipou hospital em Riachuelo. Jackson defendeu-se: “não acompanhei a emenda”.

 

IMPUGNAÇÃO

Os candidatos a deputado Jerônimo Reis (PFL), Renato Brandão (PSB) e José Nelson (PSB) podem ter candidatura impugnada até 15 deste mês.

Ontem o candidato Jerônimo Reis disse que estava tranqüilo e admitia que seria mantido na disputa por uma vaga na Câmara.

 

NOTÍCIA

No final da tarde de ontem circulou a notícia de que o TSE havia decidido pela impugnação do deputado federal Jackson Barreto (PTB).

A informação não foi confirmada por esta coluna, mas percebeu-se que tem alguns candidatos de sua coligação torcendo por isso.

 

MÉDICO

Um médico, que atende diariamente vários clientes, avaliou que o pleito ainda tem muitos indecisos e decepcionados.

Disse que a maioria dos seus pacientes revela que não tem coragem de votar em nenhum deles e sugere que ele próprio lhes indique algum nome.

 

CARLOS BRITTO

O ministro Carlos Ayres Britto foi eleito para a Academia de Letras Jurídicas, cuja sede é no Rio de Janeiro.

Dos quarenta membros que integram a Academia, 39 votaram em Carlos Britto e o outro votou em branco. Por muito pouco não foi escolhido por unanimidade.

 

DECISÃO

O Diretório Estadual do PDT afastou o vereador Fábio Henrique do Diretório Municipal de Aracaju. Fez o mesmo com o ex-vereador Antônio Samarone.

A decisão foi tomada porque os dois declararam apoio ao ex-prefeito Marcelo Deda (PT) candidato a governador do estado.

 

FÁBIO

O vereador Fábio Henrique falou pouco sobre o assunto e disse que não pretendia polemizar. Ele acrescenta que pediu afastamento do Diretório Municipal.

Fábio Henrique quer que o deputado João Fontes entenda que “eu posso fazer minha opção eleitoral, assim como ele fez a dele”.

 

PESQUISA

Alguns sergipanos estão sendo ouvidos, em pesquisa, por telefone, pelo Ibope. A abordagem através de telefonema não é correta e não tem caráter científico.

Um entrevistado disse que votaria em João Alves e quem estava do outro lado da linha queria saber o motivo que o levou a escolher o candidato do PFL.

 

TRANSPOSIÇÃO

O ex-prefeito Marcelo Deda (PT) decidiu se posicionar contra o projeto de transposição do rio São Francisco, contrariando o presidente Lula, maior defensor da proposta.

Para o pessoal que coordena a campanha do governador João Alves Filho, “a mudança repentina de estratégia tem alguma coisa a ver com o crescimento do adversário”.

 

 

Notas

 

ELEITO

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Marco Aurélio, reafirmou ontem que será considerado eleito para a Presidência da República, ou qualquer outro cargo majoritário, governador e senador, aquele que obtiver 50% mais um dos votos válidos, descontados os votos nulos e brancos.

O ministro explicou que os votos anulados pelo eleitor, considerados “votos apolíticos”, não podem ser computados para saber se os votos nulos alcançaram, ou não, mais de 50% do percentual exigido de votos válidos.

 

COMBATE

O relator da CPI do Tráfico de Armas, deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS), disse ontem que seu parecer vai oferecer várias sugestões para aperfeiçoar o combate ao crime organizado. O relatório será apresentado em outubro. O documento vai propor também a elaboração de 15 projetos de lei.

O deputado informou que o texto já está “praticamente pronto” e trará um diagnóstico do tráfico de armas e do crime organizado no país. Explicou que não houve a preocupação de sugerir um grande número de indiciamentos.

 

MINIRREFORMA

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) declaram procedente, em parte, as Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADIs) 3741, 3742 e 3743, ajuizadas por três partidos políticos contra todo o texto da chamada minirreforma eleitoral – Lei 11.300/06, aprovada pelo Congresso Nacional no início do ano.

Nos termos do voto do relator, os ministros entenderam que as demais alterações realizadas pela minirreforma não modificam o processo, mas têm apenas caráter procedimental a fim de tornar mais igualitária a disputa eleitoral.

 

 

É fogo

 

Apesar de estar fazendo campanha, o candidato Jonys Marcos (PL) ainda não é candidato a deputado federal. Seu registro foi negado pelo TRE.

 

Segundo fontes do Tribunal Regional Eleitoral Jomys fez o registro fora do tempo, o que não é permitido por lei.

 

O ex-prefeito de Lagarto, José Raymundo Ribeiro (Cabo Zé), faz campanha só para o ex-governador Albano Franco, candidato a deputado federal.

 

Os candidatos majoritários e proporcionais se preparam para fazer campanha durante o desfile de 7 de Setembro.

 

O candidato a deputado federal José Amorim (PSC) está expandindo o seu eleitorado e pode ser o mais votado nas próximas eleições.

 

Quem também está nesta disputa é o candidato Albano Franco (PSDB). Ele tem consciência absoluta de que tem voto em todos os municípios sergipanos.

 

Sem dúvida o deputado federal Heleno Silva (PL) saiu ganhando em não ter o seu colega Robson Tuma como relator do seu processo.

 

Valadares Filho (PSB) fez uma carreata na Barra dos Coqueiros, para testar a popularidade do pai naquele município. Saiu satisfeito.

 

O candidato a governador pelo PDT, João Fontes tem absoluta certeza de que terá segundo turno em Sergipe. Diz que chegará lá.

 

O vereador Fábio Henrique continua aparecendo no programa de televisão do PDT, embora tenha solicitado a exclusão de sua imagem.

 

brayner@infonet.com.br

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais