A Deso entrará pelo cano?

0

Não caro leitor, este jornalista desejava que fosse mentira, mas pede até desculpas aos bravos servidores da Deso pelo trocadilho na manchete, porém o clima na empresa não é dos melhores. Tudo por conta de alguns empréstimos que a empresa vem realizando nos últimos meses sobre a forma de “Cédula de Crédito Bancário”,  tomados no Sistema Financeiro, no valor total de R$ 35 milhões.

  A Deso tem hoje um corpo altamente qualificado, com técnicos de carreira com experiência comprovada e que podem trabalhar em qualquer empresa grande privada ou estatal do país. Porém, estes técnicos estão vendo a situação da empresa ficar por um fio por conta do vencimento destes empréstimos, nos anos de 2009 e 2010. Eis os empréstimos: Banco Industrial e Comercial S.A. (BICBANCO) –  Valor: R$ 10 milhões; emissão: 07/08/2006; venc: 19/07/2010; Banco Daycival S.A. – valor: R$ 10 milhões; emissão: 21/08/2006; venc: 10/08/2009;Banco Indusval Multistock – valor: R$ 10 milhões; emissão: 24/08/2006; venc: 25/02/2009 e Banco Industrial e Comercial S.A. (BICBANCO) – Valor: R$ 5 milhões; emissão: 25/08/2006; venc: 04/08/2010.

Todas as operações têm como garantias a “Alienação Fiduciária de Direitos Creditícios” decorrentes da prestação de fornecimento de água aos usuários da Deso no Estado de Sergipe. O Banese entra como “Interveniente Anuente”, na qualidade de “depositário dos valores cedidos em garantia”, obrigando-se a efetuar a arrecadação das contas emitidas e transferência dos valores recebidos para os Bancos Credores, nos limites das garantias oferecidas. Todos os valores dos empréstimos já foram liberados pelos Bancos a credito da Deso. A prestação mensal de todos os empréstimos ficará em torno de R$ 1 milhão.

Além dessas garantias – circula nos corredores da Deso e do Banese –  que o Banese aplicou nesses Bancos, recursos semelhantes ao montante emprestado sob a forma de CDB/RDB, caracterizando a operação denominada “troca de chumbo”, pois na realidade os Bancos Credores “captaram” junto ao Banese os recursos que estão sendo emprestados a Deso. Isto decorre principalmente de restrições legais para o Banese emprestar recursos a empresas controladas pelo Acionista Majoritário do Banco.

No boletim do Sindisan de ontem, os sindicalistas denunciaram que “a falta de registro no sistema de Registro de Operações de Crédito com o setor Público (CADIP) – mantido pelo Banco Central do Brasil, coloca ainda mais suspeita na operação.

Para completar, pelo terceiro ano seguido a Deso utiliza-se de artifícios contábeis para projetar lucros para transferir para o governo, na forma de juros sobre o capital e dividendo ao acionista majoritário. Este ano foram R$ 6,1 milhões como dividendos aos acionistas e R$ 4,65 milhões destinados para juros sobre o capital. Em meio a essas operações suspeitas, segundo informações, um membro do Conselho de Administração da Deso, designado pelo governo do Estado entregou o cargo”.

No mesmo boletim, o Sindisan anunciou que deseja apurar responsabilidades. “Desviar os recursos da Deso para outras finalidades do ponto de vista social é um crime, principalmente por se tratar de um setor essencial para a população, cuja sua universalização ainda está longe de ser atingida, ou seja, parcela significativa da população ainda não são atendidas pelos serviços de água e esgotos. Do ponto de vista jurídico, essas operações são ilegais, pois vão de encontro ao próprio estatuto da empresa. Poderão ser responsabilizados a direção da Deso e os membros do Conselho de Administração que aprovaram tais operações. Visando a defesa do patrimônio público e do futuro da própria Deso, o Sindisan, já encaminhou toda documentação para sua assessoria jurídica com o objetivo de adotar as medidas cabíveis”, relata a nota dos sindicalistas.

 A verdade é que a Deso terá sérios problemas financeiros num futuro bem próximo. Seja quem for o próximo governador, terá sérios problemas para manter a empresa sólida e eficiente como sempre foi. Uma pergunta fica no ar: Será que o risco de faltar água em Sergipe não é mais concreto com a descapitalização da Deso do que com a falta de água no rio São Francisco?

 

 

David é consultor e não investidor I

Um detalhe chamou a atenção dos presentes na solenidade ontem de assinatura do protocolo de intenções para construção de uma refinaria em Sergipe.Foi citado valores e tudo mais, porém nenhum nome das empresas que vão investir. Apenas foi citado um “grupo europeu”. Outro detalhe: o nome do investidor que comanda o grupo foi David Wood, bastante conhecido no Brasil.  Ele não é investidor e sim um consultor. Será que o governo contratou a empresa dele a David Wood & Associates  para fazer consultoria? Quem duvidar é só consultar o site http://www.dwasolutions.com

 

David é consultor e não investidor II

O currículo de David Wood no site da empresa dele: David Wood é um consultor internacional de energia especializado na integração técnica, econômica, de informação estratégica e de risco, ajudando na avaliação e no gerenciamento de investimentos.  Ele é PhD pela Imperial College, Londres. São parte essenciais do seu trabalho a pesquisa e treinamento acerca de vastos tópicos relacionados com energia, incluindo projetos, contratos na área de economia e gás, como também a analise de risco.  Ele trabalha em Lincoln, Reino Unido, mas opera por todo o mundo.

 

Protocolo de intenções para hotel da CVC

Ontem, quando o governador anunciou a assinatura com um grupo europeu para a construção de uma refinaria em Sergipe, alguém lembrou que há quase três anos foi assinado um protocolo de intenções idêntico para a construção de um hotel da CVC, no final da rodovia José Sarney, em Aracaju, que até o presente momento não saiu do papel.

 

MPF recorre de decisão favorável a Deda I

O Ministério Público Federal, através do Procurador da República Auxiliar da Propaganda Eleitoral Paulo Gustavo Guedes Fontes, recorreu da decisão do Juiz Federal designado para atuar como Juiz Auxiliar do Tribunal Regional Eleitoral, Edmilson da Silva Pimenta, que julgou improcedente a Representação contra os candidatos Marcelo Deda e José Eduardo Dutra e contra o Partido dos Trabalhadores, para que seja retirado um outdoor existente na esquina da Avenida Barão de Maruim com a Rua Lagarto.

 

MPF recorre de decisão favorável a Deda II

Para o Juiz não configura outdoor a placa afixada em frente a comitê eleitoral, independentemente do seu tamanho;  que somente pode ser considerado outdoor se ocupar local explorado comercialmente por publicidade e que a afixação de placas em local particular é permitida por lei.Discordando da decisão, Paulo Fontes alega que a Lei das Eleições não fixou qualquer exceção quanto ao local ocupado pelo outdoor.  Para o procurador “o conceito de outdoor é físico, constituindo-se, simplesmente, em placas de grandes dimensões capazes de atrair a atenção dos passantes”.O recurso deverá ser julgado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe.

 

Transporte escolar com carro da Deso

O Fiat branco da Deso, placa HZT 47-95, circulava ontem na Avenida Pedro Valadares, no bairro Jardins, às 6h40 com o motorista levando dois alunos para uma escola particular.

 

Carros fortes circulam por todo Estado

Um dono de uma empresa de transporte de valores de Sergipe que é referencia nacional está rindo à toa. É que nunca ele teve tantos carros locados para levar “valores” para diversos municípios sergipanos. A curiosidade de alguns é tanta que tem gente que vai seguir um veículo, só por curiosidade. Cuidado! Curiosidade mata.

 

Samu Estadual não tem autorização I

O Ministério da Saúde já alertou o Governo do Estado que o Samu Estadual, que será implantado nas próximas semanas, não está de acordo com a padronização exigida pelo órgão. Além de várias ambulâncias não terem o sistema de equipamentos exigidos, existem também problemas para a manutenção do mesmo. Se o Governo do Estado não se adequar às normas do Ministério perderá 50% do custeio dos serviços. Se o serviço for colocado para funcionar sem autorização, pode levar ao Ministério recolher cerca de 50 ambulâncias que foram doadas pelo Governo Federal. Ontem, uma ambulância do Samu Estadual que está desfilando em várias cidades, capotou próximo ao posto Boa Viagem.

 

Samu Estadual não tem autorização II

Ontem os Sindicatos dos Médicos e dos Enfermeiros emitiram um comunicado tirado na assembléia geral conjunta com os seguintes encaminhamentos: Entendem a importância da implantação do citado serviço de âmbito Estadual;  Não entram em atividades até que a Secretaria de Estado da Saúde defina as reais condições do serviço que vai ser oferecido à população, dentro das regulamentações previstas nos órgãos competentes ( Ministério da Saúde, Conselho Regional da Medicina, e Conselho Regional de Enfermagem).

 

Igreja Católica não aceitará pressão

“Não adianta dá pressão”. Essa frase de um jingle de campanha do candidato pefelista ao governo estadual é ouvido constantemente nas ruas de Sergipe. Porém, nos bastidores comenta-se que a pressão é feita por ele mesmo, junto a imprensa que não aceita a subserviência. Ontem o comentário era que foi pedido o afastamento do radialista Jairo Alves da Rádio Cultura. Um absurdo! Com certeza Dom Lessa não aceitará. É contra tudo que prega a Igreja Católica. Então, pode-se cantar…não adianta dá pressão…

 

Promessas não cumpridas em Estância

O radialista Eduardo Abril ironizou ontem as criticas da coligação pefelista, a situação da chamada “orlinha” da Coroa do Meio. Ele lembrou que na orla da praia do Abais, em Estância, o calçadão cedeu e mesmo o prefeito sendo aliado do governador, ele não cumpriu a promessa de recuperação. Outra promessa não cumprida segundo Abril, feita por Albano e João foi a pavimentação de seis quilômetros de Santa Luiza do Itanhi ao povoado Castro. Até hoje nada foi feito.

 

Rogério já apresentou defesa

A  assessoria jurídica do PT já apresentou defesa contra o argumento do Procurador  Regional Eleitoral Eduardo Botão Pelella, alegando que Rogério Carvalho, candidato ao cargo de deputado estadual pela coligação “Sergipe Vai Mudar”, estaria afrontando o  art. 39, § 8º, da Lei n.º 9.504, que veda a propaganda eleitoral mediante outdoors. Segundo a assessoria do candidato, a sinalização existente na Travessa Juca Barreto, nº 106, não se trata de placa  publicitária, tampouco outdoor, ela é apenas um indicativo de que ali funciona o comitê eleitoral do candidato. Outros candidatos já receberam representações deste tipo e suas defesas foram acatadas  quando se esclareceu que as placas eras indicativas de comitês eleitorais.

 

Pré-Seed em Propriá

Um leitor enviou e-mail ontem do município de Propriá, denunciando que as cartas para os alunos do Pré-Seed, que são entregues pelo correio, foram entregues uma a uma pela coordenação local. Sabe por quê? Nem imagino, mas vou lhe dar 25 minutos para responder.

 

Frase do Dia

“O poder identifica valor e preço. Diz-me quanto pagam por ti, e te direi quanto vales. Mas há valores que estão mais além de qualquer cotação. Não há quem os compre, porque não estão à venda. Estão fora do mercado, e por isso sobreviveram”. Eduardo Galeano. Serve para muitos que pensam que podem comprar a todos.

 

Comentários