A diáspora próxima a André Moura

0

“O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.

A diáspora próxima a André Moura é irreversível. Nas últimas semanas, com a contagem regressiva para a saída de Temer da presidência, o parlamentar tenta usar de toda influência para liberação de recursos, ou pelo menos, tentar passar a impressão de que serão liberados.

André tenta passar a impressão que pode ser candidato majoritário, não publicamente, mas na verdade ele sabe que luta pela sobrevivência 

política, não só na disputa eleitoral, mas também no Judiciário, por conta dos processos que tem.

Ao se aproximar de lideranças que apoiam o governo Jackson Barreto, André Moura mostra que não guardou magoas pelos xingamentos que sofreu na eleição do ano passado em Aracaju. O nome de André foi o mais achincalhado no horário eleitoral.

O problema é que André sabe que na situação não tem espaço para ele, mesmo disputando à reeleição para deputado federal. Está sendo usado como líder de Temer e ele mesmo sabe que será “rolete de cana chupado” em 2018, cujo bagaço ninguém vai querer.

E na oposição a cada dia, André se afasta das lideranças importantes e fecha qualquer possibilidade de compor uma chapa majoritária.

A dubiedade de André, sem o peso da liderança, vai fechar portas no interior que hoje estão escancaradas para ele. Algo normal na política brasileira.

A diáspora próxima de André será forçada e com muita dificuldade para encontrar um palanque que lhe receba de braços abertos.

Do clima “pesado” no TCE de Sergipe
E ontem, 01, o clima ficou pesado no Tribunal de Contas de Sergipe. Tudo porque logo cedo, o presidente Clóvis Barbosa ao conceder entrevista a George Magalhães na FAN FM, depois de muitos questionamentos disse que a conselheira Susana Azevedo é fofoqueira. Clóvis tinha lido uma nota no FaxAju, de Brayner, onde teria desrespeitado o prefeito de Tomar do Geru, Pedro Balbino. Ele pensou que foi um assessor dela que passou. Um detalhe: o jornalista Brayner, mesmo sem precisar disse mais tarde que recebeu a informações dos próprios prefeitos que estavam na reunião.

Maldade
Na sessão do pleno Susana desabafou e lembrou que passou 30 anos na Câmara de Aracaju e na Assembleia, e, infelizmente, só encontrou maldade e perversidade no Tribunal de Contas. E lembrou que encontra-se com a mãe internada no hospital há algum tempo. Clóvis disse-se arrependido pelo fato de tido o que disse neste período, mas que não é hipócrita.

Nas redes sociais  bate-boca e saindo pela tangente
Ontem, 01, pelas redes sociais foi divulgado que no último domingo um prefeito (o blog está esperando um vídeo gravado por um celular no momento para comprovar a veracidade) foi hostilizado por algumas pessoas quando fazia compras numa delicatessen na Avenida Melício Machado, na Atalaia. Pela informação o prefeito teve que sair às pressas do local devido ao bate-boca por conta de promessas não cumpridas na gestão.  O blog vai esperar se o morador que fez o vídeo vai mesmo repassar para as redes.

Dia Nacional em Defesa do Rio São Francisco – 03/06
O dia 03 de junho foi instituído pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF) como o Dia Nacional em Defesa do Velho Chico. Para divulgar essa data o CBHSF lançou, em 2014, a campanha “Eu viro carranca pra defender o Velho Chico”, que marca o Dia Nacional de Mobilização em Defesa do Rio São Francisco. O objetivo é conscientizar a população sobre a preservação do rio e mobilizar todos pelo uso responsável dos seus recursos hídricos.

Preservação
Em 2017, o tema da campanha é a preservação do Cerrado e da Caatinga. O CBHSF defende a declaração desses dois biomas pelo Congresso Nacional como patrimônios nacionais. Por isso, o Comitê concentrará esforços na coleta de assinaturas para viabilizar uma proposta que institua a Caatinga e o Cerrado como patrimônios nacionais, como já ocorre com a Mata Atlântica e Floresta Amazônica.

Assinaturas
As assinaturas serão recolhidas em eventos da campanha “Eu viro carranca para defender o Velho Chico” que acontecerão, no dia 03 de junho, nos seguintes municípios: Pirapora (MG), Ibotirama (BA), Paulo Afonso (BA), Traipú (AL) e Propriá (SE).Participe dessa luta pelo rio São Francisco e vire carranca para defender o Velho Chico!Acesse as programações completas em:http://cbhsaofrancisco.org.br/confira-a-programacao-da-campanha-eu-viro-carranca-pra-defender-o-velho-chico/

Dados sobre violência em SE repercutem na Câmara
Os dados apresentados pelo Jornal da Globo na última terça-feira sobre o crescimento da violência em Sergipe foram repercutidos na Câmara dos Deputados por Valadares Filho, PSB.  Ele lamentou que o Estado contraria a tendência nacional de redução da violência e registrou 57,3 mortes violentas intencionais a cada grupo de 100 mil pessoas. “Com esses índices, Sergipe passa a ser o estado mais violento do Brasil”.

Programa de redução
Segundo informações do Anuário de Segurança Pública 2016, os estados em que as mortes crescem são aqueles que não têm, como é o caso de Sergipe, um programa, ou uma política de redução de homicídios. “Quando o governante prioriza o problema da violência, os resultados positivos são registrados, como mostram os dados do Anuário”.

Diminuição
Os estados que têm programas de redução de homicídios tiveram diminuição significativa no número de mortes violentas: Alagoas (-20,8%), Bahia (-0,9%), Ceará (-9,2%), Distrito Federal (-13%), Espírito Santo (-10,7%), Rio de Janeiro (-12,9%), e São Paulo (-11,4%).

Pedido de socorro
O deputado sugeriu que se faça um pedido de socorro às instâncias federais; e que se promovam discussões e debates para encontrar uma solução para a grave situação da segurança em Sergipe. Ele se propôs a colaborar no que for possível. “Eu próprio me proponho a participar das discussões e dos encaminhamentos, dentro de minha esfera de atuação”, destacou.

Segundo dados do governo, violência foi reduzida este ano
Para se contrapor aos dados informados pelo Jornal da Globo a SSP, através da Coordenadoria de Estatística e Análise Criminal (Ceacrim) divulgou ontem, 01, dados informando uma redução de 11% no número de homicídios no estado, quando comparado ao mesmo período de 2016.

Os dados
Se comparado a 2015, a redução chega a 14,7%.  Só na capital sergipana a redução chegou a 20,4% em 2017 comparado ao período de janeiro a maio de 2016. Neste período, aumentou também o número de adultos encaminhados ao Departamento do Sistema Prisional – Desipe pelas forças policiais. Enquanto em 2016 foram 1.537, em 2017 foram 1.658, um crescimento de 7, 8%.

Os dados II
Os dados também revelaram crescimento no número de apreensão de drogas. Foram 287.891 gramas de maconha em 2016 e 431.722 em 2017, um aumento de 50% ; 5.234 gramas de crack em 2016 e 27.308 em 2017, um acréscimo de 421,7%; 145 unidades de ecstasy (metilenodioximetanfetamina – MDMA) em 2016 contra 3.951 em 2017; 1.400 gramas de pasta em 2016 e 2.500 em 2017; e nenhum registro de apreensão de reagentes químicos em 2016 contra 98 unidades apreendidas em 2017.

Boquim realiza audiência pública
Ontem, 01, a Prefeitura de Boquim, através da Secretaria de Administração e Finanças, realizou audiência pública para discutir e definir diretrizes, programas e ações dos próximos quatro anos da administração municipal, referente ao período 2018-2021.

Importância
Durante a abertura o prefeito destacou a importância da audiência “para que se possa fazer uma administração participativa, transparente, pautada no que a sociedade precisa, e para isso é preciso o envolvimento de todos”, disse Eraldo.

Ceasa de Itabaiana
O governador do estado de Sergipe, Jackson Barreto, recebeu na quinta-feira, 1°, o prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho, juntamente com o secretário de Estado da Infraestrutura (Seinfra), Valmor Barbosa, e o diretor-presidente da construtora Celi, Luciano Barreto, para discutir detalhes sobre a construção da nova Central de Abastecimento (Ceasa) no município, obra que está orçada em R$ 30 milhões,  recursos oriundos do Proinveste.

Ceasa de Itabaiana II
A audiência foi requisitada pelo próprio governador a fim de esclarecer todas as dúvidas e tentar agilizar o processo de inicialização das obras. A Celi, vencedora da licitação, e a Seinfra devem enviar as últimas documentações à prefeitura para que haja a emissão da licença que permitirá a construção. Após essa fase, a data de lançamento finalmente poderá ser marcada.

1º Encontro Estadual de Gestores Municipais de Assistência Social de SE
Na ultima quinta-feira a cidade Santana do São Francisco sediou o Encontro Estadual de Gestores Municipais de Assistência Social de Sergipe. Estiveram representados 40 municípios e o evento teve a participação do Secretário Nacional de Emprego e Renda do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, o senhor Thiago Falcão.

Presenças
“Para nós que fazemos a gestão municipal de Santana do São Francisco, é de grande importância este evento, no fortalecimento da atual administração”, disse Júnior Barrozo prefeito de Santana. Também estiveram presentes no encontro, Onete Mota, presidente do Colegiado de Gestores Municipais do Estado de Sergipe, a Assistente Social Tereza Cristina Leite, representando os trabalhadores do SUAS e Valdiosmar Vieira secretário adjunto de assistência social de Aracaju.

Lei inconstitucional
A Assembleia Legislativa aprovou uma lei de autoria do deputado estadual Luciano Pimentel, PSB,  determinando que as escrituras devem constar dados do Corretor, porém, o procurador Rodrigo Janot determinou inconstitucional através da ADI- Ação Direta de Inconstitucionalidade 5663, Lei 6.517/2014.

Usurpação de Competência Legislativa
Outro fato interessante são as avaliações imobiliárias da Caixa só são feitas por engenheiros, porém, a Justiça decidiu que cabe ao Corretor também fazer avaliações. A lei 6.530/78 regulamentou a profissão de Corretor de imóveis.

Saúde: aplicação dos recursos domina reunião do Conselho
Com a participação do Conselho Municipal de Saúde de Aracaju o Conselho Estadual de Saúde  (CES) realizou durante toda a manhã e início do último dia 30, no Auditório da Secretaria de Estado da Saúde, a 204 Reunião Ordinária do CES. A reunião contou com a presença do secretário de Estado da Saúde e presidente do CES, José Almeida Lima, o procurador da República do MPF, Ramiro Rockenback, o vice-presidente do CES, Eduardo Ramos, além de representantes do CMS, UFS e conselheiros.

Valor irrisório de R$ 24,75 diárias para tratamento fora do domicílio
Um dos temas que dominou a reunião foi o Tratamento Fora do Domicílio  (TFD), para os portadores de doença renal crônica como também o valor irrisório de 24,75 reais a diária.Na oportunidade foi também discutido os limites de atendimento do SAMU com relação  a sua área territorial.

Controle
Em sua fala, o procurador da República ressaltou a importância do controle social acompanhar o Orçamento Público e a sua aplicação. "O Orçamento Público é limitado mais é grande, principalmente na área da saúde" disse acrescentando "eu quero ouvir reclamação sobre os serviços da saúde e não sobre o Conselho", frisou.

Ações
Para o procurador, o Conselho de Saúde Estadual é a instância máxima do controle social e o social é a essência da democracia "e nós precisamos que as pessoas da comunidade estejam diretamente envolvidas para que as ações do serviço de saúde cheguem a população e cheguem bem", finalizou.

Praças do Inácio Barbosa
O abandono das praças do bairro Inácio Barbosa, Zona Sul da capital, pela Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), foi tema do pronunciamento da vereadora Kitty Lima (REDE) no pequeno expediente da Câmara Municipal de Aracaju (CMA) ontem, 01.Moradores da região procuraram a parlamentar para denunciar a precariedade em que se encontram as praças do bairro.

Praças do Inácio Barbosa II
Segundo eles, a capinagem não está sendo feita de forma rotineira, o que tem contribuído para o clima de abandono desses espaços.“Estive no bairro para verificar essa realidade e pude ainda conversar com alguns moradores que me relataram não poderem utilizar as áreas de lazer e convívio por conta do clima de insegurança decorrente do abandono que se instalou no bairro”, relatou Kitty.Outra queixa dos moradores é referente a falta de iluminação pública nesses espaços, que acaba favorecendo à ação de marginais.

Neópolis: inaugurado o II Salão Alane de Artes Plásticas
No último dia 31 de maio de 2017, sob a curadoria do artista plástico e acadêmico Neopolitano Deolando Vieira foi inaugurada a segunda mostra de artes plásticas da cidade de Neópolis. Esta é mais uma iniciativa da Academia de Letras e Artes de Neópolis que tem como objetivo difundir a cultura e arte. A mostra recebe o apoio da Secretaria Municipal de Cultura e estará aberta ao público no período de 01 a 13 de junho dentro dos festejos do Trezenário de Santo Antônio de Neópolis.

Artistas
Participam desta mostra artistas locais e convidados, dentre eles o artista sergipano de prestígio internacional Joel Dantas.Quem visitar o II Salão Alane de Artes Plásticas poderá se deleitar com belas obras de Deolando Vieira, Hélio Leotério, Aderbal Barroso, Cândida Bispo, Ana Maria, José Francisco "Chicão", Castanha, Joan de Barros, Adelmo Cavalcante, Welligton, J. Inácio, José Fernandes, Elias Santos, Pedro Silva, Dionéia , Tintiliano, Adauto Machado, Ricardo e Eurico Luiz.

Unit no Arraiá do Povo
O Grupo de Ensino Tiradentes confirmou na manhã de ontem, 01, apoio na realização dos Festejos Juninos promovidos pelo Governo do Estado. A confirmação ocorreu em reunião realizada na seda da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), entre o gestor da pasta, João Augusto Gama, o superintendente executivo Irineu Fontes e o diretor administrativo e financeiro da Unit, André Tavares.

Unit no Arraiá do Povo II
De acordo com o secretário Gama a presença da Unit é de suma importância em um evento como o Encontro Nordestino de Cultura, pois esta é uma ocasião onde a produção cultural de Sergipe e do Nordeste se encontra. “Este ano o foco do público estará nos eventos promovidos pelo Governo do Estado, que são festas que de fato promovem a cultura popular nordestina. Por isso, a presença da Unit só engrandece ainda mais nossos festejos”, frisou.

A AEASE realizará o "ForróAgro ", garanta já seu ingresso
No dia 14/06, véspera do feriado nacional de Corpus Christi, será realizado um dos eventos mais esperados da categoria agronômica: ForróAgro, na Associação de Engenheiros Agrônomos de Sergipe, localizada na Avenida Beira,  n 2400 – 13 de Julho, em frente ao Parque da Sementeira.

Forró Pé de Serra
O evento junino será marcado pelo tradicional Grupo de Forró Pé de Serra Pavio do Forró com a cantora Drika Rezende; Apresentação da quadrilha Asa Branca; Concurso de Dança junina; Sorteio de cestas Juninas; Queima de Fogos de Artifício; Barracas com comidas típicas juninas e muita alegria.A estrutura do ForróAgro contará com uma linda decoração junina, barracas com comidas típicas junina, bebidas e estacionamento.

Mesas
O valor da mesa para não associado é R$ 80,00  (Oitenta Reais) e individual é R$ 30,00  (Trinta Reis)  já estão sendo vendidos: na Sede da AEASE, Avenida Beira, n 2400 – 13 de Julho, em frente ao Parque da Sementeira, com a secretária Mariana, ou pelos telefones ( 79) 3217- 6886- 9972-2123, no horário de 8h às 12h e das 14h às 18h.

PELO TWITTER

www.twitter.com/cezar_britto   O Trem das Diretas partiu da estação… a luz do povo aponta no túnel… viajar é preciso.

www.twitter.com/alanbarretoso  Fim do foro privilegiado? Mas continua o foro de privilégios!

www.twitter.com/ISMARVIANA   Se continuarmos sem perceber que privilégios não se coadunam com o Estado Democrático de Direito, dificilmente sairemos dessa crise ética.

www.twitter.com/frednavarro   O tempo que o #STF perde debatendo abobrinhas jurídicas daria p/ colocar uns 10 bandidos de colarinho branco na cadeia. Por mês.

www.twitter.com/joaocorrrea   Muitas notícias sobre o Brasil é revoltante . Mas é preciso estar informado para testemunhar com o voto quando formos intimados no dia 3.

DO LEITOR

Resposta ao tópico – Denúncia de nepotismo na secretaria de saúde de Telha, postado no dia 30/05/2017

Ascom/Prefeitura de Telha: "Referente a Denúncia de uma suposta pratica de nepotismo praticado pela prefeitura municipal de Telha, especificamente na secretaria de Saúde. O Nepotismo ocorre quando um agente público usa de sua posição de poder para nomear, contratar um ou mais parente, a Prefeitura de Telha vem informar que a única pessoa com competência na lei para a nomeação é o Prefeito Municipal, assim o parentesco tem que ser relacionado a pessoa de quem nomeia, no caso o prefeito. Assim o secretario Municipal de Saúde, Alex Eloy, não praticou o referido ato de nomeação, excluído assim a pratica de nepotismo.  Lembra também que a servidora citada no texto do dia 30/05 é filha de uma prima do Secretario de Saúde, afastando conduta ilegal (caso o secretaria tivesse competência para nomear algum servidor). Cumprimos a lei e a respeitemos de maneira plena, caso o TCE ou o Ministério Publico tenha um entendimento diverso cumpriremos a determinação destes."

ARTIGO

De Mestrinho a Mimi: o forró é todo nosso por Gilson Sousa*

Começamos o mês de junho com a incerteza da realização ou não do Forró Caju, a festa junina mais esperada por grande parte da população de Sergipe e de outros estados do país. O discurso da crise financeira serve como pano de fundo para justificar a incerteza. Mas muita gente enxerga outro tipo de crise nessa situação: a crise da capacidade. Capacidade de se reinventar, se adaptar, ser criativo, compreender a leitura da realidade atual e colocar em prática o “fazer mais com menos”.

No início dos anos 2000, o então prefeito de Aracaju Marcelo Déda transformou o Forró Caju num evento de porte nacional, deu ampla visibilidade à festa e consequentemente elevou a autoestima do aracajuano a um nível nunca visto antes. Déda fez a leitura correta da veia cultural do povo e investiu na festa de forró. Como as vacas eram gordas, a vinda de artistas de grande porte, com cachês elevadíssimos, era sempre garantida. Mas esse tempo passou. O que não passou foi a importância do Forró Caju para a cidade.

A propósito, a festa é tão importante no calendário cultural local que deveria ser um evento de Estado, e não de governo. E por isso o atual prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira – um admirador confesso do forró -, não vai querer entrar para a história como a pessoa que acabou com o Forró Caju. Creio que não. O que preocupa a sociedade é ele afirmar que precisa de R$ 3 milhões para fazer uma festa de três dias. Que é que isso, menino!? Não subestime a inteligência do povo sergipano. Com R$ 3 milhões em mãos você faria a alegria de centenas de artistas locais e até regionais, de técnicos de som, iluminadores, empresas montadoras de palco e demais estrutura para shows, além, é claro, de milhares de sergipanos e turistas que valorizam o forró de verdade.

É preciso deixar de lado a megalomania em festas públicas, esquecer a contratação de “estrelas fabricadas pela mídia” e valorizar o que é nosso. Nunca criamos uma forte identidade artística local justamente porque nunca investimos nisso. Quisera termos 10% do bairrismo baiano ou pernambucano. Aí sim teríamos força para impor diante dos nossos governantes a nossa vontade. E o fato é que Edvaldo Nogueira tem nas mãos a oportunidade de mostrar para o Brasil que isso aqui é mesmo “o país do forró”, como diz a letra da música de Rogério. Não deixe escapar, prefeito.

Veja que o cantor Alberto Marcelino, aracajuano e forrozeiro dos bons, vem fazendo bela campanha de apelo nas redes sociais, com a benção do professor José Paulino da Silva, uma autoridade no campo da cultura popular que recentemente declarou em artigo publicado no Jornal do Dia: “Temos artistas forrozeiros em quantidade e qualidade para fazermos um São João animado e que, de certeza, atrairá grande público. Devolvam ao povo o prazer de ouvir seus artistas populares. Ou seja, dêem uma real oportunidade aos artistas que sempre fizeram a beleza e a alegria do ciclo junino. Paguem um cachê justo e condigno. Não dêem calote nem demorem a pagar”.

Sergipe tem inúmeros forrozeiros de qualidade. Portanto, uma festa caseira seria um tapa na cara da tal crise financeira da Prefeitura de Aracaju. O Sindicato dos Músicos, inclusive, já protocolou ofício na PMA garantindo que os artistas locais abrem mão de 30% dos valores de cada cachê em prol da realização da festa junina. E cá para nós, o forró local é sem dúvida o que o turista quer ver no palco. Não importa se 100 mil pessoas ou 10 mil pessoas irão prestigiar a festa montada nos mercados centrais de Aracaju. Importa é que a festa está viva. A manifestação cultural está viva.

E para que esse texto faça mais sentido, aqui vai uma singela lista de artistas que certamente merecem a atenção e o aplauso de todos. A lista é longa e de extrema qualidade. Começa por Mestrinho, abençoado por Dominguinhos e disputado por várias estrelas da MPB, a exemplo de Elba Ramalho, Gilberto Gil, Ivete Sangalo, Chico César e outros. Ele é filho do veterano Erivaldo de Carira, uma unanimidade no cenário forrozeiro local. Erivaldo, aliás, tem outros dois filhos no rol dos grandes forrozeiros do país: Erivaldinho, que hoje mora em Goiânia e integra bandas dos maiores nomes da música sertaneja naquela região, e Taís Nogueira, uma promissora cantora de forró que já se apresentou ao lado de Anastácia e outra estrelas da música nordestina.

A lista dos artistas locais segue com a incomparável Amorosa, nome consagrado no Nordeste. Tem ainda Sergival, Sérgio Lucas, Edgar do Acordeon, Cobra Verde, João da Passarada, Jailson do Acordeon, Zé Américo do Campo do Brito, Pavio do Forró, Valtinho do Acordeon, Zito e Zeto, Josyane de Josa, Grilo do Forró, Luiz Paulo, Xote Baião, Lucas Campelo, Marluce e Zé Rozendo, Gerusa do Forró, Robertinho dos 8 baixos, Lourinho do Forró, Danielzinho Quarto de Milha, Casaca de Couro, Nilson do Forró, Raio da Silibrina, Calcinha Preta e outros.

Além destes, muitos outros artistas locais que apesar de não serem forrozeiros natos, nessa época do ano sempre montam repertórios com o cancioneiro do forró para apresentações especiais. Estou falando de Chiko Queiroga e Antonio Rogério, Nino Karvan, Silvio Rocha, Paulo Lobo, Fábio Lima, Joésia Ramos e outras dezenas de cantores e cantoras. E mais: um bom número de quadrilhas juninas e grupos folclóricos da capital e do interior que representam o ciclo dos festejos juninos estão aí à espera de oportunidades para mostrarem sua arte. Não custa muito abrir espaço para todos eles, sem calotes, é claro.

Por último, mas não menos importante, cito o artista aracajuano Mimi do Acordeon, um dos mais talentosos sanfoneiros dos últimos tempos no país. Um jovem cheio de virtudes e simplicidade. Uma sanfona abençoada, digna de elogios. De Mestrinho a Mimi, o que temos de forró é muito original, muito competente. Sergipe não precisa de Safadões nem muito menos de Aviões para decolar no horizonte desse ritmo musical que tanto contagia o povo. Sergipe precisa é de gestores sensíveis à causa e, acima de tudo, inteligentes o suficiente para provar que é mesmo “o país do forró”. 

*Gilson Sousa é jornalista

Cláudio Nunes no Face e no twitter:

https://www.facebook.com/blogclaudionunes/

Frase do Dia
“A soberba nunca desce de onde sobe, mas cai sempre de onde subiu.”Francisco de Quevedo.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais