À duras quedas

0
Daniel Paulista volta a ser pressionado pela torcida (Foto: ADC)

É cedo para fazer grandes avaliações sobre o início de temporada para o Confiança, mas é inegável que o time começou 2021 com o pé esquerdo. A derrota para o Fortaleza em pleno Batistão e a consequente eliminação na fase de grupos da Copa do Nordeste já trazem impactos negativos e colocam sobre o time uma pressão ainda maior para vencer o campeonato estadual. Se considerada a eliminação na Copa do Brasil diante do modesto 4 de Julho, podemos falar em “obrigação”, palavra muito utilizada no vocabulário do torcedor.

Até o fim de maio, o Dragão fica apenas com o torneio sergipano para disputar. E Isso não é só ruim do ponto de vista financeiro, mas também esportivo. Se com a Copa do Nordeste poderia se manter medindo forças com equipes do mesmo nível ou até superiores em partidas mais exigentes, a eliminação tira um pouco do poder de teste do novo elenco até o fim de maio, quando começa a Série B. E, convenhamos: nesta primeira prova, o resultado poderia ter sido melhor. No caso da Copa do Brasil, seria difícil imaginar o Dragão chegando às oitavas-de-final para disputar vagas com os grandes times do país, mas podemos afirmar categoricamente que a saída da competição nacional na primeira fase foi, mais que precoce, frustrante.

O Campeonato Sergipano, mesmo fundamental para o Confiança, não tem condições de ser um fiel balizador dos desempenhos técnico, tático e físico da equipe. Ainda assim, o Azulino conta com certa obrigação de ser campeão. Não somente por ser uma equipe de Série B, mas também por ter melhores instalações, os melhores jogadores, e condições econômicas para bancar o elenco.

Não somos engenheiros de obras prontas. É comum, no Brasil, que o resultadismo tome conta do debate esportivo entre torcedores e imprensa. É preciso analisar, também, que o elenco é novo, com poucos remanescentes da ótima temporada 2020. É um Confiança procurando uma nova identidade e conhecendo seus jogadores. O desempenho na competição regional excedeu as expectativas e deve ser tomado como lição.

Até a estreia na Segunda Divisão, o Dragão do Bairro Industrial deve ter uma nova cara e melhores perspectivas. Ainda que seja uma equipe em reestruturação, é o grande favorito para vencer o Campeonato Sergipano, mesmo com equipes que têm se apresentado de forma interessante, como o Lagarto e o Itabaiana.

Hoje, a equipe do Bairro Industrial tem quatro jogos a menos: 4 jogos e 9 pontos na tabela, sendo o terceiro colocado do Grupo B. A grande expectativa, agora, é para o Clássico Maior, que acontece nesta quarta-feira, 14, às 17h50. Na partida, o Confiança conta com mais dois reforços: Luciano Juba e Pedrão, ambos vindos de empréstimos do Sport, já estão regularizados e podem fazer sua estreia.

É a grande chance do Confiança mostrar que virou a chave e está focado em vencer a única competição que lhe resta até o meio do ano. A ver.

Sergipe

Para o clube do João Hora, a partida contra o Confiança é também um grande teste. Apesar de não ter o seu segundo lugar no grupo A ameaçado, pelo menos por hora, o Sergipe precisa mostrar mais no campeonato sergipano. Um dos trunfos do alvirrubro é ter mais entrosamento, com uma quantidade considerável de atletas remanescentes da temporada passada, e poderia ter um desempenho melhor no certame.

Uma vitória contra o Confiança seria a injeção de ânimo que o Gipão precisa para deslanchar de vez no campeonato. O que você acha, torcedor colorado?

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais