A força de Lula

0

Os aliados do pré-candidato José Serra (PSDB) ainda estão atônitos com o rápido crescimento da petista Dilma Rousseff nas pesquisas. A última da Datafolha mostra um empate técnico entre os dois presidenciáveis (ambos tem 37%), mas o ponto importante é que o eleitorado parece mesmo disposto a votar em quem Lula (PT) pedir. A pesquisa revela que 44% votarão no candidato do presidente. Pior para Serra é que, alem desses “lulistas convictos”, há mais 22% de entrevistados que respondem “talvez” aos serem questionados se votariam em um candidato apoiado por Lula. Ou seja, no total, dois terços dos eleitores admitem estar sob a possível influência do presidente. O que se conclui é que se o petista conseguir transferir a quantidade de votos que espera fazê-lo, vai ser muito difícil Serra vencer as próximas eleições. Podem apostar!

 

História maluca

Com o título acima, a colunista Tahis Bezerra publicou ontem, no Jornal da Cidade, a seguinte nota: “Estranha essa denúncia de que a Deso pode ser privatizada. Aliás, o presidente da Companhia, Max Montalvão, foi rápido em desmentir tal maluquice. A pergunta que se faz é: por que um governo do PT, que não é privatizante, iria justamente vender uma empresa que está dando lucro, reconquistou crédito no mercado e realiza uma série de grandes obras, a exemplo da Barragem do Poxim? A não ser que a denúncia vise beneficiar alguém politicamente. Será que essa história sem pé nem cabeça tem algo a ver com as próximas eleições do Sindicato dos Empregados da Deso? Sei não!”.


O boato da privatização

Sobre o mesmo assunto, a colega Cássia Santana publicou ontem no Jornal do Dia: “O presidente da Deso, Max Montalvão, reagiu com firmeza contra essa história que a
Companhia pode ser privatizada: “Isso não existe, nem nunca existiu nesta diretoria e
neste Governo”. Segundo ele, ao contrário do boato, o foco é continuar trabalhando para
transformar a Deso numa empresa moderna e eficiente. Aliás, se olharmos todas as
administrações petistas neste país, desde Maria Luiza Fontenele, de Fortaleza(a primeira
prefeita eleita pelo PT, não existe um único caso de privatização. A pergunta é: por que,
logo o governador Marcelo Déda iria querer privatizar a Deso, que voltou a dar lucro e
realiza uma série de obras importantes por todo o Estado?

 

Documentos básicos

 

Começa hoje uma nova campanha de Mobilização Nacional pela Certidão de Nascimento e Documentação Básica (carteira de identidade, CPF e carteira de trabalho). A campanha publicitária deste ano tem como slogan: “Certidão de Nascimento. Um direito humano. Um dever de todo o Brasil”. A iniciativa tem resultados positivos: a média nacional de crianças sem registro de nascimento caiu mais de 50% em cinco anos. O índice era de 18,9% em 2003, recuou para 12,2% em 2007 e caiu para 8,9% em 2008.

 

Escravos do imposto

 

O cidadão terá que trabalhar 148 dias neste ano somente para pagar impostos. Os dados são do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário. Além de impostos sobre os rendimentos, suplicante tem que arcar com contribuições previdenciária e sindicais, tributos sobre o consumo (PIS, COFINS, ICMS, IPI, ISS), sobre bens (IPTU, IPVA, ITCMD, ITBI, ITR) e taxas públicas (limpeza pública, coleta de lixo, emissão de documentos e iluminação pública). O estudo revela que os impostos consomem 40,54% da renda anual do trabalhador.

Para colecionador

 

O Banco Central lançou uma moeda comemorativa da Copa do Mundo. Serão produzidas, no máximo, 25 mil unidades da moeda de prata, que tem valor de face de R$ 5. A moeda mostra no lado reverso dois jogadores em movimento, com a bandeira brasileira ao fundo, e as inscrições “5 reais” e “Brasil”. No outro lado (anverso), há a imagem de um jogador num cenário que mistura a savana africana com o mapa do continente, em que se destaca a África do Sul. A moeda custará R$ 108 e será vendida pela internet, por intermédio do site <https://moedas.bb.com.br/inicio-apresentacao.vpc>.

 

Sobram vagas

 

A escassez de mão de obra especializada virou um tormento no dia a dia das grandes empresas. Depois de atingir a construção civil e a indústria naval, agora a falta de profissionais se espalha por setores como o automobilístico, ferroviário, moveleiro, siderurgia e metalurgia, transportes e serviços. Pesquisa publicada pelo Estadão mostra que 67% das empresas enfrentam dificuldade na contratação de empregados.  O estudo mostra que hoje a principal carência das grandes companhias é encontrar pessoas qualificadas para os cargos de operação. Os setores mais afetados são o automobilístico, de papel e celulose e serviços.

 

Conferência

 

O governador Marcelo Déda (PT), abre daqui a pouco em Laranjeiras, a IV Conferência Estadual do Planejamento Participativo. Na oportunidade será lançado o Guia Gastronômico dos Territórios Sergipanos. Promovida pela Secretaria de Estado do Planejamento, a Conferência tem o objetivo de proporcionar espaço para o reconhecimento e valorização das parcerias para o desenvolvimento territorial e ampliar os espaços de intercâmbio de experiências e de estruturação de cadeias e arranjos produtivos locais nos setores turístico, cultural e agroindustrial.

 

Acabou o Império

 

O jogador Adriano deve deixar o Flamengo nas próximas horas. Conforme o site globoesporte.com, ele já avisou aos companheiros e amigos que não ficará no Mengão. O imperador tem passagem comprada para a Itália no início de junho, onde, se tudo acontecer conforme o esperado, assinará contrato com o Roma. Apesar de o contrato com o Flamengo terminar no próximo dia 30, Adriano não deverá jogar pelo clube nas partidas contra Fluminense (quarta-feira) e Grêmio (sábado).

 

Rumo ao Bi

 

E por falar em Flamengo, o time venceu mais uma ontem. Depois de fazer a urubuzada sofrer a partida quase toda, o Mengão derrotou o Grêmio prudente por 3 a 1, com

dois gols de Vágner Love, ambos de pênalti, e um de Juan. Com cinco pontos, o Flamengo está em sétimo lugar na classificação do Campeonato Brasileiro. É só o começo da trajetória rumo ao Bi. Aposta uma mariola?

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais