A fuga de Floro

0

Não se pode desconhecer que o Governo agiu com rispidez ao afastar todos os agentes da Primeira Delegacia e os soldados que tinham a missão de manter o indiciado Floro Calheiros preso. Um inquérito vai apurar responsabilidades e os culpados devem ser punidos com o rigor da lei. Como reação foi tudo muito bem. Era o mínimo que se podia fazer para uma resposta imediata à certeza de suborno que favoreceu a fuga, feita pela porta da frente, com a naturalidade de um cidadão comum, utilizando uma Blazer, protegida por um grupo de pistoleiros que vinha atrás em um carro veloz – fala-se em Vectra. Tudo bem e lute-se para restaurar a credibilidade no trabalho do promotor Luiz Mendonça, que vem mostrando eficiência em recolocar sobre a mesa crimes que se pensava insolúveis, pelo envolvimento de personalidades importantes da vida sergipana, como foi o caso do assassinato do agiota Motinha, morto friamente por pistoleiro que, praticamente, dividiam a mesa na beira mar do bar Paraty. Mas o que não dá para entender é a razão de não se colocar um homem da frieza e periculosidade de um Floro Calheiros, praticamente “num boteco de esquina”. Considerar que a 1ª Delegacia Metropolitana oferecia mais segurança do que a Penitenciária de São Cristóvão, sinceramente, é uma insanidade. Não dá para engolir e a sociedade não vai aceitar. Não poderia haver divergência nenhuma, entre dois auxiliares do Governo, que pusesse em fragilidade a prisão de um homem que, a esta hora, certamente voou para outro país. Ora, se uma penitenciária não oferece segurança para manter um preso de alto calibre, para que foi construída? E tem mais: se esta penitenciária é tão vulnerável a fugas, por que estão mantendo lá homens como Marcos Munganga, Brás, Michael e tantos outros bandidos que oferecem perigo à sociedade? Por que a alta cúpula da Polícia não interferiu quando viu foto de Floro sentado na calçada da Delegacia? Por que fingiu não saber do pagamento corrupto de gordas gorjetas?. Se houver uma análise mais profunda, não seria apenas o pessoal da delegacia que deveria ser afastado e responder inquérito. A fuga de Floro Calheiros ocorreu por volta das 16 horas, mas o sistema de comunicação da Secretaria de Segurança só tomou conhecimento por volta das 18 horas. Só a partir daí é que começou a acionar todas as delegacias, Polícia Rodoviária e viaturas policiais, para vasculhar a cidade. É um absurdo. Floro teve duas horas para deixar Sergipe em um carro veloz e há quem diga, o que setores do judiciário admitiu, que a uma altura dessas ele esteja em algum país fronteiriço. Paraguai ou Colômbia. Fala-se que ele tem uma fazenda no Estado do Tocantins. O certo é que o homem “bateu asas e voou”. Ora, se o ilustre fugitivo estava aqui perto, em Teixeira de Freitas, interior da Bahia, e a Polícia passou mais de cinco anos para localiza-lo, com certeza não haverá mais chance de se colocar a mão nele, pelo menos em médio prazo. E é bom que muita gente fique atenta em Aracaju, porque Floro se mandou, mas sabe comandar execuções à distância. A Polícia Federal voltou a campo para tentar captura-lo. Mas não será correndo atrás dele que vai conseguir. Terá que fazer todo o trabalho de inteligência, que pacientemente foi montado para prende-lo em Teixeira de Freitas. Vai precisar de muita paciência. E eficiência. Até o momento não se avalia quanto Floro utilizou para a fuga, mas se calcula algo em torno de dois milhões de reais. Nesse montante estaria incluindo um apartamento, pagamento das facilidades e a estrutura para sair do Estado. É muito dinheiro, mas é o preço da liberdade, para quem, aparentemente, se mantinha cercado por soldados bem armados e com disposição para explodir os miolos do preso. Esse dinheiro a polícia não tem à disposição nem para sustentar-se, imagina para procurar um homem que sabe manobrar bem os instrumentos para se manter intocável por alguns anos. Mesmo assim, sem deixar de aumentar sua fortuna. Claro que um comentário desse tipo chateia muita gente. Cria arestas e incompreensões. Mas a displicência, o suborno, a corrupção e a conivência chateiam muito mais. A fuga de Floro não pode ficar impune… GILMAR O deputado estadual Gilmar Carvalho faz hoje seu último programa dos próximos 15 dias. Vai entrar de férias por motivos políticos. Gilmar, entretanto, pode assinar contrato com outra rádio e está se preparando para fazer oposição. Está sendo forçado a tomar este caminho. POSIÇÃO O governador João Alves Filho reuniu-se, ontem, com a cúpula da Segurança Pública e determinou o afastamento de todo o pessoal da 1ª Delegacia. A fuga de Floro Calheiros será apurada rigorosamente e é certo que haverá punição, inclusive com demissão. MURO ALTO Está comprovado que Floro Calheiros não fugiu pelos fundos, como anunciou a Polícia, mas saiu livremente pela frente, em um carro luxuoso. Floro tinha todas as regalias na Delegacia em que se encontrava e intimidade com os policiais. A chave de sua cela ficava em seu bolso. ANIVERSÁRIO Durante o almoço entre os secretários e o governador João Alves Filho, em comemoração ao seu aniversário, ontem, o assunto foi à fuga de Floro Calheiros. João Alves estava visivelmente irritado e depois do almoço trancou-se com o secretário Luiz Mendonça, da Segurança, e exigiu providências imediatas. EXPLICAÇÃO Até o momento não há uma explicação da razão de Floro Calheiros ter ficado preso na Primeira Delegacia. O seu lugar seria na Penitenciária. Comentou-se, ontem, que houve entendimento para que Floro ficasse na Primeira Delegacia, porque os secretários Luiz Mendonça, da Segurança, e Manoel Cacho, da Justiça, não se entendem. SEGURANÇA Uma influente fonte policial explicou que a decisão de colocar Floro Calheiros na 1ª Delegacia, foi porque o secretário Luiz Mendonça considerou lá mais seguro. Achava que na Penitenciária havia maior facilidade de fuga. O secretário Manoel Cacho revelou que Sergipe apresentou o menor índice de fugas de presídios, em todo no Brasil. MOTINHA Floro Calheiros também estava na Delegacia porque ainda seria ouvido sobre o assassinato do agiota Motinha, ocorrido no bar Paraty. O promotor Rogério assumiu a reabertura do crime de Motinha e pediu uma série de novas investigações. Ia ouvir Floro Calheiros sobre o assunto. DORGIVAL O indiciado Dorgival estava na penitenciária, mas recebeu ameaças de morte. Foi transferido para a 4ª Delegacia. Ontem, o secretário Luiz Mendonça resolveu transferi-lo para o quartel da Policia Militar. Sinal de que não confia mais nas Delegacias para presos importantes. CORAGEM A juíza Iolanda Guimarães, da 5ª Vara Criminal, não pediu segurança pessoal, por estar atuando, com firmeza e coragem, em um caso que envolve muita gente perigosa. Ela teria dito a uma colega, que conta com o pessoal das Polícias Militar e Federal. Sempre está telefonando para saber se ela precisa de alguma coisa. FEDERAL A Polícia Federal não se manifestou, mas a informação é de que o pessoal ficou muito irritado com a fuga de Floro Calheiros, depois do trabalho que teve para prende-lo. O pessoal da federal já retomou as buscas e está trabalhando para recapturar Floro Calheiros. Vai ser uma luta de muitos meses. FONTES O deputado federal João Fontes defende-se da acusação feita por Gilson Costa, de que ele se omitia quanto a alguns atos do Governo João Alves Filho. João disse que combateu a taxa de esgoto, inclusive indo ao Ministério Público, onde apresentou documento para barrá-la e ganhou em todas as instâncias. ATUAÇÃO João Fontes também lembra que requereu uma CPI do setor elétrico mais foi vetado pelo seu partido, o PT, além de ser o parlamentar que apresentou mais emendas à LDO. O parlamentar disse que não pode impedir que o Governo do Estado aprove seus projetos. Quanto às subvenções dos deputados lembrou que trabalhou contra elas. PRESENTE O governador João Alves Filho ganhou uma caneta Mont Blanc dos seus auxiliares. Cada um colaborou com R$ 50,00. A senadora Maria do Carmo Alves presenteou o marido com um Not Book. O aniversário do governador foi comemorado com auxiliares, alguns amigos e a família. Notas VALMIR O deputado estadual Valmir Monteiro diz que não está preocupado com seus adversários políticos, que querem questionar sua licença por 121 dias, para tratamento de saúde, abrindo vaga para o primeiro suplente Luiz Mittidieri. Valmir lembrou que quando se elegeu pela primeira vez, quase não tomou posse. Valmir foi acometido de uma meningite e desde esse período sua saúde não tem sido mais a mesma. Agora ele terá que explicar toda essa história ao Ministério Público, que questiona sua doença. CONVOCAÇÃO Há expectativa entre os deputados estaduais de que o governador João Alves Filho faça convocação extraordinária da Assembléia Legislativa na segunda quinzena deste mês. Entretanto, não há nenhum motivo que demonstre necessidade de reunir os deputados para votação de algum projeto. Essa convocação é de praxe e basta que seja feita apenas uma reunião para que os parlamentares recebam mais um salário. Como não há nenhuma emergência agora, uma convocação poderia servir para críticas da sociedade. REFEIÇÃO Estudantes da Universidade Federal de Sergipe realizaram uma manifestação de protesto contra o aumento do preço das refeições no restaurante universitário. O valor que hoje é de R$ 1,00, tem previsão de que passe a custar R$ 2,00, atingindo os 100%, o que vem provocando uma reação dos estudantes. O reitor em exercício da Universidade Federal, Airton Batista, explicou que não existe qualquer proposta de reajuste na refeição do Restaurante Universitário, o que causa estranheza pela movimentação dos alunos. É fogo O vereador Patrício, de Estância, foi eleito, ontem, secretário geral da União de Vereadores do Brasil, em disputada eleição realizada em Brasília. Fabrício é o segundo vereador sergipano a ocupar uma vaga na direção da UVB. O primeiro foi Carlos Gato, que chegou a primeiro secretário. O deputado Augusto Bezerra fez palestra, ontem, em Salvador, sobre a revitalização do rio São Francisco. Tem gente apostando que o deputado João da Graça, que está sendo julgado pela Comissão de Ética, não será cassado. A Secretaria de Segurança Pública intensificou as buscas ao ex-deputado Antônio Francisco. Quer prende-lo nestes próximos dias. A fuga do indiciado Floro Calheiros fez com que a Polícia despertasse para a necessidade de prender o principal acusado de mandar matar o deputado Joaldo Barbosa. Os auditores da Receita Federal poderão entrar em greve, por tempo indeterminado, a partir da próxima terça-feira. O deputado federal José Carlos Machado disse, ontem, que em Brasília não se trata de outra coisa que não sejam as reformas da Previdência e Tributária. As lideranças do interior estão trabalhando firme para as eleições municipais do próximo ano. Não há tempo para esperar. A partir de agosto também se inicia o trabalho de atração de nomes para integrar os partidos políticos. Pelas pesquisas realizadas em Aracaju, pela Padrão, apenas o senador José Almeida Lima chega próximo ao prefeito Marcelo Deda na disputa pela Prefeitura. A reabertura do crime do agiota Motinha vai expor muita gente importante do Estado. O processo está com novas apurações e existem fatos novos. O deputado Venâncio Fonseca está aproveitando o período de recesso para visitar o interior e fortalecer o seu Partido Progressista. brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais