A Inteligência Criativa: o poder de imaginar e tornar realidade

0

“A mais nobre religião essa – que você desejar para os outros deseja para si mesmo – e o que considerar doloroso para você, considere-o como doloroso para os demais. Como que o que os outros lhe fizerem, faça-lhes igualmente também”.O Alcorão, Livro do Islamismo.

A Revista Istoé do dia 11/01/2006 traz uma pequena nota sobre uma pesquisa que está sendo efetuada na Universidade de Akron (USA), essa pesquisa mostrou que foi possível dobrar a taxa de abstinência ao fumo através da utilização da técnica de visualização criativa; a qual depois de um relaxamento muscular os participantes são instigados a imaginar cenas saudáveis e agradáveis que não incluem o cigarro. Assisti também uma palestra no Creative Problem Solving Institute – CPSI –2000 (Buffalo, NY, USA) na qual o pesquisador nos apresentou o resultado de uma pesquisa feita com dois times de basquete de uma universidade americana; uma equipe foi treinada apenas com jogos e outra foi treinada de maneira que 50% do seu tempo foi utilizado em jogos através de exercícios sinestésicos e os outros 50% com simulações de jogos utilizando-se a visualização criativa. Quando foi realizada a partida a equipe que treinou utilizando a visualização criativa ganhou com larga margem de diferença no placar.

 

Os dois aspectos da mente: o concreto e o abstrato. A mente concreta lida com o raciocínio seqüencial, lógico, e com as faculdades do pensamento concreto; ao passo que a mente abstrata, por sua vez, responsabiliza-se por faculdades e processos do pensamento mais subjetivos, criativos, filosóficos e fundamentados em princípios.

 

Os cientistas estudiosos do potencial humano dizem que a mente é o mecanismo humano ou o software de energia para pensarmos. Na verdade funciona como se fora um campo de energia que, semelhantemente aos sistemas de rádio, tem diferentes bandas de freqüência, desde sinais vibracionais mais baixos aos mais altos. Trata-se do campo energético chamado “aura mental”, que gera os pensamento e recebe os de outras pessoas.

 

As pessoas que já têm o pensamento concreto bastante desenvolvido precisam, numa dada etapa da sua vida, desenvolver também o pensamento abstrato, porque será através do nível abstrato que se tornará possível a conexão com idéias criativas, princípios nobres e filosofias universais o que resultará, certamente, numa compreensão mais abstrata da vida e uma expressão de vida criativa.

 

As pesquisas no campo do desenvolvimento do potencial humano continuam afirmando que embora grande parte dos executivos da atualidade seja muito inteligente, inovadora e até mesmo criativa; mesmo assim, continuam utilizando muito pouco das suas faculdades mentais disponíveis. Em outras palavras, cada vez mais, se constata a necessidade de se integrar o pensamento concreto e o abstrato.

 

A mente é composta pelo campo energético mental de uma pessoa operando com uma combinação de funções como, por exemplo: um receptor -> transmissor -> condensador -> e calculador. Assim sendo, a mente tem a capacidade de poder receber, armazenar, assimilar, processar e depois transmitir informações ou dados.

 

As faculdades mentais são materializadas através das funções do modelo cerebral direito e esquerdo. Assim sendo, o modelo cerebral direito é responsável pelo pensamento abstrato e criativo, ao passo que o modelo cerebral esquerdo se responsabiliza pelo pensamento concreto.

 

O que já se sabe, hoje em dia, é que as pessoas dotadas de pensamento negativo podem também minar a sua saúde emocional e física e como conseqüência a sua capacidade de atingir objetivos, sucesso e realização.

 

Por outro lado, o desenvolvimento mental não é feito apenas com a leitura de livros, o desenvolvimento mental avançado é internalizado através de palavras, comportamentos, bons relacionamentos e uma vida de êxitos. Via de regra conviver com pessoas negativas tende a nos deprimir e enfraquecer nossas reservas mentais, o mais sábio é evitar essas pessoas e procurar, na medida do possível mantê-las longe do nosso ciclo de relacionamentos íntimos seja profissional, seja pessoal.

 

Nesses casos, mais uma vez o secular provérbio funciona muito bem: “Dize-me com quem andas que te direi que és”.

 

(*) Fernando Viana

Presidente da Fundação Brasil Criativo

fernando@fbcriativo.org.br

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários