A Irmandade é vermelha

0

Apolônio revela como está sendo gestada a mais nova agremiação política das terras de João Muamba.

Lisboa, 30 de outubro de 2006

Caros amigos de Sergipe:

Soube que com a vitória de Lula, várias figurinhas carimbadas da política local estão liderando um movimento informal em nome da democracia e da governabilidade. Trata-se da “Irmandade Vermelha”. Nunca é tarde para ser patriota. Os irmãos reavaliaram as suas posições políticas e acordaram par o fato de que estavam tento uma postura conservadora diante da nova realidade nacional.

Por isso, altruísticamente, estão dispostos a facilitar as coisas para Lula e Déda nesses novos
tempos mudancistas. O irmão Albano por exemplo já pensa em fazer um pequeno ajuste em seu guarda roupa, tradicionalmente abarrotado de camisas azuis. Foi visto dia desses comprando camisetas rubras na Daspú, digo Daslú. 

Jorge Araújo, este já petistou de vez. Agora cogita até em trocar o lay out da sua outrora tradicional barba grisalha, por um idefectível cavanhaque, tão típico dos barbudinhos impedernidos.
O pastor Heleno, irmão recém convertido às hostes petistas, é outro que anda tecendo loas e fazendo mimos a Luiz Inácio.

Tem lhe mandado regularmente garrafinhas com a “Água Benta do Rio Jordão” ou saquinhos com o “Sal de Jericó”, amuletos que operam verdadeiros milagres segundo os fiéis do Bispo Edir Macedo. Oxalá eles ajudem o presidente a se defender das trapalhadas do PT paulista. 

Carivaldo Souza, esse nem se fala. A empolgação é tanta que em um recente encontro social, ele chegou a sugerir ao dirigente de um time local, que a agremiação futebolística adotasse a estrela vermelha como marca oficial, uma espécie de Botafogo colorado, por assim dizer. O cartola gostou da idéia ficou de encomendar uns estudos de programação visual a alguns designs da cidade.

Ulisses Andrade só fala em políticas públicas, inversão de prioridades e já está até aprendendo a provar moderadamente uma cachacinha mineira, para não fazer feio no dia em que for convidado para um churrasco com Lula na Granja do Torto. Maria Mendonça também já está se reciclando e falando em questões de gênero e defesa das minorias. Mas o mais animado de todos mesmo é o Laércio Passos que dia desses lembrou que sempre foi esquerda desde os tempos de escola. “Todo sete de setembro eu tocava corneta na banda do colégio. E tocava bem com a esquerda, com o tempo é que fui aprendendo a ser destro, aprendizado que hoje considero dispensável.

Penso mesmo que sempre é tempo de se reviver o passado”, finalizou filosoficamente. Com tantas figuras de peso na nova agremiação, não duvido nada que no futuro a turma toda do big boss também se bandeie para as lides lulistas. Já imaginaram o Mendonçinha na reunião do Orçamento Participativo? E o Zé Carlos Machado defendendo o MST? Pois acho bom se acostumar com essas idéias, companheiro, porque “a luta continua” e “político unido jamais será vencido”.

Até semana que vem.

Um abraço do

Apolônio Lisboa

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários