A VISÃO DO ELEITOR

0

É complicado hoje fazer uma análise da cisão do eleitor em relação a escolha dos seus representantes e dirigentes. Foi um período de quatro anos decepcionante para a maioria de uma população, que esperava mudanças do comportamento tradicional de alguns personagens fortes dos podres poderes. Evidente que a admiração por quem se dá bem, indiferente dos meios, ainda provoca arrepios a uma camada que tenta chegar lá a qualquer preço. E não é pouco o partido desses que consideram importante levar vantagem. Sempre se teve conhecimento de que a cúpula dominante – seja que rotulação tiver – vive da miséria, da ignorância, do desemprego, da falta de saúde, educação e segurança de miseráveis que nunca souberam reagir. Pelo contrário: mantém a fidelidade eleitoral a um grupo que sabe manipular com as necessidades primárias dessa gente, já satisfeita com esse quadro que eles estão ajudando a manter em um país de escândalos.

Um país de bandidos que atuam nos confortáveis gabinetes, ou que vivem nas penitenciárias dando ordem por um simples toque de celular. Essa última opção é fato novo. Percebe-se que os miseráveis que se marginalizaram, também estão se organizando para enfrentar o poder onde transitam os mensaleiros, assassinos, corruptos, mestres em peculatos, sanguessugas e toda uma quadrilha que se formou para surrupiar o dinheiro público de forma absolutamente escancarada, embora se mantenham tratados como homens de respeito, com direito a disputar as eleições e retornar ao mesmo lugar que antes promovia as suas falcatruas. Os criminosos do celular são declaradamente bandidos: matam, assaltam, roubam, traficam drogas e seqüestram. Põem a cara na rua e colocam a mão na massa sem pudor. Os de colarinho branco sabem dissimular: vestem-se bem, fazem as unhas, falam gesticulando com elegância, são bem cheirosos e atuam em momentos de tolerância, tilintando os cristais e sem pegar em uma única arma. Mas não são menos periculosos.

A divisão de renda no Brasil não é justa. A parte que pertence a esse povo paciente, que mantém o estilo de escolher seus representantes, lhe é sempre negada. Não apenas pela inclusão social, no direito à moradia, saúde e educação, mas principalmente no suprimento alimentar e até no lazer. E é exatamente no início do burburinho das eleições nacionais que a população assiste à inclusão de mais 33 envolvidos num esquema de compra superfaturada de ambulâncias, que culminou na chamada CPMI dos sanguessugas. Lá existem deputados, senadores, ex-ministros, personalidades do alto mundo da malandragem oficializada. Pessoas que lesaram o patrimônio, levando a parte que lhe cabia. Corrupto tipo peso pesado. O pior: o senhor eleitor, que combate as regalias, está cada vez mais pobre e, certamente, muito mais decepcionado, frustrado, envergonhado e, para aqueles que acham que o importante é se dá bem, uma forte dose de inveja e a lamentação de também não estar lá.

Evidente que ninguém sabe onde vai chegar isso. A política sempre foi a arte de recuar ou dar passos à frente. Qualquer um dos dois gestos jamais será feito graciosamente. Há sempre por trás o vil metal, as facilidades, a forma mais doce de se fortalecer no poder. Nesses últimos quatro anos se pôs a nu o que possivelmente escondiam-se nos períodos republicanos e ditatoriais. Foi-se ao escracho na concepção mais baixa da palavras. Mesmo assim não se viu nada, não se soube de nada e sequer suspeitou do que estava acontecendo bem abaixo de suas barbas. Nas esse clima de se dar bem continua firme, dá sinais de que pretende ficar por mais quatro anos nesse tempo de tremenda podridão. E o eleitor está aí, uns ainda aproveitando o modus operande de sempre e se deixando vender. Outros segurando a barra da indignação, estão analisando quem é bom eleger-se de novo, na expectativa da esperança de um Brasil bom para todos e péssimo para os bandidos dos gabinetes e das penitenciárias.

É muita responsabilidade, muita expectativa e até um pouco de resistência. “Entregar-se jamais”. É preciso insistir, participar, combater. É preciso lutar por um Brasil mais justo para quem o quer para viver e ser feliz.

 

 

HELENO

A CPI dos Sanguessugas notificou ontem mais 33 parlamentares. Eles se juntam aos outros 57 já notificados. Os 90 terão que apresentar a defesa por escrito até agosto.

Heleno Silva (PL) foi um deles e se encontra em Brasília desde segunda-feira. Ontem à tarde estava com toda a documentação, já protocolando a sua defesa, através do advogado.

 

UMA ÚNICA

“Apenas uma ambulância”, foi a venda declarada pelo dono da Planam, Antônio Vandoin, em depoimento na justiça, ao deputado federal Heleno Silva (PL).

“As outras 21 não foram vendidas porque não houve nenhum empenho do parlamentar para a compra”, complementou Vandoin.

 

PREPARADO

Heleno está preparado para o uso político desse fato e relatou que em Glória um dos seus adversários tem divulgado o que fora publicado na revista “Veja”.

“De qualquer forma estou tranqüilo, porque jamais entrei em qualquer esquema de roubalheira. Quem vota em mim sabe analisar bem o meu comportamento na região”, disse.

 

COMPRA

Um candidato majoritário, que pediu omissão do nome, disse que ainda tem candidato a deputado estadual gastando muito dinheiro com lideranças do interior.

Um vereador da região sul recebeu R$ 20 mil para trabalhar em favor de um candidato da região do Cotinguiba. Fatura livre R$ 10 mil.

 

BENEDITO

O candidato a senador suplente Benedito Figueiredo (PMDB) teve uma reunião ontem com o candidato titular, José Eduardo Dutra (PT), para traçar estratégia de campanha.

Benedito disse que não quer ser candidato apenas pelo nome, como benevolência. Quer ir às ruas e fazer cartazes com a fotografia dos dois.

 

CARREATA

O candidato a governador João Fontes (PDT) fará sua carreata no sábado pela manhã e vai circular várias ruas e avenidas de Aracaju. João está animado com os números

João já escolheu o slogan de campanha: “Coragem de Mudar” e tem dados que confirmam que muitos eleitores o associam à candidata a presidenta pelo Psol, Heloisa Helena.

 

FEDERAL

João Fontes também tomou conhecimento de um grande número de eleitores da capital ainda pensavam que ele é candidato à reeleição de deputado federal.

Nas cidades do interior, em sua grande maioria, o eleitorado também imaginou que Fontes mantivesse a disputa a deputado federal. A partir de agora ele vai esclarecer.

 

SANT`ANA

Simão Dias vai receber hoje um grande número de políticos de todos os lados, para a procissão de Senhora Santana. É uma das maiores festas da padroeira da região centro sul.

É a terra do senador Valadares e de Marcelo Déda que estarão lá de um lado, com João Alves, Fabiano Oliveira e Albano Franco em outro.

 

ALMOÇO

O prefeito de Aquidabã, Euriquinho, oferece almoço hoje ao governador João Alves Filho, à senadora Maria do Carmo e ao candidato a vice-governador Fabiano Oliveira.

Após o almoço, João Alves e Maria viajam a Simão Dias, onde acompanham a procissão de Sant`anna. Fabiano fica para a procissão de Aquidabã.

 

OPERAÇÃO

O Ministério Público Federal em Sergipe, não vai mais se manifestar sobre a Operação Fox à imprensa. Já disse o que tinha a dizer.

Um membro do Ministério revela que o inquérito continua na Polícia Federal, todos serão ouvidos e vão responder pelo que praticaram.

 

PRISÕES

A fonte do Ministério Público explica que as prisões podem acontecer de acordo com o processo e acrescentou que a Operação Fox teve o objetivo exclusivo de pegar de surpresa os envolvidos.

“Uma ação desse porte – explicou – evita fuga, extravio de documentos, incinerações e qualquer outro gesto que atrapalhe as investigações”.

 

PEDRINHO

O candidato a deputado federal Pedrinho Valadares (PFL) recebeu ontem, no início da noite, o apoio formal do ex-prefeito de Simão Dias, Luís Albérico.

Aconteceu em seu sítio naquela cidade, onde se encontravam aproximadamente 15 lideranças da região. Pedrinho participar da festa da padroeira de Simão Dias, Senhora Santana.

 

PACATUBA

A ex-prefeita de Pacatuba, Diva de Santana Melo, já está com adesivo de Marcelo Déda (PT) no carro e vota nele para governador.

O deputado Augusto Bezerra (PFL) diz que ainda dá para contornar, mas o pessoal no município acha difícil. Para deputado federal Diva vota em Ulices Andrade (PSDB).

 

 

Notas

 

ALERTA

O presidente da OAB, Roberto Busato, alertou às autoridades sobre denúncias em poder da CPI do Tráfico de Armas de que o crime organizado pode estar preparando-se para se infiltrar no Judiciário e no Ministério Público, incentivando entre seus membros a participação em concursos para magistrados e promotores.

“Isso é algo absurdo e absolutamente aterrorizante”, afirmou Busato. Ele pediu instrumentos ao Congresso Nacional para que a OAB possa combater, com maior agilidade e eficiência, o que chamou de “criminoso travestido em advogado”

 

ESTRATÉGIA

O deputado Paulo Santiago (PT-PE), sub-relator da CPI dos Sanguessugas, revelou que as fraudes mais comuns realizadas pelos envolvidos no esquema de venda superfaturada de ambulâncias se concentravam na elaboração de emendas relativas à destinação de recursos a ONGs que controladas por parentes de deputados.
Outra estratégia revelada por Paulo Rubem Santiago utilizada foi a realização de acordos com empresas envolvidas nas fraudes para garantir-lhes exclusividade nas licitações de ambulâncias em determinados estados.

DEMISSÃO

Rigor para evitar problemas, esse é o lema da candidata à presidência da República pelo Psol, senadora Heloísa Helena. Ela anunciou ontem que demitiu o jornalista Antônio Jacinto Filho, conhecido como Índio, por ter enviado à imprensa a agenda da candidata por meio de e-mail do Senado. O jornalista tinha um cargo de confiança.
A candidata do PSOL tomou a decisão para evitar acusação de usar a estrutura do Senado em sua campanha. “Até porque, se eu estou há quatro anos sem usar nem a gráfica do Senado, que eu tenho direito, isso é inaceitável”.

 

 

É fogo

 

O presidente nacional da OAB, Roberto Busato, chega a Aracaju amanhã. Para participar na quinta-feira e sexta-feira da reunião do Colégio de Presidentes dos Conselhos Seccionais.

 

Trata-se de um evento de natureza institucional no qual são debatidos relevantes temas de interesse dos advogados e também da nação brasileira.

 

Os empresários de segmentos de bares, lanchonetes e restaurantes finalmente conseguiram, junto ao governo do estado, o direito de não usar o TEF.

 

O deputado Fabiano Oliveira (PSDB) conseguiu convencer ao pessoal do PFL que a Transferência Eletrônica de Fundos é demorada e não permite rachar a conta.

 

O prefeito da Barra dos Coqueiro, Airton Martins (PT),vem reivindicando do Estado a duplicação da rodovia que liga o município a Pirambu.

 

O candidato a vice-governador Fabiano Oliveira já está com postura de quem não deve se envolver em problemas partidários. Está correto…

 

Ricardo Franco se mantém em Recife e cuida da parte empresarial. Só vem a Aracaju nos finais de semana.

 

O médico Francisco Rollemberg é candidato a deputado estadual e trabalha em silêncio. Seu nome o fotografia estão postos em vários carros e casas.

 

Ontem “plenário” confundiu o partido de Vander Costa. Ele é do PTB e não do PST como foi publicado.

 

A dívida pública mobiliária federal interna subiu 1,7% em junho, atingindo R$ 1,016 trilhão. A informação é do Tesouro Nacional e Banco Central.

 

Somados, os subsídios governamentais à agricultura, indústria e serviços podem superar a US$ 1 trilhão. O equivalente a 4% PIB global.

 

brayner@infonet.com.br

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais