Ação imediata

0

Há uma diferença muito grande para resolver problemas entre enchentes e estiagens. No período de seca, o sofrimento do sertanejo é muito grande, mas ele se vira de alguma forma para comer e ter água para beber. Há tempo para se montar estratégias, esperar recursos e chegar a soluções, mesmo que sejam precárias. As enchentes são diferentes. Não podem esperar por definições de gabinetes. Tudo tem que ser feito às pressas, porque há risco de vida, pontes e estradas destruídas, casas desabando e se forma o caos. A ação tem que ser imediata, para socorrer as pessoas atingidas e fazer com que as cidades voltem à normalidade, dentro de um tempo exíguo. A catástrofe das chuvas no sertão já aconteceu e não dá para esperar que os burocratas do Governo Federal pensem a melhor forma de liberar recursos e iniciar um trabalho de recuperação do que foi destruído. Tudo tem que ser imediato, urgente, “para ontem”. O governador João Alves Filho já está tomando medidas emergenciais para que o acesso às cidades seja imediatamente restabelecido. O Governo do Estado já assinou contrato com o 7º Batalhão de Engenharia do Exército, através do coronel Lauro Pires da Silva, e amanhã desembarcam em Aracaju, e segue direto para a área das enchentes, tropas que vão iniciar o trabalho de recuperação de estradas e pontes, para que dentro de uma semana o problema esteja resolvido. O contrato custou 200 mil reais e os recursos são do Estado. Segundo a assessoria do governador, não dá para esperar que o Governo Federal permaneça nos gabinetes, em Brasília, procurando meios de atuar em um estado de emergência. Os trabalhos vão começar imediatamente, para que se possa chegar às áreas atingidas com alguma facilidade. Essa medida só foi possível, graças à amizade pessoal do governador João Alves Filho com o general Moura Barreto, comandante da 6ª Região Militar, e da experiência adquirida no período em que João esteve à frente do extinto Ministério do Interior e viu como atuava o Comando da Selva Amazônica. As previsões metereológicas assinalavam pancadas de chuvas no sertão nordestino. Em outras épocas isso era uma ótima notícia para o sertanejo. Hoje provoca medo. Há dois dias estava sem chover na região atingida, mas ontem, no período da tarde, havia formação de nuvens e a temperatura estava alta. Sinal de temporal e horror, o que terminou acontecendo. Nestes dois dias de sol a grande preocupação era com as doenças que, geralmente, proliferam quando as águas baixas. Embora a Secretaria de Saúde esteja atenta a esse problema e enviou para a área antióticos, analgésicos, antitérmicos, soro e outros tipos de medicamentos, não se sabe que tipo de epidemia pode chegar quando as águas baixarem. O secretário da Saúde, médico Eduardo Amorim, disse que geralmente há casos de leptospirose. Mas, as águas não deixam apenas urina de ratos. Nas enchentes, fezes de fossas estouradas são espalhadas pelas ruas, além de outros tipos de bactérias trazidas por animais mortos e insetos que provocam doenças através de suas picadas. O Governo do Estado, é verdade, está fazendo a sua parte, mas neste momento seria importante que algum ministro, como o da Integração Social, Ciro Gomes, sobrevoasse toda a região, para ver da necessidade de adotar providências urgentes e ajudar na questão da saúde e dos recursos para recuperação de tudo o que foi destruído. Ninguém pode negar que os políticos do Estado estão preocupados, Todos, sem exceção, procuram ajudar da melhor forma que podem, como o próprio prefeito Marcelo Deda (PT), que hoje visita a região com o seu grupo político. A Prefeitura de Aracaju colocou alguma coisa à disposição, mas tem a capital para cuidar, onde também existem problemas provocados pelas chuvas. Os parlamentares prestam solidariedades. E é bom que o façam. Entretanto, é importante que todos se unam, indiferentes aos partidos, e já na segunda-feira estejam em Brasília exigindo uma ação imediata do Governo Federal. Afinal, a enchente provoca estragos iguais a um terremoto, um tornado ou um incêndio. É preciso agir com muita rapidez porque a situação é dramática: se continuar chovendo aumenta a calamidade e se parar de chover há risco de epidemia. Está na hora do Planalto se movimentar com maior agilidade e responsabilidade. CHUVAS Voltou a chover torrencialmente, ontem, no final da tarde, em Poço Redondo e Canindé, provocando medo à população. Há dois dias que não chovia, mas ontem a temperatura estava muito alta e nuvens se formavam. No final da tarde caiu o temporal que todos temiam. DEMISSÃO O governador João Alves Filho comunicou ao médico Marcos Prado, quarta-feira passada, que iria afasta-lo da Secretaria da Educação. Segundo uma fonte do Governo, Prado seria aproveitado em uma empresa pública, como um dos diretores ou presidente. Não foi revelada qual a empresa. CONFIRMADO A senadora Maria do Carmo Alves (PFL) em entrevista ontem, na Rede Ilha, antecipou a decisão do governador em demitir Marcos Prado, da Secretaria da Educação. A causa teria sido necessidade de agilidade no setor. Há informações, também de fonte do Governo, que existe problema no Fundef. NÃO SABIA A Assessoria de Comunicação da Secretaria da Educação ainda não tinha informações do afastamento do secretário e chegou a negar a demissão. O gabinete do secretário comunicou que Marcos Prado teria viajado para o interior, onde fora ver a situação das escolas com as chuvas que caíram no sertão. CANDIDATO A senadora Maria do Carmo Alves disse, ontem, que o seu partido ainda não definiu um nome para disputar a Prefeitura de Aracaju. Admitiu que o secretário de Turismo Pedrinho Valadares é um bom nome e reconheceu que ele vem fazendo um trabalho eficiente à frente da Pasta. INÚTIL Maria do Carmo considera que a convocação extraordinária do Congresso Nacional foi inútil, porque não se está votando em nada. Revelou que quem mais lutou pela convocação foi o pessoal ligado a Lula e acusou o presidente da Câmara, João Paulo (PT), de dizer que era contra a convocação apenas nos jornais. IRRITADO O deputado federal Jackson Barreto (PTB) se mostrou irritado, ontem, com “essa convocação absurda da Câmara, que desgasta o parlamentar junto à opinião pública”. Segundo Jackson Barreto, “a convocação é do nada, pelo nada, para nada. Tanto a do Governo Federal, quanto à do Governo Estadual”. IMPRENSA Jackson Barreto acusa a imprensa de não agir certo em relação à convocação, “porque trata os parlamentares como bandidos”. Explicou que os deputados estão na Câmara porque o Governo convocou e “constitucionalmente nós temos que comparecer”. VENDAS Sobre a questão das vendas on line, a senadora Maria do Carmo anuncia que o Governo deve estudar uma forma de resolver o problema dos empresários de Sergipe. Segundo a senadora, tem casos que os preços são 60% inferiores aos do Estado: “vamos economizar, mas não podemos levar à falência o empresário local”. POTÁVEL Apesar do grande volume de água existente nos municípios atingidos, a população está com sede. Não existe água para consumo humano. A alimentação também é escassa e as Prefeituras não têm suporte para sustentar dezenas de famílias que estão em dificuldade. CEMITÉRIO O cemitério de Poço Redondo ficou inundado, mas as águas não transbordaram e nem provocaram grandes estragos. Entretanto, as fossas de todas as casas estouraram e o que estava dentro dela se espalhou pela cidade. LIBERAÇÃO O sub-chefe da Casa Civil para Assuntos Federativos, Vicente Trevas, anunciou que o Governo Federal liberou R$ 36 milhões para socorrer vítimas das enchentes no país. O deputado federal Heleno Silva acha que a bancada de Sergipe deve correr, segunda-feira, em busca da parte que cabe ao Estado. ULICES O deputado estadual Ulices Andrade (PSDB) integra hoje a comitiva da oposição no Estado, na visita que fará ao sertão. Foi convidado pelo deputado Jackson Barreto. O pessoal acompanha o prefeito Marcelo Déda (PT), que passa todo o dia na região atingida pelas enchentes. AUGUSTO O deputado Augusto Bezerra (PMDB) criticou, ontem, o prefeito de Paulo Afonso, Paulo Barbosa de Deus, porque o hospital daquela cidade recusou atender um garoto de Poço Redondo, que teve fratura no braço. Augusto disse que Paulo de Deus é candidato à Prefeitura de Canindé do São Francisco e como prefeito de Paulo Afonso mostra como trata os sergipanos. Notas PRESIDENTE O deputado federal Jackson Barreto (PTB) disse que a imprensa deveria ter coragem de divulgar que a convocação do Congresso Nacional foi feita pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Quarta-feira passada, Jackson fez um pronunciamento na Câmara, criticando a convenção. Ele disse que os principais interessados nessa convocação são os senadores, por causa da votação das duas PECs Paralelas, que alteram as reformas da Previdência e Tributária, mas que não serão votadas na convocação. VIAGEM O governador João Alves Filho já avisou que só vai viajar ao exterior depois de ver solucionado os problemas que atingem o sertão. João viaja hoje cedo para a região atingida pelas chuvas, onde passa o dia, verificando os trabalhos que vêm sendo realizados na recuperação de pontes e estradas. Ontem pela manhã o governador passou em reunião com secretários, em seu apartamento, tomando uma série de decisões, em relação ao drama do sertão e sobre a reforma no secretariado, que já começou. ÔNIBUS A Secretaria de Educação terá alguns problemas, este ano, com algumas cidades do interior. É que os prefeitos suspenderam os ônibus que transportavam, da zona rural para a sede do município, alunos que freqüentam escolas do Estado. As Prefeituras alegam que não têm recursos para bancar o transporte. Os prefeitos já se reuniram com o secretário da educação e estão querendo uma participação do Estado, para que os alunos não deixem de freqüentar as escolas. Sem esta parceria, não haverá transporte. É fogo O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) chegou ontem em Aracaju e hoje viaja para visitas às áreas atingidas pelas chuvas. Os empresários sergipanos continuam descontentes com o sistema de compra on line, por falta de condições de disputar com empresas de grandes Estados. Terça-feira o prefeito Marcelo Deda vai se reunir com membros da ASBT para estudar forma de angariar alimentos para as vítimas das enchentes. O prefeito de Lagarto, Zezé Rocha, ainda não decidiu se será candidato à reeleição. Há dissidências no grupo. O prefeito de Gararu, João Francisco Albuquerque, não paga os salários dos servidores há quatro meses. O pessoal está gritando. O deputado federal Heleno Silva tem feito uma ponte entre o sertão e o litoral desde quarta-feira passada. A senadora Maria do Carmo Alves (PFL) ainda não decidiu se fica em Brasília ou se retornará à Secretaria de Combate à Pobreza. Maria do Carmo diz que gostaria de ficar em Sergipe sem ser secretária, mas o mandato de senadora não permite isso. Se os deputados aprovarem as cobranças dos inativos, o Sindiprev vai questionar na Justiça a validade da lei. A Assembléia Legislativa realizou sessão extra ontem para que as comissões temáticas concluíssem a apreciação dos projetos enviados pelo Governo. O pessoal que viaja hoje para o sertão vai tentar chegar a Porto da Folha por Gararu e de lá utilizar barcos para chegar a Monte Alegre, Poço Redondo e Canindé. O Governo ainda está analisando a melhor forma de reduzir gastos com pessoal. Mas, com certeza, alguns cargos serão extintos. O deputado Antônio dos Santos (PSC) acha que o negro pode ocupar seu espaço na sociedade e disputar bons salários, desde que se prepare bem para isso. brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais