Albano e a dança dos palanques

0

É inegável que o empresário Albano Franco, prestou relevantes serviços ao Estado de Sergipe nos vários cargos públicos que alcançou, principalmente no Governo do Estado e como presidente da Confederação Nacional da Indústria – CNI. É inegável também que o passado político-partidário de Albano Franco é um “samba do crioulo doido”, passando por várias siglas desde o fim do regime militar. Regime esse em que ele transitou muito bem. Aqui não serão citados os diversos partidos pelos quais ele passou, sob pena de cometer uma injustiça, esquecendo de algum, mas logo após o fim do Regime Militar, Albano continuou no poder, passando pelos governos José Sarney, Fernando Collor, Itamar Franco (a esposa de Albano foi ministra da Ação Social) e Fernando Henrique Cardoso. No governo Lula, é oposição, por conta do partido, mas transita muito no gabinete do vice, José Alencar, de quem é amigo particular.

 

Na fase mais importante da carreira política dele, como governador de Sergipe por dois mandatos (1995 a 2002), Albano Franco teve muitos recursos em mãos, principalmente no segundo governo, com a venda da Energipe. Deixou várias obras no interior do Estado, mas politicamente não mostrou liderança e não soube fazer um grupo político afinado com ele. Quando governador, perdeu a oportunidade de fortalecer o PSDB e o partido, em duas oportunidades não lançou candidato próprio a prefeito de Aracaju, deixando órfãos vários partidários.

 

Na última eleição estadual, em 2006, apesar de quase todos os aliados defenderem que o PSDB saísse sozinho, e não fizesse coligação com o então governador João Alves, Albano foi mais pragmático, pensou apenas em viabilizar a candidatura a deputado federal e fechou o acordo. Lideranças importantes como Bosco Costa, Ulices Andrade, Maria Mendonça, Jorge Araújo, entre outros deixaram o PSDB e apoiaram a candidatura de Déda ao governo estadual. Albano hoje é um “líder” que tem como principal correligionário Fabiano Oliveira. Diferente do ex-governador João Alves que tem ao seu lado fiéis escudeiros desde que ingressou na política, como Machado, Nicodemos Falcão, a família Passos e outros.

 

Agora, passado apenas um ano fora do governo, como oposição, Albano Franco passa a fazer juras de amor publicamente com o prefeito Edvaldo Nogueira. Não que o PSDB pretenda lançar o candidato a vice, já que não tem cacife e o cargo será do PT, dentro do bloco de alianças. Porém, Albano deseja é um acordo para que possa voltar a ser governo. Para isso anuncia que tem pré-candidatos “um médico e um advogado”, de renomes. Bem o advogado a coluna não sabe, mas o médico deve ser Almir Santana, um bom médico que não tem densidade política. Faz lembrar 1988, quando jogaram às feras o médico humanitário, já falecido, Lauro Maia.

 

Albano Franco precisa lembrar que o eleitor de 30 anos atrás não é o mesmo de hoje. A renovação eleitoral é grande, e o eleitorado, principalmente a juventude, está de olho nesta dança de palanques e de posições políticas. Para mostrar que é um líder de verdade, Albano tem que pedir publicamente que João Alves seja candidato a prefeito e que ele está disposto a lançar o vice, neste caso, Fabiano Oliveira, para repetir a dobradinha de 2006. Se João Alves não quiser, Albano tem que colocar o nome dele à disposição da oposição. Seria uma decisão de coragem, de um verdadeiro líder, demonstrando desapego ao poder e espírito de grupo. João Alves não foi eleito, é oposição e não mudará de lado. Mostra firmeza e coerência. Albano para ser firme e coerente tem que ficar na oposição, pelo menos uma vez na vida…

  

Obra do resort da CVC deve começar em fevereiro

Faltam apenas alguns detalhes para que seja iniciada a obra da construção do resort da CVC no Mosqueiro, em Aracaju, que deve ser iniciada em fevereiro. Para construção do hotel estão previstos investimentos no valor de R$ 82 milhões. O Amarazul Eco-Resort será instalado numa área de 362 mil m² sendo 45 mil m² de área construída. Serão disponibilizados 359 unidades hoteleiras, entre apartamentos e bangalôs.

 

Esclarecimentos do Gabinete Militar I

Sobre a nota publicada ontem, 17, neste espaço, de 152 policiais militares lotados Gabinete Militar a coluna recebeu os seguintes esclarecimentos, do coronel Carlos Augusto, responsável pela área: “Recebemos a chefia do GM com 202 policiais, sendo reduzido seu efetivo para 140; Existiam no GM poucos militares com algumas vantagens individuais, sendo solicitado ao Governador que todos tivessem o mesmo tratamento, sendo reconhecido esse pleito através da lei 6309 de 19 de dezembro de2007; – No efetivo do GM estão policiais que fazem a segurança dos ex-governadores Albano Franco e João Alves, além dos deputados Gilmar Carvalho e Adelson Barreto, tudo por força de lei;”

 

Esclarecimentos do Gabinete Militar II

Continuam os esclarecimentos: “Implantamos de forma inédita o policiamento ostensivo nas imediações dos três palácios, com objetivo de colaborar com o policiamento da cidade e garantir a segurança de moradores e transeuntes que circulem próximo a esses locais, sendo de grande aceitação pelos moradores e tendo evitado vários delitos durante o ano passado; Encontramos no GM excesso de viaturas e consumo de combustível, como exemplo, na segurança do governo anterior existiam 30 veículos e hoje são 10 apenas, sendo reduzido no geral em mais de 40% os gastos; Essas e outras ações foram implementadas para melhoria da PMSE e das ações do governo do Estado”.

 

Desembargadora indefere pedido de Juarez Batista I

A Desembargadora Madeleine Gouveia indeferiu pedido de liminar do prefeito afastado de Pirambu, Juarez Batista, que desejava continuar recebendo os subsídios mesmo fora do cargo. Na decisão a desembargadora explica que “a garantia do afastamento do agente público sem prejuízo da remuneração inerente ao cargo é decorrência lógica do princípio da presunção da inocência, servindo para assegurar que o agente público não seja prejudicado se, ao final das investigações, constatar-se a ausência de culpa deste. Dessa forma, considerando que o próprio impetrante assumiu publicamente a prática de atos em prejuízo ao erário público, como declarado perante membros do MP e delegado policial, não vejo como reativar o pagamento do subsídio, em caráter liminar, posto que desconhecida a real dimensão dos atos praticados e confessados”.

 

Desembargadora indefere pedido de Juarez Batista II

A Desembargadora diz ainda na decisão: “o erário público tem mais a perder com a concessão da medida reclamada que o próprio impetrante, que poderá receber todos os subsídios não pagos ao final das investigações, caso fique devidamente comprovada a sua não participação no já referido esquema de desvios de verbas públicas. Ademais, devo frisar que, nessas circunstâncias, a concessão da medida pleiteada fere de morte o princípio da moralidade administrativa, que deve ser sempre perseguido pelo administradores público e agentes políticos em geral”.

 

Concurso de Maruim ainda sem nomeação

Até o momento a Prefeitura de Maruim não tomou nenhuma providência para nomear os aprovados no concurso realizado em 25 de março do ano passado. Os aprovados estão aguardando ansiosamente pelas nomeações e até mesmo uma simples correspondência não foi enviada por parte da Prefeitura. Os aprovados já realizaram manifestação na porta da Prefeitura e tudo mais. É preciso que o MP tome providências duras contra o prefeito. Vão esperar acabar o mandato ou passar o prazo para nomeação por conta do período eleitoral?

 

Assaltos praticados por motoqueiros

De um leitor: “Há poucos dias presenciei um assalto praticado por motoqueiros a uma senhora que ia para casa às 18h30, mais ou menos, no Jardim Jussara, perto do Shopping Jardins, duas casas depois da minha. O carona desceu da moto e derrubou a senhora na calçada para lhe tirar a bolsa, depois montou na garupa da moto e saíram com a maior naturalidade do mundo sem se importar com a minha presença na rua. Você não imagina como me senti mal depois do acontecido, porque não pude fazer nada e só assisti à cena com se estivesse assistindo um filme na televisão ou no cinema. Será que as autoridades do Estado vão deixar que Aracaju se torne igual ao Rio de Janeiro ou São Paulo, para depois querer tomar providências depois do leite derramado? Por que a Polícia Militar não faz blitzes nas ruas parando motos com duas pessoas montadas nela para ver se diminuem os assaltos às pessoas da nossa Aracaju, principalmente às mulheres? Estamos numa Selva de Pedras sem Lenço nem Documentos. Até quando?”.

 

Dissabor é diferente de ofender a honra I

De um leitor: “Prezado Jornalista, acompanho sua coluna, desde os tempos em que você escrevia em jornal, com a mesma coragem e desenvoltura, tratando dos mais diversos assuntos, especialmente de política. Acredito que usando de criatividade e do direito de se expressar, você valoriza nossa política, que, para mim e acredito que maioria dos sergipanos, é bem acanhada e medíocre. Colunistas como você, então, valorizam a política local e deviam lhe agradecer por isso e não retribuir em perseguições, como vem ocorrendo, como eu estou sabendo. Esses processos contra jornalistas, inclusive aqui contra você, em geral falam de ofensa a honra, mesmo que a pessoa atingida por seu noticiário tenha praticado coisas ilícitas ou então tenha seu nome acusado e divulgado na imprensa nacional, inclusive pela tevê. Eu pergunto: e por que não vão processar a Globo ou outra emissora de peso? Não, escolhem os mais fracos financeiramente, com o desejo de tripudiar e dizer quem manda aqui na província!”

 

Dissabor é diferente de ofender a honra II

Continua o leitor: “Olhe agora o que ocorreu com um ex-juiz, Rocha Mattos, que processou o jornalista Arnaldo Jabor, da Rede Globo, porque comentou que foi preso e se envolveu em venda de sentenças. A pessoa faz isso e ainda acha que ofendem a sua honra porque noticiam? E ainda querem indenização? A Justiça de São Paulo negou e o verdadeiro Juiz despachou que nesses casos não existe ofensa a honra mas “mero desgosto ou dissabor dos acusados quando lêem a notícia”. É o caso daqui, a pessoa se envolve em escândalos e não quer que a imprensa noticie”.

 

Sobre a Deso e os empregados concursados I

Do presidente da CUT/SE, Antônio Góis: “Conforme publicado nesta Coluna assisto indignado às justificativas da Deso em relação à situação dos empregados contratados a partir do último concurso público, principalmente quando a argumentação utilizada é a mesma utilizada pela turma de Mandarino e João. Não se pode admitir que seja pregado mudanças para manter as coisas do jeito que estão. O fato é que a Deso foi condenada a pagar multa de R$ 1 milhão por conta do tratamento discriminatório imposto pela empresa aos empregados contratados no último concurso. A denúncia partiu da própria categoria, através do seu sindicato, e teve amparo do Ministério Público do Trabalho que moveu uma Ação Civil Pública contra a Deso. O processo de discriminação existente foi decorrente do tratamento imposto pela Deso aos novos empregados quando impôs condições totalmente diferenciadas em relação aos antigos empregados. Jornada de trabalho maior, salário menor, além de a empresa não estender uma série de direitos previstos em Acordo Coletivo, norma interna, regulamento de pessoal da própria Deso. Esses são alguns dos problemas que se arrastam na empresa desde 2005”.

 

Sobre a Deso e os empregados concursados II

Continua o presidente da CUT: “É importante lembrar que a multa de R$ 1 milhão foi definida em favor do FAT como dano genérico, podendo ainda cada empregado buscar a reparação pelo dano sofrido individualmente. A decisão foi do Juiz da 4ª Vara do Trabalho de Aracaju Luiz Manoel Andrade Meneses que determinou ainda que a Deso deverá se adaptar no prazo de 30 dias a partir de sua notificação, sob pena de multa diária de R$ 1.000,00, para cada item eventualmente descumprido para cada empregado. Por uma questão de justiça seria de bom alvitre que essa sentença servisse pelo menos de reflexão por parte da direção da Deso e do governo para que de fato as mudanças realmente acontecessem principalmente a partir do discurso e de uma prática diferente da gestão passada, onde coerência, justiça e igualdade sejam os valores que estejam presentes sempre”.

 

Vivo Chip não funciona direito na área do aeroporto

Nas imediações do bairro Aeroporto e parte do bairro Atalaia Velha o sistema Vivo Chip não funciona direito. São várias reclamações e a operadora não explica corretamente para os clientes o que vem ocorrendo nem resolve o problema. Alguns clientes estão se mobilizando para ingressarem com uma denúncia na Agência Nacional de Telecomunicações para ver se a empresa resolve o problema.

 

Exames do DETRAN prejudicam ruas de conjuntos

De um leitor: “Até quando, nós moradores dos conjuntos Sol Nascente e JK iremos esperar que o DETRAN/SE mude o itinerário do exame prático para a obtenção da carteira de habilitação. Não agüentamos mais o trânsito de veículos pequenos e pesados, inclusive caminhão-tanque diariamente em nossas portas, das 6h às 20h, atropelando pessoas, arranhando veículos e danificando a pavimentação que semanalmente a EMURB realiza a operação tapa buracos. Pra tudo na vida tem limite e paciência, esperando a mudança por parte do DETRAN”.

 

Leis que pegam e outras que não valem nada

Já está consagrado: no Brasil, existem leis que “pegam” e outras que não valem nada, isto é, todos reconhecem que algumas leis são de mentirinha, somente para dizer que o país é moderno e respeita os direitos de todos cidadãos. Uma dessas leis, é a dos 15 minutos para atendimento ao cliente quando procuram o banco. Nem em Aracaju nem em todo o país, essa lei não é respeitada, apesar de tantas reuniões e procedimentos. Com relação aos bancos, também outras leis não valem, tanto que o ano passado bateu o recorde em queixas sobre o atendimento bancário em geral, queixas que vão da demora até os juros e taxas e fornecimento e de documentos.

 

Outro detalhe sobre o nome de João na revista Superinteressante

Um leitor lembrou ontem um fato que confirma que o João Alves citado na revista Superinteressante deste mês é o ex-governador de Sergipe. Após o insucesso da candidatura do apresentador Sílvio Santos a presidente da República em 1989, Marcondes Gadelha, que seria o vice, ficou desempregado. Por pouco tempo. Em 1991, quando retornou ao governo, João Alves tratou de arranjar um cargo de secretário para o amigo pefelista.

 

Pra que tanta divulgação?

De um leitor: “não sou especialista em segurança, nem pública nem particular, mas uma coisa eu tenho: bom senso. E basta isso para se estranhar porquê se faz tanta divulgação com relação a certos procedimentos contra crimes e a bandidagem em geral, praticamente informando o que está sendo feito em matéria de equipamentos ou manobras contra os mesmos. Entendo que essa divulgação oferece todas as dicas para que os bandidos estudem e busquem alternativas para barrar ou inutilizar essas ações que estão planejadas contra eles. Um exemplo: foi divulgado com sensacionalismo que, agora sim, a Secretaria de Segurança de São Paulo teria um equipamento super-moderno, comprado no exterior para impedir a comunicação de telefones celular operados dos presídios. Esse anúncio não oferece uma chance de que sejam estudadas por técnicos, pois o crime organizado tem dinheiro para pagar técnicos em todas as áreas, visando anular o trabalho desse tal equipamento?”

 

Será que não tem jeito?

Nem bem sai de um escândalo e já surge outro envolvendo senadores e políticos de expressão (que mandam mesmo): a nomeação do senador Edison Lobão já detonou no noticiário que o seu filho, que é o seu suplente no Senado, está envolvido em uma série de processos e acusações, todos de corrupção. Será que não tem jeito de Brasília parar com isso aí, de viver atolada nessa lama? E por que não uma lei proibindo que parentes (especialmente o filho) seja suplente do senador, transformando uma escolha do voto em uma coisa familiar? E por que não retirar essa coisa de suplente de senador, que não é votado?

 

Sindicato vai entrar na Justiça contra o Estado

Da assessoria do Sinpol: “o Sinpol-Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe vai entrar no Tribunal de Justiça de Sergipe com um mandado de segurança coletivo visando acabar com o desvio de função do cargo de escrivão de polícia, os chamados escrivães ad hoc. Além é claro, da nomeação de todos os concursados ao cargo de escrivão que ainda aguardam a boa vontade do governo em provê-los, o que ainda não ocorreu em sua totalidade mesmo havendo várias unidades policiais sem escrivães e algumas delegacias onde um escrivão atua em duas cidades, algo humanamente impossível e longe da prometida profissionalização da polícia”.

 

Verão Sergipe começa nesta sexta-feira I

A primeira edição do projeto Verão Sergipe, que começa nesta sexta-feira, 18, na Praia da Caueira, em Itaporanga D”Ajuda, litoral sul do Estado, chega com a marca da inovação e da integração. Competições esportivas, apresentações de grupos folclóricos e shows de bandas sergipanas e de atrações como Vanessa da Mata, Nando Reis e Jorge Ben Jor farão parte da programação deste fim de semana. O projeto está sendo realizado em parceira entre as secretarias de Estado da Cultura, da Comunicação Social, do Turismo e de Esporte e Lazer. Segundo a secretária de Estado da Comunicação Social, Eloísa Galdino, o evento foi concebido como um projeto de governo que pretende interiorizar o turismo.  “Além disso, o Verão Sergipe oferece a oportunidade para que as comunidades do interior tenham acesso a determinadas atrações, a programação esportiva e a uma tenda multicultural, com atrações da cultura sergipana. Essa é a primeira edição, mas a idéia é manter e até ampliar para outras áreas”, afirmou a secretária.

 

Verão Sergipe começa nesta sexta-feira II

O secretário de Cultura, Luiz Alberto dos Santos, destacou que esse projeto é a marca do governo Marcelo Déda. “O Governo do Estado se preocupa em interiorizar as ações. O Verão Sergipe é uma das provas dessa preocupação”. Ele também destacou a importância da ação integrada das secretarias. “Essas parcerias dão certo. Um exemplo foi o Arraiá do Povo, que fizemos em conjunto e teve um excelente resultado”.

 

PGE convoca estagiários I

A Procuradoria-Geral do Estado está convocando desde a última quarta-feira, 16, os quinze primeiros colocados aprovados no processo seletivo para a formação do quadro reserva de estagiários de nível superior, da área de direito, realizado no final do ano passado. Segundo a Corregedora-Geral da Advocacia-Geral do Estado de Sergipe e Presidente da Comissão organizadora do processo seletivo, Procuradora Carla de Oliveira Costa Meneses, estão sendo convocados os quinze primeiros colocados no concurso, os quais têm o prazo de dez dias, a partir da divulgação dos nomes no site da PGE e nos murais do edifício-sede do órgão para apresentarem a documentação exigida no edital, a fim de serem contratados. Carla de Oliveira Costa Meneses, explicou ainda que os convocados deverão comparecer no horário das 07 às 13 horas, na Corregedoria-Geral, situada no edifício-sede da Procuradoria-Geral do Estado (Praça Olímpio Campos, nº 14, Centro, Aracaju-SE, CEP 49010-040), apresentando os seguintes documentos: Declaração pessoal em formulário próprio, fornecido pela PGE, conforme o anexo II do edital nº 001/2007; documento atualizado datado de no máximo 30 dias, comprovando a regularidade escolar, emitido pela instituição de ensino, com indicação do período cursado pelo candidato aprovado; cópias da Carteira de identidade e CPF; duas fotos 3×4 recentes e histórico escolar atualizado emitido pela Instituição de ensino.

 

PGE convoca estagiários II

O prazo para apresentação da documentação expira-se no próximo dia 28 de janeiro este ano. Os candidatos aprovados que estão sendo convocados nesta primeira etapa são: Saulo Rezende Moreira – RG: 3.041.305-2/se; Marcella Barreto Medeiros Trigueiros – RG: 3.162.486-3/se; Tiago Gomes Benitez dos Santos – RG: 3104394-1/se; Fagner Dantas Barros – RG: 1.412.657/se; João Paulo da Silva Santana – RG: 3.041.680-9/se; Evelyn Carvalho Costa Xavier – RG: 3.053.511-5/se; Fernanda Travassos Deda – RG: 3.151.432-4/se; Lorena Souza Campos – : 3.090.165-0/se; Alipio José Viana Pereira Neto – RG: 3.085.628-0/se; Charles Guilherme Rodrigues – RG: 2.284.153-9/se; Ana Crisna Menezes Mota – RG: 1.346.656/se; Eder Marques Silva – RG: 2.020.146-0/se; Anelise Beatriz Cardoso Alves – RG: 5508532-3/pr; Rafael Almeida Brito – RG: 3.042.031-8/se; Edmundo Mascarenhas de Andrade Filho – RG: 3.054.780-6/se. (Ascom/PGE).

 

Frase do Dia

“Um homem que não morreria por algo não é digno de viver.” Martin Luther King.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais