Albano e o tucano

0

O ex-governador Albano Franco (PSDB) ainda procura ficar eqüidistante da política em Sergipe. Realmente não está com uma atuação pública, mas conversa muito nos bastidores e oferece sugestões importantes, quando convocado. Na Fundação Augusto Franco, onde hoje dá expediente e trabalha, Albano recebe um bom número de políticos e não há como recusar um prato recheado dos quitutes que estão nas vitrines, neste momento de sucessão municipal. Sobre o PSDB, geralmente trata com o presidente regional, deputado federal Bosco Costa, ou com o secretário geral, deputado estadual Ulices Andrade, que são aliados e estão com mandatos. Não se recusa a fazer aparições políticas nesta campanha eleitoral, para ajudar a correligionários do tipo de Maria Mendonça, candidata a prefeita em Itabaiana, filha de uma liderança política que acompanha os Francos há vários anos, ex-deputado Chico de Miguel.

 

Albano apareceu ao lado de membros que formam o bloco de oposição ao Governo do Estado. Todos no mesmo palanque, inclusive o deputado federal Jackson Barreto (PTB), que sempre mereceu críticas pesadas dos Teles de Mendonça.

 

Albano Franco, entretanto, deve ser motivo de novos comentários ainda este mês, em relação ao seu partido. Já é público que o senador Almeida Lima (PDT) se acomodou no ninho tucano, em âmbito federal, com a possibilidade de ficar com o comando da sigla em Sergipe. O ex-governador já foi informado disso e deve manter um encontro com Almeida na próxima semana, para uma definição. Albano, como político de estrutura nacional, tem sido convidado pelo Partido Liberal para ser seu mais novo filiado. É amigo pessoal do vice-presidente da República, José Alencar (PL), a quem, através da Fundação Augusto Franco, convidou para dar uma palestra sobre o crescimento econômico sustentável no país. Para se ter uma idéia da amizade dos dois, Alencar foi vice-presidente de Albano Franco, quando ele estava na Presidência da Confederação Nacional da Industria – CNI. Sobre o convite para ingressar no PL, o ex-governador fez ponderações e recusou.

 

Ontem, uma fonte muita bem avisada, com trânsito livre nessa área de transferências partidárias, inclusive porque tem sido convocada para ingressar em partido de maior porte, informou que o ex-governador Albano Franco vai quebrar o retiro político e, na próxima semana, viajará para conversar com a cúpula do PSDB. Albano, aliás, já esteve um encontro com o senador Arthur Virgilio (PSDB-AM), em Brasília, para tratar do assunto e ouviu que realmente o partido está interessado em ter o senador Almeida Lima em seus quadros. Segundo a mesma fonte, o ex-governador dirá que vai ficar com o bloco da oposição. E é onde ele está. Só que há um problema: Albano faz uma oposição isolada, porque os radicais do PT não o aceitam. Isso foi praticamente revelado por uma declaração do deputado estadual Fabiano Oliveira, presidente municipal do PTB, que não foi convidado para um café-da-manhã, com o objetivo de promover a paz nas oposições em Nossa Senhora do Socorro: “não fui porque esse pessoal me vê como aliado de Albano Franco”, desabafou Fabiano.

 

A posição de Albano Franco, em Sergipe, é de oposição ao governador João Alves Filho – não chega ser ao PFL – e a recíproca é verdadeira. Simpático ao prefeito Marcelo Déda, o ex-governador não consegue o “aprove-se” dos radicais do Partido dos Trabalhadores, inclusive porque é orientação da direção nacional do PT, não se aliar com o PFL ou PSDB. Se em Sergipe Albano é oposição, a nível nacional tem simpatias pelo Governo Lula, a quem os tucanos fazem oposição cerrada e é o partido em condições de enfrentar o presidente nas eleições nacionais de 2006. O que fazer? Albano terá que se definir por ser oposição ao PT aqui e em Brasília. É complicado e o melhor caminho, segundo uma liderança da oposição, seria Albano engrossar o cordão dos liberais e ficar do lado pelo qual se definiu. Filiando-se no PL, lógico que o patrulhamento petista será suspenso imediatamente.

 

O senador Almeida Lima, entretanto, gostaria de ficar no PSDB sem que Albano Franco deixasse o partido. Sinal de que Almeida está disposto a se transformar em oposição no Estado e em Brasília, para formar uma terceira via em Sergipe. Almeida já jantou com o presidente nacional do PSDB, José Serra, e as portas estão abertas, faltando apenas essa estrutura, ao lado do ex-governador, para que o partido fique maior dentro do Estado. O senador Almeida Lima tem um projeto praticamente declarado, o de disputar o Governo do Estado em 2006, aproveitando os descontentes dos dois lados e buscando uma outra opção para o eleitorado sergipano.

 

 

MEDALHA

O vice-presidente da República, José Alencar (PL) vai receber a medalha do Mérito Aperipê, do Governo do Estado, às 15 horas de segunda-feira.

Às 16 horas, na Assembléia Legislativa, o vice-presidente recebe o titulo de Cidadão Sergipano e, à noite, profere palestra sobre o crescimento da economia,

 

PROJETO

O deputado Venâncio Fonseca (PP) retirou de votação, ontem, o projeto que transforma empresas em autarquias e superintendências, porque não seria aprovado.

A deputada Susana Azevedo (PPS) disse que não votava no projeto e o deputado Luiz Garibalde (PTB) revelou que da forma que estava colocado não tinha o seu voto.

 

TEMPO

Segundo Venâncio Fonseca, os deputados Antônio Santos, Luiz Garibalde, Ana Lúcia e Francisco Gualberto pediram mais tempo para analisar melhor o projeto.

Venâncio diz que os funcionários da Emdagro ainda não levaram documento que provam prejuízos: “na realidade o que eles querem é que a empresa não participe”.

 

FABIANO

O deputado Fabiano Oliveira (PTB) disse que se o projeto fosse mantido para votação em plenário, ele seria um dos que ficariam contra.

Uma comissão de funcionários da Emsetur que pediu a ele para votar a favor ao PEC, voltou a ele para pedir que votasse contra. Fabiano voltaria a atender aos servidores.

 

EMDAGRO

O delegado da Agricultura em Sergipe, Jorge Araújo, revelou que, no caso da Emdagro, o representante do Ministério sempre participou do conselho de Administração.

Segundo Jorge, com a transformação da Emdagro em autarquia, o Ministério da Agricultura foi retirado do conselho, assim como outros órgãos de importância para o setor.

 

PARCERIA

Independente das questões políticas, a Delegacia da Agricultura mantém uma parceria sadia com o Governo do Estado.

Jorge Araújo citou, para dar exemplo, só este ano R$ 625 mil já foram liberados para o Programa de Defesa Animal.

 

DESMENTE

Fabiano Oliveira desmentiu que, numa reunião, em Campo do Brito, tendo a participação do deputado José Carlos Machado, um vereador lhe fez insinuações.

Fabiano diz que está vislumbrando um projeto futuro e continua fazendo oposição, trabalhando ao lado de Marcelo Déda e José Eduardo Dutra.

 

DÉDA

O prefeito Marcelo Déda (PT), candidato à reeleição, disse que os seus concorrentes estão procurando mostrar que a Prefeitura não atuou na periferia e falhou em muita coisa.

“Eles vão dizendo que a gente não fez nada, mas nós vamos mostrando, com imagens, tudo que foi realizado pela Administração Municipal”.

 

BATER

Segundo Marcelo Déda, o tom da campanha dos candidatos da oposição é bater, “mas nós vamos manter a tranqüilidade e mostrar plano de Governo e nosso trabalho”.

Segundo Marcelo Déda, “nunca bati em ninguém quando estava na oposição, agora que sou Governo, vou mostrar o que realizei sem bater”.

 

MORAL

Entretanto, se Marcelo Déda se sentir ofendido, pessoalmente, com alguma crítica, ele vai à Justiça Eleitoral para requerer o tempo de resposta.

O candidato petista disse que não iria usar o seu programa para responder a ninguém: “quero usar o tempo deles”, disse.

 

SUSANA

A candidata Susana Azevedo (PPS) vai começar a mostrar o seu plano de Governo, que abrange todas as áreas da administração municipal.

Diz que é um projeto vasto, bem estruturado que, no seu entender, cobre todas as falhas da atual administração.

 

DIFERENÇA

Susana Azevedo diz que jamais pensou em entrar no campo pessoal de qualquer um candidato à Prefeitura de Aracaju: “não é do meu estilo”.

A candidata diz que o prefeito como cidadão é uma coisa, “a administração é que se torna vulnerável a críticas, desde que não seja bem feita”.

 

TUCANO

A informação é de fonte segura: o ex-governador Albano Franco (PSDB) vai conversar com a cúpula do seu partido, na próxima semana.

Segundo a mesma fonte, Albano Franco pretende abrir o jogo, anunciando que fica com o bloco da oposição em Sergipe, mas sem deixar o PSDB.

 

ESPERA

Alguns candidatos às Prefeituras Municipais, no interior, estão reclamando a presença do presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra, nos comícios.

José Eduardo avisou, durante uma entrevista, que participaria da campanha em Sergipe, quando não tivesse compromissos maiores em relação à Petrobras.

 

CAMPANHAS

No sertão as campanhas que estão mais acirradas são a de Porto da Folha e Nossa Senhora da Glória. Nesses dois municípios fica difícil saber quem está em melhor condição.

Em Porto da Folha disputa Rodrigues (PMDB) e Manoel de Rosinha (PT) e em Glória são três candidatos: Zico (PFL), Anselmo Correia (PTB) e Aparecido Dias (PMDB).

 

Notas

 

VENTINHA I

O processo do assassinato do vereador José Carlos, o Ventinha, já foi concluído e enviado à Justiça. Segundo um perito policial, muitas coisas que não foram levadas em consideração, desabonam o crime passional. Uma delas é que Ventinha esteve com o jovem apenas duas vezes, o que não despertaria grande paixão.

O vereador Ventinha vinha dormindo no banco reclinado da frente, mas um dos tiros disparados atingiu a nuca. Isso jamais aconteceria. Além disso, ninguém iria tentar matar o motorista com o carro em velocidade.

 

VENTINHA II

Uma fonte que convivia com Ventinha disse que jamais ele dormiria em um trecho tão pequeno: “ele era muito agitado, não confiava em ninguém e não dormia com facilidade”. Qualquer análise pericial comprovaria que alguns tiros foram dados de fora do carro para dentro. Houve 10 disparos e só apareceu um revólver.

A fuga do assassino também foi estranha: por que ele preferiu pular a cerca de uma área de segurança? Será que queria se entregar? Por que ele não preferiu tentar uma fuga para o lado contrário do porto de Sergipe?

 

VENTINHA III

Segundo uma fonte da polícia, na hora do crime havia mudança de turno no porto, o pessoal do caminhão desceu e um deles bateu fotografias dos corpos. Por que o promotor do caso não pede para investigar o paradeiro dessas fotos? Onde está o jovem que também vinha ao lado do rapaz que atirou em Ventinha?

Mais duas incógnitas: a mulher que telefonou avisando do crime, não foi localizada até o momento e ninguém viu o veículo que Ventinha utilizava quando foi morto. Ele foi tirado do lugar, foi lavado e desapareceu.

 

É fogo

 

Os programas dos candidatos proporcionais de Aracaju são muito engraçados. É o que há de melhor do humor pode ser visto neste período.

 

Os vereadores que disputam a reeleição sabem que programa na televisão só dá voto para os majoritários. Deveria ser os primeiros a não aceitar a participação.

 

Em Lagarto as eleições municipais começaram a esquentar com os programas nas rádios, Os candidatos botam pra quebrar.

 

Setenta por cento dos comerciantes já utilizam o Sistema TEF. Apenas 30% estão pedindo um maior prazo para instalação.

 

O programa eleitoral dos majoritários continua em ritmo de apresentação, deve esquentar dentro de mais uma semana.

 

O deputado estadual Antônio dos Santos (PSC) ficou estarrecido com as estatísticas dos acidentes de trabalho no País.

 

A reclamação dos vereadores em relação à entrega de material é geral. Está acontecendo em todos os partidos, na capital e interior.

 

O vice-presidente da República, José Alencar, vai conceder uma entrevista a jornalistas, durante sua permanência em Aracaju.

 

O deputado estadual Mardoqueu Bodano (PL) está preocupado com o aumento da violência nas estradas, por conta dos acidentes de trânsito.

 

A candidata Shana está se apresentando no programa de televisão, aproveitando o nome para usar do duplo sentido.

 

Como aconteceu com o candidato Rola, que teve milhares de votos, Shana também está querendo ganhar este filão do voto de protesto.

 

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Roberto Busato, defende que a taxação dos inativos é inconstitucional.

 

Por Diógenes Brayner

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais