Almeida corre contra os minutos finais

0

A campanha em Aracaju, que estava pautada em propostas administrativas e parecia correr por um rio de águas calmas, começou a navegar por águas turbulentas por conta de alguns poucos que tinham  a esperança de que a população aracajuana seguisse outro caminho nestas eleições municipais.

 

Desde a semana passada que o horário eleitoral mudou. Por conta das exibições de artifícios já usados em campanhas anteriores sem sucesso. Por exemplo, o candidato Almeida Lima, que estava conduzindo o programa sem aberrações, resolveu radicalizar por conta dos resultados das diversas pesquisas de opinião que vêm sendo divulgadas. Almeida chegou a usar imagens de pessoas supostamente não atendidas pelo Samu, se igualando a candidata Susana Azevedo que na campanha passada, colocou imagens de um caixão em frente a um posto de saúde. O resultado todo mundo já sabe ou pelo menos, Almeida não entende que saúde é algo sério e não pode ser usada para fazer politicagem. A queda de Almeida nas intenções de votos é algo real e irreversível.

 

Aliás, sobre saúde, depois de um mês os marqueteiros de Mendonça Prado perceberam que não pegou bem para a população usar imagens da senadora Maria do Carmo e os apelos dramáticos por conta da doença dela. Outro exemplo que com saúde não se pode brincar e nem tentar sensibilizar o povo desta forma. Ao invés de conseguir alguma transferência de voto, por conta do carisma da senadora, as imagens provocaram uma repulsa na população que não aceita o uso político de uma doença, seja com quem for. Mendonça não cresceu o esperado, mas se Almeida continua despencando, o candidato do DEM, pode chegar à reta final e ultrapassar o peemedebista, que tem uma alta rejeição.

 

Do outro lado, o candidato à reeleição, segue fazendo o chamado “feijão com arroz”, garimpando votos sem maiores problemas. Pelo contrário, deve agradecer diariamente a um cabo eleitoral que está demonstrando força política e transferência de votos nesta eleição: Marcelo Déda. Se o eleitorado aracajuano confirmar os números das quatro pesquisas apresentadas nos últimos dias em Aracaju, Déda mostrará um poder de transferência comparado, na devida proporção, ao saudoso Leonel Brizola quando estava no auge nos Estados do Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

 

A verdade é que o jogo está no segundo tempo, já indo para os minutos finais com os acréscimos. E pelas atitudes dos últimos dias, Almeida Lima vem demonstrando falta de fôlego e desespero, talvez já pensando como justificará a direção nacional do PMDB a derrota eleitoral, mesmo com toda estrutura montada. Se não levar a eleição para o 2º turno, Almeida perderá o comando do PMDB em Aracaju.

 

Almeida vai pedir força federal e processar juíza

O candidato do PMDB à Prefeitura de Aracaju, senador José Almeida Lima (PMDB) entrou com um pedido de força federal para as eleições municipais de Aracaju. A decisão foi tomada por ele depois de um incidente que aconteceu, neste domingo, 14, por volta das 15h, na praia de Atalaia. O senador Almeida Lima disse ter comunicado a realização da passeata do domingo à Polícia Militar na sexta-feira, 12, dando roteiro da carreata. O registro é feito para que haja segurança do setor policial na prioridade às vias públicas pela qual passaria a manifestação. Almeida Lima disse que ao invés de ser enviado ao local soldados do Cptran e guardas da SMTT, foi enviado a Polícia de Choque. De acordo com o candidato os policiais prenderam o motorista do carro de som, o motorista de mini trio e motoqueiros. O candidato a prefeito pelo PMDB disse também que vai entrar com um processo contra a juíza da 35 Zona Eleitoral de Aracaju, Patrícia Menezes, que mandou arrancar todo seu material de publicidade de campanha: “se possível vou até o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), porque fui prejudicado”. Almeida lembrou a questão estava em julgamento e a juíza determinou a retirada antes do julgamento. (Infonet).

 

Solidariedade a Juíza

É preciso lembrar que a decisão da juíza Patrícia Menezes,  que determinaram a retirada dos painéis existentes nos comitês do candidato da coligação “A Gente Pode”, teve por fundamento legal os artigos 14 e 15 da Resolução nº 22.718, datada de 28 de fevereiro de 2008, do Tribunal Superior Eleitoral, porquanto ultrapassavam a dimensão autorizada e não continham o CNPJ de quem os confeccionou, tendo sido proferidas em 11 e 21 de agosto de 2008 nas Representações movidas pelo Ministério Público Eleitoral e pela Coligação “Todos Por Aracaju”, de números 126/08 e 129/08, respectivamente. E que mesmo pendente de recurso, a decisão tinha que ser cumprida, pois os recursos nas Representações Eleitorais não têm efeito suspensivo. Que decisões semelhantes aconteceram com comitês de outro candidato a prefeito e de candidatos a vereadores. A Justiça Eleitoral em Sergipe, tanto através do procurador regional eleitoral, quanto o presidente do TRE, desembargador Cláudio Déda, vem dando exemplo de transparência, correção e, sobretudo, imparcialidade nestas eleições municipais. Qualquer tentativa de manchar este trabalho visa apenas desvirtuar a realidade eleitoral, por conta da decisão democrática do eleitorado.

 

Veículo do Banese usado irregularmente

Há alguns dias este jornalista notou que um veículo Astra cinza, locado pelo Banese sempre às 12h30 chega à rua de Estância ao lado do Colégio Ideal (rua Dom Bosco) e espera alguém. Como não tinha certeza preferiu esperar. Ontem, 15, comprovou que o veículo locado com dinheiro público, que tem nas portas o nome Banese Card, placa IAG 19-59, espera um estudante. Com certeza o presidente, João Andrade, tomará as providências cabíveis. Pelo jeito o veículo está à disposição do Banese Card.

 

Parabéns Alessandro e toda equipe da Polícia Civil

De parabéns toda equipe da Polícia Civil, comandada pelo delegado Alessandro Vieira que prendeu ontem dez pessoas, por tráfico e a prática de assaltos, entre outros. Logo pela manhã, algumas pessoas denunciavam abuso de autoridade. As investigações foram realizadas durante dois meses. Este jornalista não conhece pessoalmente o delegado Alessandro Vieira, mas conhece o trabalho dele pela imprensa. Não só fica solidário com ele e toda equipe, como apóia qualquer ação para coibir o trafico de drogas e colocar nas ruas meliantes. Qualquer tentativa de denegrir o trabalho da Polícia Civil neste momento é tentar desviar a atenção para a verdade dos fatos.

 

TCE usará gravações no inquérito de Flávio

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) em sentença prolatada pela ministra Eliana Calmon, deu pleno poder ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) para decidir pelo uso das gravações feita pela Policia Federal, no processo administrativo 424/2008, que corre contra o conselheiro afastado Flávio Conceição de Oliveira Neto, acusado de favorecer a empresa Gautama em desvio de recursos públicos. Ela também negou provimento ao embargo declaratório impetrado pelo advogado de Flávio, Gilberto Vieira, pedindo que o STJ intervisse no encaminhamento do processo no TCE. Segundo o coordenador jurídico do TCE, Jéferson Fonseca, no embargo declaratório, Flávio Conceição, pede, através de seu advogado, que a relatora (ministra Eliana Calmon) “dirija-se ao Tribunal de Contas do Estado de Sergipe e ao Ministério Público do Estado de Sergipe, determinando sejam inutilizadas as gravações telefônicas integrantes do inquérito (administrativo) porque não podem servir de prova emprestada por não terem passado pelo crivo do Poder Judiciário”.

 

Assaltos no conjunto Augusto Franco

Leitores reclamam de assaltos constantes a estudantes no conjunto Augusto Franco nas proximidades do Colégio Santa Fé. Roubam celulares e até bonés, em plena luz do dia às 12h40.

 

Amoroso usando o nome da rede Globo

O delinqüente conhecido como Amoroso que se passa por jornalista passou toda a semana passada assediando pessoas da área da saúde do Hospital de Urgência Governador João Alves Filho, dizendo que estava trabalhando para o Fantástico. Todo mundo sabe que ele não tem vinculo nem com a TV Sergipe nem com a rede Globo. Parece que ele estava ajudando uma equipe do Fantástico que esteve em Sergipe fazendo uma matéria com uma câmera escondida.

 

Homem de palavra

Sempre com muito entusiasmo e disposição, o senador Antônio Carlos Valadares tem sido presença garantida nos atos de campanha do prefeito candidato à reeleição, Edvaldo Nogueira (PCdoB). Na caminhada do último sábado pelo bairro Santa Maria, Valadares teve a oportunidade de pedir voto para o prefeito justamente no conjunto que leva seu nome. “Confiem em Edvaldo porque ele é um homem de palavra, que cumpre com seus compromissos. Sua palavra é de verdade, ele não volta atrás”, ressaltava o senador.

 

Sergipe na Feira Rio Oil & Gás, no Rio

Ana Libório e Gândara Arquitetas Associadas participam com um estande na Feira Rio Oil & Gás que está sendo realizada no Rio Centro na cidade do Rio de Janeiro, de 15 a 18 deste mês. As conceituadas arquitetas integram o estande da Rede Petróleo e Gás de Sergipe, no pavilhão n. 2. Os sergipanos que tiverem oportunidade de se encontrarem no Rio nesse período terão o privilégio de comparecerem  a esse evento.

 

Agressão a Cabo Zé

Nota da assessoria de Cabo Zé: “O partido do candidato Lila Fraga (PSDB) em Lagarto mais uma vez é protagonista de agressões. A última, que se tem notícia, aconteceu na manhã de hoje. Enquanto uma multidão, que apóia à eleição de Valmir Monteiro e Júnior Ribeiro, esperava o início de uma passeata com destino à feira livre de Lagarto, um eleitor adversário se exaltou e gritou: “Bole-bole tem que tomar cacete”, fazendo referência à multidão. Ao ouvir isso, o ex-prefeito Cabo Zé, líder do Bole-bole, perguntou ao eleitor o porquê dele estar proferindo aquelas palavras baixas. Entretanto, como resposta em vez de palavras, Cabo Zé recebeu um soco na boca, deixando-o ensangüentado.A multidão ficou inconformada com tamanha grosseria e covardia, já que a vítima é uma pessoa de mais de 70 anos. Aprende-se com os pais em casa educação: não brigar nas ruas e respeitar os mais velhos. Mas em Lagarto como é a cidade em que tudo pode, pode-se facilmente agredir pessoas e sair ileso. Há quase um mês, em exemplo, dia 18 de agosto, o candidato Lila Fraga ameaçou a assessoria de Marketing de Valmir Monteiro, chegando a agredir o cinegrafista da equipe Tadeu Pereira, por conta de uma entrevista à equipe concedida de livre vontade. Na entrevista, Lila disse que a cidade se encontrava abandonada. Foi-se o tempo da barbárie. Nós já estamos na civilização, no tempo em que nos tratamos com cordialidade, sem grosserias. Porque, antes de tudo, somos um ser moral dotados de inteligência e discernimento”.

 

Cabo Zé agride desempregado em Lagarto

Nota da assessoria de Lila Fraga: “O desempregado Ibraulino Silveira Costa Neto, 24, viveu momentos de pânico na manhã desta segunda-feira (15), em Lagarto. Enquanto passava pela praça Filomeno Hora, no centro da cidade, o ex-prefeito de Lagarto, José Raymundo Ribeiro, o “Cabo Zé”, partiu em sua direção e arrancou do seu peito a praguinha com a propaganda eleitoral do candidato Lila Fraga (PSDB). “Ele me parou, me pegou pelo pescoço e tirou o adesivo, dando para o seu filho Júnior (Júnior Ribeiro, candidato a vice-prefeito). Foi Cabo Zé quem me deu um murro na cara, e depois o filho veio em minha direção para também me agredir”, relata Ibraulino. Quando os dois partiram para cima dele, o rapaz empurrou os agressores e saiu correndo em direção a uma loja. “Cabo Zé chamou o povo dizendo para acabar com a minha raça. Várias pessoas se juntaram na porta da loja. Tive que ficar no fundo, porque senão ia acontecer uma tragédia. Graças a Deus chegou um policial e acalmou os ânimos”, comenta o rapaz agredido. Ibraulino lamentou o fato porque, mesmo sua família sendo de Lagarto, ele nem é eleitor do município. “Moro e voto em Aracaju. Estou em Lagarto para montar um negócio aqui, mas depois disso vou desistir, porque sei que vou ser perseguido por Cabo Zé”, lamenta o jovem. Por volta das 16h, Ibraulino fez exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) em Aracaju. Ele também prestou uma queixa contra Cabo Zé na delegacia de Lagarto por agressão. Além de murro, o rapaz levou cacetadas nas costas enquanto fugia dos agressores”. 

 

Esclarecimentos sobre aplicação de recursos no IBGE I

Do chefe da Unidade do IBGE em Sergipe, Antonio Pereira Marinho: “A propósito da nota veiculada no seu blog, sob o título “dinheiro sobrando no IBGE?” venho prestar os seguintes esclarecimentos, crendo no seu interesse em manter os seus leitores corretamente informados: Em primeiro lugar, devo dizer que os valores divulgados são verdadeiros. O único erro da sua fonte (de intenções duvidosas), foi não lhe informar, de modo circunstanciado, todo o histórico da nossa mudança. Asseguro-lhe que todos os procedimentos previstos da legislação vigente, foram seguidos rigorosamente. Apenas para situá-lo nos fatos, informo que nossa antiga sede, de propriedade do IBGE (rua Riachuelo,1017, São José),  apresentava, já de algum tempo, problemas estruturais, não obstante a reforma que sofreu no ano 2000. Pensando na segurança dos servidores, solicitamos a presença da Defesa Civil que emitiu parecer, orientando sobre o nossa saída do referido imóvel. A partir daí, seguimos todo o ritual previsto na legislação com vistas à mudança. Começamos, como de praxe, consultando Gerência de Patrimônio da União sobre a existência de imóvel disponível para cessão, sem ônus, ao IBGE. A resposta foi negativa. Igual consulta foi feita ao Governo do Estado e à Prefeitura, sem resultado positivo. Diante disto, não nos restou outra alternativa senão a pesquisa de mercado. Da exaustiva busca que levou mais de trinta dias, com todos os nossos servidores mobilizados neste sentido, a alternativa mais compatível, levando em conta tamanho e preço, foi o imóvel que  ora ocupamos, na Av. Francisco Porto, 107-Jardins”.

 

Esclarecimentos sobre aplicação de recursos no IBGE II

Esclarece ainda Antônio Marinho: “Todos os procedimentos foram cumpridos com o máximo de transparência, através da comissão constituída para esse fim (inclusive contratação de perito para avaliação do valor do aluguel). Considerando que o prédio ora ocupado foi concebido para funcionar como escola, inúmeras adaptações foram inevitáveis, todas elas feitas com o máximo de parcimônia. Convido-lhe a visitar-nos para que você constate com os seus próprios olhos que nada fizemos de supérfluo ou ostentativo. Tudo está limitado a oferecer as condições mínimas de trabalho.   Dito isto, volta à sua interrogação, “dinheiro sobrando no IBGE?”, para responder categoricamente: não!. Pelo contrário, eles são por demais escassos.O que fizemos foi inevitável, sob pena de inviabilizarmos o  funcionamento da nossa Unidade, que tantas e tão relevantes informações produz para toda a sociedade. Assim sendo, em nada nos assusta uma eventual interpelação do MPF, pois tudo foi feito à luz dos princípios do Art.37, caput, da Constituição Federal”.

 

Posição contrária a implantação de usina nuclear

Do presidente do PV em Aracaju, Reynaldo Nunes: “A Imprensa nacional e local tem publicado diversas notícias sobre a possibilidade de instalação de uma Usina Nuclear em Sergipe. Como Presidente do PV em Aracaju e ex-Secretário Estadual de Meio-Ambiente, veio me posicionar totalmente contra, lembro o artigo da Constituição Estadual de Sergipe (do qual fui um dos colaboradores) que diz :  Art. 232. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Estado, ao Município e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações. § 8º Ficam proibidos a construção de usinas nucleares e depósito de lixo atômico no território estadual, bem como o transporte de cargas radioativas, exceto quando destinadas a fins terapêuticos, técnicos e científicos, obedecidas as especificações de segurança em vigor. Para gerar energia o governo brasileiro tem de investir em energias limpas (eólica, solar), não podemos deixar que interesses econômicos precedam os interesses de nossa população. Finalmente peço a reflexão de cada um dos seus leitores, com a seguinte pergunta : Vc gostaria de morar ao lado de uma Usina Nuclear ? Pois isso, caro leitor, é o que acontecerá se essa Usina for instalada em qualquer ponto do nosso pequeno Estado”.

 

Plenária do Conama e da Abema

O diretor-presidente da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), Genival Nunes, participou da 91º reunião do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) e da 37ª da Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Meio Ambiente (Abema). A reunião ocorreu em Brasília, nos dias 10 e 11 de setembro, onde oportunizou  debates  sobre a revisão da Resolução 257, que dispõe sobre o descarte ambientalmente adequado de pilhas e baterias usadas; a proposta de alteração da Resolução 308/02, sobre o licenciamento simplificado de aterros sanitários de pequeno porte; e a criação da câmara recursal para cumprimento do Decreto nº 6.514, que dispõe sobre as infrações administrativas ao meio ambiente. De acordo com o presidente da Adema, a reunião proporcionou aos gestores ambientais a condição de debater assuntos que já vinham sendo discutidos isoladamente em alguns municípios da federação. Para Genival, uma das principais pautas da reunião foi quanto à decisão da resolução 257. “Essa medida que vem reduzir 90% do teor de substâncias químicas potencialmente perigosas das pilhas e baterias”, comemora enfatizando que a questão da disposição final do material é feita sem cuidados específicos. Também foram apreciadas duas recomendações aos órgãos federais referentes à intensificação na fiscalização e controle da entrada ilegal de pilhas e baterias em território nacional, e à redução de impostos para pilhas recarregáveis. “O intuito é estimular o uso destas pilhas que, por terem uma vida útil mais longa, chegam a substituir até 1000 pilhas convencionais”, explica Genival Nunes.

 

DO LEITOR

 

Carreata da desordem I

Do leitor Saullo Resende:O Senador Almeida Lima, apesar de ser um péssimo exemplo de político, é um excelente inventor de estórias. Foi simplesmente muito rápido em distorcer os fatos do ocorrido de domingo (14/09/08), quando de sua carreata desastrosa, do ponto de vista da ordem social. Conseguiu mesmo puxar para sua enfadonha e prolixa verborragia costumeira, todos os holofotes jornalísticos desta segunda-feira, para deixar bem claro que o que houve foi uma tentativa do governo, através da Polícia Militar, de barrar seu evento político. Alardeou para os quatro ventos na matéria “ALMEIDA VAI PEDIR FORÇAS FEDERAL PARA AS ELEIÇÕES” que houve abuso de autoridade da Rádio Patrulha (PM), porque segundo ele, os policiais prenderam o motorista do carro de som, o motorista de mini-trio e motoqueiros participantes da carreata.

 

Carreata da desordem II

Continua Saullo: “Assim como o leitor Matheus Gouveia, da matéria “CARREATA E AFRONTA A ORDEM SOCIAL” (15/09/08), eu sou um dos que presenciou os fatos. Indignação é pouco para o que passamos neste ocorrido. As duas senhoras só não foram efetivamente agredidas por causa da imediata reação que o leitor Matheus, sua noiva e eu tivemos. Os participantes da manifestação do Senador (não todos, é claro), além de verdadeiros estúpidos, ainda se sentiam no direito de se atribuírem como e quando quisessem as prerrogativas de guardas de trânsito, fechando e abrindo ruas. Ora, se houve algum abuso de autoridade, este partiu do Sr. Almeida Lima, que além de conivente com todas as imprudências e desrespeitos a legislação de trânsito, relatadas pelo leitor Matheus, ainda foi responsável pela fuga dos agressores das duas senhoras, pois impediu a PM de persegui-los no momento em que uma das agredidas os identificaram, tomando a frente dos policiais aos berros e dizendo que passassem por cima dele. Tanto vítimas, testemunhas e policiais foram desrespeitados pelo destempero emocional do Senador, pelo seu abuso de poder, haja vista a relação de hipossuficiência na hierarquia política. Como também foi dito pelo leitor Matheus, é bom registrar mais uma vez que nenhum dos envolvidos (as três testemunhas e as duas agredidas) são eleitores de Aracaju, para não dizer que nossas manifestações através deste espaço comporta qualquer motivação eleitoreira. Mas não vamos ficar passivos a mais este desmando do Senador, e seja através deste simples texto ou de ações mais enérgicas, vamos mostrar para ele que A gente também pode”.

 

Desagravo a juíza

Do leitor Diogo Barbosa: “Apenas para endossar o que já foi dito sobre a carreata, no domingo tive o desprazer de tentando evitá-la cruzar com a mesma por duas vezes, e o que constatei foi o seguinte: Motoqueiros do candidato sem capacete bloqueando o trânsito nos cruzamentos; Mini-trios lotados de pessoas em cima sem um mínimo de bom senso; Motoristas parando nas lojas de conveniência para “abastecer”. E para completar hoje pela manhã me deparo com a notícia de que o candidato vai pedir auxílio de forças federais o que só me faz concluir que Almeida Lima deve achar que o pleito eleitoral estabelece algum tipo de período de exceção onde não é necessário (ou pelo menos ele) cumprir as leis, ainda mais depois de ter visto a forma como ele destratou de forma repugnante a Juíza Patrícia de Almeida Menezes tentando jogar através do seu horário gratuito a opinião pública contra ela, ainda bem que a população tem conhecimento que os Juízes são servidores públicos concursados e que chegam ao cargo unicamente por mérito próprio, sem ter que se sujeitar aos percalços nojentos da Política, para exercer os poderes conferidos pela Jurisdição de maneira imparcial e eficiente. Importante lembrar que a nobre Juíza nunca foi alvo de denúncia ou reportagem que denegrisse ou envergonhasse os Sergipanos, já o Senador… Deixo aqui registrado o meu desagravo em favor da Juíza”.

 

Clima continua quente em Monte Alegre I

Do leitor José Cleuso de Freitas: “Venho mais uma vez usar a sua coluna para informar o que estar acontecendo em Monte Alegre de Sergipe. Vamos aos fatos: Nós já oficializamos o pedir de Tropa Federal através de vários ofícios para o Juiz Eleitoral da 18ª Zona, como e de conhecimento deste jornalista. O clima a cada dia que se aproxima da eleição esquenta assustadoramente, chegando a uma vitima fatal e, outras varias agressões. No ultimo dia 06/09/2008, a Coligação “O Progresso Continua” fez uma grande Carreata em uma região do município, colocando mais de 250 Carros e umas 400 Motos e, quando chegamos a noite fizemos uma grande caminhada pelas ruas da cidade, ai o pessoa da oposição não estavam esperando a multidão (mais de 4.000 pessoas), começaram a jogar pedras na multidão, fazendo várias vitimas que foram levadas para o Hospital Local e, uma delas tendo que procurar um centro maior para ser atendida. Como e de costume aqui em nosso município fazer caminhadas pelas ruas do município, voltamos na segunda e terça feira fazer as nossas caminhadas e, a mesma coisa aconteceu outra vez. No dia (11/09) à noite, as mulheres se reuniram e elas mesmo se organizaram e saíram em passeata fazendo um arrastão com aproximadamente 2.000 mulheres e, quando o pessoal da oposição viu o que estava acontecendo ficaram nervosos e, da mesma forma atiraram pedras nas mulheres e, o estrago foi de maior proporção”.

 

Clima continua quente em Monte Alegre II

Continua o leitor: “O candidato a Prefeito da oposição no seu ultimo ato em praça publica, fez a pior baixaria chegando a pedir aos seus correligionários para que quebre todos celulares ou filmadoras que estiverem filmando ou gravando o ato, nós entendemos que a cara da cidade e a cara do seu administrador. Nós oficializamos a delegacia local, mas eles não estão preocupados, o maior problema da segurança em nosso município e, que o delegado não mora na cidade, chega pela manhã e a tarde vai embora, eu estou relatando estes fatos para você só para que Ilustríssimo Jornalista tome conhecimento do que estar acontecendo, estamos todos aflitos e, desta forma pedimos ao Secretário de Segurança Pública e ao Meritíssimo Juiz da 18ª Zona Eleitoral, que tome as devidas providências. Ontem dia 12/06 uma pessoa tomou uma facada por acirramento político, comprovado por todos que presenciaram, ou vamos esperar uma tragédia acontecer mais uma vez em nosso município, para que as providências venham ser tomadas. Eu particularmente acho que passou dos limites, não precisamos mais de outros fatos para o que foi solicitando pela referida coligação seja atendido, já estar ficando tarde”.

 

Falta de educação, bom senso e fiscalização I

E-mail recebido: “No último sábado, 13, fui a um bar na praia de Sarney, em frente à AABB, no horário do meio-dia. Ao me sentar em uma mesa próxima ao mar, um menino que aparentava ter seus 12 anos estava andando em uma moto pequena, mas com aquele som agradável de escapamento furado. Tudo isso assistido pelo pai, que o incentivava a dirigir pela areia e mostrar a todos vários “cavalos-de-pau” na areia. Não sei se é ilegal um menino daquela idade dirigir aquele tipo de veículo, mas o que realmente me incomodou foi o barulho daquela moto e a sua presença no meio das outras pessoas que caminhavam pela areia, podendo até provocar um acidente. Depois de 15 minutos, eu vi que várias pessoas ao meu redor começavam a também reclamar do abuso. Perguntei e me disseram que ele já estava ali há mais de 1 hora. Fui então falar com o pai para que ele andasse longe das mesas – há menos de 50 metros, havia um grande espaço vazio na areia, sem nenhum bar – mas o que ouvi do pai dele foi um grande desaforo, dizendo que aquele barulho não estava incomodando ninguém e que eu não podia reclamar daquele som, já que não estava assistindo TV, uma atividade que demandaria silêncio”.

 

Falta de educação, bom senso e fiscalização II

Continua o e-mail: “Não queria briga e saí com a mesma calma e polidez com a qual havia me dirigido até ele. Ele poderia ao menos ter dito que em 5 minutos iria parar ou pedir desculpas, não sei, mas preferiu manter aquele tom arrogante e autoritário de quem era dono da praia. Para o bem de todos, ele pediu para o menino parar antes que eu ligasse para a Polícia Ambiental. Porém, o que me deixa irritado é a falta de educação e bom-senso daquele rapaz. Tanto pelo mau-exemplo de ensinar e incentivar o menino a praticar esse modelo de “direção ofensiva”, como também pelo desrespeito com as outras pessoas no bar, já que a maioria das pessoas deviam estar ali na praia em busca de paz e sossego. Afinal, se quisesse ouvir aquele barulho ensurdecedor da moto, teria ficado em casa mesmo, afinal moro em uma avenida movimentada a 12 quilômetros da praia e não precisava ter me deslocado tão longe se realmente quisesse ver aquele show de irresponsabilidade e falta de educação. Ele ainda ensaiou uma volta daquele barulho, mas no mesmo momento dois guardas da SMTT que estavam patrulhando a área chegaram e ele foi obrigado a parar e, por isso, deixou a praia. Infelizmente, ainda somos obrigados a conviver com essa espécie de pessoa em nosso dia-a-dia”.

 

Desordem e agressões em São Cristovão

Do leitor Anderson Santos: “Gostaria de utilizar esse espaço muito democrático para deixar a disposição de todos a minha indignação, pois, estava ontem no conj. Eduardo Gomes em São Cristóvão, onde estava acontecendo o Desfile Cívico. Ao final do mesmo, como torna-se inevitável neste período eleitoral, as coligações começaram a fazer atos de campanha, Uma das coligações, a qual esta ligada a atual administração municipal, vendo que a sua concorrente estava com um ato grande e organizado, atravessou uma carreta-palanque na avenida para impedir a passagem das pessoas que vinham em passeata, começando assim uma confusão generalizada, tendo a poucos metros um Posto Policial e nenhuma atitude foi tomada. Em meio ao tumulto, percebi que certa pessoa, identificada como “Sidney”, que faz segurança de um candidato a prefeito, começou a agredir as pessoas que ali se encontravam gravando e fotografando o acontecimento, inclusive agredindo duas meninas que são menores de idade. Nenhuma atitude foi tomada pelas autoridades que ali se encontravam. Deixo aqui esse relato e peço uma atitude da Justiça Eleitoral para que esses acontecimentos não venham atrapalhar o processo eleitoral ou até mesmo acabar em uma tragédia, que quase aconteceu na noite de ontem”.

 

Frase do Dia

“A natureza nos dá a vida, como dinheiro emprestado a juros, sem fixar o dia da restituição”. Cícero.   

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários