Ambição: qualidade ou defeito?

0

“Não há liderança sem ambição. Na ausência dela, qualquer grande empreendimento é impensável. Na verdade a ambição é a” cola “que faz aderir os sonhos às pessoas.”
James Champy e Nithin Norhria, 2005
 

Muitas pessoas não se classificam como ambiciosas porque acreditam que ter ambição é uma característica pouco recomendável para as pessoas honestas. Essa parece ser uma crença antiga, motivada, principalmente, pelo fato das pessoas sempre relacionarem à ambição a falta de caráter, a desonestidade, a trapaça. Todavia, seja qual for a meta de vida de qualquer pessoa, seja o desejo de se tornar um torneiro mecânico, um artista, um engenheiro, um filósofo, um professor, um simples comerciante ou um magnata dos negócios, a ambição é um elemento chave nesse processo.

Na verdade a ambição é justamente a energia que irá empurrar o indivíduo rumo ao seu objetivo maior. Essa energia fantástica é que irá dar a força necessária para que o indivíduo vença todos os obstáculos e dificuldades para poder atingir a sua tão sonhada meta. É impossível se pensar em qualquer acontecimento, seja ele grande ou pequeno, se não levarmos em conta que alguém esteve mobilizado pela gana de fazer acontecer. E a energia da ambição construtiva pode fazer mudar tudo, muda um indivíduo tímido e o transforma em um grande guerreiro, como pode transformar um grande guerreiro em um indivíduo humilde.

A ambição vem transformando o mundo há milhares e milhares de anos, todavia, não podemos deixar de concordar que indivíduos que foram totalmente dominados pela ambição e deixaram de lados os princípios universais, muitas vezes fizeram ou ajudaram a fazer coisas que qualquer ser humano pode considerar danoso e prejudicial. Todavia, essa mesma ambição tem feito cientistas e pesquisadores descobrirem vacinas, encontrarem novas remédios para salvar vidas, buscarem caminhos alternativos para várias enfermidades, construírem carros, aviões e espaçonaves e tornarem – cada vez mais curta – a distância entre as pessoas. É através da energia indescritível da ambição que indivíduos no mais diferentes centros de pesquisa do mundo enxergam coisas que ninguém conseguiu ver e dessa maneira permitem e dão oportunidades para que a humanidade continue caminhando à frente.

É só lembrar os grandes descobrimentos, as grandes viagens em tempos desconhecidos, a conquista da lua, as viagens interplanetárias. Mas o que os grandes ambiciosos de hoje em dia tem que se preocupar? Enquanto no passado, só acreditar que a Terra era redonda poderia levar uma pessoa a fogueira, hoje em dia os ambiciosos têm a sua frente a velocidade das informações o que faz com que entre a idéia e a conquista muitas vezes o espaço de tempo seja muito rápido. As coisas são criadas, divulgadas e consumidas de maneira tão rápida e intensa que logo se tornam obsoletas: é só pensar na evolução do disco nos velhos fonógrafos de 50 anos atrás até a música digital de hoje em dia.

Mas o que será, hoje em dia, que impulsiona ou estrangula a ambição? O que acontece, por exemplo, no mundo organizacional? Percebemos que hoje em dia, o chamado impulso criativo faz com que as pessoas, muitas vezes, gerem milhares de idéias que se fossem bem analisadas poderiam dar origem a dezenas de produtos de sucesso. No entanto, na maioria das empresas encontramos executivos cautelosos que tem medo de sair do plano estratégico definido pela organização e quando menos esperam o seu concorrente preparou, desenvolveu e está distribuindo um produto ou serviço muito melhor do que o seu e que um ramo promissor do seu “core business” está literalmente afundando. E, isso acontece justamente porque ao atingir a chamada “zona de conforte” a ambição de evoluir, progredir, de oferecer novos produtos ou serviços é deixada de lado por muitas organizações. E, ao se constatar esse fato, toda a empresa entra numa turbulência interna tão grande que muitas vezes a solução para esse problema não é encontrada no tempo certo e necessário para poder se dar a volta por cima.

Portanto, a ambição, a boa ambição lastreada por princípios universais precisa fazer parte do gene humano, é essa energia que irá mover pessoas, instituições, organizações, comunidades e países rumo ao futuro.

Logo a ambição verdadeira nutre a alma e eleva a humanidade rumo ao progresso. Se cada indivíduo utilizar a sua ambição associada aos seus talentos essenciais, e balizar essa ambição com os princípios universais, com certeza chegará a patamares quase impossíveis de se pensar; todavia, se ao invés disso guardar no fundo do seu coração essa ambição construtiva por medo de não ser julgado, ou compreendido, certamente, não irá chegar muito longe.

É só saber utilizar essa ambição para ajudar a indivíduos das mais diferentes maneiras e encontrar o seu espaço na sociedade, seja através das artes, dos negócios, da medicina, da engenharia; seja para que rumo for, utilize sempre a sua ambição para o bem maior, o sucesso, o dinheiro, o reconhecimento é uma questão de atitude, de resultado, de produto e não de começo.

E, finalmente lembre-se, nenhum dos grandes líderes que conhecemos em todo o mundo deixaram de lado a sua ambição, seja em que momento estivesse vivendo, foi ela que os levou a agüentar, resistir vencer e superar todos os obstáculos e inimigos que lhes apareceram durante a sua jornada de vida.

fbc@fbcriativo.org.br 

Fernando Viana é presidente da Fundação Brasil Criativo

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários