Amigos e canalhas

0


“O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.


Após o dia dos pais, o blog publica uma reflexão sobre amizade e canalhice, do filósofo, Leandro Karnal, publicada ontem, 09/08, no jornal “O Estado de São Paulo”:


O mundo tinha virado um caos. Zeus considerava que a humanidade era irrecuperável. Decidiu que destruiria toda a espécie com fogo. Ergueu seu raio e ia atirar contra o solo, quando pensou que um incêndio daquela proporção poderia afetar até a morada dos seres olímpicos. Ordenou então, como em tantas narrativas antigas, eliminar os mortais pelo dilúvio. As águas jorraram e começaram a afogar milhões.

Havia um casal de justos: Deucalião e Pirra. Ele era filho do próprio titã Prometeu. Alertado pelo pai divino, construiu uma arca e salvou a si e à amada esposa. Ao descrever o mito, o poeta romano Ovídio coloca a frase na boca do sobrevivente: “Nos duo turba sumus” (Nós dois somos uma multidão). A frase tem lógica, porque o isolado e piedoso casal seria a nova semente de todos os mortais seguintes. Eram uma multidão de dois.

Joseph Addinson (1672-1719) usa a epígrafe de Ovídio para definir a amizade. Para o inglês, os amigos são um remédio de vida e curam as dores e angústias que se instalam na nossa existência neste mundo (a friend’s being the medicine of life, to express the efficacy of friendship in healing the pains and anguish which naturally cleave to our existence in this world). A ideia está em uma coletânea feita há 110 anos: The Gift of Friendship (O presente/dom da amizade), que encontrei no fabuloso Projeto Gutenberg (gutenberg.org). A capa traz uma frase definidora: “Friendship is a sheltering tree” (a amizade é uma árvore protetora). No livro de 1910, filósofos e escritores são citados nas páginas mais luminosas dos pensamentos sobre a relação entre pessoas que se estimam fraternalmente.

Uma das minhas primeiras crônicas para o Estadão foi sobre a amizade (28/8/2016). Lá, eu usei Montaigne para definir o motivo de alguém gostar de um amigo: “Porque era ele e porque era eu”. A ideia descritiva da relação entre o filósofo e seu amigo Étienne de la Boétie é poética e densa. Não existe um motivo racional na amizade. Os amigos surgem da especificidade de um afeto, no mistério insondável de cada biografia. Ao crescerem na relação, passam a ser uma multidão, algo maior, muitas coisas debatidas e vividas na sedimentação do amor.

Autores práticos como Francis Bacon, um pouco posteriores a Montaigne, destacam os benefícios da amizade: paz nas afeições, apoio do julgamento e ajuda em todos os momentos (peace in the affections, and support of the judgment followeth the last fruit; which is like the pomegranate, full of many kernels; I mean aid, and bearing a part, in all actions, and occasions).
A tradição é antiga: Aristóteles havia destacado também que a amizade era uma virtude. Ela ajudava o jovem a errar menos e a amizade transmitiria à mente a ideia de ser bom consigo mesmo. Os amigos são necessários para auxílio na desgraça e, na prosperidade, para conselho e exercício da bondade. Bacon e Aristóteles olharam para a amizade como uma relação de mútuo ganho, amparo, proteção e benefícios recíprocos. Estão certos! A frase de Aristóteles é citada no texto de Francis Bacon: quem se deleita com a solidão ou é um animal selvagem ou um deus.

Li os muitos autores da obra sobre a amizade. Cada um discorreu com elegância e erudição sobre amigos e amizade. Samuel Johnson (1709-1784) recupera a tradição platônica/socrática sobre a isonomia de amigos e cita Salústio (86 a.C. – 34 a.C.) que define amizades a partir da comunhão de afetos e de ojerizas em comum. George Berkeley (1685-1753) chega a aproximar o equilíbrio de atração e equilíbrio entre estrelas e planetas com o que leva um amigo a outro, indicando, com isso, que a amizade estaria inscrita em uma ordem natural divina e astronômica, desejada pelo criador e organizada pela matemática suprema das esferas e da astronomia. São lindas e poéticas metáforas.

Volto a Montaigne e a Ovídio. A única explicação do afeto de amigos é a existência da outra pessoa. O amigo é imprescindível porque é ele, apenas, sem muitos outros qualificativos. Os benefícios podem ocorrer, porém brotam da simples existência da generosa fonte da amizade. Assim, um sendo quem é encontra outro e surge uma multidão, como Deucalião pensou sobre o casal isolado pós-dilúvio.

Os amigos se salvam do dilúvio da banalidade, analisam-se, observam-se e lançam um dom precioso e forte: a sinceridade. Para ser amigo de alguém, eu preciso ser comigo mesmo. Não sendo animal nem deus, necessito de outras pessoas. A multidão de dois é fabulosa. Enfim, a sós com um grande amigo, bebendo vinho, cerveja ou chá, conversando olho no olho, você percebe que cada um está ali porque desejou ser, simplesmente ser, parte da multidão binária e complementar da entrega afetiva. A amizade é um dom cultivado, um equilíbrio existencial, uma luz em meio a um mundo áspero e complicado. Como previa o amigo de Montaigne, somente os bons possuem amigos. Os maus fazem uma conspiração e não amizade. Os canalhas apenas se entre-temem. Amizade é virtude e exercício corajoso de entrega. É um dom. É uma epifania. A verdadeira e devastadora solidão é estar cercado de pessoas que não são amigas. Seria melhor ser uma besta selvagem uivando em uma caverna. Boa semana para você e para seus amigos.

Morreu o Bispo amigo dos pobres Morreu, no último sábado, 8, dom Pedro Casaldáliga, o Bispo amigo e defensor dos pobres. Ele foi Bispo da prelazia de São Félix do Araguaia, no Mato Grosso, e teve um importante papel na luta em defesa das pessoas marginalizadas.

Morreu o Bispo amigo dos pobres II Dependendo da ideologia, o leitor pode até não ter tido simpatia por ele, porém não se pode negar que dom Pedro foi, verdadeiramente, um Bispo comprometido com as causas sociais e com os marginalizados. Ele não fazia alianças espúrias com autoridades e poderosos em detrimento dos pequenos.

Morreu o Bispo amigo dos pobres III Dom Pedro Casaldáliga usava um anel de tucum em das suas mãos, sinal de compromisso com os pobres. Não era apenas aparência. Era pobre, vivia no meio dos pobres, defendia os pobres de verdade e dizia sempre: “na dúvida, fique do lado dos pobres”. Era um homem autêntico, pois não vivia na hipocrisia e nem de demagogia. Que sirva de lição para muitos religiosos, bispos e arcebispos.

Apelo do Papa Francisco O Papa Francisco fez um apelo, ontem, 9, para que a Igreja no Líbano, e com certeza no mundo inteiro, fique mais próxima do povo e tenha uma vida simples. “E, por favor, peço aos bispos, aos sacerdotes e aos religiosos do Líbano que estejam próximos ao povo e que vivam com um estilo de vida caracterizado na pobreza evangélica, sem luxo, porque o povo de vocês sofre e sofre muito”. Seria interessante que certos bispos, sacerdotes e religiosos escutassem o apelo do Papa. Em: https://www.vaticannews.va/pt/papa/news/2020-08/papa-francisco-angelus-libano-mensagem-convivencia-pacifica.html

Varredura em carro de secretário E na madrugada de hoje, 10, a polícia estava fazendo uma varredura no carro de um secretário municipal de um importante município da Grande Aracaju, ao lado do Mc Donald’s da Orla. A autoridade  estava com três moleques no carro, estava todo alterado, sem máscara, dando carteirada e fazendo meio mundo de ligações…

Clima tenso O clima azedou entre a desaparecida vice-governadora de Sergipe, Eliane Aquino, e Jackson Barreto, o pior governador da história de Sergipe. Não convidem para a mesma mesa os dois, ao menos por enquanto, pois na política tudo é possível. Não é, JB?

Pedágio voltou com força naquele órgão E quando um ex-prefeito assumiu o comando de um órgão de segundo escalão importante no reino do “Tudo Pode” foi instituído um “pedágio.” Quando o senhor saiu do órgão os técnicos soltaram fogos. Passados alguns anos o pedágio voltou, mas não com um intermediário dentro, agora é via uma consultoria de uma própria gestora do órgão que indica a empresa para fazer os projetos e resolver o problema. Desta vez parece que não vai ficar apenas nos bastidores, tem empresário disposto a denunciar com provas… Aja consultoria…

Ação para sessões continuarem remotas O deputado estadual Gilmar Carvalho ajuizou ação judicial para que as sessões da Assembleia Legislativa continuem remotas, inclusive em maior número de dias do que atualmente. ‘Por causa da pandemia, sou contra a realização de sessões presidenciais, mesmo que sejam mistas. Tem havido enormes dificuldades técnicas para a realização das sessões remotas. Deve ser pior para quem decida participar das sessões mistas pela internet”, disse Gilmar que foi autor do requerimento que acabou com o recesso durante a pandemia.

Santa Luzia do Itanhy: IPTI ganha edital para o Criança Esperança O Instituto de Pesquisas em Tecnologia e Inovação – IPTI deu seus primeiros passos em outubro de 2003 na cidade de São Paulo e, em 2009, a organização decide mudar sua sede para Santa Luzia do Itanhy, sul de Sergipe, um dos municípios com menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil, para junto com a comunidade local gerar soluções que sejam eficazes em contextos de extrema vulnerabilidade e que tenham potencial de escala.

Inovações É uma instituição de arte, ciência e tecnologia, sem fins lucrativos, que busca gerar inovações capazes de promover o desenvolvimento humano, a partir da criação de tecnologias sociais nas áreas de educação básica, educação empreendedora e saúde básica. Depois de criadas, geradas e sistematizadas, as tecnologias sociais desenvolvidas na região de Santa Luzia do Itanhy estão prontas para reaplicação em qualquer parte do planeta. Conheça todo o instituto: https://www.ipti.org.br/

Projeto de literatura infantil Graças a essa nova parceria, o IPTI poderá executar o projeto de literatura infantil “Romanceiros do Itanhy Primeira Infância”, um projeto de estímulo à criatividade narrativa de crianças através de atividades de contação, registro e ilustração de estórias criadas pela criançada. Essas histórias serão transformadas em livros infantis disponibilizados para as escolas de Santa Luzia do Itanhy. “Acreditamos que essa parceria é um importante passo em direção aos nossos objetivos de contribuir positivamente na história de cada pessoa que tocamos”, disse um dos membros do conselho administrativo.


PELO ZAP DO BLOG CLÁUDIO NUNES – (79) 99890 2018                                                               

Movimento “Somos essenciais Sim”  Mais um ato para sensibilizar as autoridades para a reabertura das academias e aulas de artes marciais de acordo com os protocolos do decreto governamental. É amanhã, 11, às 8h, na frente do Centro Administrativo da Prefeitura de Aracaju no conjunto Costa e Silva.

 

 


LIVES SERGIPE – É SÓ ENVIAR PARA DIVULGAR NESTE ESPAÇO

Live hoje, 10/08, às 19h O que significa ser um cidadão? Qual a importância da cidadania ativa? E qual o papel dos representantes do povo (Poder Legislativo) no enfrentamento das crises? Para debater este assunto de extrema importância neste momento, o advogado Rafael Almeida – sócio Laura Figueiredo Advogados Associados – baterá um papo com o deputado estadual Georgeo Passos hoje, 10, às 19h. Os comentários desta publicação ficarão abertos para receber perguntas (até 1h antes da entrevista) que sejam relacionadas ao tema. “Nós escolheremos algumas (a depender da quantidade e do seu teor) para fazê-las ao nosso entrevistado”, explica Rafael. Transmissão: https://www.instagram.com/laurafigueiredoadvogados/
e https://www.instagram.com/depgeorgeopassos/


Webinar, amanhã, 11/08, às 17h O controle externo no Brasil: inovações e desafios nos tribunais de contas O JOTA e a Associação Nacional dos Auditores de Controle Externo dos Tribunais de Contas do Brasil (ANTC) realizam amanhã, 11, às 17h, webinar sobre o controle externo no Brasil: inovações e desafios nos tribunais de contas. Com a participação de Ayres Britto, ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Jacoby Fernandes, professor e advogado; e Ismar Viana, vice-presidente nacional da ANTC; o debate será mediado por Guilherme Pimenta, repórter do JOTA em Brasília. Aqui: jota.info/youtube


PELO E-MAIL nunesclaudio@infonet.com.br E FACEBOOK





A Nova Normalidade... Por Antônio Samarone, médico sanitarista

Depois da Pandemia, um chavão caiu na boca do povo: “depois da Peste, teremos uma nova normalidade”. Das socialites aos economistas, dos jornalistas aos filósofos, dos juristas ao baixo clero, sem exceção, todos enxergam essa “nova normalidade”.
Cada um a seu modo…

O Dr. Paphonso Azevedo é o sergipano mais entusiasmado com a “nova normalidade”. O mais criativo. Economista do antigo CONDESE, discípulo de Aloiso Campos, intelectual com formação na CEPAL, na mesma linha de Celso Furtado. O Dr. Paphonso chegou a trabalhar na SUDENE.

Na Juventude, o nosso economista flertava com o pensamento de esquerda, dizem que chegou a ler Marx, superficialmente. Hoje, beirando aos 70 anos, ele é um seguidor do neoliberalismo extremado, esse do Paulo Guedes.

O Dr. Paphonso vê comunismo em tudo que não concorda. Ele fala sobre o marxismo cultural sem pejo, mesmo sem nunca ter lido nada sobre o tema. O marxismo cultural é um biombo cognitivo, usado para condenar de músicas e poemas que ele não gosta, a virtualidade do aquecimento global.

Na Província de Sergipe del’ Rey, o Dr. Paphonso Azevedo é uma sumidade. Escreve crônicas, filosofa e verseja. Prega na Hora Católica. Nunca entrou para a Academia de Letras por cisma, disse uma vez que não queria e agora é obrigado a manter a palavra.
A Peste mexeu com a cabeça do Dr. Paphonso. Não a Peste em si, ele não pegou. Mas, a superdose de hidroxicloroquina que ele ingeriu por devoção ideológica. Dizem os boatos que ele já tomou mais de cem compridos.

Na semana passada, o Dr. Paphonso surpreendeu o mundo intelectual sergipano. Numa palestra despretensiosa no Rotary, sobre a “nova normalidade”, dessas palestras para ocupar o tempo dos comensais, o cerebrino doutor esboçou uma grande novidade.

Começou assim, as suas abstratas especulações:

“O capitalismo não acabará, pelo contrário, sairá mais forte depois da Peste. É mais fácil o mundo acabar. Não podemos voltar à normalidade. O normal é o que nos levou ao caos, à crise financeira e à crise climática. O Presidente Bolsonaro precisa criar o Ministério da Nova Normalidade.”

“O Estado deve oferecer serviços públicos de qualidade e investir na economia informal. A força do novo capitalismo está na informalidade. Apoiar os empresários de si mesmo. Os serviços públicos devem fazer parte de um sistema renovador: cidades inteligentes com inovações sociais e tecnológicas.”

A tese do Dr. Paphonso é original: “a nova normalidade será fundada na economia informal. Cada um explora a si mesmo. A liberdade será absoluta. Cada um será o responsável pelo próprio sucesso ou fracasso. O mundo é dos mais sabidos!”

Ao final da conferência, o Dr. Paphonso Azevedo foi aplaudido de pé pelos rotarianos. Quase ninguém entendeu a mensagem. E nem precisava. A genialidade do doutor é previa, não carece de confirmação.

No entanto, a tese central do doutor sobre a “nova normalidade” foi assimilada pelos presentes. Todos saíram repetindo em uníssono a boa nova: “o mundo é dos mais sabidos!”
Gilberto Freire tinha razão, “quem olhar para Sergipe não espere riqueza, luxo e valentia. Sergipe é uma terra de pensadores”. Tobias Barreto, Sílvio Romero, João Ribeiro, Gilberto Amado e Joel Silveira.

Atualmente, o Dr. Paphonso Azevedo é o nosso luminar.


PELO TWITTER

www.twitter.com/ayres_britto Sem o rei na barriga, o ser humano ganha em simplicidade. Sem preconceitos, ganha em neurônios.

www.twitter.com/gilbertotv Milhares de pessoas protestando em Beirute quebrando a cidade e enfrentando as forças de segurança com pedras e o que encontram pela frente. É o retrato de um povo sofrido e que passa até fome vítima de um governo incompetente. O Líbano chora de tristeza. .. Vendo a manifestação dos libaneses quebrando tudo nas ruas e enfrentando as tropas com pedras, lembro do discurso do inesquecível senador Paulo Brossard, de oposição ao governo militar da época: “Quando um povo se rebela, não existem forças armadas que segurem”

www.twitter.com/felizolafilho Se pudesse fazer um único pedido a Deus, pediria que ao menos pudesse almoçar com meu pai na data de hoje, dia dos pais. Só um almoço… seria o suficiente para entreolharmos-nos e expressássemos o mais puro amor que sempre nos norteou.

www.twitter.com/DomOdiloScherer Pensando nos mais de 100 mil brasileiros falecidos de COVID-19, oremos: “Senhor, dignai-vos receber na companhia dos santos os nossos irmãos e irmãs que morreram, cujos nomes estão escritos no livro da vida. Amém”

www.twitter.com/MiguelNicolelis O Brasil hj é uma criança órfã de pai e mãe! Uma criança abandonada a própria sorte….




Siga Blog Cláudio Nunes:                                                     

Instragram

 Facebook

 Twitter

 

 



Frase do Dia
“As pessoas éticas têm amigos e os canalhas têm cúmplices e os cúmplices fazem delações premiadas. O prêmio que a vida oferece a uma pessoa com ética é ela ter amigos, o castigo do canalha é que ele só encontra gente como ele que um dia vai gravá-lo e vai guardar para usar na ocasião adequada.” Leandro Karnal.

https://apublica.org/2016/09/casaldaliga-e-o-martirio-na-amazonia/

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários