André Moura calou JB e Edvaldo e ainda levará o PMDB

0

“O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.                                                                                                                                                                                                                                          

Em janeiro deste ano Jackson ao lado de Edvaldo, Benedito e Almeida Lima foram declarar juras de amor ao presidente Temer, do PMDB dele….

 O deputado federal André Moura, hoje PSC, pode até não conseguir ser candidato em 2018, por conta dos processos judiciais e, se conseguir registrar uma candidatura poderá até não ser candidato majoritário e tentar a reeleição, mas uma coisa é certa: com rejeição ou não, ele calou os dois principais adversários que em 2016, foram responsáveis pelas agressões no horário eleitoral em Aracaju: Jackson Barreto e Edvaldo Nogueira.

Jackson até o momento tenta agradar a dois senhores e acaba perdendo o caminho. Não faz criticas duras a Temer, para tentar continuar comandando o PMDB, mas diz que receberá Lula. A manobra de Jackson em pedir ao deputado Fábio Reis que votasse contra a denúncia de corrupção, beneficiando Temer não surtiu efeito.

Ao tentar agradar os dois senhores, Temer e Lula, Jackson perderá o PMDB e de quebra vem desagradando setores da esquerda em Sergipe que entendem que ele quer apenas pegar carona na popularidade de Lula por conta do desgaste administrativo. As farpas trocadas entre os petistas e a família Reis mostraram como o problema está apenas começando.                                                                                                                             

.….no mês passado encontrou-se com Lula em SP onde saiu animado para ser candidato ao Senado e compor o bloco de apoio ao petista em 2018. 

E o pior, por tentar agradar os dois senhores e não servir a ninguém, Jackson engolirá calado a entrega do PMDB a André Moura, afinal de contas o deputado é hoje “a ponte” entre o governo Temer e Sergipe.

André Moura deve estar rindo à toa. Como se diz na capoeira esse foi um verdadeiro voo do morcego onde o adversário foi  golpeado com os dois pés, neste caso duas ações bem engendradas, levando a tiracolo o prefeito Edvaldo.

Há um ano André estava sendo massacrado nas eleições de Aracaju e agora calou o governador do Estado e ainda sairá por cima.

André tem coragem  Enquanto os senadores Eduardo Amorim e Valadares medem as pesquisas para definir o candidato ao governo, André Moura respira eleições 24 horas. Pode até não conseguir, mas que está fazendo um estrago, ou se tá…

Acidente fatal com Flávio Mendonça, primo da deputada Maria Mendonça Um acidente fatal, ontem, 13, na BR-235, no município de Laranjeiras por volta das 1h40 tirou a vida do jovem de 25 anos, Flávio Mendonça, primo da deputada estadual Maria Mendonça e filho de  Carlito de Frederico, que tem uma padaria no conjunto Santa Lúcia em Aracaju. Flávio tinha 25 anos e estava no veiculo com a mãe e dois irmãos (foram liberados). A mãe, Lúcia, até ontem à noite estava em observação no Hospital São Lucas de choque. O corpo de Flávio Mendonça está sendo velado  na residência dos avós na Rua Percílio Andrade, 1311 em Itabaiana e o corpo será sepultado às 16h no cemitério de Santo Antônio e Almas de Itabaiana. 

Pode a Caixa e prefeitura com patrocínio em time com nome de político na camisa? O blog recebeu pelo WhatsApp o print e foi conferir no 

O uniforme divulgado por Sukita no Face, tem o nome dele e os patrocínios da Caixa e da Prefeitura de Capela. Pode misturar patrocínios públicos com nome de político?

facebook do ex-prefeito de Capela, Manoel Sukita. Não tinha acreditado, mas ele postou “Gente, essa é a nova camisa do Capela Futsal. Preparem-se, tá chegando a Copa TV Sergipe!”.

Nome Sukita  O problema é que o patrocínio da Caixa e da Prefeitura de Capela, cuja prefeita é a esposa de Sukita, Silvany. Pela camisa está claro que as marcas da Caixa e da Prefeitura estão junto com o nome Sukita. E pode esses patrocínios. Com a palavra o MPE e a própria Caixa…

Médico Hamilton Maciel receberá comenda hoje  O médico José Hamilton Maciel Silva, presidente da Federação Brasileira de Academias de Medicina, receberá hoje, 14, a partir das 17h, na Assembleia Legislativa, a Medalha da Ordem do Mérito Parlamentar. Uma justa homenagem!

Presidente FNDE em Malhador Na próxima sexta-feira, 18, às 10h, o presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Silvio Pinheiro estará no município onde entregará oito ônibus aos municípios da região contemplados pelo programa Caminho da Escola. Na oportunidade, a prefeita de Malhador, Elayne de Dedé inaugurará a Escola de Educação Infantil Dona Eleuza.

Dirigente petista convoca militância para jogar ovos em Jackson E o dirigente petista do Sintese, Joel Almeida movimentou o Facebook dele ao

A postagem no facebook de Joel Almeida. 

 postar uma foto de Jackson e Beivaldo tendo ao fundo centenas de ovos com o título “Se eu receber uma ovação quando Lula vier pago o piso do professor e os salários em dia!”

“Alguns que se dizem de esquerda que adoram golpistas” Leia a resposta de Joel Almeida a seguidora Lúcia: “Não Lúcia, sei muito bem separar os de direita, e os de esquerda , a minha vida inteira fiz isso. Mas aqui em Sergipe têm uns que se dizem de esquerda que adoram golpistas, dependendo da ocasião. Para alguns Jackson virou um golpista de estimação. No ano passado centenas de professores e militantes dos movimentos sociais foram recepcionar Dilma em Aracaju no momento mais difícil da vida dela, no impeachment, sabe onde estava Jackson? Em Goiás, fez um discurso que era pra deixar Temer trabalhar. O deputado federal de Jackson, Sérgio Reis, votou contra Dilma. Agora que Lula aparece na frente das pesquisas, vem esse oportunista pegar carona, não dá, não temos sangue de barata não. Quem quiser que passe na frente do golpista e se lambuze.”

Sergipe na FIFA  O árbitro sergipano Claudio Francisco foi convidado para participar do curso para ingressar na FIFA. O treinamento acontecerá no mês de setembro, em Águas de Lindoia (SP), onde estará reunida a elite da arbitragem no Brasil. A partir deste curso, serão escolhidos os árbitros que farão parte dos quadros da FIFA em 2018. Notícia maravilhosa para Sergipe que poderá ter um árbitro no quadro internacional de futebol. Agora, só nos resta torcer para que tudo dê certo e nosso grandão entre de vez na FIFA. Competência e preparo ele tem de sobra. Sergipe todo, é claro, na 'torcida do juiz'!    

Ato Público contra reajuste tarifa Nesta segunda-feira, 14, às 14h30, no Terminal Zona Oeste (Rodoviária Nova)haverá um Ato Público da Frente Contra o Aumento da Tarifa com intuito de solicitar a Prefeitura de Aracaju, uma auditoria externa e popular do cálculo tarifário do Transporte Público de Aracaju e expor para população os motivos pelos quais reivindicamos que a Prefeitura Municipal não aprove nenhum tipo de reajuste da tarifa.                                                                                                                                                                                                 

Show dos Amigos da Avosos será no dia 17  A Associação dos Voluntários a Serviço da Oncologia em Sergipe (Avosos) realiza no próximo dia 17, a partir das 21h, na Casa de Forró Cariri, um show beneficente em prol das crianças e adolescentes com câncer assistidos pela instituição.

Shows  Quem adquirir o ingresso, que custa R$ 25,00, além de colaborar com a campanha McDia Feliz 2017, poderá se divertir com a programação musical dos renomados parceiros da Avosos: Vinicius Nejaim & Xote Baião, Ninéia Oliveira, Sérgio Lucas, Persanne e participação dos dançarinos Gabrielly & Sidney (Academia Siga Dancing).

Ingressos Os interessados em participar do Show dos Amigos da Avosos já podem adquirir os ingressos na sede da Avosos: Rua Leonel Curvelo, 55, bairro Suíssa. De segunda a quinta, 8h às 17h; sexta, 8h às 13h. A Casa de Forró Cariri fica localizada na Passarela do Caranguejo, Orla de Atalaia.

Maruim conquista título Com intuito de alertar a população sobre atos homofóbicos nos esportes e em diversos meios sociais, aconteceu na noite da última sexta-feira, 11, no Ginásio de Esportes do Sesi, em Maruim/SE, a primeira edição do Torneio de Futsal Gay do município. Organizado pelo militante gay, Edenilson Gomes da Soledade, conhecido popularmente como Maxixão, o evento contou com o apoio da Prefeitura de Maruim, através da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer. Na quadra foi estendida um faixa em homenagem ao saudoso professor Gilvã, Cardoso, que foi vítima da homofobia. O professor foi assassinado em janeiro de 2016, em sua residência, em Maruim.

Equipes A disputa iniciou com cinco equipes: Maruim, Japaratuba, Divina Pastora, Santo Amaro das Brotas e General Maynard. A equipe de Divina Pastora foi convidada em virtude da desistência das equipes de Carmópolis e Rosário do Catete. No sistema mata-mata, as equipes se enfrentaram como objetivo de conquista o título do torneio.

Premiação A grande final foi disputada pelas equipes de Maruim e Japaratuba em uma partida muito equilibrada. O artilheiro da competição com quatro gols, Alef Santos, marcou para Maruim e garantiu o título com o placar mínimo para a vitória diante da forte equipe do município de Japaratuba. Com o título, as melhores equipes foram premiadas com troféus e medalhas. Além disso, a equipe campeã ganhou R$ 200,00 (duzentos reais) em espécie.

Respeito Segundo o organizador e goleiro da seleção de Maruim, Edenilson da Soledade, o evento transmitiu uma importante mensagem contra a homofobia. “Não houve atrito entre os atletas, houve sim, muito respeito pelos adversários em quadra, mas parceiros na vida. Além disso, conseguimos arrecadar meia tonelada de alimentos, que serão distribuídos às famílias carentes da comunidade do São Vicente”, confirmou.

Incentivo  “O município tem incentivado à prática de diversas atividades esportivas como vôlei, futebol, futsal, basquete, xadrez, skate entre outros. Mesmo naqueles eventos, que não organizados pela prefeitura, o apoio não deixa de existir por parte da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer. Mais uma vez parabéns aos atletas e a prova do sucesso é ver o ginásio do Sesi lotado”, destacou o prefeito de Maruim, Jeferson Santana.

Rede Primavera faz homenagem. No dia dos pais perguntaram algumas pessoas como seus pais cuidavam delas. #PaiéquemSecuida  O video:

https://youtube.com/watch?v=tXkC8GwbmE0+

                                                                                                                                                                                                                                             

PELO TWITTER

www.twitter.com/mendoncaprado   Com a sonegação fiscal uns pagam mais para compensar o calote de outros. Esse é o resultado da falta de investimentos do governo no fisco.

www.twitter.com/Ricamconsult   Fome de recursos de quem vive de recursos públicos não tem fim. Não dá para aceitar mais impostos, novo imposto sindical e fundo eleitoral.

www.twitter.com/LeonardoBoff   Com a transferência de riqueza dos pobres às elites endinheiradas, teremos no futuro uma pequena porção rica em um país de milhões de párias.

www.twitter.com/BonifacioCartun  "Cuidado com a coisa, coisando por aí"

www.twitter.com/gdoweber    Em tempos de redes sociais, surgiu a figura do super hermeneuta; aquele que tem opiniões super abalizadas só lendo as manchetes das coisas…

ARTIGO

Impactos da seca no Estado de Sergipe (2010 – 2016) por Ailton Francisco da Rocha*

A disponibilidade e usos da água no Estado de Sergipe, particularmente na região semiárida, continuam a ser uma questão crucial no que concerne ao seu desenvolvimento. É fato que grandes esforços vêm sendo empreendidos com o objetivo de implantar infraestruturas capazes de disponibilizar água suficiente para garantir o abastecimento humano e animal e viabilizar a irrigação. Todavia, esses esforços ainda são, de forma global, insuficientes para resolver os problemas decorrentes da escassez de água, o que faz com que as populações continuem vulneráveis à ocorrência de secas, especialmente quando se trata do uso difuso da água no meio rural. De qualquer modo, a ampliação e o fortalecimento da infraestrutura hídrica, com uma gestão adequada, constituem requisitos essenciais para a solução do problema, servindo como elemento básico para minimizar o êxodo rural e promover a interiorização do desenvolvimento.

Em Sergipe, 73,96% da sua área está suscetível à desertificação, compreendendo 48 municípios. A intensa exploração dos recursos naturais e o uso inadequado das terras, sem considerar suas potencialidades e limitações, são os principais fatores que estão conduzindo à degradação ambiental na Área Suscetível à Desertificação. A essa realidade somam-se os impactos da variabilidade e da mudança climática.
Em decorrência da longa estiagem, em abril de 2017, 29 municípios já tinham decretado estado de emergência, representando uma população atingida de quase 450 mil pessoas.

IMPACTOS NA AGRICULTURA

A avaliação da produção agrícola de Sergipe para o período 2010 a 2015 (uma vez que as informações de 2016 deverão ser lançadas somente em outubro de 2017) deve observar vários contextos como sistemas de cultivos, tipos de solo, uso de corretivos, mercado, entre outros. Assim, a baixa pluviosidade no semiárido e seu impacto na produção agrícola devem ser avaliados em diferentes contextos.

A produção agrícola de Sergipe tem como principais culturas: o milho; a cana-de-açúcar; a laranja; o coco-da-baia; a mandioca; o maracujá; a batata doce; a banana; o abacaxi e a manga.

A análise dos dados produzidos no período 2010 a 2015 para as principais culturas (temporárias e permanentes) permitiu observar que:                   

a) Culturas Temporárias

Na Tabela 01 destacamos os anos em que houve maior declínio na produção para o período de (2010-2015).
A produção do abacaxi sofreu pouca variação no período, com redução da produção a partir de 2011 e leve recuperação em 2015. A cultura do arroz apresentou dois momentos de queda na produção (2011 e 2015) e dois anos com maior produção (2010 e 2014). A produção da batata-doce sofreu pouca variação no período. Cana-de-açúcar – pico de produção em 2011, queda até 2014, recuperando-se em 2015. Mandioca – cultivo tradicional, apresentando queda na produção desde 2011. Milho – cultivo tradicional, totalmente dependente de chuvas, teve três anos de queda (2011, 2012 e 2015) 

b) Culturas Permanentes

Na Tabela 02 destacamos os anos em que houve maior declínio na produção para o período de (2010-2015).
Banana – produção em queda desde 2010. Coco-da-baía – produção com queda brusca em 2011 e leve recuperação em 2012, permanecendo com pouca variação de produção desde 2012, e leve recuperação em 2015. Laranja – produção em queda desde 2012. Limão – queda da produção em 2011 e 2015. Mamão – produção em queda, desde 2011. Maracujá – produção em queda desde 2011.                                                                                                                 

c) Pecuária

Em relação à produção da pecuária e de acordo com a Pesquisa Pecuária Municipal do IBGE, carne não é um produto de origem animal de Sergipe. Não há dados sobre a produção de carne em Sergipe e estão apresentados na Tabela 03. A produção de leite em Sergipe sofreu pouca variação no período, bem como o número de cabeças, com queda na produção em 2012 em decorrência da seca, recuperando nos anos seguintes.

IMPACTOS NOS RECURSOS HÍDRICOS

A população da região semiárida tem uma longa história de vida em meio a condições climáticas desafiadoras, que inclui a implementação de projetos de armazenamento e transferência de águas e o advento de instituições específicas 

encarregadas do planejamento do desenvolvimento socioeconômico da região.

Os impactos dos períodos prolongados de seca são frequentemente concentrados nas comunidades rurais carentes que vivem no semiárido. No primeiro semestre de 2017, os níveis de água nos açudes encontravam-se perigosamente baixos, mas com ocorrências das chuvas durante o mês de maio com registros acima da média houve uma recuperação das reservas adequadas de água para o abastecimento humano e outros usos.

Em última análise, esses impactos ameaçam progressos em termos de desenvolvimento econômico, social e humano que a região tem alcançado nas últimas décadas, e colocam muitas comunidades em risco de retornar a um elevado nível de incidência de pobreza.
As consequências causadas pela seca e as ações dela decorrentes representam um alto custo para a sociedade, muito embora os números exatos sejam difíceis de definir e quantificar. Mesmo assim, as abordagens reativas e pontuais, que têm definido grande parte da gestão brasileira da seca até hoje, precisam ser substancialmente reforçadas. Esse sentimento é respaldado pela comunidade científica nacional e internacional, e é também expresso por todos os segmentos da sociedade brasileira, como demonstra a determinação do governo brasileiro em liderar uma mudança de paradigma em direção a uma gestão mais proativa da seca.

As melhorias na expansão da oferta de água e no apoio aos agricultores em Sergipe têm ajudado o progresso do Estado ao longo das últimas décadas. Porém, ao se configurarem secas extremas, as soluções estruturais para a vida na região semiárida revelam-se, muitas vezes, insuficientes para enfrentar os efeitos da estiagem prolongada.

CONCLUSÕES

A seca que assolou o estado de Sergipe, no período de 2010/2016 , pode ser considerada a mais severa registrada há décadas. À medida que ela persiste, as soluções estruturais implementadas ao longo dos anos revelam-se ainda insuficientes para suportar os índices pluviométricos de chuvas abaixo da média. O quadro atual verificado em Sergipe e em diversas regiões do país tem estimulado um maior debate sobre o tema, no sentido de buscar gestões mais eficientes no uso da água.

Nesse sentido, uma gestão proativa da seca significa tratar as vulnerabilidades – e não os sintomas -, a partir de mecanismos para melhor monitorar e antecipar esses eventos, orientando, assim, as medidas de preparação e alívio aos efeitos da estiagem, tornando-as mais objetivas, eficientes e eficazes. Tais medidas destinam-se a aumentar a resiliência à seca através de três conjuntos de ações ou pilares: monitoramento robusto e previsão/alerta precoce; melhor compreensão das vulnerabilidades/resiliência e impactos e um planejamento da resposta mais coordenado  e sistemático, além do desenvolvimento de uma estratégia de mitigação de longo prazo.

Até agora as respostas governamentais têm sido reativas: decide-se o que fazer quando uma nova seca acontece. Essa situação precisa mudar. O Brasil precisa caminhar em direção a uma política proativa para o enfrentamento dos impactos da seca, que consiste num marco orientador composto de três pilares: monitoramento e previsão/alerta precoce; avaliação de vulnerabilidade/resiliência e de impacto e mitigação e planejamento e medidas de respostas. Eles correspondem a instrumentos de uma política de preparação para a seca. A gestão de secas no Brasil necessita avançar de uma abordagem de gestão de crise para uma abordagem baseada na gestão de risco. Isto resultará na redução de custos e de impactos sociais e econômicos associados às secas.

*Engenheiro Agrônomo, Advogado, Escritor e Superintendente de Recursos Hídricos da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos de Sergipe.

ARTIGO

A proteção que machuca Ana Paula Caodaglio*

A imprensa noticiou recentemente a sentença proferida pela Justiça do Trabalho de Sergipe, que, entre outras coisas, condenou o Município de Aracaju, assim como a Empresa Municipal de Serviços Urbanos (EMSURB) e as operadoras privadas a pagar  multa de R$5milhões, sob o título de “indenização por danos morais coletivos”.

Decretou também a proibição de transporte dos trabalhadores da limpeza urbana nos chamados “estribos” dos caminhões de coleta de lixo, determinando a utilização de veículos auxiliares junto ao caminhão de coleta e deferindo quase a totalidade do pedido formulado pelo Ministério Público do Trabalho, com suposto amparo no direito fundamental à saúde e segurança, inerente a todo trabalhador.

Infelizmente, não há motivos para aplausos. Em nome de uma suposta “proteção” ao trabalhador, a sentença contribui para extinguir postos de trabalho, ao criar e impor condições que nem ao menos favorecem os próprios trabalhadores.

A decisão em si parece cativante, mas parte de premissas e suposições equivocadas, acabando por não só asfixiar financeiramente as empresas prestadoras, mas também inviabilizar a operação de coleta em detrimento da salubridade pública, dos níveis de emprego e da economia local.

O transporte de trabalhadores nos estribos dos caminhões não só há muito foi abolido, como igualmente os próprios “estribos” foram ergonomicamente adequados para promover conforto e segurança.

O tema é devidamente regulamentado pelo CONTRAN – Conselho Nacional de Trânsito, em Nota Técnica especificamente emitida, esclarecendo que “a condução do gari, no momento de execução do trabalho de coleta do lixo, nos estribos, não caracteriza transporte de passageiros, mas sim uma forma para facilitar a operacionalização do serviço nas áreas urbanizadas.”.

Vale dizer: é exatamente o uso dos “estribos” que assegura ao trabalhador o direito fundamental à saúde e segurança. Além disso, a inserção de carros auxiliares, transitando atrás dos caminhões durante a coleta, significará aumento da emissão de gases poluentes e poderá ocasionar engarrafamentos.

Em verdade, a decisão proferida nega todo o arcabouço técnico normativo de padrão mundial – adotado e otimizado pelos titulares e operadores privados dos serviços de limpeza urbana em conjunto com fabricantes e usuários dos veículos coletores e entidades técnicas da sociedade civil (ABNT NBR 14599) e que há anos disciplina o uso das plataformas ergonômicas pelos funcionários coletores nos setores de coleta.

Frise-se que não se discute que o deslocamento dos trabalhadores entre setores, garagens e locais de disposição, deve ser feito na cabine do caminhão coletor ou em veículos auxiliares.

Mas determinar que a coleta seja integralmente feita a pé ou mediante o “entra e sai” de veículos é desconhecer a própria atividade profissional e expor os trabalhadores da limpeza urbana a riscos de entorse, queda, fadiga extrema em razão de um esforço ergonomicamente desumano, que expõe a elevado risco de acidentes, tanto os profissionais da coleta quanto os usuários das vias coletadas.

A coleta com os estribos, além de ser a melhor maneira para a saúde e segurança dos trabalhadores, é a única forma que torna possível empregar no Brasil dezenas de milhares de pessoas.

Em resumo, o procedimento operacional confuso, criado pelo MPT e Justiça do Trabalho em Sergipe, sem precedente em lugar nenhum do mundo, avança indevidamente sobre a competência de outros poderes. Além disso, coloca em risco a segurança dos trabalhadores e impõe esforço desnecessário no sobe e desce dos veículos auxiliares. O procedimento também interfere em contratos públicos e investimentos privados, onera os cofres municipais, reduz oportunidades de empregos, pois estimula a mecanização, em prejuízo da saúde do trabalhador, daeconomia e da sociedade em geral.

*Advogada LLM em Direito Empresarial – Consultora Jurídica do SELUR

Cláudio Nunes no Face e no twitter:

http:// https://www.facebook.com/blogclaudionunes/

Frase do Dia
“A franqueza é a coragem da verdade. É uma vitória constante sobre o medo. A partir do medo de nós mesmos. É um bem, por ser uma forma de autenticidade, de naturalidade, de caráter.” Alceu Amoroso Lima, crítico literário, professor, pensador, escritor e líder católico brasileiro, morreu em 14 de Agosto de 1983(n. 1893).Adotou o pseudônimo de Tristão de Ataíde.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais