Animação de Déda

0

O prefeito de Aracaju, Marcelo Deda (PT), está extasiado com a organização do Forrocaju. Está tudo em seus devidos lugares: área pronta, palco, som e iluminação sem defeito, além de um elenco de atrações que vai balançar Sergipe. Embora muita gente reconheça que o São João no interior ainda atrai uma volume grande de festeiros, será realmente na capital o grande arraial que se armou no Estado. O espaço está pronto para receber, aproximadamente, 80 mil pessoas, que terão acesso através da doação de alimentos não perecíveis. O espetáculo junino, que antes era bem mais modesto, se transformou em uma apoteose. O prefeito, inclusive, não é modesto: “quero competir com Campina Grande (PB) e com Caruaru (PE)”, cidades consideradas como as que fazem o mais animado São João do Brasil, aclamadas, inclusive por turistas de todos os recantos e donas de espaços generosos na Rede Globo de Televisão. É com essa estrutura, que o prefeito Marcelo Deda quer competir. E tem condições para isso, porque sua programação artística é realmente acima do nível dessas duas cidades. Este entusiasmo de Marcelo Deda até que faz algum sentido. A rede hoteleira está satisfeita com a ocupação, embora um único hotel esteja completamente lotado para o período, em razão da hospedagem de bandas. De qualquer forma é um grande resultado, que tende a crescer no próximo ano, quando o prefeito já estará praticamente em campanha para a reeleição. O difícil mesmo é conseguir competir com Campina Grande e Caruaru. É que Aracaju, e as demais cidades do interior, descaracterizaram os festejos juninos. Aquele dos “balões subindo ao céu”. As bandas, que hoje animam as grandes festas juninas, são as mesmas que diariamente se apresentam em várias cidades de todo o país, o que deixou de ser um tradição nordestina para se transformar num segmento musical do cotidiano nacional, assim como se fez com o axé e outras bobagens que se cometem em nome da tradição e cultura. Absolutamente nada contra isso. Mas tudo a favor de um São João que realmente prenda o turista e lhe ofereça algo diferente do que ele vê, com freqüência, nos cansativos programas de televisão. O deputado Fabiano Oliveira, que decanta um profundo conhecimento do turismo e das necessidades culturais da região, revelou que “São João é isso mesmo. Show à noite e praia durante o dia”. Sem querer desmerecer a capacidade festiva do parlamentar, São João jamais teve essa característica e é exatamente essa diferença, que faz o sucesso dos festejos juninos de Caruaru e Campina Grande. Nas duas cidades não existem praias e o jeito e manter viva a chama da fogueira e o calor da tradição, para que o turista sempre esteja vinculado à cultura nordestina e a descubra. Aliás, o Nordeste tem outros valores além de suas praias, que neste período do ano não são nada atraentes. Caruaru e Campina Grande mostram todo o festejo que sempre se praticou nas pequenas cidades do interior e que foi cantado pelo mestre Luiz Gonzaga e hoje tem continuidade com Dominguinhos, Flávio José e tantos outros que enriquecem e iluminam o cancioneiro popular da região. Só para dar um exemplo, José Ramalho, embora seja nordestino, não é artista para animar festas juninas. Tem um estilo bem distante do que se vê nas cantorias de pé-de-serra. Para concorrer com estas duas cidades, que realmente continuam sendo referencial do São João para o trade turístico, o prefeito Marcelo Deda precisa repensar os festejos juninos em Aracaju. O próprio Governo tem que reestudar essa festa que mexe com a alma do nordestino. Não está nos grandes espetáculos, com artistas nacionais em um palco exageradamente cheio de luz, mas nas quadrilhas, nos casamentos matutos, nas cavalgadas, nos folguedos populares e na comida típica. Hoje, em Aracaju, só se come uma canjica, uma pamonha, um pé de moleque, milho cozido, bolos de milho, macaxeira e puba, se for nas barraquinhas dos principais supermercados da cidade. O turista quer conhecer esse sabor forte da comida nordestina, como a mão de vaca, a buchada, o enroladinho, a carne seca, o bode assado, o cozidão e o famoso sarapatel. Mas onde encontrar isso? Na apoteótica área do mercado?. É bom rever isso no próximo ano e oferecer ao turista algo mais do que show artístico à noite e mar no dia seguinte, caso haja sol. O importante é ocupa-lo com coisas que ele desconhece do Nordeste, assim como se faz em Caruaru e Campina Grande… FRAGILIDADE O governador João Alves Filho (PFL) não está satisfeito com a atuação de dois dos seus auxiliares. Um deles teria considerado que era uma decepção. O outro tem criado problemas dentro da estrutura do próprio Governo, precisando que se utilize o comando de incêndios para amenizar o problema. MUDANÇAS O problema dos dois já começa a impacientar o governador João Alves Filho, que adotará providência a partir de julho. Um dos seus assessores mais próximos disse que geralmente nos seis primeiro meses dá para se perceber em que setor a máquina mais está falhando. PREVISÃO O deputado federal Bosco Costa (PSDB) fez uma previsão clara de que o seu partido teria que fazer oposição ao Governo Federal. Já na segunda feira passada o desentendimento entre tucanos e petistas explodiu através do líder maior do partido, ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. PESQUISA Uma pesquisa do Instituto Padrão revelou que o governador João Alves Filho esta bem. Tem o apoio de 83% dos sergipanos. Foram ouvidas 12.937 pessoas nos 75 municípios. Somente 10% o consideraram ruim e outros 7% não souberam opinar. FRANCISCO O advogado do deputado Antônio Francisco, José Cláudio, vai esperar até 30 de junho para ver se é julgado o pedido de hábeas corpus do parlamentar. Considerou que a juíza terá o prazo de 8 dias para dar seu parecer, mas só ontem à tarde ela deve ter recebido o documento. Caso não julgue até dia 30, só o será em agosto. POSIÇÃO O advogado disse que até o momento não sabe a posição que Antônio Francisco vai tomar, porque sempre foi ele que administrou todos os pertences da família. José Cláudio disse que depois de junho ou vai ou racha, porque não dá para esperar o fim do recesso e o começo dos trabalhos em agosto. DEDA O prefeito de Aracaju, Marcelo Deda, disse ontem que o momento é de “paquera junina”, embora ocorram pequenas conversas de bastidores. Ontem o prefeito estava com a mão na massa, cuidando do Forrocaju, vendo patrocinadores e confirmou que, em termos artísticos, está tudo fechado. DISPUTA Marcelo Deda disse que não está disputando o São João em Sergipe: “Hoje o nosso trabalho é para concorrer com Campina Grande e Caruaru”. A área do mercado foi ampliada para receber maior número de pessoas, com atrações que nada têm a dever a qualquer outra cidade do Nordeste. MACHADO O deputado José Carlos Machado (PFL) acha que o presidente Lula vai aprovar a Reforma da Previdência com certa dificuldade, mas a Tributária passa sem problemas. Diz que a questão da taxação dos inativos “é o bode na sala”, porque o mais grave é o fim da paridade. E isso ninguém está percebendo. REASSUME A secretário de Combate à Pobreza, Maria do Carmo Alves (PFL), Maria do Carmo Alves, reassume o Senado em setembro e passa dois meses atuando no Congresso. Será um período de discussão e aprovação de emendas orçamentárias para o Estado. Em novembro a senadora retorna ‘a Secretaria. APELO Uma leitora, assinando como Juliana, envia e-mail fazendo um apelo: “Cadê a polícia sergipana que não prende Antônio Francisco? Será que é medo do que ele pode dizer sobre alguns políticos sergipanos?” E continua: “Prendam o homem mau com cara boazinha, para que ele não possa mais arquitetar nada. Lugar de bandido é na cadeia”. BOATO Realmente corre boato de que, em caso de ser preso, o ex-deputado Antônio Francisco ameaçava relatar muita coisa de que tinha conhecimento. Essas revelações comprometeriam gente importante da política, incluindo empresários, envolvidos em casos ilícitos. ALMEIDA O senador Almeida Lima disse, ontem, que não discute com o deputado Jackson Barreto porque ele é político e não tem propostas. “Jackson só discute pessoas”. Como ele não costuma ter propostas e não conhece a dos outros, “eu não discuto. Ele é tão desclassificado mete a colher onde não cabe. Jackson é um equívoco”, finalizou. Notas INFORME O senador José Almeida Lima (PDT) falou ontem sobre nota publicada no “Informe-JB”, comparando ao personagem “Rolando Lero”. Disse que tem tomado uma posição de independência e se considera de oposição, “porque Lula não tem feito nada que preste. E isso incomoda muita gente”. Acha que o JB não falou por si, mas como ventríloco do Governo Federal porque certas pessoas quando não desclassificam o discurso e as idéias, tentam desclassificar que o fez. Trata-se de uma prática fascista. TRABALHO Em discurso no Congresso, o senador Renildo Santana disse que “ainda não se inventou nenhuma formula capaz de operar o milagre do desenvolvimento sem trabalho”. Seja qual for a orientação do Governo ou a teoria econômica a adotar, os inimigos a combater serão a incompetência e a inércia bem paga. O senador concluir o seu pronunciamento pedindo que “não impeçam, com juros e políticas equivocadas, de colocar a mão na massa e o país nos trilhos do desenvolvimento”. Pede também que deixem trabalhar para “podermos crescer”. AGENDA O senador Almeida Lima avisou ontem que respeita a agenda do governador João Alves Filho, mas lembrou que também tem agende a cumprir em Brasília e que sempre coincide com as reuniões de bancada. Disse que na semana passada a assessoria do governador lhe comunicou de uma reunião, 45 minutos depois. Em Aracaju há comentários de que o senador Almeida Lima está pretendendo fazer uma carreira solo e estaria se afastando do governador João Alves Filho. Ele desmente e diz que se mantém fiel ao comando político de João. É fogo Muito concorrida a abertura dos festejos juninos em Itaporanga D´Ajuda, ontem. A cidade faz um dos melhores São João do interior. A escritora sergipana Wilma Ramos lançou, ontem, no Congresso Nacional, o seu livro “Adoráveis Manias”. É possível que a partir de hoje o servidor público só retorne ao trabalho na próxima quarta-feira, cansados dos festejos de São João. O governador João Alves Filho vai passar o São João em Sergipe. De sua fazenda em Propriá vai visitar vários municípios. Todos os deputados federais retornaram a Sergipe ontem, para visitar algumas cidades do interior que abrem os festejos juninos. O deputado federal João Fontes não passa o São João em Sergipe, porque nesse dia a Comissão de Ética do PT analisa sua posição no partido. No dia 24, o deputado João Fontes fará um pronunciamento no grande expediente, onde relatará as razões de estar na Comissão de Ética. O deputado estadual Fabiano Oliveira diz que segmentos da oposição vão conversar para montar um jornal de oposição em Sergipe. O deputado João das Graças só deve apresentar sua defesa em agosto, quando a Assembléia Legislativa retornar do recesso. Mas a situação do deputado João da Graça não é tão ruim, porque a maioria dos seus colegas acha que ele merecer, no máximo, uma suspensão. O ex-governador Albano Franco (PSDB) vai evitar participar de festejos juninos em Sergipe. Albano se mantém fora da movimentação política e social. O prefeito de São Cristóvão, Armando Batalha, precisa, urgentemente, fazer com que sua cidade seja conhecida fora de Sergipe. Não é possível que São Cristóvão seja conhecido como bairro do Rio de Janeiro e, sendo a quarta cidade mais antiga do país, completamente ignorada no Brasil. brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários