Ansiedade: fator de risco para ocorrência de distúrbios alimentares

0

“ Nós estamos modificando o futuro mais rapidamente do que nós modificamos a nós mesmos e estamos aplicando no presente hábitos do passado” ( W. Churchill )

A ansiedade é uma das maiores dificuldades e o maior obstáculo para quem está querendo emagrecer, ou seja pode estar diretamente relacionada com os Transtornos Alimentares.
Fisiologicamente, o estresse passou a ser o representante emocional da ansiedade e psicologicamente a ansiedade pode mobilizar as atividades psíquicas e comprometer, desde a atenção e memória até a interpretação da realidade.
Os quadros ansiosos mais patológicos podem ser classificados em vários transtornos e um deles é o Transtorno Obsessivo Compulsivo ( TOC ), que é um transtorno que visa um alívio da ansiedade e/ou da angústia. Por isso é preciso entender o que é obsessão e compulsão para uma maior compreensão do processo pelo qual você pode estar passando nesse momento.
Definimos obsessões como  pensamentos ou ideias, impulsos, cenas, fantasias, que invadem a consciência de uma maneira repetitiva e persistente. Portanto as compulsões são comportamentos repetitivos, onde a pessoa é levada a executar algo como resposta a regras que devem ser seguidas rigidamente, como por exemplo lavar as mãos, fazer verificações, etc, ou seja o indivíduo tenta resistir e ignorar os pensamentos obsessivos, bem como os comportamentos compulsivos e não consegue.
Como os comportamentos compulsivos tendem a ser repetitivos e contínuos, muitas vezes eles acontecem automaticamente, por isso é que observar e ter consciência desses comportamentos pode ajudar a controlá-los.
O que sabemos é que esses comportamentos têm o objetivo de prevenir, reduzir ou aliviar o desconforto gerado pela ideia obsessiva, alguma situação temida ou, ainda, aliviar a ansiedade gerada por alguma situação especifica.
São hábitos aprendidos por alguma gratificação emocional imediata que proporcionam, mas no entanto essa pseudo-gratificação emocional, seja pelo prazer ou alívio do desprazer, reforçará com que ela se repita sempre, mas com o tempo, depois desse alívio imediato, segue-se a culpa por não ter conseguido controlar-se. Mesmo assim, a gratificação inicial permanece forte, levando a repetição.
Por exemplo, a pessoa está ansiosa e come para aliviar sua ansiedade, imediatamente em seguida há a gratificação com o alívio da ansiedade, que é diretamente relacionada com o ato de comer, mas passado algum tempo, começa a sentir culpa pela falta de controle por ter comido exageradamente, infelizmente isso irá fazer com que coma de novo, pois registrou em sua mente que a comida tem a capacidade de aliviar o que sente: isso torna-se então um círculo vicioso que pode ser rompido através da conscientização, tanto dos seus sentimentos, como dos comportamentos compulsivos.
Sabidamente as pessoas com comportamentos compulsivos sentem angústia ou ansiedade na ausência ou na impossibilidade em realizar a atividade compulsiva, fazendo dessa forma que o indivíduo  se torne dependente dessas atitudes, podendo reservar um tempo significativo para tais realizações e comprometendo muitas vezes o trabalho, a vida familiar, afetiva etc.
Entre os Transtornos Obsessivos Compulsivos temos alguns exemplos,como o jogar compulsivo, a atividade física compulsiva (vigorexia), comprar compulsivo (shopaholic), trabalhar compulsivo (workaholic) e finalmente o comer compulsivo (binge-eating).
Temos o conhecimento de que comer é um comportamento universalmente tido como prazeroso, mas também pode se tornar fonte de frustrações, arrependimentos e preocupações para muitas pessoas que buscam estar magras como requisito para o êxito e aceitação social, mas que acima de tudo, pode comprometer a saúde física e mental, podendo desse modo desenvolver alguns dos Transtornos Alimentares, que são verdadeiros desvios do comportamento alimentar e que acabam por levar o indivíduo ao emagrecimento extremo, como no caso da Anorexia Nervosa, ou então à obesidade.
É bom recordar de que tanto a Anorexia Nervosa como a Bulimia apresentam alguns sintomas em comum, como por exemplo: preocupação excessiva com o peso, uma representação alterada da forma corporal ,além de um medo patológico de engordar.
O que percebemos é que em ambos os casos há um julgamento indevido sobre si mesmo, baseada na forma física, frequentemente percebida de forma distorcida.
Podemos, baseados nesses conceitos citar alguns Transtornos Alimentares relacionados à ansiedade:
• Anorexia Nervosa
• Bulimia Nervosa
• Síndrome de Gourmet
• Transtorno Alimentar Noturno
• Comedores Compulsivos
 Salientamos de que a anorexia nervosa é um transtorno emocional que consiste numa perda de peso acentuada,além de um intenso temor da obesidade, acometendo em geral  mulheres jovens entre 14 e 18 anos, sendo seus principais sintomas, e mais  frequentes  os seguintes:
• Medo intenso de elevar o peso, mantendo-o abaixo do normal;
• Pouca ingestão de alimentos ou dietas severas;
• Imagem corporal distorcida;
• Sensação de estar gordo quando se está magro;
• Diminuição do peso, frequentemente em um período breve de tempo;
• Sentimento de culpa por ter comido;
• Hiperatividade ou exercício excessivo;
• Perda da menstruação,no caso das mulheres;
• Excessiva sensibilidade ao frio;
• Mudanças no caráter (irritabilidade, tristeza, insônia etc).
 Já no caso da  Bulimia Nervosa, observamos um transtorno emocional que se caracteriza por episódios repetidos de ingestão excessiva de alimentos num curto espaço de tempo, seguidos por uma preocupação exagerada sobre o controle do peso, levando a pessoa a adotar condutas inadequadas e perigosas para a saúde, tais como vômito compulsivo, uso de laxantes, diuréticos e a prática abusiva e excessiva de exercícios.
Os sintomas mais frequentes são:
• Comer compulsivamente e escondido;
• Preocupação constante com a comida e o peso;
• Condutas inadequadas para compensar a ingestão excessiva,como o uso de fármacos, laxantes, diuréticos e vômitos autoprovocados;
• Manutenção do peso pode ser normal ou elevado;
E mudanças no estado emocional, como depressão, tristeza, culpa e ódio por si mesmo.
Se você encontrar algum desses sintomas, não pense duas vezes: procure um psicólogo, que com toda a certeza ele saberá orientá-lo corretamente.
Uma Boa Semana, com muita paz, tranquilidade e amor!
Comentários