Antes da eleição, Campos racha o PSB

0

  “O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.

O episódio da CPI da Petrobras serviu para parlamentares federais do PSB em todo país conhecer o estilo trator do presidente e pré-candidato a presidente Eduardo Campos. A maioria da bancada não queria assinar a CPI da Petrobras e Eduardo Campos então resolveu baixar uma resolução do partido. Desta forma quem não assinasse poderia ir para a Comissão de Ética. O partido agora ficou dividido.

Os dois representantes de Sergipe, por exemplo, o senador Valadares e o deputado federal Valadares Filho, já tinham anunciado que não assinaram a CPI por várias razões, entre elas, a aliança que sempre tiveram com o PT em Sergipe e o relacionamento com o ex-presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra.

Deu na coluna Painel da FSP, de hoje, 27: o senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), que resistiu, mas assinou o documento, tem como primeiro suplente o petista José Eduardo Dutra, que foi presidente da estatal de 2003 a 2005.

O episódio serviu também para o senador Valadares ter a certeza que Eduardo Campos não está para brincadeira e se o PSB Sergipe tomar uma posição que ele achar não ser conveniente, não terá o mínimo de decência para intervir no diretório estadual.

Eduardo Campos posa de bom moço para a mídia, mas é igual a todos os outros. Imagine se chegar a presidência da República.

Denúncia no MP de trabalhos forçados no CBMSE
Na manhã de ontem, 26, a assessoria jurídica da AMESE, através do Dr. Márlio Damasceno, adentrou com uma notícia crime perante o Ministério Público, mais precisamente na Curadoria do Controle Externo da Atividade Policial, através do Promotor de Justiça Dr. João Rodrigues, solicitando que seja apurada suposta prática de trabalhos forçados e assédio moral ao soldado do Corpo de Bombeiros, Fábio Oliveira Nunes, fato ocorrido no dia 30 de janeiro do corrente ano, dentro do Quartel Central do Corpo de Bombeiros.

Punição
Segundo a denúncia da AMESE, o soldado foi punido disciplinarmente para cumprir uma detenção de 02 (dois) dias a ser cumprida no Quartel Central do CBM, fato que ocorreu na data acima citada, face a uma suposta falta ao serviço quando já estava em período de férias, motivo pelo qual o militar adentrará com o devido processo anulatório de punição disciplinar dentro em breve.

Determinações
“Ocorre que, quando iniciou o cumprimento da sua reprimenda de dois dias, o Sd. Fábio ficou detido no alojamento, onde posteriormente recebeu duas determinações de um Oficial BM para serem cumpridas, sendo uma pela manhã e outra pena noite.  A primeira determinação foi para que o militar removesse uns cascalhos com uma pá e um balde grande, até o jardim, mais precisamente embaixo de uma árvore que fica no meio do pátio do Quartel Central do CBM, cujo material era composto de concreto e ferros oxidados, ressaltando que tal remoção se deu no momento em que a guarnição operacional estava no pátio, participando de um ciclo de treinamento que estava ocorrendo diariamente.”, diz a assessoria da AMESE na denúncia.

Remoção
Segundo o advogado da AMESE, como se não bastasse tal determinação, à noite, o Sd. Nunes teria que cumprir a segunda, que era também a remoção de outros materiais diversos, quais sejam, resto de partes de veículos, restos de armários, ferragens, equipamento de proteção individual inservível, dentre outros, do local onde estavam até as proximidades da calçada, para que os lixeiros recolhessem, momento em que, devido à situação humilhante, momento em que um sargento adjunto do oficial de dia, foi conversar com um outro oficial, que deu uma contraordem, para que não fizesse essa segunda remoção.O fato causou inclusive constrangimento aos colegas bombeiros militares, que o sargento adjunto do Oficial de Dia, colocou tais fatos em livro da corporação.

Estresse
Na denúncia a AMESE relata que face a tais abusos, o militar foi acometido de um estresse pós-traumático, tendo sido afastado de suas atividades laborativas por 60 (sessenta) dias por recomendação médica e cujo afastamento foi homologado pelo HPM (Hospital da Polícia Militar), chegando ao posto de fazer uso de remédio controlado.O advogado agora aguarda que o fato seja devidamente apurado.

Eleições
O governador Jackson Barreto abriu oficialmente ontem, 26,, o IV Seminário Eleitoral do Governo do Estado, realizado em parceria com a Procuradoria Geral do Estado (PGE) e voltado para os gestores das secretarias e órgãos do poder Executivo. O palestrante do evento foi o Procurador da República, Eduardo Botão Pelella.

Idealizado por Marcelo Déda
De acordo com o procurador Márcio Resende, o Seminário ocorre nos anos eleitorais, a cada dois anos, tendo sido idealizado e criado pelo governador Marcelo Déda.“Ele tinha o cuidado de a cada ano eleitoral nós tivéssemos a prudência de propiciar de forma dinâmica e completa possível a instrução daqueles que fazem a administração pública, para que tomem ciência da legislação eleitoral de modo a compatibilizar o interesse em governar com a lei que nos impõe uma série de restrições e vedações que são imperativas e temos que observar”, explicou.

Memória
Jackson Barreto ressaltou que não tem o menor problema em imitar os bons projetos e as boas ideias. “É muito bom criar, mas as ideias que dão bons frutos devem ser mantidas”, disse homenageando a memória do governador autor do seminário.

Nota Brasil
O deputado federal Rogerio Carvalho criticou, em discurso na Câmara dos Deputados, O rebaixamento da nota do Brasil por empresa de rating e questionou a credibilidade da empresa em questão que é acusada de fraude. O fato se refere a decisão da agência de classificação de risco Standard & Poor's, que rebaixou a nota de crédito do Brasil de “BBB” para “BBB-“ na ultima segunda-feira.

Plantando medo

Segundo Rogério “O governo brasileiro respondeu de modo correto, demonstrando os dados e as contas públicas. Mas para quem quer enxergar crise e plantar medo, de nada vale a técnica empregada pelo governo brasileiro. A oposição gritou de modo ferrenho, na vã esperança de que uma crise possa deixá-la sonhar, ainda que isso signifique um grande mal para o Brasil e penúria para o povo brasileiro”, enfatizou.
 
Empenho
O presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (AJUFE), Nino Vieira Toldo, agradeceu, em nome dos juízes federais brasileiros, por meio de ofício, o empenho do líder do PSC, deputado federal André Moura, na aprovação da Emenda ao Projeto de Lei 2201/11, de autoria do Ministério Público da União (MPU),  que institui a gratificação por exercício cumulativo de ofícios dos membros do Órgão, e dá outras providências.

Justiça
Para André Moura, a aprovação do projeto é uma questão de justiça para quem acumula outro ofício além daquele para o qual foi nomeado. " O  projeto visa atender ao que recomenda o Conselho Nacional do Ministério Público para aqueles que acumulam função em período maior que três dias ou quando há vaga de cargos. Se há o acúmulo de funções, nada mais justo que a remuneração devida também seja incorporada ao salário", argumenta.

Fábio Reis discursa sobre segurança pública
Preocupado com os rumos da violência no país, o deputado federal Fábio Reis (PMDB-) proferiu um discurso sobre este tema na Câmara dos Deputados, na tarde de ontem,26.“Já passou da hora de tomarmos providências mais efetivas para a solução de um problema que insiste em se perpetuar no Brasil”, disse o parlamentar.

Empenho em SE
O parlamentar também aproveitou a oportunidade para agradecer o empenho do governador Jackson Barreto, pelos esforços que tem empregado no combate à criminalidade, e também ao secretário de Segurança Pública do Estado, João Eloy, e ao Comandante-Geral da PM de Sergipe, Maurício Iunes, por garantirem a presença de unidades especiais da PM para intensificar o trabalho preventivo.

Luta
“Muito tem sido feito, mas precisamos prosseguir nessa luta contra a criminalidade, para que a população possa usufruir da tranquilidade necessária para trabalhar, se divertir, criar sua família em segurança e viver de forma digna, como merece cada cidadão brasileiro”, finalizou.

Cotas para negros em concursos vai a plenário
O deputado federal Márcio Macêdo (PT) conseguiu ontem,26,fazer com que a Câmara colocasse em votação o Projeto de Lei 6.738/2013, de autoria do Poder Executivo, que reserva aos negros 20% das vagas oferecidas nos concursos públicos para provimento de cargos efetivos e empregos públicos no âmbito da administração pública federal, das autarquias, das fundações públicas, das empresas públicas e das sociedades de economia mista controladas pela União.

Dívida
“Temos um dívida secular com os homens e mulheres negros do nosso país. É uma dívida de cinco séculos. E este PL é uma das formas de iniciarmos a reparação disto. Claro que sonhamos com o dia em que não precisemos dessas políticas afirmativas, mas enquanto isto não ocorrer, este projeto será muito importante, para dar oportunidades e direitos iguais a todos. O racismo é a forma mais cínica de discriminação. Precisamos combatê-lo. Com este PL permitiremos o reencontro do país com a sua história”, afirmou o deputado.

Maternidade
O vereador Max Prejuízo (PSB) através de discurso na Câmara de Aracaju, lamentou o falecimento de uma criança do sexo masculino que nasceu prematura na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes e foi encaminhada ao Abrigo Sorriso com apenas três meses de nascida. O Abrigo Sorriso fica localizado no conjunto Santa Tereza e acolhe quarenta crianças, sendo que dez delas tem menos de um ano de idade.

Relato
O parlamentar relatou que, segundo informações, a criança chegou ainda debilitada ao abrigo, com apenas 2,5Kg e com problemas no pulmão, que não se desenvolveu. “Essa criança não poderia ter ido para o abrigo. Já chegou doente e com poucos dias foi internada no HUSE, passou três meses na Unidade de Terapia Neonatal (UTIN) e, infelizmente, no último dia 21 de março, veio a óbito”, denunciou Max.

Investigação
Preocupado com a situação Max propôs em plenário que uma Comissão Parlamentar fosse formada para investigar porque uma criança prematura e doente foi transferida de uma maternidade para um abrigo. “É preciso que esta Casa crie uma Comissão, em especial convido os vereadores que são médicos, para que faça uma visita  a direção da Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, para pedirmos explicações. Precisamos de uma ação efetiva para evitar que este fato lamentável ocorra novamente”, disse o vereador.

Aribé pede respeito às ideologias
As alianças partidárias para o processo eleitoral deste ano foram o tema do vereador Lucas Aribé (PSB) no Grande Expediente da Câmara Municipal de Aracaju nesta quarta-feira, 26. Ele subiu na Tribuna para ressaltar a importância de priorizar os ideais partidários e, principalmente, o povo.  "Durante as campanhas, vemos diversas promessas para a realização de milhões de coisas, muitas vezes impossíveis de serem feitas, que aparecem apenas para ganhar votos. Isso ocorre com a maioria dos políticos, principal do Poder Executivo pois são os responsáveis pela gestão das administrações públicas", disse Aribé.

Aribé pede respeito às ideologias II
Para o vereador, a atual conjuntura política onde a dúvida predomina não é benéfica para as ideologias partidárias, nem para o próprio eleitor que sempre é bombardeado todos os dias com novas possíveis coligações. "Não tenho como não me preocupar com a formação das alianças para a eleição de 2014. Existem inúmeras possibilidades e a cada dia a gente ouve novas informações com outros diálogos, novas decisões e brigas que visam apenas a maioria dos votos para este ano. Porém, fico preocupado, enquanto cidadão, é com o povo. Será mesmo que o povo está tendo uma participação nesses processos? Vejo que agora o que importa agora é qual a coligação dará mais votos", explicou.

50 Anos do golpe militar
O Centro de Juventude e Cidadania está organizando um debate no dia 04 de abril, na faculdade Pio Décimo às 19 Horas.

 O debate terá como tema: os 50 anos do golpe militar no Brasil e o debatedor será o Prof. Dr. José Vieira da Cruz – coordenador do curso de história da UFAL.

Fórum Empresarial de Sergipe tem nova coordenação
O Fórum Empresarial de Sergipe acaba de empossar sua nova Coordenação. No comando Ancelmo de Oliveira, que já esteve à frente da entidade à época de sua fundação (2000), sendo o primeiro a ocupar o cargo de coordenador. Graduado em Economia pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), Ancelmo é especialista em Administração Universitária e Sistema de Informações Gerenciais.

Gestão
“Nossa prioridade é a gestão democrática. Vamos reunir o grupo e saber das prioridades da Diretoria. Trabalharemos algumas demandas já estabelecidas no Fórum Empresarial e vamos buscar operacionalizar os diversos encaminhamentos que surgirem”, informa o novo coordenador. Ainda conforme Oliveira, 2014 será um ano atípico por conta das Eleições. “Iremos encaminhar um documento aos candidatos e pretendemos ouvir cada um deles”, revela.

Daniel Bizon ministra palestra em Aracaju
Empreendedores sergipanos terão oportunidade de participar gratuitamente da palestra “Resultado não é Mágica – é Inovação”. Será nessa quinta feira, 27 de março, às 20h no Auditório Atalaia do Centro de Convenções de Sergipe. Quem irá ministrar é o palestrante Daniel Bizon, pós-graduado em marketing estratégico pela PUC – MG e coautor dos livros Ser Mais em Gestão de Pessoas e Motivação em Vendas.

Práticas de inovação
Daniel Bizon é palestrante profissional e foi apontado em dois anos consecutivos palestrante  do Ano Brasil pelo Latin American Quality Institute, a mais importante organização da Qualidade na América Latina.Para Lauro Vasconcelos, superintendente do Sebrae, será uma ótima oportunidade para os empreendedores perceberem que adotar práticas de inovação é mais simples e barato do que as pessoas imaginam.

Formas
“Inovar é a prática da vez e está acessível aos pequenos negócios. A inovação pode ser de diversas formas, seja para tornar um processo produtivo mais eficiente e com menos células, ou diminuir o desperdício de resíduos, promover a redução de gastos com energia, praticar o reaproveitamento de água, enfim, podem ser vários os exemplos. O mais importante é saber que às vezes a inovação acontece numa pequena mudança na empresa que proporcione resultados positivos”, destaca Lauro Vasconcelos.

Como participar
A palestra é mais uma ação do Sebrae em prol das micro e pequenas empresas, realizada em parceria com o CNPq.  Informações na Unidade de Soluções Empresariais do Sebrae, telefones (79) 2106-7725 e 2106-7710, email http://tecnologia.sebrae@se.sebrae.com.br   , as vagas são limitadas.

PGE e APESE realizam palestra para estudantes de Direito
A Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e a Associação de Procuradores do Estado de Sergipe (APESE) receberam essa semana, acadêmicos de Direito da Universidade Tiradentes para uma palestra ministrada pelo procurador-chefe da Procuradoria Especial de Assuntos Fundiários e Patrimônio Imobiliário, Pedro Dias, no auditório da APESE.

Centro de Estudos
Sob realização do Centro de Estudos da PGE, com a participação da procuradora-chefe, em exercício, Gisele Campos, o momento foi direcionado para estudantes do 7° ao 10° período de Direito, da disciplina 'Estágio Supervisionado', coordenada pelo professor João Alberto. Na oportunidade compareceram mais de 100 alunos que assistiram as abordagens do procurador Pedro Dias debateram sobre a PGE e suas competências.

Festival
Já está tudo pronto para a abertura do IV Festival Sergipano de Teatro. A cerimônia de abertura acontece nesta quinta-feira, às 19h, no Teatro Tobias Barreto, com a apresentação do monólogo “Minimanual de Qualidade de Vida”, interpretado pela atriz global Alexandra Richter. Até o dia 13 de abril, 19 apresentações se dividirão entre os teatros Tobias Barreto, Atheneu e Lourival Baptista, além do Museu da Gente Sergipana e do campus da Universidade Federal de Sergipe (UFS), em Laranjeiras.

Festival II
Nessa quarta edição, o público poderá conferir peças de grupos teatrais de diversas regiões do estado. E o melhor de tudo: os espetáculos são gratuitos. O evento é uma realização do Governo de Sergipe – através da Secretaria de Estado da Cultura (Secult) – em parceria com o Instituto Banese, e conta ainda com o apoio do RioMar Shopping. Acesse www.cultura.se.gov.br, confira a lista de espetáculos e programe-se!

Campanha por medula óssea
O Hemose realiza nesta quinta-feira (27), em parceria com o curso de Enfermagem da Faculdade Estácio FASE, campanha de cadastramento para doadores de medulo óssea. A coleta de sangue será realizada pela manhã, das 7h45 às 12h, e à noite, das 18h30 às 21h45, nos laboratórios de Enfermagem da faculdade, localizada na rua Teixeira de Freitas, 10, bairro Salgado Filho. É uma coleta simples de sangue, não será necessário estar em jejum, e qualquer pessoa entre 18 e 54 anos, que tenha boa saúde, poderá se tornar um doador voluntário de medula óssea.

Queima total de estoque no Shopping Prêmio
A partir desta quinta-feira (27), até domingo (30), o Shopping Prêmio realiza a Queima Total de Estoque. Uma grande liquidação onde várias lojas do centro de compras oferecerão aos clientes descontos especiais que podem chegar até 60%.Diversos segmentos estarão participando da campanha do shopping que foi inaugurado há pouco mais de dois anos e é conhecido por oferecer produtos de qualidade com preços acessíveis, além de estacionamento gratuito para todos os frequentadores.

Diversas promoções
"A Queima Total é a última chamada do semestre para os nossos clientes aproveitarem as diversas promoções de todos os tipos de produtos, com preços irresistíveis. A ideia é não sobrar nada, pois a lojas têm que estar preparadas para receber a nova coleção e os modelos atualizados. O shopping se transformará num grande feirão com uma programação visual especial, e sons de sirenes estarão chamando a atenção do público externo, de 15 em 15 minutos. A ordem é acabar com o estoque", convocou a gerente de marketing do Prêmio, Liliana Levendakos.

SRTE/SE encontra irregularidades em cerâmicas
Uma das grandes preocupações da fiscalização do trabalho da Superintendência Regional do Trabalho em Sergipe – SRTE/SE é no sentido de assegurar os direitos dos trabalhadores de setores econômicos que oferecem mais riscos à segurança e saúde do trabalhador e que também apresentam maiores índices de informalidade no tocante às relações de trabalho.

Reunião técnica
Em cumprimento ao planejamento estratégico, a SRTE/SE, realizou em 15 de janeiro de 2014 uma reunião técnica informativa na qual foram convocados os empregadores e o sindicato dos empregadores do setor ceramista, com o objetivo de orientá-los quanto a importância da implementação das medidas de segurança e saúde no trabalho para garantir a proteção dos direitos e da saúde e segurança dos trabalhadores. Durante a reunião os empregadores foram informados dos problemas trabalhistas mais freqüentes no setor e das fiscalizações que seriam efetuadas.

Irregularidades
As fiscalizações nas empresas cerâmicas estão sendo executadas por nove Auditores Fiscais do Trabalho, inicialmente no município de Itabaianinha. Em 09 das 31 empresas fiscalizadas foram encontradas situações em que as máquinas expunham os trabalhadores a risco grave e iminente para a sua saúde e segurança, o que gerou a necessidade de interdição. As interdições corresponderam a máquinas com zonas de risco desprotegidas que ofereciam riscos como esmagamento, agarramento, corte; irregularidades com laminadoras, fornos, exaustores, esteiras, caldeiras de pressão e cortadores; instalações elétricas, proteção física contra quedas e abertura em piso precários, com risco grave.

Irregularidades II
Constatou-se ainda muitos trabalhadores sem registro, sem treinamento para uso do maquinário, fornecimento inadequado de água potável e falta de EPI (equipamento de proteção individual). Um avanço detectado foi a ausência de menores trabalhando, posto que o trabalho nesta atividade é proibido para menores. As empresas também foram notificadas para apresentação de documentos relacionados ao pagamento de salários, recolhimento de FGTS, jornada de trabalho entre outros.

Agenda
27 de março, quinta-feira.
Aprovação do marco civil da internet é de grande importância para o país. Deslizamento deixa 108 desaparecidos nos Estados Unidos. A Amazon prepara-se para venda física de livros. Igreja de Nova Iorque sorteia fuzil em uma rifa para os fiéis. Câmera que já foi à Lua com a missão Apollo 15, em 1971, foi leiloada por 2 milhões e 100 mil reais. Com o apoio da bancada do PSB, Senado aprova criação da CPI da Petrobras.  O novelista Gilberto Braga oficializa união com Edgar Moura Brasil. O Exército poderá atuar no Rio de Janeiro até as eleições.

Curtas
DEPUTADO ASDRÚBAL BENTES , CONDENADO A 12 ANOS DE PRISÃO, RENUNCIA AO MANDATO. /// REITORIA DA UFSC REPUDIA AÇÃO DA POLÍCIA FEDERAL EM CAMPUS. /// MPF DENUNCIA RICARDO NOBLAT POR RACISMO E INJÚRIA CONTRA JOAQUIM BARBOSA. /// AUSTRÁLIA DIZ TER AVISTADO MAIS TRÊS OBJETOS EM BUSCAS POR AVIÃO. /// GRAÇA FOSTER E EDSON LOBÃO IRÃO AO SENADO PARA FALAR SOBRE A REFINARIA COMPRADA NOS ESTADOS UNIDOS. /// MODERNIZAÇÃO DO SUS É O PRINCIPAL DESAFIO DA SAÚDE, AFIRMA O MINISTRO ARTHUR CHIORO. /// GAROTINHO ACUSA O IBOPE DE MANIPULAR PESQUISA.

ESPORTE  – O  ESPAÇO DO ALCEU –  por Alceu Monteiro

Obra paralisada
obra de reforma do Batistão ficou paralisada, no dia de ontem, por motivo de não cumprimento de reivindicações feitas pelo Sindipesa (Sindicato da Construção Pesada), que representa os trabalhadores. Hoje haverá uma reunião da qual participarão a Seinfra – Secretaria de Infraestrutura do Estado, a empresa encarregada da obra e o representante do sindicato. O prazo para a entrega das obras a fim de que o Batistão seja utilizado pela seleção da Grécia é no início de maio. Um aditivo poderá ser assinado para que as obras sejam concluídas no tempo previsto.

Briga no treino do Sergipe
Os atletas Léo e João Paulo protagonizaram um episódio lamentável no treinamento realizado ontem pela equipe rubra. Há poucos dias, foi no Confiança, e agora, no Sergipe. O técnico Vinícius Saldanha afirmou que isso não pode ser considerado normal e que providências deverão ser tomadas.

Local pendente
Continua sem definição o local do jogo Confiança X Itabaiana, marcado para o próximo sábado, à noite. Uma nova vistoria ocorrerá hoje, no Sabino Ribeiro e em seu entorno. O presidente do Confiança, Luís Roberto, declarou que o Confiança tem todo o direito de jogar em seu estádio. O Itabaiana não concorda. A grande verdade é que não houve um encaminhamento adequado da pretensão do Dragão do Bairro Industrial. Vamos torcer para que aconteça um entendimento em torno do assunto.

Granja Comary
O presidente Carivaldo Souza, da FSF, participa da reinauguração da Granja Comary, em Teresópolis (RJ). O presidente da CBF, José Maria Marin, convidou todos os presidentes das federações estaduais para o evento. As obras de reforma e modernização custaram à CBF 15 milhões de reais.

Handebol
A seleção brasileira feminina de handebol, que conquistou recentemente o título de campeã mundial, desenvolve, desde ontem, em nossa capital, um período de treinamentos. As atletas da seleção entregaram o troféu conquistado à Confederação Brasileira de Handebol, cuja sede fica localizada em Aracaju.

Bom senso
No caso do local do jogo entre o Confiança e o Itabaiana, no próximo sábado, parece natural a pretensão do Confiança no sentido de jogar em seu próprio estádio. Aliás, tanto o Sergipe quanto o Confiança, os dois clubes da capital sergipana, têm sofrido bastante por não poderem mandar os seus jogos em suas praças de esporte. Felizmente, há sinais de que o assunto venha a ser resolvido ainda hoje.

Perguntar não ofende
Por que motivo somente agora chegaram à conclusão de que a obra do Batistão é PESADA e não LEVE?

PELO TWITTER

www.twitter.com/alanbarretoso  Nos dias de hoje, não basta ser honesto, além de parecer tem que provar!

www.twitter.com/marcusfam  O homem utiliza a linguagem pra comunicar-se. Além de propiciar o progresso, é um fator de interação e coesão social – Fica a dica, Aracaju!

www.twitter.com/gilbertotv  Dê um beijo na vida todos os dias. Ela é maravilhosa e cara demais para ser desprezada e não cuidada por nós. Celebre a Vida !!

www.twitter.com/higorfb  Sabe aquele momento na vida que você quer mandar todo mundo pra puta que o pariu, mas não pode ?

www.twitter.com/palmeriodoria  Folha confessa no Erramos que enfim derrubou Dilma, chamando-a de "ex-presidente";

DEBATE / ELEIÇÕES 2014

Ana Alves deixa claro que  postagem no Facebook não é endereçada a Machado
Ontem, 26, a filha do prefeito João Alves, a jornalista Ana Alves postou um novo texto no Facebook, esclarecendo a postagem do dia anterior:
Pessoal
Ontem ao escrever minha nota sobre legitimidade ter ou não ter. cito no texto que existem pessoas que cercam o atual prefeito João Alves Filho com mas intenções, o que é com alguns políticos de várias agremiações.
Gostaria de esclarecer que a postagem em nada tem haver com o JOSÉ CARLOS MACHADO, pessoa que é amigo fiel do prefeito, da família , meu e do Mendonça,. Machado é dessas pessoas raras na política aonde a amizade verdadeira prevalece, independente de qualquer decisão ou situação, eu Ana tenho o máximo de respeito por MACHADO e carinho, sugiro que se tiverem dúvidas me liguem mas não fiquem aumentando.
CRESCI NA CASA DO MACHADO, e não admito coloquem dúvidas no meu respeito por ele e família.
Quanto ao texto, eu li e realmente admito ficou duvidoso a escrita, mas não foi intencional.
Já aos restante citado, me refiro a diferentes agremiações partidárias e pessoas, eles sabem de quem se tratam.
Enfim , concluo dizendo e reafirmando o meu carinho, respeito, admiração , amizade ao MACHADO e pedindo desculpas publicamente pois sem querer eu possa ter lhe constrangido ou as pessoas terem entendido dessa forma.
MACHADO E FAMÍLIA, aceitem minhas desculpas e reverência, reafirmando que você é grande aliado, amigo da família e meu e do Mendonça também.
Espero poder ter sido clara e assim encerro esse assunto.
Deus abençoe sempre a todos vocês e ao Machado !
Saúde e Paz para todos vocês e ao Machado !

DO LEITOR

Aparecida: transporte escolar põe em risco vida de estudantes
Mesmo sendo administrado por uma professora, o município de Nossa Senhora Aparecida, situado na região do médio

agreste sergipano e distante 93 km de Aracaju, apresenta graves problemas na rede municipal de ensino. Professores reivindicam o piso salarial, escolas rurais multiseriadas, merenda escolar insuficiente e com baixo teor nutritivo, transporte escolar com uma frota envelhecida, com lotação acima do permitido em lei, e ainda por cima com itinerários que forçam os estudantes a passarem mais de 4 horas no percurso até chegar à escola.
Com cerca de 30 unidades escolares, a maioria localizadas na zona rural, totalizando quase 1500 estudantes, a atual administração faz vistas grossas aos problemas apresentados pela rede municipal de ensino e não aponta soluções que possam modificar esta triste realidade.  Diante de tanta precariedade, a Prefeita Veronica Silva (PMDB) prefere o silêncio e se nega a dialogar com os pais de alunos. A situação tem causando tanto temor nos pais e estudantes, que alguns já se organizam para acionar o Ministério Público e denunciar a situação ao Sintese. Muitos deles estudam a noite e trabalham durante o dia ajudando os pais em pequenas tarefas caseiras. Em alguns casos, os alunos que moram em povoados mais distantes chegam por volta da meia-noite.
A estudante J. A. reclama da lotação dos ônibus e lamenta que a prefeita Vera não tome providências sobre o caso. “Nâo sei o porque da lotação se recentemente foi adquirido ais ônibus. A  prefeita Vera deveria buscar uma solução para o caso”, lamenta. Já a adolescente M.C.S acrescenta: “ é só diminuir os cargos em comissão que sobra dinheiro para a Educação”.

Do orgulho de ser Brasil
Da leitora Maria Angélica: “A marca Petrobras é parte intrínseca do país Brasil e dos brasileiros, pois todos nos sentimos parte indissociável dela. Como sempre a mídia raivosa que, em torcida contra permanente, não consegue enxergar um palmo diante do seu umbigo agarrá-se na desqualificação da empresa para alcançar seus objetivos partidários. O auto proclamado único partido oposicionista não consegue separar seus interesses escusos da preservação de um patrimônio que, apesar dos ataques, cresce e fomenta o desenvolvimento desta terra de pindorama. Em tempos de números magros na preferência eleitoral do povo, os candidatos da imprensa e do sistema financeiro investem em gritaria esperançosa para tentar mudar o rumo da maré.
Apresentam-se como especialistas em petróleo e certos de que podem ser a solução. Repetem o mantra meia boca da ineficácia e, segundo um certo slogan trairíco, podem fazer melhor. A receita está pronta, só falta aviar: passaremos a nos chamar PETROBRAX, seremos fatiados e vendidos a preço de Vale ou de banana tanto faz, entregaremos o Pré-sal a CHEVRON, afundaremos umas tantas plataformas, fecharemos a indústria naval brasileira, interromperemos os concursos públicos para recompor o quadro de empregados da empresa, nomearemos para a presidência figuras do sistema financeiro internacional. O rol de maldades não tem limites, tudo em nome dos ganhos na bolsa de valores deturpados.    
Desejo que a Petrobras continue abraçando os sonhos de crescimento, paz e justiça social de todo um país e de sua gente merecedores que são do sucesso que tantos construíram  e alguns tentam frustrar.”

Já passou da hora
Por Abrahão Crispim Filho – Já passou muito da hora, mas as Forças Armadas bem que poderiam se valer do ensejo dos 50 anos do golpe para pedir desculpas à Nação pela infeliz e funesta intervenção de 1964 na história da nossa evolução democrática. Autocríticas, como a que fez "O Globo" ano passado, exigem, é verdade, um pouco de humildade, mas, se até o dogma da infalibilidade papal já caiu, por que só as Forças Armadas se manteriam à prova de erros ou falhas ? O reconhecimento do erro, ao invés de diminui-las, as engrandeceria, realçando a sua contribuição positiva, por exemplo, para a integração nacional, através do CAN, o Correio Aéreo Nacional. E as livraria de continuar desempenhando o triste, porque ridículo, papel chapliniano daquele recruta de anedota, o "único de passo certo", mas destoante dos demais, na marcha lenta e cadenciada pela consolidação da democracia no Brasil. É hora de o ministro Celso Amorim pensar, seriamente, nisto.

ARTIGO

Carlos Ott, professor e historiador anônimo na Bahia (em uso)  GilFrancisco*

Alemão radicado na Bahia foi pioneiro em estudos de arqueologia e pré-história na Bahia, completamente esquecido, seque citado nos trabalhos acadêmicos, talvez por ter suas obras esgotadas, ou por falta de conhecimento dos acadêmicos, quando estudam questões religiosas, questões sobre arte, questões sobre folclore na Bahia.

                                             ***

Recentemente soube do falecimento do professor Karl Borromaeus Ott (1908-1997) ou simplesmente Carlos Ott, nascido em 13 de outubro de 1908 em Bieringen, no Estado de Wuertemberg, na Alemanha. Era diplomado em Filosofia no Atonianum de Urbee, Alemanha em 1937, catedrático e um dos fundadores do curso de Antropologia na Faculdade de Filosofia da Universidade Federal da Bahia. Membro da Ordem dos Franciscanos era conhecido como Frei Fidélis, logo se radicou na Bahia, largou a batina e se dedicou à pesquisa e ao ensino de História.

Carlos Ott atuou também como pesquisador do serviço de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – ISPHAN, membro do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia do Instituto de Estudos Baianos, foi um pioneiro dos estudos de arqueologia e pré-história, com diversos livros publicados, entre eles, Formação e evolução Étnica da Cidade do Salvador (1955-57), Bailes Pastoris (1958), A Santa Casa da Misericórdia da Cidade do Salvador (1960), Atividades artísticas nas Igrejas do Pilar e de Santana da Cidade do Salvador (1979), Evolução das Artes Plásticas nas Igrejas do Bonfim, Boqueirão e Saúde (1979), A Escola Bahiana de Pintura (1982), A Catedral da Cidade do Salvador (1987), Monumentos históricos e artísticos do município de São Francisco do Conde (1984), A Catedral da Cidade do Salvador (1987), Atividade Artística da Ordem 3ª do Carmo da Cidade do Salvador (1998), Arquitetura Histórica das Artes Plásticas na Bahia, 1550-1900, Povoamento do Recôncavo pelo Engenho, 1536 a 1888, Vestígios de cultura indígena no sertão da Bahia.

Como membro do Instituo Geográfico e Histórico da Bahia, Carlos Ott contribuiu com dois artigos que foram publicados na revista da instituição: Documentos inéditos da História e Geografia da Bahia 1948-49, e Influência Portuguesa na formação da cultura baiana no século XVII (1956), Pelo Centro de Estudos Baianos foram publicados História da igreja de Nossa Senhora do Rosário de Cachoeira (1978), A Casa da Câmara da Cidade do Salvador (1981), além de ter publicado livros importantes como: Pré-História da Bahia (1959) e Na revista Afro-Ásia do Centro de Estudos Afro-Orientais – Ceao foram publicados os seguintes artigos: A Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos do Pelourinho (nº 6-7, 1968), A Transformação do culto da morte da igreja do Bonfim em santuário de fertilidade (nº 8-9, 1969) e A Influência arábica na arte baiana (nº 10-11, 1970). Carlos Ott também colaborou na Revista do DPHAN, editado no Rio de Janeiro: Os Azulejos do Convento de São Francisco da Bahia, nº7, 1943: A Santa Casa da Misericórdia da Cidade do Salvador, Vol. 21, 1960 e uma monografia sobre José Joaquim da Rocha (1737-1807) pintor considerado o mais importante do período colonial baiano, pintou vários tetos em perspectiva, quase todos hoje desaparecidos. Sua obra prima é o forro da nave da igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia, Vol. 15, 1961. Suas colaborações não param. Em setembro de 1968, o professor Carlos Ott publica no número 2, de Porto de Todos os Santos, revista do Departamento da Educação Superior e da Cultura, da Secretaria de Educação e Cultura do Estado da Bahia, dirigida por Luís Henrique Dias Tavares, o artigo, A inspiração da pintura baiana no período colonial.

O professor Carlos Ott que parecia realizado com a vida simples e plena, acho que sua jornada de totalização e de paz, fez um pouco de tudo que disseram a seu respeito, otimista como principal característica, muitos dos seus livros encontram-se esgotados, a espera de reedições. Era uma figura enigmática, falava pouco, vivia sempre lendo nos longos corredores do colégio, até mesmo na sala dos professores esta sempre com um livro ou revista nas mãos. Tinha exatamente 61 anos, calvo, com pouco cabelo branco, alto, forte, usava sem paletó de cor clara, meio surrado e gravata, o que justificava os baixos salários dos professores. Trazia consigo em uma das mãos um antigo guarda-chuva de cabo preto, companheiro inseparável, fizesse sol ou chuva, estava sempre consigo, na outra mão segurava uma pasta de couro já gasta pelo tempo que cheirava mal. Usava óculos de grau tipo fundo de garrafa, voz de trovão que denunciava claramente o sotaque germânico quando falava. Um tipo fascinante pelo seu conhecimento, uma marcante personalidade que a gente não esquece cuja educação sentimental estava sustentada por duas vertentes, a profissional e a afetiva que foram profundamente marcadas pela constelação familiar severa e religiosa.

Carlos Ott foi durante muito tempo voz corrente na historiografia baiana, considerado pelos colegas como um dos mais completos estudiosos. Suas pesquisas são marcadas por grande espírito, uma ótica inovadora e quase sempre inesperada, chamando a atenção para aspectos evidentes que ninguém tenha notado. De estilo próprio, brilho e originalidade, era extremamente cuidadoso com a linguagem simples, mas sem perder a elegância, o pesquisador Carlos Ott, manejava com grande saber os temas abordados em seus livros. Foi na Bahia que seu horizonte se havia alargado, a criação intelectual ganha foros de verdadeiro e indiscutível senso de humanidade, escrevendo com amor e modéstia. O que se pode dizer do seu contributo, sem receio de contestação é que Carlos Ott, nome mágico na terra dos Orixás, ainda não reconhecido como um raro estudioso da nossa história.

Quando sobrava dinheiro em casa, eu ia para o colégio de lotação ou ônibus, do bairro da Caixa D’água até o Largo das Sete Portas, onde encontrei por várias vezes o professor Carlos Ott com um dos seus filhos, pois ele residia em Brotas ou Matatú, bairros próximos que davam acesso a Sete Postas, e juntos subíamos a Ladeira dos Artistas, atualmente chamada pelo povo Ladeira do Funil, conversando assuntos variados. Ao entrarmos na instituição de ensino, ele se dirigia ao corredor da direita onde ficava a diretoria, coordenação, secretaria e sala dos professores, enquanto eu permanecia enfileirado com outros alunos da mesma turma, a espera da professora de canto orfeônico, “Sarapatel”, para cantarmos o Hino do ICEIA, assistido por todos os professores Lembro-me de uma das três estrofes:

Nesta Escola, no excelso agasalho,
Aprendemos, em sábias lições,
Os processos e as leis do trabalho
De formar e polir corações,
Corações, que florindo na infância,
Tomem tal compleição varonil,
Que envelheçam mantendo a constância
De servir e amar ao Brasil.

Após encerramento do hino e hasteamento da bandeira, seguíamos para a sala de aula que fica no primeiro piso, em fila e em silêncio, acompanhados por uma funcionária assistente (popularmente conhecida como censora), levando em uma das mãos as cadernetas estudantis da turma. Ao entrarmos na sala de aula à assistente carimbava nossa presença na caderneta individual do aluno, que era devolvida somente no final do turno. Uma coisa que sempre me chamou à atenção era o fato da mesa da assistente ficar dentro da sala de aula, qualquer desavença ou insubordinação de aluno, ela poderia ser arrolada para esclarecimento do ocorrido, junto à diretoria. Sempre tive boas “censoras”, procurando ser obediente, mas observando algumas infrações cometidas por elas, como a venda de merenda em sala: amendoim torrado e cosido, cavaco, bolacha de goma, cocada, queijada etc. Estive por várias vezes em apuros por descumpri o regulamento interno: uso de sapato incorreto (usava uma botinha vulcabrás), camisa desabotoada, antecipação de saída, apanhar a caderneta, falta da assinatura do responsável na caderneta, atitudes acobertadas por minhas “censoras queridas”.

   Existia ordem e respeito, a caderneta trazia alguns esclarecimentos, como a farda escolar e disciplina: “Se não podes freqüentar uma escola onde haja disciplina consciente, liberdade, respeitosa e estudo honesto, é melhor afastar-se do ICEIA, porque este não é o teu ambiente.” O corpo docente do Instituto Central de Educação Isaías Alves era o melhor do Estado da Bahia. Tínhamos nessa época nomes importantes da educação baiana: Evaldo Nogueira (dentista e empresário na área automobilista) ensinava desenho, Brito (médico) supervisor de área, era um terror, Nair Medeiro (assistente) ensinava matemática, Nilton José (advogado e mais tarde vereador) ensinava OSPB Alix M. Froher (médica), Fortunina (Português), Angélica e Iolanda Piva (matemática), Garibaldo Matos (chefe de torcida e ator), havia trabalhado em alguns filmes produzidos na Bahia: O Pistoleiro (1975) e Gouveia também chefe de torcida. Cícero Pessoa, Jair Passos (católico conservador), Theodolina no comando e Mariá de Araújo, na vice-direção.

O primeiro livro que li de Luiz Henrique Dias Tavares foi a História da Bahia, um livrinho publicado pela Editora Itapoã do saudoso Dmeval Costa Chaves, escrito para o curso ginasial, adotado pelo professor Carlos Ott, na disciplina de Estudos Baianos, da 3ª série. Eu adorava as aulas, principalmente quando ele falava sobre o Centro Histórico de Salvador, talvez por ter nascido no coração da cidade, na Rua J.J. Seabra nº77 na Praça dos Veteranos, em frente ao Quartel do Corpo de Bombeiros. Tivemos durante o ano aulas práticas, ou seja, visitas aos museus e igrejas das proximidades do Colégio: Largo de Santo Antônio, Cruz do Pascoal, Quitandinhas. Tínhamos também estudos em grupos na Biblioteca do Instituto, eu adorava freqüentar a biblioteca, às vezes matava aula para conversar com a jovem bibliotecária, Ivete Caldas, ainda normalista. Após concluir o ginásio fui reencontrá-la dois anos depois na Universidade Federal da Bahia, estudando direito e trabalhando na secretaria do Instituto de Ciências da Saúde da UFBA. Passados anos reencontrei em Salvador como Promotora do Estado da Bahia depois de atuar por vários anos como juíza em Teixeira de Freitas.

O professor Carlos Ott tinha didática para o ensino de suas aulas, com ele aprendi as primeiras noções da língua francesa e através dos estudos baianos, a gostar das coisas da terra da Bahia e a entender melhor o jeito do povo baiano. Ele repetia por várias vezes o mesmo assunto, quando não era entendido, apesar do sotaque acentuado do francês ou o emprego de algum termo em alemão. Sem dúvida era exigente, ríspido e em suas aulas repassava um texto previamente estabelecido, que era lido em sala por um aluno escolhido por ele. Certa vez, na aula de francês, o aluno Guido Lima (ligado ao teatro baiano), tinha histórico de perturbado, era meio nervoso, oriundo da classe média, branco dos olhos verdes, morava em frente ao colégio, tinha mais duas irmãs matriculadas no Instituto. Durante a leitura de uma Lição, Carlos Ott chamou à atenção de Guido em virtude do mesmo ler o texto rindo, provocando graça nos demais alunos. Houve uma ligeira discussão e Guido chamou-o de nazista. Irritado, com o rosto de coloração avermelhada se dirigiu ao aluno e ao aproximar-se empurrou o livro no rosto de Guido. Em meio a choro, raiva e gritos, Guido Lima arremessou uma carteira no professor e o bafafá foi parar na diretoria e Guido descansou por três dias, retornando as aulas depois de se apresentar na direção com o responsável.

Hoje só me resta reconhecê-lo, apesar de tardiamente, com essas palavras louváveis e de maior reconhecimento ao mestre Carlos Ott, brilhante professor e pesquisador da nossa história, dos nossos gestos, da nossa gente. Ele dedicou a sua vida a propagar e alargar seus conhecimentos, e desde o primeiro momento daquele encontro em 1969, seus conhecimentos impressionaram aquele adolescente de 16 anos, estimulando de certo modo, orientaram-me nos trabalhos de pesquisas, e muitas descobertas que me levaram a novos conceitos, nossas compreensões, novos estudos.  Conservo até hoje lembranças inesquecíveis de sua presença com sua memória prodigiosa. O que mais me impressionava eram suas aulas, a maneira de transmitir os conteúdos, pontualidade, paciência, dedicação e entusiasmo nos ensinamentos, talvez fosse o resultado da sua experiência de vida que levaram a realizar vários sonhos e sepultar outros, mudando de vida e fixando novos caminhos para si.

Naquela época, não tinha idéia de quanto àqueles ensinamentos ampliariam meus horizontes sobre a historiografia brasileira, especificamente a baiana e de como iria aplicar anos depois esses conhecimentos em sala de aula, porque eu sabia que seria professor mais cedo ou mais tarde. O historiador e professor Carlos Ott é referência generosa na formação ética desse ex-aluno, cujos ensinamentos didáticos e a leitura das obras do mestre, serviram e servirão de estudo e de referência aos acadêmicos e pesquisadores universitários. Por isso continua espalhando sementes que vão dando sombra e flores a quem se alimenta da história cultural, religiosa, política e econômica da Bahia.

* Jornalista, professor universitário, Diretor do Departamento de Imprensa da Associação Sergipana de Imprensa – ASI, membro do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe e do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia. E-mail:http://gilfrancisco.santos@gmail.com

Blog no twitter: www.twitter.com/BlogClaudioNun

Frases do Dia
“Quem pensa por si só é livre e ser livre é coisa muito séria.”

“Nunca deixe que lhe digam que não vale a pena.  Acreditar nos sonhos que se têem.”

Renato Russo, cantor e compositor brasileiro, nasceu em 27 de Março de 1960 e morreu em 1996.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários