Ao povo, bananas

0

Mais uma vez, o Congresso enganou o povo. Ao não aprovar nem mesmo a minirreforma em discussão, deputados e senadores deram uma banana para a voz rouca das ruas. Assim, as eleições de 2014 vão acontecer com os mesmos vícios de sempre. O argumento na Câmara para deixar tudo como está é que o projeto aprovado no Senado não contempla pontos como o financiamento público de campanha e a lista fechada, onde o partido escolhe os candidatos que ficam na frente da fila. O internauta Jorge Luiz ajuda a desmascarar a balela: “Como dar essa atribuição aos partidos se a maioria tem dono? Sergipe é um exemplo acabado disso: DEM (João Alves), PSB (Valadares), PPS (Nilson Lima), PMDB (Jackson), PRP (Pastor Heleno), PTB (agora Adelson Barreto), PSDB (Machadão), e PSC e afilhados (Edvan Amorim)”. Vê-se que antes de uma reforma para moralizar a política, quem está no Congresso deseja mesmo é manter as legendas fracas para aumentar o poder de mando dos ‘coronéis’.

Suspense

E o ex-governador Albano Franco deixou mesmo para o último segundo da prorrogação a filiação ao PSDB. Retornou ao ninho tucano levando um amigo de longas datas: o empresário Luciano Barreto. Passado o suspense sobre qual partido atrairia Albano, aposta-se agora  para saber se ele vai ou não disputar as eleições de 2014.

Leilão

A 12ª Rodada de Licitação de blocos exploratórios de petróleo, que a Agência Nacional do Petróleo (ANP) realizará nos dias 28 e 29 de novembro, vai oferecer 80 blocos localizados na bacia madura de Sergipe-Alagoas, com o objetivo de dar continuidade à exploração e produção nessa região. O bônus mínimo desses blocos varia entre R$ 63,9 mil e R$ 293,2 mil. A informação está no caderno Mercado do Jornal da Cidade.

Bem na fita

O novo militante verde Pedrinho Valadares ocupou generoso espaço na mídia nacional durante a solenidade do PSB que recepcionou como nova filiada a ex-senadora Marina Silva. Em se tratando de político sergipano, talvez Pedrinho só tenha perdido em tempo de exposição para Zé Eduardo Dutra quando a presidente Dilma Rousseff (PT) concedeu a primeira entrevista depois de eleita.

Campanha

Os simpatizantes da candidatura de Rogério Carvalho à presidência do PT sergipano participam de ato público nesta segunda-feira no Iate Clube de Aracaju. O objetivo é mostrar força aos outros três pretendentes ao comando estadual do partido. A eleição está marcada para 10 de novembro próximo. Até lá, muita água ainda passará por debaixo da ponte.

Sou da lira

A centenária Lira Carlos Gomes, de Estância, acaba de fazer 134 anos de fundada. Uma noite de gala marcou o aniversário da filarmônica, presenteada pelo deputado estadual Gilson Andrade (PTC) com 24 instrumentos e 60 uniformes de gala. Legal!

Reprimenda

Agora no PMDB, o deputado federal Almeida Lima desancou no twiiter o senador Eduardo Amorim (PSC), que votou contra o projeto ‘Mais Médicos’. “Crianças, mulheres e idosos vão a óbito por falta de orientação médica, mas o senador preferiu atender meia dúzia de colegas elitistas. Foi egoísta, desumano e insensível ao sofrimento do povo, que vive no interior sem a presença de um médico”. Credo em cruz!

Chauí aqui

Quem estará em Aracaju no próximo dia 14 é a professora Marilena Chauí. Vem proferir palestra no 7º Colóquio Nacional de Filosofia da História, que acontecerá a partir das 19h, no auditório da reitoria da Universidade Federal de Sergipe.

Grana preta

Tem R$ 23 milhões querendo entrar para sua conta bancária. É quanto vai pagar o próximo concurso da Mega-Sena se você acertar as seis dezenas a serem sorteadas quarta-feira próxima. As apostas podem ser feita até as 19h de quarta-feira. E então, tá nessa?

Do baú político

No final da década de 60, a Assembleia Legislativa de Sergipe foi fechada por decisão do militares de plantão. Na ocasião, também cassaram os mandados dos deputados estaduais Gilton Garcia, Rosendo Ribeiro, Aerton Silva, Chico de Miguel, Edson Mendes de Oliveira, Santos Mendonça, Baltazarino Santos e Jaime Araújo. Sobre este último, o DOPS escreveu em sua ficha que “ultimamente tem sido encontrado em bares da cidade conversando com estudantes indiciados em inquéritos da Policial Militar”. Segundo relata o professor Jorge Carvalho no blog ‘Educação e História’, o legislativo sergipano permaneceu fechado entre os dias nove de fevereiro de 1969 e dois de maio de 1970, exatos 400 dias. Quem gostou disso foi o então governador Lourival Baptista, que durante esse longo período administrou Sergipe exclusivamente editando decretos, sem precisar submeter ao debate parlamentar nenhuma das suas decisões.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais