Apelo público

0

O governador Marcelo Déda (PT) pediu ao senador Eduardo Amorim (PSC) para ajudá-lo a aprovar na Assembleia o empréstimo de R$ 727 milhões. O emocionado apelo foi feito ontem à noite durante a concorrida festa de formatura de 1,6 mil alunos do Instituto Luciano Barreto Júnior (ILBJ). “Vamos desarmar os espíritos e pensar no melhor para Sergipe, no futuro destes jovens e de todos os sergipanos”, afirmou Déda, para ser aplaudido de pé. Em seguida, o petista deu um forte abraço no senador, que estava sentado ao seu lado. Presente à festa, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), disse que se Sergipe abrir mão do Proinveste outros estados vão brigar pelos R$ 727 milhões. Tomara que o bom senso prevaleça antes que tenhamos de chorar pelo leite derramado.

Abraço

Antes de deixar o Espaço Emes, onde aconteceu a formatura dos alunos do ILBJ, o governador Marcelo Déda foi cumprimentar o empresário Edvan Amorim, que estava na plateia. Os dois conversaram por alguns minutos, numa demonstração que política é a arte do diálogo.

Borrachudos

De todos os cheques compensados em 2012, 2,02% foram devolvidos pela segunda vez por insuficiência de fundos. Segundo a Serasa Experian, esse foi o maior percentual desde 2009, quando foram devolvidos 2,15% dos cheques. Com 8,48% de borrachudos emitidos em 2012, Sergipe aparece na quarta colocação entre os estados com maior percentual de cheques sem fundo.

Duelo

E o senador Antônio Carlos Valadares (PSB) desafiou o também senador Eduardo Amorim (PSC) para um duelo. Calma, não se trata de um confronto armado a exemplo dos que aconteciam no passado. O neosocialista quer um embate de palavras e sugere que seja numa emissora de rádio. Indignado com as críticas recebidas por sua calorosa defesa do Proinveste, Valadares mandou o adversário escolher os temas, dia e horário para a contenda.

Posse I

A seccional sergipana da OAB realiza hoje uma grande festa para empossar a nova diretoria. Será às 19h, no antigo Hotel da Ilha, na Barra dos Coqueiros. Na ocasião, o presidente reeleito da Ordem, Carlos Augusto Monteiro, entregará a nova carteira de advogado ao ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal, Carlos Ayres de Britto.

Posse II

Está marcada para amanhã a posse do prefeito de Socorro, Fábio Henrique (PDT), na presidência da Associação dos Municípios da Barra do Cotinguiba e Vale do Japaratuba. O pedetista promete tornar a entidade ainda mais forte para representar os municípios das duas regiões. Fábio substituirá o ex-prefeito de Santo Amaro das Brotas, Ivaldo Costa.

Visita

Estão em Aracaju desde ontem os militares do Exército que definirão o esquema de segurança da presidente Dilma Rousseff (PT) durante a visita que ela fará a Sergipe na próxima terça-feira. A petista vai inaugurar a ponte ligando Estância e Indiaroba e o Parque Eólico da Barra dos Coqueiros. Também participará de almoço onde serão anunciados investimentos privados de R$ 1 bilhão.

Conta outra

Com o título acima, o jornalista Cláudio Humberto publica hoje em sua coluna a seguinte nota: “Ex-presidente ocioso do PT, José Eduardo Dutra acusou de ‘lulodependência’ no Twitter os jornalistas que ‘falam mal de Lula todo dia’. Tem cura: basta o ex-presidente recolher-se à aposentadoria”.

Parcelamento

Governos estaduais e municipais poderão parcelar em até 240 meses dívidas com o Regime Próprio de Previdência Social, acumuladas até outubro de 2012. Antes, só era possível fazer o parcelamento dos débitos referentes até 2008. Somente parcelando e pagando as dívidas previdenciárias as prefeituras e os governos estaduais poderão receber o Certificado de Regularidade Previdenciária (CRP), emitido pelo Ministério da Previdência Social.

Do baú político

Traição e política sempre andaram juntas, mas quem delas participa nunca revela detalhes sobre como os fatos aconteceram. Por isso, a coluna publica trechos de um artigo assinado ano passado pelo deputado federal Almeida Lima (PPS). Ele narra como foi traído por João Alves Filho (DEM), após tê-lo apoiado para governador em 2010. Veja o que escreveu Almeidinha: “Cumpri a minha parte. Fui para a campanha. Depois, nas eleições de 2000, eu esperei sentado e cansei! Cadê João Alves? Ele não cumpriu o acordo! Déda ganhou aquela eleição de 2000. Eu fiquei em 2º lugar e Valadares em 3º. O hilário é que Valadares, sujeito acostumado a traições, 30 dias depois da eleição disse para toda a imprensa que não tinha mais compromisso com João Alves para governador em 2002 e, ato contínuo, caiu nos braços do vencedor Marcelo Déda. Quanta gente séria, né? A propósito, há um ditado popular que, em ocasiões como esta, gosto muito de repetir. Ele diz: Na vizinhança todo mundo é sério, mas as minhas galinhas estão desaparecendo”.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários