ÀS VÉSPERAS DAS ELEIÇÕES

0

Em outubro, novamente estaremos sendo chamados a votar para presidente, governador, deputados e senador.

 

Acredito estarmos hoje mais bem informados que ontem e assim sendo nunca é demais transmitir aquilo que conhecemos para que um maior número de pessoas tenha instrumentos para escolha mais consciente na próxima eleição e se tivermos alguma dúvida sobre qualquer assunto devemos argüir nossos familiares, amigos, entidades ou mesmo os políticos para recebermos as informações necessárias ao exercício pleno da cidadania.

 

O PMDB, partido que desde a redemocratização do país sempre está ao lado do poder, que, por sua causa, ao postergar, para ganhar eleição, os ajustes que se faziam necessários decretou o fracasso do Plano Cruzado, decidiu, mais uma vez, não ter candidato próprio para concorrer à Presidência da República.

 

É realmente absurda uma comparação dos que ganham salário mínimo com as vantagens dos deputados e senadores que, na maioria das vezes é um ausente, quando não um corrupto. Por que, então, não tentar iniciar uma luta para reduzir esta diferença?

 

No estado, precisamos conhecer quais são as propostas dos candidatos para resolver os seguintes problemas do Estado:

 

Geração de emprego, segurança, educação, saúde e moradia.

 

A inclusão de Sergipe no eixo turístico do nordeste.

 

Distribuição de renda e qualidade de vida.

 

Economicamente, o país, após luta de muitos anos, parece estar trilhando o caminho de um desenvolvimento sustentável. No entanto, ainda existem problemas que precisam ser atacados.

 

Juros extorsivos, concentração de renda, educação, saúde, segurança e assistência social precárias são os principais problemas que precisam ser atacados pelo futuro presidente.

 

Por outro lado, a transparência dos atos, a austeridade nas ações, o esforço, a persistência, a união e o trabalho do Executivo e Legislativo deverão despertar na sociedade o espírito de cidadania, o qual estimulará, sem dúvida, a participação de todos na luta que se travará para impor as medidas necessárias para a manutenção de um desenvolvimento sustentável. Esta união, além de dar a credibilidade necessária para o sucesso do plano a ser executado, poderá ser utilizado como força de pressão contra aqueles que se opuserem ao mesmo.

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários