Balão de ensaio

0

Alguns economistas e empresários que analisaram o crescimento vertical do país, nos meses que antecederam às eleições municipais, admitiram que se tratava de um balão, cujo esvaziamento se daria de forma lenta e contínua, após o período eleitoral. Aqui mesmo em Aracaju, o empresário Alberto Carvalho também chegou a essa conclusão e, embora não tenha mais se pronunciado, está percebendo que a economia toma um rumo diferente do que se viu durante o período em que o governo precisava impressionar para conquistar o maior número de cidades. O IBGE está divulgando que a taxa de desemprego das seis maiores regiões metropolitanas do país caiu pelo segundo mês. Entretanto, a renda do trabalhador não acompanhou e também recuou. Enquanto isso, a economia do setor público nos primeiros dez meses do ano já superou em R$ 6,471 bilhões a meta acertada com o Fundo Monetário Internacional – FMI – para 2004. O setor publico registrou uma superávit primário (receita menos despesas, fora os gastos com juros) de R$ 77,971 bilhões entre janeiro e outubro. A economia de recursos feita para pagamento de juros é equivalente a 5,59% do PIB.

 

Em outras palavras, o Governo continua preocupado com os banqueiros internacionais, mesmo que o país esteja em caminho avesso aos interesses da população…

 

Para evitar a inflação, que está acelerando, o governo começa a aumentar taxas de juros gradativamente, o que inibe o consumo através do crediário. Além disso, o preço do combustível, apesar da ministra Dilma Rouseff, das Minas e Energia, anunciar que os reajustes seriam os últimos deste ano e que não haverá novos aumentos também nos primeiros meses de 2005, pode ter novos reajustes ainda este ano. A possibilidade foi anunciada pelo diretor de Finanças e Relações com Investimentos da Petrobras, José Sérgio Gabrielli. Politicamente, o Governo Lula também inicia um período de baixo astral. O Congresso anda a passos de cágado desde que reabriu do longo recesso, porque as votações vêm sendo obstruídas, ao sabor dos interesses de membros dos partidos, inclusive da base aliada do governo. Lula também assistiu ao desfile de estudantes, professores, sindicalistas e trabalhadores – milhares deles – na sexta-feira passada, protestando sobre projeto de reformas do trabalho, da educação e sindical. Enfim, é o momento de necessidade de recomposição de sua base, porque os alicerces não estão segurando os pilares do apoio.

 

Politicamente o Governo Lula está trabalhando como nunca. Na semana passada teve reuniões para tentar evitar a debandada do PMDB do bloco aliado e está atento ao movimento do PPS, que vai se unir ao PDT, e formar uma nova legenda de oposição ao Planalto. E todo esse quadro demonstra que o barco governista começa a botar água e vai precisar de muito trabalho para navegar com mais tranqüilidade. Ontem, um parlamentar que mais se entusiasma com o Governo Lula cobrou energicamente (o que não é do seu estilo) do governo uma mudança nos rumos da economia que, segundo ele, faz criar um paradoxo na nação. “Mais uma vez estamos diante de dois Brasis: O Brasil que desponta economicamente, com números e cifras espetaculares, e o Brasil do espetáculo ainda dramático da miséria e da falta de oportunidades”.

 

Isso, aliás, foi tema de um comentário de Plenário, ao mostrar, com detalhes, que os Estados industrializados do Sul e Centro Sul são privilegiados com um crescimento produtivo que não leva resultados para os bolsões de pobre do Norte e Nordeste, fruto das desigualdades sociais e de uma reforma tributária que aniquilou os estados pequenos e pobres, e favoreceu os Estados grandes e ricos. O parlamentar deixou claro que não adianta o país acumular essas vitórias econômicas se elas não servirem para melhorar a vida da população. Cobrou do governo um amplo programa de investimentos públicos em obras de infraestrutura, que possam acelerar o desenvolvimento e gerar emprego, numa região de miséria absoluta. O parlamentar destacou a dramática realidade do desemprego, da miséria e fome em consideráveis parcelas do povo, a letargia na reforma agrária, a falta de recursos para as universidades públicas, a falta de segurança nos centros urbanos e a falta de mobilidade da população, confinada em guetos pelos altos preços das passagens no transporte público.

 

Lamentou que o governo se divida em dissensões intestinas com os aliados, perca de vista seu papel de principal aglutinador dos mais amplos setores políticos e  negligencie a construção de um governo “mudancista”, nacional e de verdadeira coalizão de amplas forças.“Para que a esperança tenha chance, é preciso redefinir caminhos, corrigir rumos e avançar nas mudanças. Sobretudo na esfera econômica, é imperiosa a alteração de rumos”. Tudo isso, visto por um deputado sergipano que se arrasta aos pés do governo federal, é o sentimento real de que as perspectivas não são boas e que há risco de se desfazer os sinais de satisfação da sociedade e se aprofundar as desilusões com um projeto político avançado que se prometeu ao povo brasileiro, mas que na realidade se transformou em um papel carbono estragado da política neoliberalista que o eleitorado derrubou nas urnas, que está retornando como uma força capaz de derrubar quem não assumiu seus compromissos com um Brasil que se encheu de esperança.

 

FUNDAÇÃO

O prédio onde funciona a Fundação Augusto Franco já teria sido retirado do leilão que seria realizado Receita Federal, embora isso tenha sido anunciado.

Seria por uma dívida superior a R$ 240 mil, que a Fundação conseguiu reverter. Os advogados não quiseram tratar do assunto.

 

MANDARINO

O prefeito de Itaporanga D’Ajuda deve assumir o Detran dia 10 de janeiro, dentro da reforma de equipe do governo.

A informação foi passada por uma liderança da região, à qual César teria garantido uma posição na autarquia.

 

ALMEIDA

O senador José Almeida Lima (PDT) confidenciou a um amigo que muita gente procurou influenciar para evitar que ele assumisse o comando do PSDB em Sergipe.

Até mesmo adversários do bloco ao qual pertence como aliados. Almeida continua em silêncio sobre o assunto de uma nova legenda.

 

NÃO ACEITOU

Almeida Lima declarou que não entrará no PSDB ao lado do ex-governador Albano Franco e muito menos sob o seu comando.

Confirmou que era isso que o senador Azeredo propôs na reunião em Brasília e a resposta seria dada no dia seguinte. Almeida sequer compareceu a um novo encontro.

 

CONVERSA

O senador José Almeida Lima (PDT) teve uma conversa demorada e sigilosa com o prefeito de Poço Redondo, frei Enoque, na sexta-feira à noite.

Apesar de nenhum dos dois revelar nada, Almeida convidou Enoque a participar de um projeto político novo para o estado, em que o senador é candidato ao governo.

 

ESPERA

O deputado federal Bosco Costa (PSDB) disse ontem que o seu partido está esperando a filiação do senador Almeida Lima, na hora que ele quiser.

Faz uma observação: “mas para comandar não”. Bosco estava em Recife, acompanhando o ex-governador Albano Franco, no lançamento do livro de João Carlos Paes Mendonça.

 

MACHADO

O deputado federal José Carlos Machado está em Aracaju e participou, ontem, da entrega do título de Cidadão de Itabaiana ao conselheiro Carlos Alberto Sobral.

Viaja a Brasília hoje cedo, para dar continuidade ao fechamento das emendas de Sergipe e dar entrada na Comissão de Orçamento.

 

REUNIÃO

O prefeito Marcelo Déda participou, ontem, em Brasília, de um seminário de prefeitos eleitos do PT, aberto pelo presidente Lula da Silva.

Déda aproveitou para conversar com o relator das Comissão do Orçamento, Romero Jucá, e hoje embarca para a Holanda, de onde só retorna no dia sete de dezembro.

 

SECRETÁRIOS

O prefeito Marcelo Déda vai cuidar da formação de sua nova equipe a partir de 15 de dezembro e, depois do dia 25 deverá anunciar através da imprensa.

A intenção é manter a maioria dos atuais secretários, mas vai ouvir lideranças aliadas que devem ter sugestões, que serão analisadas e levadas em consideração.

 

ADMINISTRAÇÃO

Marcelo Déda quer que todos os auxiliares, inclusive os que ficarem, saibam que se trata de uma nova administração, sempre com o objetivo de superar a que fora realizado.

Acrescentou que estará mais presente no segundo escalão, interferindo diretamente onde considera que está funcionando com alguma deficiência.

 

AMBIENTE

Aracaju terá um órgão político do meio ambiente, com o objetivo de orientar, fiscalizar e fazer captação de recursos.

A secretária das Finanças passará a elaborar o orçamento e a secretaria do Planejamento vai cuidar do meio ambiente, projetos urbanos e o desenvolvimento econômico.

 

CULTURA

O secretário da Cultura, José Carlos Teixeira (PMDB) disse ontem que o cargo de confiança é do governador e “estarei lá até quando ele quiser”.

Teixeira disse que “só me cabe aplicar R$ 140 mil por mês”. Ontem ele teria uma reunião com o governador às 11 horas, mas foi adiada para o final da tarde.

 

GILMAR

O deputado Gilmar Carvalho (PV) disse ontem que nunca procurou o Partido Liberal, mas que foi procurado pela legenda para filiação.

Diz que não se preocupa com a mudança de situação e acha que só no próximo ano é que tomará uma decisão. Agora tudo é cedo.

 

VALADARES

O senador Valadares (PSB) participou, domingo, da pelada na Granja do Torto, com o presidente Lula da Silva, ministros de estado e outros colegas de Senado.

Valadares deixou de vir a Sergipe porque fora convidado a participar do futebol de final de semana presidencial.

 

CLEONÂNCIO

O deputado federal Cleonâncio Fonseca, que se submeteu a uma cirurgia cardíaca, está passando bem no Hospital São Luiz, em Brasília.

Cleonâncio já está no apartamento e demonstrou uma recuperação muito rápida. Ainda não há informação em relação ao período de licença que o parlamentar terá.

 

 

Notas

 

COMITÊ

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SE) realiza, sexta-feira, sessão extraordinária do Conselho Seccional, em Própria, com a participação de OABs de cinco Estados, autoridades e integrantes do Comitê de Bacia, para avaliar a proposta de transposição do rio de São Francisco defendida pelo Governo Federal.

O pessoal vai discutir o indicativo de ingresso de uma ação civil pública contra a transposição, que Henri Clay, presidente da Ordem em Sergipe, “A transposição sem revitalização, é danosa para o próprio rio”.

SÃO LUIS-I

O governador João Alves Filho (PFL) teve uma participação decisiva na reunião com todos os governadores do Nordeste, realizada sexta-feira passada em São Luís (MA). Todos mostraram insatisfação com o tratamento dispensado pelo governador federal e criticaram a política fiscal, que compromete a receita.

Os governadores que redigiram a Carta de São Luís querem uma audiência, ainda este ano, com o presidente Lula da Silva, para expor os problemas dos estados, com a política tributária, que compromete os investimentos.

 

SÃO LUÍS-II

Os governadores defendem a implantação imediata do Fundo de Desenvolvimento Regional e inclusão do ressarcimento das exportações no orçamento de 2005, dentro dos entendimentos mantidos com o Governo Federal, por ocasião da Reforma Tributária, que atendeu demandas do Governo como DRU e CPMF.

Uma outra reivindicação, que consta da carta é o atendimento dos pleitos dos estados sobre alteração do conceito de Receita Líquida Real e cumprimento, por parte do Governo federal, da legislação do Fundef.

 

É fogo

 

O senador Romeu Tuma (PFL) recebeu, ontem, o título de Cidadão Sergipano, em solenidade na Assembléia Legislativa.

 

O secretário do Turismo, Pedrinho Valadares (PFL) está empolgado com a possibilidade de Sergipe se tornar em rota dos argentinos.

 

O prefeito eleito de Barra dos Coqueiros, vereador Airton Martins (PT) já começou a ver o quanto é difícil conseguir dinheiro, para obras no município.

 

Airton Martins foi a Brasília para conversar com parlamentares sobre as emendas de orçamento Geral da União (OGU).

 

O prefeito eleito de Monte Alegre, João Vieira de Aragão (PTB), ainda não sabe pra onde o seu futuro antecessor Osmar Farias levou uma das duas ambulâncias do município.

 

Nilton Galindo, ex-secretário da prefeitura na época de Genivaldo Galindo, por Canindé do São Francisco, foi preso sob acusação de destruir urnas municipais em 1996.

 

Cresce o número de acidentes de motos, inclusive com vítimas fatais, na cidade de Itabaiana.

 

O conselheiro do Tribunal de Contas Carlos Alberto Sobral recebeu, ontem, o título de Cidadão Itabaianense.

 

As fretes do transporte rodoviário de cargas subiram 8% desde ontem. O aumento vem como conseqüência dos recentes reajustes de óleo diesel.

 

O consórcio liderado pela Companhia Vale do Rio Doce assinou, sábado, um acordo para desenvolver depósitos de carvão em Moçambique.

 

Após dois aumentos nos últimos 42 dias, o diretor de Finanças da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, já não descarta a hipótese de novos reajustes dos combustíveis ainda este ano.

 

A taxa de desemprego das seis maiores regiões metropolitanas do país caiu pelo segundo mês consecutivo.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários