Banese: As explicações estão aqui

0

Na última coluna publicada neste blog, na segunda-feira noticiei o fato de um anuncio do São João de Sergipe estar sendo divulgado por um site francês, dedicado ao público de cinema. Ainda na segunda-feira, uma agência de publicidade ligou para o escriba para dar maiores informações. A mocinha deu suas explicações e pedi a ela então que colocasse tudo aquilo num papel e enviasse para o meu e-mail. Pouco depois, era minha redatora-chefe que ligava falando de um telefonema semelhante. Tudo bem, vou publicar as explicações. Raquel Almeida passou-me então um e-mail com estas explicações. É o que vocês, prezados internautas, vão ler a seguir: “A informação que o senhor postou sobre o Banese é equivocada (nota do escriba: ela pode ser tudo menos equivocada). De acordo com os técnicos da Infonet, o Google Adwards (plataforma de publicidade do Google), onde os anúncios são exibidos para em forma de links patrocinados quando alguém realiza uma busca) mostra o anúncio de acordo com o visitante e não o site anunciante. A propaganda apareceu para o senhor porque você é de Sergipe e não porque o Banese anunciou num site estrangeiro”.

Ah, bom! Então explicado está…

Um Presidente da República denunciado

Este não é só um tempo de crise  – política, econômica, etc. – mas é também o momento em que coisas diferentes, nunca vistas antes na história do País, vão acontecendo. Por exemplo: pela primeira vez na história da República um Presidente da República é denunciado pela PGR ainda ocupante da cadeira presidencial. E aguardem porque aí vem mais denuncias. A de agora foi somente sobre corrupção passiva. Tem mais 3 denuncias a serem desembrulhadas nos próximos dias. O ex-Presidente FHC tem lá suas razões: o Presidente Temer devia praticar um gesto de nobreza: renunciar. E ir cuidar de sua linda mulher em casa, com o filhinho de sete anos, o Michelzinho… A denuncia da PGR deixou a banda do PMDB Corrupta mais alvoraçada do que nunca… A situação torna-se cada dia mais grave. Cada dia que passa fica mais claro porque muita gente está se perguntando: “A saída. Onde fica a saída?”

Agora é Andre quem se explic

O deputado André Mouras expediu nota oficial “em razão de ter seu nome citado na denuncia feita no Supremo Tribunal Federal pelo Procurador Geral da Republica, Rodrigo Janot”. Diz ele: “Trata-se de matéria com base ainda na atuação do parlamentar durante a CPI da Petrobras no governo passado, por ter inquirido. “de forma dura” empresários ligados aos desmandos praticados na estatal, envolvendo figurões da Republica à época. De fato, no âmbito desse processo, o próprio deputado antecipou-se à convocaçãp da Polícia Federal e, como nada tem  a esconder, prestou depoimento na sede da instituição em Brasília, onde as questões ponderadas pelo Ministério Público Federal foram devidamente esclarecidas:

2 – Ao citar o deputado sergipano “como potencial componente” do grupo ora denunciado, o PGR apela ao artificio inusual do que lhe seja “suposto”, em razão da falta de um fato concreto  desabonar  conduta ética e moral de André Moura. Ou seja, não estando o nome do parlamentar incluso em qualquer lista de delação premiada ou de recebimento de propina ou caixa 2, nem mesmo doação oficial, mesmo assim, a PGR resolveu fazê-lo citar na presente denuncia.

3 – A atuação parlamentar, com liberdade de voz e voto nas comissões e no plenário, sobretudo quando se lídera  a bancada do governo do Congresso,  com prerrogativas regimentais na defesa da estabilidade política da gestão e do País, não deveria merecer qualquer tipo de represália pois tal conduta afronta o Estado Democrático de Direito e fere duramente garantias constitucionais.
Nestes termos o deputado reitera seu respeito às instituições, especialmente o Ministério Público Federal, contudo, lamenta que, mais uma vez, sejam cometidos excessos, sobremodo quando tem-se colocado à disposição das autoridades judiciaos sempre que convocado”.

A culpa é do ACM…

Recebido por e-mail, enviado por um amigo que acompanha o noticiário:  “Esse material ACM (Aluminium Composite Material), é mais um daqueles que andam inventando, para baratear  os custos das construções e as consequências estão aí! Outro dias assisti na TV  casas sendo construídas com paredes de bagaço de côco  e de piaçava onde todos se regozijavam com essa novidade. Aqui em Salvador, estão construindo edifícios com lages e pisos revestidos com placas e blocos de isopor. Quando perguntei a um engenheiro, “o por que” da utilização daquele material inflamável, ele respondeu que era para diminuir “custos de construção”  e melhorar a “acústica”’! Qualquer dia desses vai aparecer um “Professor Pardal” , afirmando  que:  “Côcô industrializado  é um “excelente argamassa para as coinstruções…” E o povo que se expluda”…

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários