Boa noite e boa sorte

0

O direito de externar o pensamento não é recente. Vem das antigas civilizações. O maior dos homens fez isso há mais de 2000 anos, levando, com inigualável coragem, mensagens de amor e paz a quem nele acreditava, ainda que, para isso, tivesse que sacrificar a própria vida diante da intolerância de quem não sabia conviver com a antítese, porquanto interesses inconfessáveis não concebam a divergência.

 

Falar em liberdade de imprensa no Brasil às vezes é hilário, pois, como se sabe, não há liberdade de imprensa, mas “liberdade de empresa”. É como pensa o emérito jornalista Mino Carta, que sempre diz que “o Brasil é o único lugar do mundo em que jornalista chama patrão de colega”. Paulo Henrique Amorim, por seu turno, enfatiza a seguinte máxima: “em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica, e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão, têm a importância que têm no Brasil”. Que saudade do Pasquim!

 

Nos EUA, a liberdade de imprensa é dogma constitucional, é uma cláusula pétrea. A primeira emenda é, exatamente, a que se refere à liberdade de manifestação do pensamento, nos seguintes termos: “O Congresso não fará nenhuma lei relacionada ao estabelecimento de religião ou proibindo o livre exercício dela; não restringirá a liberdade de expressão ou de imprensa, nem o direito das pessoas se reunirem pacificamente e de solicitarem ao governo uma emenda de apelações”. É bastante conhecido o caso “west virginia state board of education vs. barnette”, de 43, onde a suprema corte americana decidiu que o bill of rights deveria ser interpretado no sentido de que, nem mesmo a necessidade de estimular o patriotismo, em tempo de guerra – no caso, era a 2ª guerra mundial –, poderia retirar dos jovens estudantes o direito de se recusarem a saudar a bandeira americana, devido às suas crenças religiosas.

 

A liberdade de divergir, mesmo em relação a instituições ou personalidades públicas de maior relevo, é essencial para o estado democrático. Os problemas que podem ser ocasionados pela liberdade de pensamento devem ser tolerados, até para evitar os perigos, muito maiores, das censuras, tolhendo o povo do conhecimento de eventuais desvios de comportamento por parte de agentes políticos. Pensar diferente disso é estimular o absolutismo. Ainda hoje, por incrível que pareça, há políticos que pensam como Luiz XIV: “l’état c’est moi”.

 

Em Sergipe, alguns personagens públicos se acham intocáveis, absolutos, livres de qualquer crítica, por mais sincera e respaldada que ela seja. Esquecem essas pessoas que o interesse público está acima dos seus interesses pessoais, por mais privado que eles possam, aparentemente, parecer. Não é à toa que este jornalista está respondendo a tantos processos, em razão do ofício que desenvolve. Porém, tais ações judiciais em nada modificarão o pensamento deste colunista e a vontade de prestar, dentro das muitas limitações, as informações de que a sociedade sergipana tanto necessita. A propósito disso, o renomado advogado e destacado articulista Clóvis Barbosa disse, em recente artigo, que “o problema é que certos agentes públicos enxergam tão alto como animais rastejantes. Para eles, não interessa uma imprensa livre. Para eles não interessa uma imprensa forte. Para eles, interessa arrancar a cabeça de quem dá corpo a uma idéia. Para essa corja, que perde a tranqüilidade quando a imprensa ascende, ficam os ensinamentos da filosofia nietzschiana: ‘quanto mais nos elevamos, menores parecemos aos olhos daqueles que não sabem voar’”.

 

Por fim, recomenda-se aos alfenins que assistam ao filme “Boa noite, boa sorte” e vejam a resposta que o jornalista Edward Murrow deu ao Senador Joseph McCarthy. Talvez, assim, possam entender o que está escrito em Mateus 23, 27-28: “Ai de vós, doutores da lei e fariseus hipócritas, porque sois semelhantes a túmulos caiados: formosos por fora, mas, por dentro, cheios de ossos de mortos e de toda a espécie de imundície”. Boa noite e boa sorte!

 

Recorde de processos em 2007

Este jornalista agradece o apoio e a solidariedade de vários leitores e amigos. Depois de um ano de muitas pressões, em 2006, por conta da campanha eleitoral não imaginava que 2007 fosse bater o recorde de processos. Foram muitos com a única tentativa de intimidação. O interessante é que em alguns destes processos, como da Operação Navalha, o que foi publicado aqui foi publicado e noticiado em outros veículos de comunicação. Por força do destino e do trabalho o número de leitores continua crescendo a cada dia. Isso mostra que a coluna está no caminho certo…

 

132 policiais militares no gabinete militar? I

A coluna recebeu a portaria número 012/2008, de 10 de janeiro, do comando da PM de Sergipe, designando servidores policiais militares para exercerem atividades inerentes ao sistema de segurança no Gabinete Militar do Palácio Do Governo. Algo normal, porém o número de militares à disposição do Gabinete Militar chama a atenção: 132 (cento e trinta e dois). É preciso uma explicação: esses 132 militares são para tomar conta de três Palácios (Despachos, Veraneios e Olímpio Campos) e fazer a segurança do governador? É um número excessivamente alto, sem contar que estes policiais à disposição geralmente recebem 125% do soldo e os oficiais têm cargos comissionados.

 

132 policiais militares no gabinete militar? II

No início do atual governo, Marcelo Déda disse que pretendia colocar a tropa na rua e tirar dos gabinetes. Parece que só funcionou na Assembléia Legislativa onde grande parte dos policiais foi devolvida. É preciso uma explicação, já que serve de desestímulo para os policiais que estão nas ruas. A coluna recebeu a relação que tem nomes interessantes. Está checando se um deles é o mesmo que exerce uma função na caixa beneficente e não tem o nome incluindo em nenhuma escala de serviço.

 

Juarez Batista não é filiado ao PSB

O prefeito afastado de Pirambu, Juarez Batista, não está filiado ao PSB, como ele anunciou em entrevista ao jornal on-line Tribuna da Praia, reproduzido ontem neste espaço. Tanto a direção municipal do PSB em Pirambu, como a direção estadual do partido reafirmaram que Juarez não está filiado ao partido e não entendem qual o motivo que está levando o prefeito afastado a fazer este anúncio. Só pode ser um: tenta encontrar uma maneira de mostrar que tem aliados dentro do Governo do Estado para poder sobreviver politicamente. Tanto ele, como o vice-prefeito não têm condições de administrar Pirambu.

 

Apoio para “Senhor dos Labirintos” I

Sergipe não deve desprezar essa chance de entrar em um projeto cultural que pode ganhar o mundo, servindo não apenas para valorizar a cultura em geral e a arte genial e singular do sergipano Artur Bispo do Rosário, mas também servir para propagandear o nome desse estado por aí afora. Todo projeto de um filme está elaborado, com roteiro, diretor, pesquisa, etc. e a produção está correndo atrás dos patrocinadores paras começarem as filmagens. Governo do Estado, prefeituras, especialmente a de Japaratuba e outras, empresas e outras instituições estão sendo chamados a apoiar, com dinheiro e facilidades para as filmagens.  

 

Apoio para “Senhor dos Labirintos” II

Linguarudos dizem que “se fosse…” em Pernambuco, Bahia ou Ceará, tudo seria resolvido logo, porquanto tantos os poderes públicos e a iniciativa privada compareciam de imediato. De mais, que todos que entrarem com patrocínios terão seus nomes eternizados nos créditos do filme. Também não é assim: se aqui os produtores de promoções culturais (a não ser de bandas de axé baiano…) encontram mais dificuldades, estamos certos que para um filme como esse haverá mais compreensão. Ou a coluna estará enganada? A produtora executiva Elisa Tolomelli está correndo atrás de patrocinadores e existe a garantia que diretores, roteiristas e atores possuem currículos que garantem o sucesso da iniciativa. É preciso perpetuar, em filme, a vida e as experiências de Artur Bispo do Rosário!

 

Gabeira: “mediocridade asfixiante!”

Falando sobre a atuação e o programa do seu partido, o PV – Partido Verde, o deputado Fernando Gabeira não teve papas na língua, como aliás é sua característica e desceu a lenha no comportamento tímido do partido e até no seu programa. Gabeira acredita que o programa precisa urgentemente de mudanças para responder aos novos tempos que o Brasil e o Mundo vivem. E concluiu que “o partido vive uma mediocridade asfixiante”. Quer saber a verdade, Gabeira? Não é só o PV que vive isso, não. Todos os partidos e muitos políticos estão assim, sem novidades, sem acompanhar os novos tempos e nessa mesma mediocridade. Essa é a verdade.

 

Osório Ramos: o pai e o filho

O juiz Osório Ramos de Araújo Filho elevado agora ao cargo de desembargador do Tribunal de Justiça de Sergipe pelo critério de antiguidade, é filho do também juiz, já falecido, Osório de Araújo Ramos, que foi servidor público estadual e já entrando na madureza dos anos, prestou exames e fez parte da primeira turma da recém fundada Faculdade de Direito de Sergipe, na década de 50, ao lado de amigos a exemplo de José Rosa de Oliveira Neto, Tonico Alfaiate e outros, todos eles que também foram seus companheiros do PCB, saindo do mesmo por decisões pessoais. Com esses já citados amigos manteve escritório de advocacia no edifício Mayara, acolhendo nele outros advogados a exemplo da advogada sua amiga Layde Nunes. Esse escritório marcou época sendo exemplo da prática da boa advocacia, sendo seus principais mestres e orientadores Osório Ramos e José Rosa. Osório Ramos, o pai, tem uma folha de serviços prestados à sociedade sergipana, primeiros na defesa das causas sociais e depois na qualificação da advocacia e magistratura do nosso Estado. A posse de Osório de Almeida Ramos Filho como Desembargador do TJ/SE está prevista para o dia 30 de janeiro, às 17 horas.

 

Sobre o nome de João Alves na revista Superinteressante

Um leitor enviou ontem um comentário afirmando que este jornalista se atrapalhou ao citar o nome de João Alves como o que está publicado na revista Superinteressante, conforme nota publicada ontem. O leitor entende que o João Alves citado foi o da Bahia. A coluna reafirma que o João Alves citado foi o de Sergipe. Basta pesquisar os jornais de 1989, para ver que João Alves Filho chegou a fazer campanha para Sílvio Santos ser o candidato apoiado pelo PFL a presidente da República. E mais: com bandeirolas e tudo mais pelas ruas.

 

Supervisão médica durante o Pré-Caju

É preciso que o governo do Estado veja como serão pagas as gratificações dos policiais que trabalharam no Pré-Caju. Por exemplo: agora todo policial que trabalhar terá direito a 20% do soldo correspondente a seu posto e com isso, o diretor do hospital Militar, coronel Edinaldo, foi auto-escalado para trabalhar como supervisor – de um médico, um auxiliar de enfermagem e um motorista – durante os quatro dias de Pré-Caju. Ou seja, ganhará uma excelente gratificação. Dois pontos: será que na PM não existe nenhum outro oficial médico capacitado para a função? E nos anos anteriores, quando não estava regulamentada a gratificação, o nobre oficial demonstrou tamanha dedicação com à saúde dos policiais militares?

 

Sobre a eleição em Nossa Senhora do Socorro I

Da assessoria do pré-candidato a prefeito de Socorro, Fábio Henrique: “Ao ler a sua conceituada coluna no dia de hoje, fiquei surpreso com a nota “José Franco já aderiu ao governo Déda?” em que afirma que o candidato do governador a prefeito de Socorro será o deputado Adelson Barreto. O motivo da minha surpresa é porque o próprio governador Marcelo Déda concedeu entrevista, na última segunda, onde voltou a afirmar que não se posicionou em relação à eleição de Nossa Senhora do Socorro, que já decidiu quem é o candidato de Itabaiana e praticamente definido de Lagarto. De Socorro, ele disse que ainda vai conversar com aliados e, portanto, ainda não definiu quem será o candidato do grupo. Há grandes possibilidades do candidato de Déda ser o atual vereador Fábio Henrique, que é filiado ao PDT, partido do deputado Ulisses Andrade e dos secretários Jorge Araújo e Bosco Costa, portanto de um partido que está no grupo do governador”.

 

Sobre a eleição em Nossa Senhora do Socorro II

“Lembro também que Fábio Henrique votou em Marcelo Déda e é aliado, tendo todas as credenciais para ser o candidato do grupo do governador à Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro. Fábio aguarda, com muita tranqüilidade, o posicionamento do governador Marcelo Déda em relação à próxima eleição, sem pressioná-lo e tenho convicção que ele tomará a decisão por aquele que entender ser o melhor nome para administrar o município. Em relação à declaração do prefeito Zé Franco, esclareço que estava presente, como outros jornalistas na solenidade de convênios, e na verdade o que foi dito pelo prefeito é que “como o governador Marcelo Déda é um homem preocupado com Socorro, tenho a certeza que o candidato do governador será o mesmo que eu vou apoiar”. Zé Franco também disse que somente após o Carnaval é que definirá o candidato que vai apoiar”. (Henrique Matos, assessor de imprensa de Fábio Henrique).

 

Mesa Permanente de Negociação (enganação) I

E-mail do policial civil, Cesar Augusto de Oliveira: “No ano passado o Governador Marcelo Déda criou a Mesa Permanente de Negociação com o servidor, e cantou para os quatro cantos que era um marco na história do relacionamento servidor-governo, nós servidores públicos acreditamos e ficamos eufóricos, finalmente um governo iria nos ouvir. Passados alguns meses da criação da mesa e que se viu foi a mesma coisa, nada evoluiu, nenhum decisão foi tomada com o apoio da mesa, nenhuma proposta foi aprovada, apenas discussões amenas, nada de concreto. O Governo mandou projetos para a Assembléia Legislativa sem sequer o conhecimento da Mesa, pelo menos não dos sindicalistas, criou gratificações, beneficiou pequena quantidade de servidores em detrimento a maioria, criou discórdia, semeou a desavença”.

 

Mesa Permanente de Negociação (enganação) II

Continua Cesar Augusto: “A Mesa de Negociação virou Mesa de “Enganação”, nada é decidido nela, sequer discutido na verdade, nós apenas recebemos o pacote pronto do governo, quando já está na assembléia, de que vale esse importante instrumento de relacionamento servidor/governo, se na verdade nada é decidido nele? Seremos nós pobres fantoches a ilustrar a peça de Marketing do Governo? Ou apenas seremos, mais uma vez, pobres cordeirinhos rumo ao abate? Queremos uma mesa de negociação forte e comprometida com os anseios de todas as classes serventuárias estaduais, renegamos a intransigência e o radicalismo, porém defendemos o sagrado direito da liberdade de expressão e da luta por melhores condições de trabalho e vida”.

 

Nova diretoria do Fórum Empresarial

O empresário e engenheiro, Aroldo Franca, assume no próximo dia 29 de janeiro, a coordenação do Fórum Empresarial de Sergipe. Na ocasião, também serão empossados os empresários Juliano César (Fasouto), José Tavares (Mundo da Construção) e Geraldo Barreto (agropecuário). A cerimônia de posse da nova diretoria da entidade será realizada às 20h no Hotel Quality Aracaju.

 

Tadinho! Nem dinheiro para tinta tem…

De um leitor: “Os Correios, cuja direção e outros cargos são cobiçados por tantos políticos e partidos, parece que não têm dinheiro, tadinho, para comprar tinta para suas maquininhas de imprimir as notas de comprovação de recebimento de correspondência. Pelo menos é o que ocorre na agência da rua Divina Pastora, bem em frente ao “oitão” do Bom Preço, as notas estão sendo impressas e nada imprimem, saem simples vestígios de letras e números, tudo branco! Falta tinta! E olhe que não são poucas vezes, em geral é assim… Aproveitando a deixa, isso ocorre, muitas vezes, em alguns supermercados do centro da cidade (esses supermercados, o Bom Preço e G. Barbosa pertencentes a grupos milionários estrangeiros, como se situam no centro, não recebem a atenção que os hiper recebem. Acredito é porque sua clientela tem renda mais baixa dos que as dos hipers, até não dispõem da variedade de produtos que os maiores possuem e os corredores são mais estreitos). Quem manda ser pobre ou classe média baixa em pleno capitalismo selvagem?”.

 

Lançamento do livro “Mergulho no Passado”

A Secretaria de Cultura do Estado de Sergipe convida a comunidade sergipana para o lançamento do livro “Mergulho no Passado – a Ditadura que Vivi”, da acadêmica e escritora radicada em Alagoas, Yara Falcon, dia 22 de janeiro, às 19h, na Biblioteca Pública Epifânio Dória. A escritora baiana Yara Falcon, também consultora em Gestão de Qualidade Total com formação no Japão, é radicada em Alagoas, lança seu mais novo livro – “Mergulho no Passado – A Ditadura que eu vivi”, relembrando a sua trajetória como militante de esquerda. Trata-se de um livro de memória, escrito numa linguagem coloquial e de fácil compreensão para as gerações mais novas, a quem a autora voltou-se, preferencialmente, para relatar os duros momentos da fase da ditadura.

 

Entrevista republicada sem citar a fonte

De um leitor, bancário: “Dando uma lida no jornal Cinform dessa semana, caderno emprego, página 5, me deparei com uma “entrevista/Jeferson Passos” que vem a ser o secretário municipal de Finanças. A manchete: “Minha idéia é dar publicidade das penalidades aplicadas aos bancos”. E aí o Cinform submete o secretário a exatas oito perguntas. Nada de mais se essa mesma entrevista não tivesse sido publicada no jornal do Sindicato, o Resistência, na semana passada. É isso mesmo. São as mesmas perguntas e as mesmas respostas. Ipsis literis, ipsis verbis. O lógico seria que na publicação no semanário fosse publicada que a entrevista estava sendo reproduzida do jornal do sindicato. Mesmo sendo matéria paga”.

 

Controle do uso dos veículos da SSP

De um leitor: “Nunca se viu tanta viatura policial como agora. Sergipe foi inundado por viaturas das Polícias Militar e Civil. Em Aracaju, principalmente, percebe-se diuturnamente um vai e vem frenético de veículos militares, sempre em velocidades acima do natural. É um bom sinal. Entretanto, seria interessante planejar os deslocamentos dessas viaturas para não desperdiçar recursos, que aliás são às vezes muito escassos. Muitas das vezes, encontramos viaturas da delegacia de turismo fazendo ronda no Bugio e outros bairros da periferia. Ou então veículos de delegacias do interior passeando com famílias, crianças etc, em fins de semana em Aracaju. Carro de polícia deveria seguir a seguinte lógica: no seu interior somente deveriam estar ou pessoas detidas ou policiais em serviço. A Secretaria de Segurança tem a obrigação de disciplinar o uso de suas viaturas, sob pena de ficar vulnerável a críticas. Pelo menos agora, não vale aquela desculpa  esfarrapada de que não há viatura para se fazer as diligências”.

 

Pesquisa nacional sobre o idoso

O Governo de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Inclusão, Assistência e do Desenvolvimento Social – SEIDES, em parceria com o Serviço Social do Comércio – SESC, apresenta hoje, 17, dados da pesquisa nacional sobre o idoso. A apresentação será feita pelo Dr. Nilmário Miranda, vice-presidente da Fundação Perseu Abramo e ex-Ministro dos Direitos Humanos. No mesmo evento será o lançamento do livro “Idosos no Brasil – Vivências, Desafios e Expectativas na Terceira Idade”, organizado pela Drª Anita Liberalesso Néri, co-editado pela Fundação Perseu Abramo. O evento será às 15hs, no auditório do SESC, na rua Dom José Thomaz, 235 – Centro.

 

Frase do dia

“A essência do mistério — o seu horror / Está não só em nada compreender / Mas em não saber   por que não se compreende.” Fernando Pessoa.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários