Bolsonaro ameaça cortar auxílio Estados q fecharem.Bancada se calará?

0

“O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.

E o capitão coronavírus apronta mais uma. Desta vez ameaçou cortar o auxílio emergencial dos Estados que fecharem como medida para conter o avanço da Covid-19. Até ontem, 28, 10 Estados e o Distrito Federal já tinham anunciados medidas restritivas de circulação e toque de recolher para reduzir a circulação de pessoas nas ruas.

Apesar do País ter quase 255 mil mortos, presidente afirmou que o Estado que adotar medidas de restrições para evitar a propagação do coronavírus, como recomendam autoridades sanitárias, deverá bancar novas rodadas do benefício.

“O auxílio emergencial vem por mais alguns meses e daqui para frente o governador que fechar seu Estado, o governador que destrói emprego, ele é que deve bancar o auxílio emergencial. Não pode continuar fazendo política e jogar para o colo do presidente da República essa responsabilidade”, declarou Bolsonaro durante visita às obras de duplicação da BR-222, em Caucaia (CE). (Estadão)

Como a bancada sergipana vai reagir a isso? Com a palavra os parlamentares que apoiam o capitão coronavírus. Inclusive os deputados estaduais também.

 

Missão de Bolsonaro é revelar que inferno existe De Josias de Souza na UOL: O Brasil sempre foi o mais antigo país do futuro do planeta. Sob Bolsonaro, isso está mudando. Antes, o Brasil era mundialmente conhecido como o país do jeito para tudo. De repente, passou a ser visto como um país que não tem jeito. O Brasil equilibrou-se por tanto tempo na beirada do vácuo que acreditou que o abismo, a exemplo do inferno da escatologia cristã, era mais uma ficção admonitória do que a realidade de uma crise terminal. A ficção tornou-se real. Todo artigo aqui.

Missão de Bolsonaro é revelar que inferno existe II Após ler o artigo de Josias de Souza, o ex-deputado federal João Fontes escreveu pelas redes sociais: “O conflito desnecessário alimenta a alma de Bolsonaro. O presidente da república sofre de incontinência verbal aguda! Só Jesus na Causa!”

Jogo de futebol Lagarto X Sergipe com torcida no estádio Paulo Barreto, Barretão (Lagarto) no último sábado, 27. E está liberado o público nos estádios, governador? Como explicar a sociedade sergipana que o decreto só vale para alguns? Quem será punido? Com a palavra os responsáveis…

Governador vai promover subtenente que salvou mulher que tentou suicídio em ponte? Nas redes sociais de todo o Estado de Sergipe viralizou na última sexta-feira um vídeo mostrando o subtenente Freire da PMSE conversando com uma mulher que tentou o suicídio na ponte sobre o Rio Vaza Barris, entre os municípios de Lagarto e São Domingos. A ação do subtenente Freire foi decisiva para evitar a tragédia. Com certeza, o governador Belivaldo Chagas vai promover o subtenente por bravura, não só pela ação positiva, mas porque atos heroicos como este devem ser estimulados pelos gestores de plantão. O vídeo:


Calçadão Bairro 13 de Julho: ciclistas trombam com os pedestres E frequentadores do calçadão do Bairro 13 de Julho lamentam que a Prefeitura e o governo do Estado não tomam providências para encontrar uma solução para que os pedestres que fazem caminhada e o cooper no local vem trombando com ciclistas mal-educados que insistem em passarem entre eles. Uma área que é também turística e a Guarda Municipal apenas observa tudo sem fazer nada, ou melhor, isso quando observa porque na maior parte do tempo estão “trabalhando” no whatsApp. Até turista de idade já recebeu uma trombada de uma bicicleta. Enquanto isso, o secretário de turismo frequenta a área quase que diariamente e nada faz. Enquanto alguém importante – principalmente algum idoso ou criança – não receber uma trombada e cair com alguma lesão grave os gestores continuarão omisso. É assim no feudo chamado Sergipe Del Rey!

Lagarto: Bueiros abertos fazem duas crianças vítimas; em um dos casos teve que ser resgatada Deu no Lagarto Como eu vejo: “Dois casos de crianças caindo em bueiros foram registrados em Lagarto em apenas 24h. Um dos casos aconteceu por conta de um bueiro sem tampa, já no outro foram por conta de obras inacabadas. O primeiro caso aconteceu em uma rua de acesso a Regional de Saúde de Lagarto na tarde da última sexta-feira (26) e foi registrado por câmeras de segurança. Nas imagens é possível ver três garotos tentando guiar uma carroça, quando um deles não percebe o bueiro sem tampa de aproximadamente dois metros de profundidade e acaba caindo dentro. Os outros dois garotos que estavam com ele imediatamente correm para buscar ajuda de adultos. Ele é tirado de dentro com uma corda por adultos que chegaram rápido ao local. Apesar do susto ele não se feriu com gravidade, teve apenas leves escoriações.” O vídeo: https://www.instagram.com/p/CL1l_6WjSf9/

Lagarto: Bueiros abertos fazem duas crianças vítimas; em um dos casos teve que ser resgatada II O segundo caso aconteceu na tarde deste sábado (27), no bairro Loiola II. A informação é que uma menina passeava de bicicleta pela rua com obra inacabada, quando perdeu o controle da bicicleta e acabou caindo numa estrutura que compõe a drenagem. A criança machucou os lábios e aparece em um vídeo chorando bastante. Ainda no vídeo o morador mostra a situação da rua e a estrutura que a criança teria caído. A obra inacabada em questão teve a ordem de serviço assinada em 14 de maio, era pra ter sido concluída em 180 dias, ou seja, em novembro do ano passado. Os recursos da obra no valor de R$ 1.158.575,81 são de 2012. O vídeo: https://www.instagram.com/p/CL1qUAQjWZ7/

PGR: ADI contra recondução de presidente da Alese Deu no NE Notícias: O procurador-geral da República, Augusto Aras, propôs ações diretas de inconstitucionalidade (ADIs) ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra dispositivos das constituições de 21 estados e do Distrito Federal, que tratam das eleições das mesas diretoras das assembleias legislativas e da Câmara Distrital. As normas permitem que integrantes das respectivas mesas diretoras sejam reconduzidos para o mesmo cargo na legislatura vigente. De acordo com o PGR, os dispositivos ofendem os princípios republicano e do pluralismo político e o art. 57, § 4º, da Constituição Federal, que impede a recondução de membros das mesas diretoras do Senado e da Câmara dos Deputados, para o mesmo cargo, em igual legislatura. A proibição foi confirmada no texto da Emenda Constitucional 50/2006. Toda matéria aqui.

Socorro: rede municipal de educação inicia processo de matrícula on-line Seguindo as recomendações para evitar a proliferação da Covid-19, a Prefeitura de Socorro, por meio da _Secretaria Municipal de Educação de Nossa Senhora do Socorro_ (Semed), começa a adotar a partir desta segunda-feira, 1° de março, às 8h, a matrícula on-line para o ano letivo de 2021. Para realizar a matrícula, o solicitante precisa informar os seguintes dados: o nome do responsável, o nome do estudante, data de nascimento, a classe de ensino, endereço residencial, um número de contato telefônico e um endereço de e-mail para o envio do número de cadastro.

Escolha Ao preencher os dados e finalizar o processo, o solicitante receberá, no e-mail informado, um recibo com o número da sua inscrição. Com a matrícula on-line, os pais e/ou responsáveis terão a oportunidade de escolher a escola mais próxima a sua residência, visto que a plataforma está organizada para indicar as escolas existentes em cada localidade. O setor de tecnologia da informação da Semed, realizará a seleção dos dados preenchidos e encaminhará às escolas o número da inscrição de cada aluno. Desta forma, cada equipe diretiva poderá entrar em contato com as famílias, agendando a data e o horário para que compareçam à unidade de ensino, apresentando os documentos e efetivando a matrícula no prazo de até 15 dias. Caso ocorra a situação de inexistência de vagas, o solicitante poderá acessar o campo CADASTRO RESERVA da plataforma e preencher uma solicitação. Para realizar a matrícula, basta acessar o seguinte endereço: https://sites.google.com/view/matriculassocorro2021

Poço Verde: prefeito inspeciona em pleno domingo serviços prestados à comunidade E ontem, 28, o prefeito de Poço Verde, Iggor Oliveira, ao lado do vice, Binho de Dona Elza, e de secretários e vereadores percorreu algumas áreas do município para ver de perto os serviços prestados à comunidade. Ele iniciou no Bairro Fazenda Terra Vermelha onde foi recepcionado com café da manhã da casa do vereador Dií de Nilo e Gilvania. Depois visitou o serviço de de recuperação de estradas vicinais na região do Rio Real. “Ainda essa semana, atendendo a uma reivindicação dos vereadores da situação iniciaremos o processo de recuperação de estradas vicinais por todo o município, começando aqui pela estrada do Povoado Rio Real”, explicou o prefeito.

Estância: 30 anos de fundação dos Clubes dos Poetas Estancianos E o prefeito de Estância, Gilson Andrade, participou no último sábado, 27, da solenidade comemorativa aos 30 anos de fundação do Clube dos Poetas Estancianos (CPE). “Não é segredo para ninguém que Estância respira cultura, e os nossos poetas já nos brindou com vários recitais poéticos. Sem esquecer do nosso grandioso Concurso de Poesia Falada “O Fesporfale”, evento cultural que faz parte do calendário cultual de nossa cidade”, ressaltou o prefeito ao parabenizar todos que integram o grandioso clube, em especial ao Adonnys Diniz e toda diretoria que tomou posse. “Que vocês continuem levando arte e literatura para toda nossa população’, reforçou.

Exposição “Passos da Fé” retorna Museu Histórico de Sergipe A exposição “Passos da Fé”, da fotógrafa Danielle Pereira, retorna ao Museu Histórico de Sergipe, localizado na Praça São Francisco, Centro Histórico de São Cristóvão. Composto por 25 peças, o trabalho retrata a religiosidade e a cultura do povo sergipano pela expressão da fé dos romeiros de Senhor dos Passos. A tradicional Romaria de Nosso Senhor dos Passos é um evento religioso que ocorre anualmente em São Cristóvão, durante a Quaresma, atraindo milhares de pessoas de Sergipe e estados vizinhos. Este ano, devido à pandemia, a procissão acontecerá apenas on-line (@pnvitoria), neste final de semana.

Atividades culturais Apesar das restrições, e com os devidos cuidados sanitários, a cidade de São Cristóvão preparou algumas atividades culturais sobre a tradicional romaria, como a exposição “Passos da Fé”, que ficará no Museu Histórico de Sergipe até o dia 9 de março, de terça-feira a sábado, das 10h às 16h, e domingo e feriados, das 9h às 13h. Esta é a segunda vez que a “Passos da Fé” compõe o acervo temporário do Museu Histórico de Sergipe – a primeira vez ocorreu em 2019. Para Danielle Pereira, é muito importante oferecer à sociedade momentos de reflexão e beleza, reforçando aspectos da religiosidade e da cultura da população.

Diversidade “A exposição ‘Passos da Fé’ valoriza a força, a fé e a diversidade dessa manifestação religiosa, que é considerada um Patrimônio Cultural do Nordeste. É um trabalho sobre o qual busquei mostrar também a resistência do povo brasileiro presente na tradição cultural e histórica do país”, explica Danielle Pereira.

PELO ZAP DO BLOG CLÁUDIO NUNES – (79) 99890 2018

                                 
Nota de pesar – IEQ Jardins A Igreja do Evangelho Quadrangular de Sergipe vem a público lamentar a partida de Anna Cristina Souza, conhecida carinhosamente como Tia Anna, na noite da quinta-feira, 25. Anna era pedagoga, reconhecida em todo o Estado como Contadora de Histórias, e missionária Quadrangular com um trabalho voltado para o evangelismo de crianças. Seus ensinamentos e legado servirão para abençoar muitas gerações. Tia Anna deixa esposo, uma filha e centenas de irmãos em Cristo saudosos. “…Cremos também que Deus trará, mediante Jesus e com ele, aqueles que nele dormiram.”(1 Ts 4:14‬).

Nota de Pesar Sinpol/SE É com tristeza que o Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe (Sinpol/SE) lamenta o falecimento do servidor público Manoel Eugênio Neto Rocha, lotado no Divisão de Transportes (Ditran) da Secretaria da Secretaria da Segurança Pública, vítima da Covid-19. Manoel Eugênio trabalhava na parte de guincho de veículos e estava internado desde a semana passada. Ele não resistiu e veio a óbito neste sábado, 27. A morte de Manoel reforça a necessidade urgente da vacinação para os servidores que trabalham na área da Segurança Pública. Até o momento, o Governo do Estado não sinalizou vacinar aqueles que também seguem trabalhando na linha de frente durante a pandemia, a exemplo dos policiais civis. O Sinpol/SE destaca pêsames aos familiares, amigos e colegas de profissão. Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Sergipe.


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 




PELO E-MAIL nunesclaudio@infonet.com.br E FACEBOOK

OPINIÃO 

“ATÉ QUANDO ESPERAR”? O Relatório da Comissão Estadual da Verdade “Paulo Barbosa de Araújo” e a memória dos “passados atrozes” em Sergipe

Prof. Dr. Antônio Fernando de Araújo Sá
Departamento de História
Universidade Federal de Sergipe

A interpelação da memória dos “passados atrozes” na história de Sergipe, com a criação da Comissão da Verdade “Paulo Barbosa Araújo” (2015), fruto do desenvolvimento do conceito legal de “direito à verdade”, foi de grande valia para que os historiadores compreendessem a impossibilidade de construir uma descrição neutra do passado e do presente “na gestão ético-política do passado coletivo”. Ao rejeitar a amnésia, as comissões de verdade “se voltam à ‘história’ para pacificar a incômoda força da ‘memória’. A história, então, é introduzida no campo da justiça transicional, não apesar de uma memória excessiva, mas por causa dela” (BERVENAGE, 2018: posição 786, 788 e 919).

No Brasil, a memória hegemônica, que definiu a narrativa oficial das instituições da Nova República, foi construída a partir da interpretação de que a Lei da Anistia (1979) foi um “pacto de reconciliação nacional” (NEVES, 2019: p. 295). Essa narrativa, por conseguinte, delineou os passos da Justiça de Transição, que, em continuidade à “governabilidade” dos governos civis durante a redemocratização, foi pautada pela “política do possível”, preterindo a luta pela justiça, em relação aos crimes da ditadura, em nome do direito à memória e à verdade (TELES, 2018: p. 52).


Essas determinações delimitaram as ações memoriais tanto da comissão nacional da verdade (2012-2014), quanto da Comissão Estadual da Verdade (2015-2020), no Estado de Sergipe. No caso da comissão sergipana, a longa luta dos movimentos sociais da memória pela sua efetivação não encontrou o devido apoio institucional por parte do governo estadual, o que impossibilitou o cumprimento dos prazos estabelecidos pelo decreto de criação, estendendo seus trabalhos até o ano de 2020. Além das inúmeras dificuldades de acesso documental em instituições estatais, como no caso das militares, que impediram essa consulta, em alguns momentos do trabalho, a exoneração dos cargos em comissão dos membros também trouxe descontinuidades.

O acervo de documentos sensíveis, produzido pelos testemunhos de vítimas e de sobreviventes na comissão, traz consigo “um conhecimento específico, dificilmente auferido fora do depoimento”, cujo implicação vai além da análise histórica, por suas “dimensões jurídicas, políticas, psíquicas e éticas” (ARAÚJO, 2020: p. 30, 16 e 17).

A interpelação desses documentos na sociedade incomoda e produz dissonâncias naqueles que optaram por esquecer a memória da violência política, como os citados defensores da memória hegemônica na transição à democracia. Mas também nos fazem refletir sobre os aspectos éticos e políticos do “compromisso profundo com a democracia e, sobretudo, com a prática orientada pela empatia e pela valorização dos Direitos Humanos” (ARAÚJO, 2020: p. 33).


Sob o imperativo “dever de memória”, a ideia veiculada no site oficial da Comissão de que “lembrar momentos que não devem jamais retornar à cena” nos remete a determinada concepção da história como “mestra da vida”, entendida como uma “orientação para o futuro ou, ainda, (…) como matriz para posicionamentos éticos e políticos” (BAUER, 2017: p. 92 e 94).

Essa ideia de história coloca o passado como imposição ao futuro de “um sentido já inscrito no passado”, o que não se coaduna com a proposta de “pensarmos com liberdade o futuro que queremos”. O futuro, como o passado, não resulta “de uma natureza da História, mas das escolhas dos homens na História” (GUIMARÃES, 2001: p. 36).

Desse modo, a obtenção da verdade e da justiça com os direitos humanos não é uma referência que pertence à história como passado, mas que “remetem a algo muito mais amplo que as violações que ocorreram em tempos de ditaduras”. O direito ao trabalho e “toda a gama de direitos econômicos, sociais e culturais, assim como as reivindicações territoriais por parte dos povos originários, são parte da agenda de direitos humanos” no presente (JELIN, 2014: p. 234).

Quando um general do Exército, Eduardo Villas Bôas, que foi Comandante do Exército Brasileiro no governo de Dilma Roussef e, depois, ministro da Defesa, no governo de Michel Temer, sem nenhuma desfaçatez, reafirma o golpe contra a soberania popular nas eleições de 2018, em continuidade ao impeachment contra Dilma Roussef, em 2016, percebemos que nem o golpe de 1964 nem a ditadura militar transformaram em história” (STARLING, 2019: p. 341). A tutela militar na república brasileira foi demonstrada com todas as letras em seu livro-depoimento para o Centro de Documentação e Pesquisa da História do Brasil Contemporâneo, da Fundação Getúlio Vargas, evidenciando o permanente golpismo nas hostes do alto comando das Forças Armadas.

Portanto, a divulgação do relatório final da Comissão Estadual da Verdade “Paulo Barbosa de Araújo” é fundamental para que a sociedade sergipana reflita esses nexos entre o passado ditatorial e os impasses atuais da democracia, no sentido do fortalecimento da cultura política democrática, em meio aos retrocessos do projeto autoritário defendido pelo governo Bolsonaro.

Como nos alertou Paulo Barbosa de Araújo,

Fala-se em todas as instituições, e mesmo fora delas, em democracia e liberdade, mas no âmago das pessoas, essas palavras são vazias, uma espécie de palavras ocas, que precisam ser devidamente preenchidas. A nossa esperança é que não a preencham com o sangue dos inocentes e o cimento das vítimas de todo o tipo de tortura, (…) como faziam os nossos antepassados” (ARAÚJO, 2010: p. 258).

Até quando esperar a divulgação oficial do relatório final da Comissão da Verdade que leva o nome desse jornalista?

BIBLIOGRAFIA

ARAÚJO, Maria Paula Nascimento. História Oral e Memória da Ditadura Militar: o papel dos testemunhos. In: GOMES, Castro de Angela (org). História oral e historiografia: Questões sensíveis. São Paulo: Letra e Voz, 2020.
ARAÚJO, Paulo Barbosa de. Os ícones de um terremoto: Golpe military, repressão e resistência política. Aracaju: Editora Diário Oficial, 2010.
BAUER, Caroline Silveira. Como será o passado? História, historiadores e a Comissão Nacional da Verdade. Jundiaí/SP: Paco Editorial, 2017.
BERVENAGE, Berber. História, memória e violência do Estado: Tempo e Justiça. Serra/ES: Milfontes; Mariana/MG: SBTHH, 2018 (e-book).
COMISSÃO ESTADUAL DA VERDADE “PAULO BARBOSA DE ARAÚJO”. https://www.cev.se.gov.br/index.jsp. Acesso em 25/02/2021.
GUIMARAES, M. L. L. S. Usos da História: refletindo sobre identidade e sentido. História em Revista, Pelotas, v. 6, p. 21-36, 2000.
JELIN, Elizabeth. Memoria y democracia. Una relación incierta, Revista Mexicana de Ciencias Políticas y Sociales, Universidad Nacional Autónoma de México Nueva Época, Año LIX, n. 221, mayo-agosto de 2014, p. 225-242.
NEVES, Raphael. Uma Comissão da Verdade no Brasil? Desafios e perspectivas para integrar direitos humanos e democracia, Lua Nova, São Paulo,2012, p.155-185. 

STARLING, Heloísa Murgel. O passado que não passou. In: Democracia em risco? 22 ensaios sobre o Brasil hoje. São Paulo: Companhia das Letras, 2019, p. 337-354.
TELES, Edson. O abismo na história: Ensaios sobre o Brasil em tempos de Comissão da Verdade. São Paulo: Alameda, 2018.

OPINIÃO


O Desprezo pelo Belo, em Aracaju. Por Antônio Samarone, médico sanitarista. http://blogdesamarone.blogspot.com/


Aracaju foi construída numa região pantanosa. Foi preciso um grande aterro e a ação humana para o embelezamento. Foi assim nos primeiros tempos. E Aracaju, foi ficando bonita.

O Prefeito Godofredo Diniz contratou os serviços do urbanista Wladimir Preiss, de São Paulo, para arborização e jardinagem da capital sergipana. Mais recentemente, um outro Prefeito mandou decepar centenas de árvores. Estavam atrapalhando os ônibus.

O engenheiro alemão Hermann Otto Wilhelm Arendt Von Altenesch, viveu pouco tempo em Aracaju, mas construiu bangalôs e outras casas em estilo europeu, que eram o sonho de consumo dos ricos e da classe média sergipana. Ajudou no embelezamento de Aracaju.

“Altenesch construiu o prédio do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, o edifício Serigy, na praça General Valadão, construído no lugar da Cadeia Pública, a sede da Associação Atlética de Sergipe, a Cidade de Menores “Getúlio Vargas”, considerada a sua obra prima, além de dezenas de residências espalhadas pelas ruas de Estância, Pacatuba, Itabaiana, Maruim e Barão de Maruim.” – Luiz Antonio Barreto.

O Palácio de Veraneio (Foto), que o governador quer vender para fazer caixa para a Previdência, foi projetado por Altenesch. Claro, os motivos da apressada venda são outros.

Exemplos da arquitetura do alemão Altenesch, ainda se encontra em algumas casas no primeiro trecho da Rua de Estância.

Atualmente, os ricos foram para os condomínios fechados, movidos pelos desejos de segurança e segregação.

Cada aracajuano passou a cuidar apenas do seu lote.

Desde 1985, com a chegada ao poder do atual grupo político, o Poder Público em Aracaju iniciou a “Era das Orlinhas”. Obras acanhadas, sem a beleza e sem a grandiosidade necessárias ao embelezamento da cidade. Talvez, por medo de serem acusado de fazer mau uso dos recursos públicos.

Um exemplo: a Rodoviária Luiz Garcia (a Velha) é um prédio estiloso, bonito; os atuais Terminais de ônibus são galpões pré-moldados, apenas para proteger os passageiros do sol e da chuva.

Não é uma questão de se gastar menos, é a opção pelo mau gosto.

Quando um líder político abandona o cidadão e volta-se apenas para o eleitor, desapareceu o estadista, que pensa a longo prazo. Gente do mercado vende a cidade inteligente, entre aspas, Eu retomo o sonho da cidade bela, como parte da qualidade de vida.

Nos últimos anos, a sede do governo foi para o Palácio de Despachos, no Leite Neto, um edifício sem graça e sem beleza e a Prefeitura abandonou o Palácio Inácio Barbosa no Parque Teófilo Dantas e foi para um galpão do Banco do Brasil, na Rua do Acre.

Agora, o Governador vai vender o Palácio de Veraneio. Claro, não é o majestoso Palácio El Escorial, de Felipe II, na Espanha, mas é o que temos.

Estamos enfeiando Aracaju, por oportunismo e cegueira política.

As cidades são locais de encontros, precisamos de espaços públicos que valorizem a beleza.

Essa vocação política pelo pequeno, pelo prático, pelo barato, pelo armengue, pelo funcional é puro populismo de mau gosto. Não se trata de construir “elefantes brancos”, nem “obras faraônicas”, queremos apenas a volta da beleza.

As duas últimas obras de embelezamento público em Aracaju foram a Orla de Atalaia e a Ponte Estaiada sobre o Rio Sergipe, iniciativas do Governador João Alves Filho. O resto é tapa buraco e pintura de meio-fio.

Por onde andam os arquitetos e urbanistas? Gente sonhadora e talentosa, que pensa no Belo e pode ajudar a desenhar o futuro de Aracaju.


PELO TWITTER


www.twitter.com/frednavarro 7 entre 10 brasileiros querem tomar qualquer vacina e virar jacaré. Os outros 3 preferem comer capim e continuar burros.

www.twitter.com/andretrig A gravidade de certas situações no Brasil de hoje desafia o vocabulário. As palavras não conseguem descrever bem o que estamos testemunhando. Atrocidade? Perversidade? Canalhice? Maldade? Não é bem isso. Vai além. É preciso atualizar o dicionário c/novos verbetes.

www.twitter.com/gugachacra É impressionante como um certo governante consegue estar sempre do lado errado da história. Faz o oposto do que deveria fazer. É uma catástrofe. Certamente, é o pior líder do mundo democrático em décadas. Não consigo me recordar de alguém tão incompetente e cruel

www.twitter.com/hilde_angel Atualmente, o mais frequente sinônimo de ‘Bolsonaro’, depois de ‘genocida’, é ‘verme’. Há outros?
• Pandemia Mais de 250 mil óbitos

Menos de 3% da população mundial e 10% das mortes por covid no mundo. Este é o Brasil do capitão da “gripezinha”.


www.twitter.com/profanselmo O Presidente Bolsonaro perdeu o senso da realidade e da responsabilidade quando ameaça os governadores que estão lutando pela vidas dos seus governados. Bolsonaro quer que eles morram.

www.twitter.com/afonsoborges A encarnação do mal. A.



Siga Blog Cláudio Nunes:

Instragram

 Facebook

 Twitter



Frase do Dia
“Vivemos tempos sombrios, onde as piores pessoas perderam o medo e as melhores perderam a esperança.” Hannah Arendt.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais