Bolsonaro pediu penico

0

O presidente Jair Bolsonaro que apareceu, ontem, na televisão nem parecia aquele arrogante do último dia 24, quando, entre outras bobagens, comparou o coronavírus a “uma gripezinha”. Isolado, inclusive dentro do próprio governo, o capitão de pijama abrandou o tom beligerante e reconheceu que o Covid-19 é uma realidade. Também admitiu não existir vacina contra a doença ou remédio com eficiência cientificamente aprovada. Tomara que a saraivada de críticas ao seu estabanado comportamento e a posição majoritária dos brasileiros favoráveis ao isolamento social, o mantenha no seu quadrado. Aliás, os assessores mais próximos do ainda presidente já deveriam tê-lo isolado da sociedade, deixando-o num canto do Palácio do Planalto brincando com seus soldadinhos de chumbo. Vade retro!

Calamidade oficializada

A Assembleia deve realizar uma sessão plenária virtual para aprovar estado de calamidade pública em 40 municípios sergipanos. Ontem, o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PDT), levou pessoalmente o pleito ao presidente do Legislativo, deputado Luciano Bispo (MDB). Com a aprovação da calamidade, os gestores se livrarão das amarras da Lei de Responsabilidade Fiscal, podendo fazer compras e contratar serviços sem ter que respeitar a burocracia legal. Para alguns, vai ser uma festa. Marminino!

Fique em casa

A senadora Maria do Carmo Alves (DEM) está preocupada com as pessoas, particularmente idosos, que insistem em perambular por aí nessa época de pandemia. Segundo a demista, é importante que “façamos a nossa parte para não sermos contagiados e nem contagiarmos o nosso próximo”. A senadora disse, ainda, que todos precisam contribuir, pois só assim será possível evitar o descontrole da situação. É vero!

Inocentado

O juiz de direito Anselmo de Oliveira teve sua aposentadoria compulsória anulada pelo Conselho Nacional de Justiça. O magistrado havia sido aposentado em 2018, pelo Tribunal de Justiça de Sergipe como forma de punição. Os integrantes do CNJ não viram motivos no processo para punir Anselmo. Com a decisão do Conselho, o magistrado deverá reassumir suas atividades a qualquer momento. Boa sorte!

Comércio aberto

E o decreto estadual restringindo atividades comerciais devido a pandemia do coronavírus não tem muita serventia em Canindé do São Francisco. Naquela cidade ribeirinha o comércio está funcionando normalmente. Isso acontece desde que o prefeito Ednaldo da Farmácia (Progressista) deixou a abertura das lojas a critério dos empresários. Numa reunião com os comerciantes, o gestor disse que cada um deve se responsabilizar pelos seus atos. Ah, bom!

Demora criminosa

O senador Alessandro Vieira (Cidadania) estranha a demora do presidente Jair Bolsonaro em sancionar a lei do auxílio emergencial. Segundo o parlamentar, o comportamento do presidente atrasa o socorro financeiro aos que mais precisam e impede o Congresso de fazer urgentes correções e ampliações na lei: “É criminoso fazer economia com vidas”, fustiga Vieira. Para o senador, pior ainda é tentar transferir responsabilidades, como tem feito Bolsonaro. Crendeuspai!

Rio abaixo

A Chesf emitiu comunicado alertando as comunidades ribeirinhas para o aumento da vazão do Rio São Francisco. Segundo a estatal, por conta do grande volume d’água no Reservatório de Sobradinho (BA), a Hidrelétrica de Xingó vai operar, a partir de hoje, com uma vazão média diária 1.100 m³/s. A Chesf orienta as pessoas para não ocuparem áreas ribeirinhas situadas na calha principal do Rio. Quem avisa, amigo é!

Fake news condenada

E a vereadora aracajuana Emília Corrêa (Patriota) está uma fera com os mentirosos de plantão. Tudo porque espalharam a falsa informação de que ela havia trocado de partido: “Sou do Patriota e pré-candidata à reeleição”, reforça Emília. A parlamentar aproveita para alertar os aracajuanos sobre a necessidade de permanecer em suas casas durante a pandemia do coronavírus. Certíssima!

Corte radical

Os vereadores de Aracaju não têm mais direito a carros alugados pela Câmara Municipal. A medida foi tomada pelo presidente Nitinho Vitalle (PSD). Ele agiu assim contrariado com a chiadeira contra o corte de parte da Verba de Atividade Parlamentar, que resultou no desemprego em massa dos assessores de comunicação. Nitinho só manteve o pagamento dos escritórios alugados pelos vereadores para não quebrar o contrato com a locadora. Misericórdia!

Não acredite

Este 1º de abril é considerado o dia da mentira. A WikipédiA informa que a data começou a ser difundida em Minas Gerais, onde circulou o jornal “A Mentira”. De vida efêmera, o periódico foi lançado no 1º de abril de 1828, com a notícia do falecimento de Dom Pedro, desmentida no dia seguinte. “A Mentira” saiu pela última vez a 14 de setembro de 1849, convocando todos os credores para um acerto de contas no dia 1º de abril do ano seguinte, dando como referência um local inexistente. Homem, será verdade?

Recorte de jornal

Publicado no jornal aracajuano Diário da Manhã, em 24 de dezembro de 1918

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários