Café Pequeno de Volta em 2012

0

E mais uma jornada de trabalho recomeça encerrando o emblemático ciclo 2011: em maio a captura do Osama, dez anos do traumático 11 de Setembro, revoluções no Oriente Médio a Primavera Árabe, a Europa enrolada numa crise, algo impensável até então… tudo isso impulsionado pelo fenômeno das redes sociais que bombam!!!!! I pod, I fone, I pad, I, I, I… e Stev Jobs se vai derrotado por um câncer, apesar do acesso a tudo de bom que a tecnologia oferece.

E aí vocês se perguntam por que estou eu, ainda, a falar do ano que passou em pleno 29 de fevereiro de 2012, as véspera de 1º de Março, aniversário do Rio?

É que além da alma carnavalesca brasileira, 2011 foi um ano especialmente duro para a nossa família. Papai, Hernani Romero Libório, morreu em fevereiro no dia dos quinze anos da minha Nina, filha linda, e nosso querido irmão mais velho Agnaldo Silva Libório, orgulho de todos, se foi nas festas do fim de ano sem se despedir de ninguém!

Ano duríssimo e eu quem diria acabei com saudades da filosofia de beira do fogão à lenha, como assim descreve o padre Fábio de Melo em Cartas entre Amigos com Gabriel Chalita, e lembrei de Adélia Prado, Cora Coralina e da cozinha enegrecida de D. Lindaura, nossa vizinha em Lagarto, onde um simples furinho na telha produzia cinematográficos fachos  de luz, por onde subiam dançando zilhões de partículas de pó.

E lembro com mais saudade ainda das estórias de Trancoso e do colo de vovó Regina, com sua sabedoria de confeiteira de bolos e suas doces receitas de felicidade e enquanto lembrava o carnaval passou.

E por falar em carnaval o desse ano, no Rio, foi particularmente especial e super tranqüilo e penso que, finalmente, algo sucede nas plagas cariocas: a abertura de mercado para empresas e profissionais de outros estados e, pasmem, em janeiro voltando de uma reunião no Centro, meu marido esqueceu o laptop no banco do Metrô de Superfície e o localizou três dias depois, intacto, no “Achados e Perdidos da Estação da Carioca”.

E que o tempo de esperança permaneça. Hoje nosso saudoso e querido amigo Osiris Souza Rocha faria 67 anos e amanhã, 1º de Março, aniversário do Rio, minha cunhada Maria Cristina Gândara estréia PANDEMOS, auspiciosamente, no Teatro Municipal Café Pequeno, Leblon, e que a Maré de Março, em Aracaju, esse ano nos seja mais propícia…

Feliz ano bissexto para todos nós!!!!

Carnaval Rio- 2012- Foto Ana Libório

Comentários