Cai, cai, ministro

0

A presidente Dilma Rousseff (PT) perdeu ontem seu quinto ministro. Desta vez foi Pedro Novais, que deixou o Ministério do Turismo após ter sido denunciado de usar funcionários públicos para fins particulares. Em oito meses e meio, já caíram cinco auxiliares diretos da petistas, sem contar com as prisões e exonerações de auxiliares do 2º escalão. Como o blog já escreveu antes, se Dilma não abrir o olho, antes do final do ano terá renovado todo seu ministério. Uma lástima!

Perdeu o bonde

Não tivesse trocado o PMDB pelo PPS, o deputado federal Almeida Lima poderia ser o substituto do ex-ministro do Turismo, Pedro Novais. O nome de Almeidinha chegou a ser ventilado para o cargo, mas ele resolveu se mudar para a oposição e agora perdeu o ‘cavalo selado’. Como se diz lá em Carira, os apressados comem cru!

Está livre

O diretor de Meio Ambiente da Deso, ex-deputado estadual Wanderlê Correia (PMDB), não foi condenado mais uma vez conforme divulgou o blog na última terça-feira. Sua assessoria informou que após a divulgação desta notícia pela imprensa sergipana, o próprio juiz de Direito de São Cristóvão, Manoel Costa Neto, desfez o mal entendido. Na verdade, Wanderlê foi condenado em 1ª instância, mas a 1ª Câmara Cívil do Tribunal de Justiça reformou a decisão por unanimidade. Está feito o reparo.

Visita à ponte

Deputados e senadores sergipanos visitarão amanhã as obras da ponte Gilberto Amado, que liga os municípios de Estância e Indiaroba, litoral Sul de Sergipe. Com 1.712 metros de comprimento e 14,2 metros de largura, o empreendimento corta o rio Piauí e é a maior ponte sobre rio em construção do Nordeste. Comandada pelo governador Marcelo Déda (PT), a comitiva sairá do Palácio dos Despachos às 7h30.

Acidente fatal

Em nota, a Petrobras informa o falecimento ontem do ajudante de serviços gerais José Ricardo Rosa, de 41 anos. Empregada da Gramo Engenharia, a vítima trabalhava no Ativo de Produção Sergipe Terra, em Siriri. Segundo a estatal, durante a fixação de postes de sinalização para demarcação de faixa de duto destinada à coleta de água, um dos postes tombou e atingiu o ajudante, que morreu no local.

Tá invocado

E o deputado estadual Venâncio Fonseca (PPS) está invocado porque, segundo diz, seus projetos e indicações não são colocados na pauta de votação da Assembléia. Por conta disso ele promete não participar mais das votações em plenário, nem das reuniões das comissões temáticas. “Vou agir assim até que seja votado meu requerimento pedindo informações sobre o número de militares que estão à disposição de autoridades”, ameaçou.

Assiduidade

Em se tratando de presença nas sessões plenárias, o senador Antônio Carlos Valadares (PSB) é um excelente exemplo. De acordo com levantamento feito pelo Portal Congresso em Foco, no primeiro semestre deste ano apenas Valadares e outros seis senadores participaram de todas as sessões deliberativas do Senado. Legal!

Boletim

Está circulando hoje, encartado no Jornal da Cidade, um bem acabado informativo do deputado federal Marcio Macedo (PT). Batizado de ‘Boletim’, o material traz matérias sobre as ações desenvolvidas pelo petista na capital federal, quase todas ilustradas com fotografias coloridas de Macedo. O ‘Boletim’ objetiva prestar contas ao eleitorado das atividades políticas desenvolvidas pelo deputado.

Juventude

A Prefeitura Aracaju abre daqui a pouco a 2ª Conferência Municipal de Políticas Públicas da Juventude. Prestigiada pelo prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B), a solenidade vai acontecer na quadra de esportes da praça da Juventude, localizada no conjunto Augusto Franco. A conferência visa discutir com a juventude propostas de inclusão dos jovens na sociedade a partir de âmbitos como educação, saúde, moradia e trabalho. Prestigie!

Do baú político

Em 1958, quando disputou uma cadeira na Câmara Federal, Euvaldo Diniz (UDN) não imaginava que um simples rádio de pilha lhe garantiria tantos votos. Quem conta essa é o líder político de Lagarto José Raimundo Ribeiro, o “Cabo Zé”. Segundo ele, no início da campanha, Euvaldo foi à casa de Rosendo Ribeiro pedir seu apoio político. “Ele chegou com um radinho de pilha e deu ao meu irmão. Era uma coisa linda. Fiquei fascinado com a novidade. É claro que o jeitão amigueiro e a disposição política de Euvaldo foram fundamentais para a gente decidir apoiá-lo, mas o rádio contou muito”, recorda ‘Cabo Zé’. Quem não gostou nada do apoio dos Ribeiro a Euvaldo foi Lourival Baptista, que também disputou uma vaga de deputado federal pela UDN. “Mesmo tendo sido eleito, Lourival se queixou muito. Disse não ter entendimento porque eu e Ribeirinho votamos em Euvaldo. Já pensou se ele soubesse que foi por causa de um rádio de pilha?”, brinca o político lagartense.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais