Caixa 2 e campanhas

0

O líder do PMDB no Senado, Ney Suassuna (PB), declarou em João Pessoa um fato que todo mundo já sabia, mas não expunha em publico: admitiu que já utilizou caixa dois em campanhas eleitorais e disse que a prática era comum, não condenável, até as explosões de todos esse escândalos nacionais. Segundo ele, o caixa dois era efetuado por empresários que não queriam aparecer. Ney Suassuna também duvida que algum político no Brasil não tenha se utilizado da prática. Ele esclareceu, no entanto, que considera repudiável quando há desvio de empresas estatais e disse que espera que o caixa dois seja encerrado, pois todos os episódios que foram divulgados deixaram uma imagem péssima do Brasil lá fora e um horrível exemplo para juventude nacional.

 

O senador considerou ainda que as novas regras do TSE para inibir o uso do caixa dois são válidas, mas que será impossível coibir tudo. Ele defendeu a fiscalização intensiva da Polícia Federal, mas disse que será preciso muitos policiais e não acredita que o órgão tenha efetivo bastante. Para Suassuna, as ações do Tribunal Superior Eleitoral de exigir uma transparência maior surtirão grande efeito, mas destacou que continuarão existindo atividades que fugirão dessa transparência. Quanto à inibição do grosso da extorsão e do dinheiro da corrupção, o senador tem certeza de que as eleições 2006 terão essa importante melhoria. Evidente que o senador exagera nesse seu arroubo novo de combate ao caixa dois, porque não deixará de utilizá-lo enquanto precisar ser eleito para representar interesses que não sejam exclusivamente sociais.

 

De qualquer forma, enfim, apareceu alguém que resolveu falar com naturalidade sobre o assunto que qualquer leigo em campanhas política tinha conhecimento. Principalmente no Nordeste. Com um eleitorado faminto e viciado, quem não tiver uma boa grana para gastar com cabos eleitorais, material de campanha, combustível e bocas de urnas, dificilmente conseguirá chegar próximo ao mandato que deseja. O dinheiro sempre rolou solto nas disputas eleitorais e parte exatamente de quem trabalha para as administrações federais, estaduais e municipais. São as grandes empreiteiras, as indústrias, as empresas de transportes, as empresas de coleta de lixo, os bancos privados e toda a estrutura econômica que tem um relacionamento estreito com poderes executivo e legislativo.

 

Não tem um único político, seja em Sergipe, Ceara ou Rio Grande do Sul, que nunca tenha recebido recursos “não contabilizados”, como diz o nosso Delúbio, para fazer campanha de grande porte. Os partidos progressistas criticavam isso, mas mesmo quando arrotavam ética e dignidade recebiam ajuda financeira, o que era muito natural. Ninguém, mas ninguém mesmo, jamais chegaria ao poder – executivo ou legislativo – vendendo estrelinhas ou promovendo churrascos de adesão. A questão de agora é que houve abuso, talvez até um pouco de amadorismo de quem se vislumbrou com o poder e imaginou que tudo era permitido em nome da formação de bloco de apoio, na compra de adesões e na grana para mudar um voto a favor do Governo. No fundo houve mesmo corrupção pesada, ladroagem, apropriações indébitas e a sociedade fica boquiaberta por não ter conhecimento de que alguém esteja preso.

 

Foi essa visão entorpecida que levou o PT ao caos. A legenda passou a fazer em excesso o que imaginava que seus adversários faziam.

 

De qualquer forma o TSE passou a se preocupar com o caixa dois e está pensando em colocar a Receita Federal e até a Polícia Federal para impedir que isso continue. É possível que reduzam. Acabar jamais. A ajuda de campanha faz parte do jogo eleitoral. Há sempre uma reserva técnica para isso, que ninguém vai impedir, mesmo que as investigações sejam as mais aguçadas possíveis. Interessa ao empresariado participar financeiramente com os seus candidatos, mas não lhes parece importante se expor, até porque não se trata de doação, mas de investimento para lucros futuros.

 

 

LULA

A fonte é de Salvador: o presidente Lula vai aproveitar sua estada na Bahia para conhecer Mangue Seco, que fica do outro lado da praia do Saco.

Como a praia do Saco foi reconhecida como uma das mais bonitas do mundo, é possível que ele faça a travessia até Sergipe.

 

POUSADA

A Pousada Colonial, localizada em Mangue Seco, informou que desconhece a visita do presidente: “não há movimento sobre isso”, disse o seu gerente.

Entretanto, segundo informação de Salvador, o roteiro do presidente Lula não será divulgado para evitar aglomerações. O objetivo não é político.

 

EQUÍVOCO

O deputado federal José Carlos Machado (PFL) considerou equivocada a Câmara se autoconvocar por interesse do Palácio do Planalto.

Machado diz que o presidente Lula não fez a convocação para não se desgastar e deixou o abacaxi para o Congresso Nacional.

 

DANÇA

Para Machado, o Congresso precisa se valorizar e impor a sua força. Não dá para ficar dançando no ritmo que agrado o Executivo.

Lembrou que em 2002 a verticalização foi posta para agradar ao presidente Fernando Henrique Cardoso. Em 2006 ela vai cair para atender a Lula. É um absurdo.

 

DEFINITIVA

O Congresso Nacional tem que pensar numa legislatura eleitoral que seja definitiva e defina as regras para todos os anos.

A sociedade já está cansada dessa mudança nas regras das eleições a cada pleito, sempre para favorecer ao poder.

 

CONVOCAÇÃO

Até ontem os deputados estaduais não receberam qualquer comunicado sobre convocação da Assembléia Legislativa a partir de segunda-feira.

A maioria dos deputados está viajando e não dá para que todos estejam aqui segunda-feira. Além disso, tem o blefe da convocação do Congresso que atingiu os parlamentares.

 

DISPOSIÇÃO

O vereador Elber Filho (PDT) trabalha sua candidatura ao governo e monta um projeto avançado de desenvolvimento do estado.

Diz que vai articular uma coligação forte, que dê base em todos os municípios sergipanos e ao mesmo tempo facilite a eleição de uma chapa proporcional forte.

 

BRINCADEIRA

A candidatura de Elber, no início, foi levada como brincadeira, mas hoje os seus adversários sentem um avanço no seu nome como uma das opções novas neste processo.

Elber está elaborando um projeto de governo que faz uma integração maior com a população, atendo aos problemas quem mais afligem a sociedade.

 

GARIBALDE

O deputado estadual Luiz Garibalde (PMDB) está animado com a candidatura de Almeida Lima ao governo do estado. Aguarda apenas uma posição em relação à verticalização.

Quanto as divergências internas do partido o deputado acha natural, mas admite que está faltando uma reunião que busque a unidade partidária e a faça definitiva.

 

INTERIOR

Garibalde também defende que Almeida Lima viaje ao interior para fortalecer sua imagem junto ao povo, prefeitos e lideranças políticas.

Depôs disso é que deve iniciar uma série de conversas com membros do PMDB e de outros partidos em busca de uma coligação forte.

 

JOVEM

Membros do PFL defendem uma liderança nova para formar a chapa majoritária ao lado do governador João Alves Filho.

Jovem é com força política suficiente para ajudar na disputa. Seria o contra ponto na disputa com o prefeito Marcelo Déda (PT).

 

VISITA

O presidente Lula deverá visitar pessoalmente alguns dos canteiros de obras da operação “tapa-buraco” nas rodovias federais, que o governo iniciará na próxima segunda-feira.

Lula fará as vistorias acompanhado do ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, que fará visitas a todos os estados onde serão realizados os trabalhos. Sergipe está fora.

 

ESTRATÉGIA

Segundo uma fonte do PL, estrategicamente Heleno Silva pediu para jogar o seu nome como opção do Diretório Regional, para ser o vice de Marcelo Déda (PT).

Na realidade, acrescenta a fonte, o que Heleno deseja é entrar na discussão e colocar um nome do seu partido na chapa majoritária. Heleno ainda pensa no Senado.

 

 

Notas

 

SAQUE

Tramita na Câmara projeto de Lei Complementar do deputado Nilton Baiano (PP-ES), que permite o saque dos saldos das contas individuais do PIS/Pasep pelas pessoas que estiverem desempregadas involuntariamente por mais de cinco anos e comprovarem pelo menos dez anos de trabalho registrado em carteira.
Altera a Lei Complementar 26/75, que regulamenta o PIS/Pasep. Essa lei só prevê o saque das contas nos casos de casamento, aposentadoria, transferência para a reserva remunerada, reforma ou invalidez do titular.


SALÁRIO

Já chega a 57 o número de parlamentares que abriram mão da ajuda de custo pela convocação extraordinária do Congresso, sob argumento de que não concordam em receber quase 25 mil reais extras sem terem trabalhado o suficiente para merecer o dinheiro. Em ano eleitoral essas coisas acontecem.

Nenhum deputado ou senador sergipano aparece na relação dos que desistiram da ajuda de custo. Um deles considerou isso uma demagogia eleitoreira, porque depois de depositado não dá para recusar o dinheiro.

 

AUSÊNCIA

É possível que a partir da próxima segunda-feira o estado comece a funcionar normalmente, com o retorno do comando administrativo do estado retornando das férias de final de ano. Há uma perceptível paralisação nos serviços, porque a maioria dos secretários resolveu tirar suas férias nesse período do ano.

A movimentação política também chega a quase zero, porque parlamentares de todas as áreas também aproveitam para descanso. Como não há perspectiva de convocação, todas as atividades voltam depois do Pré Caju.

 

É fogo

 

O deputado João da Graça conseguiu emplacar um seu parente, Ernesto Joaquim dos Santos, como adjunto da Secretaria do Esporte e Lazer.

 

Não será um adjunto comum, porque por trás dele estará sempre a força de quem tem a força do voto.

 

Na opinião de Elber Filho (PDT) o deputado federal João Fontes será um dos mais votados em Sergipe. Motivo: sua boa atuação em Brasília.

 

Na realidade, o deputado João Fontes tem participado ativamente das ações da Câmara, sempre em oposição ao presidente Lula.

 

O governador João Alves Filho descansa em uma praia do Nordeste – litoral pernambucano – e tem se dedicado à leitura.

 

Apesar do conselho de não atender Célula, o governador tem entrado em contato com alguns dos seus auxiliares.

 

Marília Mandarino não voltará a participar da chapa majoritária, porque terá o marido César Mandarino candidato a deputado estadual.

 

O secretário da Administração, Mendonça Prado (PFL), anunciou que estava saindo de férias com familiares. Foi o único que fez isso.

 

Os deputados Jorge Araújo e João da Graça compareceram na quinta-feira a seus gabinetes para colocar as coisas em ordem.

 

O prefeito de Barra dos Coqueiros, Airton Martins (PT) decidiu que em 2006 vai mostrar tudo que está fazendo: este ano não será igual ao que passou.

 

É preciso que todo motorista fique atento. A partir do dia 8 de fevereiro terá início o licenciamento anual de veículos.

 

O governo está com receio de que falte álcool no mercado em razão da entressafra. O produto já começa a ficar escasso.

 

brayner@infonet.com.br

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais