Casa de suspeitos

0

A Câmara Federal tirou de vez a máscara e revelou-se uma Casa de suspeitos, todos interessados em salvar as próprias peles, tirar os pescoços da forca. Ao aprovarem, na calada da noite, uma cabulosa emenda prevendo punir quem investigar corruptos, os deputados deixaram transparecer o temor de serem denunciados na Operação Lava-Jato. Ora, quem não deve não teme. Por que encurralar juízes, promotores e procuradores de Justiça preocupados em passar o Brasil a limpo? Ao legislarem em causa própria, aprovando uma lei para punir quem investiga corrupção, os deputados viraram as costas para o povo, deram um salvo-conduto aos criminosos do colarinho branco e deixaram claro que, ao menos para eles, o crime compensa. Vê-se agora que o saudoso Tim Maia estava certo quando disse que “este país não pode dar certo. Aqui prostituta se apaixona, cafetão tem ciúme, traficante se vicia e pobre é de direita”. Misericórdia!

Alô, alô, responde

Como perguntar não ofende, em que ficou a apuração sobre o possível espancamento de um garçon pelo juiz de Direito Cláudio Bahia Felicíssimo? O caso ocorreu há quase seis meses, numa pizzaria de Aracaju, tendo o magistrado sido conduzido pela Polícia à delegacia plantonista. Inicialmente, prometeu-se apurar a possível agressão do juiz a um humilde trabalhador, só que nunca mais se falou no caso. Teria virado pizza?

Leite derramado

O fechamento das fabriquetas de queijo no interior de Sergipe derrubou o já baixo preço do leite. Lacradas pelo Ministério Público, as queijarias dispensaram os empregados e deixaram de comprar 30% do leite produzido no semiárido sergipano. Sem ter o que fazer com a sobra, os criadores baixaram o preço para não perder tudo. Resultado: o litro de leite, antes vendido por R$ 1,47, já despencou para R$ 1,27. Nem precisa dizer que a crise está fazendo a alegria das indústrias de beneficiamento Natville, Sabe e Betânia. Aff Maria!

Crime compensa

“Corrupção passará a valer à pena”, lamenta a Associação Brasileira dos Magistrados.

Santo descoberto

O deputado federal Jony Marcos (PRB) enviou ofício ao senador Antônio Carlos Valadares (PSB) perguntando em qual data ele reuniu a bancada para transferir 30% da emenda da Infraero para o Hospital do Câncer? Incomodado, Jony acha que pesou na consciência de Valadares o fato dele ter colocado uma emenda impositiva para a Codevasf Nacional, tirando a do Hospital do Câncer. “Usou remendo de tecido novo para vestido velho”, disse Marcos. Esta informação do jornalista Diógenes Brayner está publicada na edição de hoje do jornal Correio de Sergipe.

Tá proibido

Os estudantes sergipanos que ocuparem escolas públicas vão se ver com a Polícia. Ao atender pedido de Tutela Antecipada do governo estadual, a magistrada Simone Fraga deixou claro que, em caso de descumprimento de sua decisão, a força policial deve promover a desocupação do colégio. Desde as manifestações nacionais contra a reforma do ensino proposta por este governo temerário, apenas três escolas públicas foram ocupadas em Sergipe.

Profissão de risco

“Com a aprovação dessa lei, a continuidade de qualquer investigação sobre poderosos, parlamentares, políticos, empresários, cria um risco pessoal para os procuradores”, atesta procurador Carlos Lima.

Despejo abortado

E por muito pouco o 10º Batalhão da Polícia Militar não foi despejado do imóvel alugado que ocupa em Nossa Senhora das Dores. Sem qualquer explicação, o prefeito João Marcelo (PSDB) rescindiu o contrato de aluguel, deixando os policiais na iminência de serem colocados no olho da rua. Sensível e reconhecendo o bom trabalho realizado pelo 10º BPM, o dono da casa, ex-prefeito Paulo Garcia, decidiu não despejá-lo. Ainda bem, né?

Vida de gado

Foi sancionada ontem, a Lei elevando vaquejadas, rodeios e outras expressões artístico-culturais à condição de manifestação cultural nacional e de patrimônio cultural imaterial. Em outubro, o Supremo Tribunal Federal considerou inconstitucional uma lei cearense que regulamentava eventos desse tipo. A vaquejada é bastante praticada no Nordeste. Os opositores à atividade argumentam ser comum o tratamento cruel de animais. E é!

Já era

"As 10 Medidas contra a corrupção não existem mais", admite o procurador-geral Rodrigo Janot.

Grana no bolso

O governo de Sergipe começou a pagar os salários de novembro. Hoje, recebem os servidores da Educação, Segrase, Ipesaúde, aposentados e pensionistas do Funprev e aposentados do magistério ligados ao Finanprev. No dia 7, vão receber os funcionários da Emdagro, Cohidro, Emgetis, Emsetur, Codise, Cehop, Pronese, Samu e celetistas das Fundações de Saúde. No dia 10, recebem os funcionários estatutários da Saúde e Fundações de Saúde, DER, Adema, Jusece, Detran, Fapitec, Fundação Renascer e demais secretarias. E no dia 12, os aposentados e pensionistas do Finanprev botam a grana no bolso.

Reforço de caixa

Até o final deste mês, deverão ser injetados na economia sergipana cerca de R$ 1,4 bilhão por conta do pagamento do 13º salário. Este montante representa aproximadamente 3,3% do PIB de Sergipe e será pago aos trabalhadores do mercado formal, aposentados e pensionistas. A estimativa do Dieese deixou bastante animados os empresários do comércio sergipano. Apesar da crise, eles apostam numa elevação das vendas agora no final do ano. Tomara!

Supremo reage

“Não se calará a Justiça”, diz Cármen Lúcia

Mamata no fim

Prefeitos e vereadores derrotados nas últimas eleições já começaram a arrumar as gavetas dos gabinetes. Eles ainda vão contar com as mamatas até o próximo dia 31, porém muitos já estão procurando emprego para quando janeiro chegar. Os que conseguiram eleger prefeitos torcem por uma boquinha oficial oferecida pelos aliados. Diante da forte crise financeira, muitos vão dar com os burros n’água. Misericórdia!

Publicado no jornal Correio de Aracaju, em 26 de novembro de 1929

Recorte de jornal

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais