Caueira (SE) – Pouca infraestrutura e muita diversão

0

É só chegar até a orla do balneário para ter a impressão de que falta pouco para a praia da Caueira, localizada no município de Itaporanga D’ajuda e distante pouco mais de 30km de Aracaju, ganhar a página principal dos roteiros turísticos do Estado. A orla passa por constante manutenção e o mar é um convite a diversão.

O acesso até a localidade se dar por uma rodovia asfaltada que termina na orla do povoado. Por ter sido construída bem acima do nível do mar, da orla se tem uma vista privilegiada da praia. São mais de sete bares à disposição dos visitantes, convidativos ao bel-prazer. Não se esqueça de pedir o catado de aratu ou pirão de guaiamum; iguarias encontradas com facilidade naquela região.

O mar tem águas escuras, mas mantém uma temperatura agradável e a areia é batida, própria para caminhada, bem como pratica de esportes mais radicais. Logo depois da orla, mansões a beira mar privilegiam poucos veranistas, mas há uma enorme faixa de areia de acesso a todos. Tão logo acabam as construções, começa uma pequena faixa de pequenas dunas e coqueirais, mas o denominado “Três Coqueiros” tem ficado famoso por chamar atenção para o tamanho e o enfileiramento. São três coqueiros enfileirados, um pequeno, outro médio e outro grande.

Ao entrar no povoado se percebe que a infraestrutura é simples, não há calçamento nem rede de esgoto nas ruas do povoado, porém, cogita-se que o poder público competente já possui um mega projeto estrutural para a região, inclusive com captação de empresas turísticas, mas enquanto não sai do papel, o turista encontrará pousadas simples, mas aconchegantes como a do Velho Téo, e alguns já na estrada que liga a Caueira a praia do Saco.

Em Aracaju, agências de viagens fazem passeios de um dia, que passam pelas praias da Caueira e do Saco, tempo suficiente para conhecer e curtir o litoral Sul de Sergipe. Caso queira passar mais de um dia, além das pousadas, há diversas casas para alugar, inclusive à beira mar.

Se quiser sossego, nos finais de semana fuja do trecho que compreende a orla, pois a praia enche de visitantes advindos de cidades da região e da fronteira com a Bahia. Mas se quer aproveitar o final de semana, recorra à faixa de areia que fica a direita, depois da orla, quando o movimento é bem menor. É lá que ficam os “Três Coqueiros”.

A dica é curtir o dia com muito banho de mar, apreciar a culinária a base de mariscos e crustáceos e o belo pôr-do-sol. Deixe o tempo passar e veja quando o sol se põe, ao fundo do vilarejo, emoldurada por coqueirais. Agora é esperar a noite cair, para curtir um pouco do cotidiano local num dos bares da orlinha. A diversão está completa.

Como Chegar

Caueira dista pouco mais de 30km de Aracaju. O acesso é fácil ou pela rodovia José Sarney ou pela BR 101. O percurso pela rodovia é bem mais perto, tranqüilo e disponibiliza paisagem bem interessante da vegetação litorânea de Sergipe. É por lá também que as empresas de turismo chegam até a Caueira.

Nos finais de semana, o visitante tem que praticar a virtude da paciência na travessia de balsa sobre o rio Vaza-barris, pois as filas chegam a medir quilômetros, porém, a tortura está prestes a se acabar coma a inauguração da ponte Joel Silveira, projeto antigo de governo, que agora sai do papel. Prevista para ser inaugurada no início de 2010, a ponte faz parte do projeto de ligação entre o litoral Sul e do litoral Norte de Sergipe e facilidade de se chegar até à Bahia em menos tempo, fomentando o turismo na região.

Pela BR 101, segue-se por ela até chegar a um minadouro de água a direita. O acesso fica a esquerda da rodovia e é bem sinalizado. A estrada está em boas condições, mesmo assim, ainda vale à pena ir pela balsa.

Dicas de viagem

ü   A praia é bastante agradável e o burburinho do vilarejo acontece na orla. Como a cidade possui pouca infraestrutura turística, ainda não despontou para o mesmo e muitos veranistas preferem se divertir em casa.

ü   O pôr-do-sol é batante agradável e o catado de aratu da região também.

ü   Se vai somente para conhecer a praia, faça o passeio também pela vizinha praia do Saco, no município de Estância.

ü    No verão, a praia recebe o Projeto Verão Sergipe com uma vasta programação artística, cultural e esportiva, atraindo um grande número de visitantes. Daniela Mercury, Marina Aydar, Naurêa, Vanessa da Mata, Titãs, já passaram por lá.

ü     Não fuja da tradicional foto do pórtico da orla da Caueira.

 

Fotos: Silvio Oliveira

 

Na Bagagem

O Departamento de Geografia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro lançou o “Roteiro das Luzes”, que leva turistas e moradores da cidade para um passeio histórico pela região central da capital. Monumentos, igrejas e prédios históricos estão no passeio gratuito que dura cerca de duas horas.

O Sindicato dos Guias de Turismo de Sergipe tem feito visitas constantes aos pólos de interesse turístico do Estado. No último domingo (28) um grupo esteve em Pacatuba.

O Aeroporto Santos Dumont (RJ) terá redução de até 24 voos nos horários de pico da manhã e da noite, para cumprir a exigência ambiental de diminuição de ruídos sobre alguns bairros da cidade. De 21 de setembro a 21 de novembro, o aeroporto estará em reforma. Todos os voos foram transferidos para o Galeão, exceto a ponte aérea Rio-Sampa.

Quadricíclos ecológicos da orla de Atalaia tem sido uma opção para quem quer conhecer o calçadão da Atalaia. O ponto de partida é a praça do Oceanário.

O Festival Nacional da Baleia Franca começou segunda (28) na Praia do Rosa (Imbituba/SC). O evento celebra o turismo de observação de baleias e até 02 de outubro turistas, comunidade local e convidados podem assistir teatros infantis com temas ecológicos, palestras e mesas de discussão, além de realizar o whale watching, observação de baleias.

Turistas pagam R$ 800 para viver durante cinco dias e quatro noites, em cinco aldeias indígenas na região de Porto Seguro (BA). O passeio atende no máximo a 12 pessoas por vez. As partidas ocorrem apenas nas semanas de lua cheia ou nova, sempre às terças-feiras. A empresa fica com 40% do valor e entrega aos índios os 60% restantes.

 

Passaporte

As fontes de Roma são igualmente famosas como as pontes de Paris e atrai visitantes de todos os cantos do mundo. A Fontana de Trevi é uma das mais visitadas, tão quanto a Fontana Dei Quattro Fiumi (Fonte dos Quatro Rios), projetada pelo escultor Gian Lorenzo Benini na Piazza Navona. Ela representa os quatro principais continentes do mundo cortados por seus principais rios: Rio Nilo, na África; Rio Ganges, na Ásia; Rio da Prata, na América e o Rio Danúbio, na Europa. Quem assistiu ao filme “Anjos e Demônios” lembra das imagens gravadas nesta fonte…

Fotos: Silvio Oliveira

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais