Circulo Partidário

0

Apesar do prazo para filiação partidária ter terminado em 30 de setembro, ainda hoje há um movimento em torno das siglas partidárias. É verdade que muita gente está livre leve e solto em relação a legendas partidárias, mas atentos às probabilidades que cada partido pode oferecer para eleger o maior número possível de candidatos. A disputa mais difícil, no próximo ano, será para deputado federal e há uma previsão de mudanças radicais na bancada, em razão de novos nomes que vêm surgindo e que têm chances de formar um grupo político diferente em Brasília. A perspectiva, em qualquer conversa de experientes homens públicos, é de que haverá uma renovação que pode chegar até ou mais de 50 por cento da bancada, o que poderá surpreender, porque é um fenômeno que nunca aconteceu em Sergipe. Um fato importante: nenhum deputado estadual aparece como pretendente à Câmara Federal, enquanto nomes importantes estão em busca de um lugar na Assembléia Legislativa.

Até sexta-feira, data limite para entrega da ata de filiações ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), muita gente que está sem anunciar partido, vai se definir. Mas pessoas com chances reais de ganhar o pleito – até mesmo de integrar chapas majoritárias – continuam sem partido e conversando para ver o que poderão acomodar nestes próximos dias. Há perspectivas de candidaturas a vice na chapa de reeleição do governador João Alves Filho que, decididamente, terá outra opção, já que o marido de Marília Mandarino, ex-prefeito César Mandarino, será candidato a deputado estadual. Alguns nomes têm surgido para ser o companheiro de chapa de João Alves, porque sabe que, em caso de sucesso, assume o governo, porque há expectativa do atual governador tentar uma vaga no Senado em 2010. Assim, o vice de agora deve dar continuidade ao projeto político ou avançar em outra concepção de governo, mas sem perder o grupo que originou as três lideranças políticas que passaram pelo Olimpio Campos e, mais recentemente, no Palácio dos Despachos.

Os nomes dos candidatos ao governo estão definidos: João Alves Filho e Marcelo Déda. Correndo na possibilidade, o vereador Elber Filho (PDT) – uma liderança jovem que poderá representar o novo em todos os sentidos – e o senador Almeida Lima (PMDB), que tem experiência política, já exerceu variados mandatos e quer dar um passo adiante em sua vida pública. Mas os vices são incógnitas. O provável nome que estará ao lado do prefeito Marcelo Déda deve sair do PSB, pela força que o senador Antônio Carlos Valadares tem nesse processo. Além disso, existem bons nomes no partido que podem fortalecer a chapa oposicionista, hoje menos eufórica com o resultado final do pleito, embora o prefeito Marcelo Déda acredite que manterá sua posição até a campanha eleitoral. Nos últimos dias, entretanto, fala-se muito que o candidato a governador pode ser o ex-presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT). Há conselhos, de militantes do partido próximos a Déda, de que ele deve permanecer à frente da Prefeitura. Um deles, que pede para não se identificar, diz que “é melhor uma Prefeitura na mão dos que dois governos do estado voando”.

Entretanto, entre os partidos que apóiam o governador João Alves Filho em sua reeleição, alguns nomes estão aparecendo como possíveis escolhidos para compor a chapa. Evidente que a palavra final será do candidato à reeleição, mas pelo menos um partido vai sugerir participação ao lado de João, como condição de consolidar o apoio. Apenas para repetir o que pensa políticos experientes vinculados ao PFL, o candidato a vice não pode ser um sujeito que esteja entrando no jogo político pela primeira vez e muito menos que não tenha condições de ajudar na votação do titular. Outra exigência, para formalizar o perfil de um bom companheiro de chapa, é que seja jovem, tenha liderança já comprovada e um reduto eleitoral preparado para enfrentar qualquer disputa política.

As eleições de 2006 trarão surpresas de todos os lados, inclusive na participação mais racional do eleitorado, que está visivelmente arrependido de ter votado pela influência do momento. É possível que o eleitor de hoje, mesmo aqueles que ainda dependem das ofertas pelo voto, vai escolher melhor. Repensar a qualidade do candidato e eleger quem considerar digno para representa-lo no governo e nos legislativos.


 
D. MARIA

A senadora Maria do Carmo Alves (PFL) disse ontem que é candidata à reeleição em 2006, inclusive porque é isso que mostra as pesquisas.
Maria do Carmo não entra em detalhes sobre isso, porque considera que é natural o seu desejo de se manter no Senado Federal.

INDIGNAÇÃO
A senadora Maria do Carmo ficou indignada com a ação do ministro Jaques Wagner, em relação ao acordo com o bispo Luiz Carlos Cappio. Foi feito um entendimento para sustar o projeto, o bispo suspendeu a greve de fome, depois o ministro disse que “não foi assim”.

ALMEIDA
O senador Almeida Lima (PDT) diz que não rompeu com o governador, mas lembra que em 2004, na campanha para prefeito, “João não desejou acordo com o meu partido”. Reconhece “que foi um direito dele”. Já para 2006, “temos um outro projeto que não é o de vê-lo governador pela quarta vez”.

ACORDO
Almeida Lima conta que “quando fiz o acordo com João em 2002, eu não assumi compromisso de parar a minha carreira política no Senado Federal”. Acrescento que “o único compromisso que assumi foi de votar nele em troca do apoio para Senador. Não fiz acordos por secretarias ou outros órgãos”.

PAIXÃO
O deputado federal Ivan Paixão (PPS) diz que a maioria dos seus aliados deixou o partido, com receio da candidatura de Roberto Freire a presidente da República. Freire, entretanto, deixou claro, em telefonema para membros do partido em Sergipe, que não seria candidato caso a verticalização não caísse.

CONVÊNIO
A presidenta do Tribunal de Justiça, Marilza Maynard, está fazendo convênios para as prefeituras e já envia o documento assinado por ela. Através desse convênio, as Prefeituras têm que ceder funcionários, pagar estagiários e reformar o fórum quando houver necessidade.

SUKITA
O agravo regimental que derruba a liminar que cassar o prefeito de Capela, Manoel Messias Sukita Santos, pode ser votado hoje ou quinta-feira. O prefeito e seu advogado viajam a Brasília para acompanhar a votação do TSE, cuja pauta para de votação ainda não fora divulgada.

CONTINUA
Sukita continua exercendo o mandato de prefeito de Capela, porque ainda não foi executado nenhum acórdão. Sexta-feira passada o vice-presidente da Câmara e mais quatro vereadores fizeram um movimento para que o presidente da Casa assumisse. Mas não teve êxito.

CONDENAÇÃO
O ex-prefeito de Cristinápolis, Sebastião dos Santos, foi condenado a pagar R$ 50.385,10, por irregularidades em recursos repassados para o Fundo Nacional de Saúde (FNS). O ex-prefeito também foi multado em R$ 30 mil e tem prazo de 15 dias para comprovar o recolhimento das dívidas aos do FNS e do Tesouro Nacional. O julgamento é do TCU.

GASTOS
Quando o bispo de Barra (BA), Luiz Flávio Cappio, interrompeu a greve de fome em troca da reabertura do debate do projeto de transposição das águas do rio São Francisco, o Tesouro Nacional registrava que a obra já havia consumido neste ano seis vezes o dinheiro público dos recursos gastos na recuperação e revitalização da bacia.

DIFERENÇA
Foram gastos mais de R$ 12 milhões para a transposição contra pouco menos de R$ 2 milhões para obras de revitalização e recuperação do São Francisco. Contratado para gerenciar a transposição das águas, o consórcio Logos-Concremat já embolsou mais de R$ 8 milhões, por exemplo.

TRANSPOSIÇÃO
O governador João Alves Filho tenta barrar o projeto por vias legais. Ele foi procurado por um grupo de defensores do rio que pediram seu apoio para uma série de ações.
A primeira delas resultou, na quinta passada, em liminar suspendendo o processo de licença ambiental.

REAÇÃO
A outra ação que parte do quartel da transposição, já em andamento, está questionando a competência da ANA (Agência Nacional de Águas) para decidir sobre o uso dos recursos do rio. O grupo também pediu ao TCU (Tribunal de Contas da União) auditoria dos gastos já realizados e que serão utilizados.

TURISMO
O secretário Turismo, Pedrinho Valadares, lançou uma idéia para divulgar os roteiros turísticos de Sergipe dentro do próprio estado.
Vai realizar palestras nas escolas públicas dos municípios sergipanos, visando conscientizar o estudante para a importância do turismo enquanto fonte geradora de emprego e renda.


Notas

FUNDO-1
A comissão especial criada para analisar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 524/02 deve se reunir hoje para discutir e votar o relatório do deputado Fernando Ferro (PT-PE). A PEC 524/02, de autoria do Senador Valadares (PSB) cria o fundo de revitalização da bacia do rio São Francisco. Pelo projeto original apresentado pelo senador Valadares, o governo reduziria 0,5% da arrecadação de impostos federais para aplicar na revitalização do rio São Francisco. O total seria de R$ 600 milhões/ano.

FUNDO-2
O parecer do relator da PEC é favorável à proposta, na forma de substitutivo. O novo texto apresentado por Fernando Ferro determina que o fundo será gerido pelo Ministério do Meio Ambiente e reduz de 0,5% para 0,2% do produto da arrecadação dos impostos federais os recursos que serão destinados a ele. Em compensação, estabelece que 10% das verbas oriundas da participação de estados e municípios no resultado da exploração de recursos hídricos para geração de energia elétrica sejam destinados ao fundo.

FUNDO-3
Constituição determina que estados e municípios que tiveram partes de seus territórios inundados pelos reservatórios das usinas hidrelétricas recebam 5,4% do valor da energia elétrica produzida, a título de compensação financeira. Em 2004, o montante de recursos transferido foi superior a R$ 1,3 bilhão. Os programas e projetos governamentais devem ser empregados os recursos do fundo, como recuperação florestal de áreas essenciais à manutenção da quantidade e da qualidade dos recursos hídricos, diz o relator.


É fogo

O publicitário Antônio Leite deixou o PV e será candidato ao Senado Federal pelo Partido Socialista Democrático Cristão (PSDC). 

A dança dos partidos ainda continua e só se define na próxima sexta-feira (14). Muita gente ainda está sem partido.

O ex-deputado Pedro Firmino e o ex-vereador Alcivan Menezes estão filiados ao PPS e querem disputar as eleições estaduais.

Os candidatos a deputado federal que dão sustentação ao governo acreditam que terão um chapão nas próximas eleições.

O deputado federal Jackson Barreto (PTB) ainda está aborrecido com o deputado estadual Adelson Barreto, que não conversou com ele antes de deixar a legenda.

O PSB de Barra dos Coqueiros investe na renovação e deverá ter como um dos seus filiados e presidente da Ala Jovem, o ex-vereador Daniel Imbassahy.

Especula-se que Andrezza Rocha, filha do prefeito de Lagarto, Zezé Rocha (PTB) poderá ser candidata à deputada estadual.

O grupo majoritário do PT em Sergipe conseguiu fazer o presidente do diretório regional, Mácio Macedo.

A greve dos bancários não alterou o ritmo de funcionamento das agências. A grande maioria abriu suas portas.

As chamadas locais a cobrar feitas a partir de telefones fixos vão ficar mais baratas a partir de janeiro do próximo ano.

Os riscos no abastecimento de gás, problemas na legislação e os preços do insumo dificultam a expansão da rede de usinas termelétricas no país. Afirma a CNI.

A maioria da bancada federal viajou ontem a Brasília, mesmo com o feriado de amanhã. Aldo Rebelo está ameaçando cortar o ponto dos faltosos.

brayner@infonet.com.br

 


 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários