Coisas de Política

0

Em defesa do parlamento

Deputado Federal Jorge Alberto – PMDB/SE

O final de 2005 foi marcado pela excessiva exposição do Parlamento à execração pública. Formou-se um pool de emissoras de comunicação, capitaneadas pela Rede Globo, com o claro propósito de destruir a imagem do Congresso Nacional. De tão bem sucedida, essa campanha deve ter provocado inveja aos melhores publicitários deste país, sobretudo os marqueteiros políticos, como o senhor Duda Mendonça. Não há como negar que os objetivos, por mais sórdidos e obscuros que sejam, foram sobejamente alcançados. Nossa imagem está indelevelmente maculada. Há claramente em curso uma das mais insidiosas campanhas contra este Parlamento. Os caros espaços nos meios de comunicação, que devido aos seus altos custos são contados em segundos passaram a ser sobejamente ocupados por longas e dispendiosas matérias mostrando os corredores e plenários vazios, tanto da Câmara dos Deputados quanto do Senado Federal. Mesmo tendo conhecimento de que os trabalhos da convocação extraordinária só se iniciariam em 16 de janeiro, não houve um dia em que a nossa presença não tenha sido cobrada. Até na sexta-feira, antevéspera de Natal este fato foi explorado.

 

Os efeitos dessas pressões foram gradativamente assimilados por muitos colegas que se sentiram intimidados e passaram a divulgar a devolução do dinheiro da convocação extraordinária, ou a doação desses valores para instituições. Creio que ao agirem dessa forma cometeram o grave equívoco de se dobrar àqueles que por razões obscuras tentam manietar este Parlamento. E, pior, parece que ludibriaram e a negociata das negociatas que impetraram foi à máxima que poderiam perpetrar a Política e contra esta Instituição.

 

Muitos outros, como este Parlamentar, sem alarde, sem ostentação, já dedicam costumeiramente parte de seus ganhos e até mesmo de seu próprio patrimônio a colaborar também com campanhas de solidariedade em prol da diminuição das dificuldades e do sofrimento alheio. Repito: sem jactância, alardeio ou bazófia.

 

Recentemente a consultora legislativa da Câmara, Kátia de Carvalho, publicou estudo sobre os recessos parlamentares em outros países. Sua pesquisa aborda além dos países desenvolvidos àqueles também em desenvolvimento, em especial na América Latina. Em países como Canadá, Estados Unidos, Portugal, Espanha, França, Alemanha, Itália, Inglaterra e México as atividades parlamentares, em muitos casos, beira a informalidade. No Canadá, por exemplo, a imposição é de que o Parlamento se reúna, no mínimo, uma vez a cada doze meses. Nos Estados Unidos à matéria é disciplinada pela Emenda Constitucional nº 20, de 1933, que determina apenas que as sessões legislativas começariam em 3 de janeiro de cada ano, salvo deliberação em contrário do próprio Congresso, por meio de lei. Em Portugal o período normal de reunião da Assembléia da República é de 15 de outubro a 15 de junho, na Espanha o Congresso se reúne em dois períodos, de setembro a dezembro e de fevereiro a junho. Na Itália as matérias são discutidas na Câmara dos Deputados por apenas três meses durante o ano e por dois meses no Senado. Na América Latina, a Argentina, Paraguai e Uruguai adotam recesso parlamentar de cerca de 4 meses. Nos demais, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Peru e Uruguai os períodos de trabalho nos parlamentos não ultrapassam 120 dias por ano.

 

Nossa imprensa, e boa parcela de nossa elite pensante voltam suas artilharias para este Parlamento, não ignoram o quanto são peculiares as nossas atividades. Sabem bem que as leis não são criadas por metro; sabem que já aprovamos recentemente matérias de tamanha relevância que justificariam meses e meses de trabalho; sabem que aqui não funciona uma empresa que deve ter a sua produtividade auferida numa linha de produção; sabem também que recebemos uma delegação popular que nos obriga a manter constante intercâmbio com nossas bases; sabem ainda que o afastamento dessas bases e o isolamento em Brasília nos aliena do convívio popular e sepulta inexoravelmente qualquer carreira política; sabem que as votações em plenário são, no processo legislativo, o último estágio e que antes as matérias já foram exaustivamente debatidas nas comissões e na oitiva de todos os grupos interessados.Por outro lado, não temos nenhuma razão para nos envergonhar perante o que nos é pago. Pelo contrário, quem exerce com dignidade e denodado espírito público o múnus que lhe é delegado, deve ser recompensado por isso sem ter de depender de benesses que sempre são concedidas na expectativa de contrapartidas. Não creio que haja nesta Casa colegas que vivam com exclusiva dedicação ao seu mandato e que estejam vivendo nababescamente com o que recebem. É exatamente quando não estamos em Brasília que nossa missão se torna mais árdua. É quando nos transformamos em ouvidores da sociedade, quando a população encontra em nós a última esperança para a solução de seus problemas. O desgaste é natural diante das enormes carências e frusta-nos a impossibilidade de atendê-los. Sentimo-nos muitas vezes prostados diante das dificuldades. Tudo isso nos obriga muitas vezes a limitar a ajuda que damos aos que nos procuram, sob pena de “vestir um santo para desvestir outro”. Temos de necessariamente manter uma estrutura extremamente dispendiosa em nossas bases. Os constantes e necessários deslocamentos em nossos estados são dispendiosos e às vezes nos deixam no vermelho. Sem contar o fato de que são extremamente extenuantes, mas enquanto isso somos taxados de desidiosos, relapsos que “ganham sem trabalhar”. O simples fato de não estarmos em Brasília não significa necessariamente que estejamos no dolce farniente. Quantas e quantas vezes exaurimos os debates sobre matérias de extrema importância e que se fossem aprovadas como desejavam muitos, enormes prejuízos trariam a toda a sociedade? Infinitas vezes exercemos o nosso poder moderador para impedir os excessos do Poder Executivo que nem sempre tem a sensibilidade necessária para ouvir o clamor popular.

 

Concluiu o deputado federal e médico Jorge Alberto, afirmando que o ideal seria que convidássemos uma boa parte da imprensa nacional para acompanhar o nosso trabalho nos Estados. Quem sabe assim haveria por parte dela um pouco de condescendência para com o nosso trabalho e passassem então a divulgar, como deve ser feito, os nossos vícios e defeitos, mas também as nossas virtudes. Defeitos e virtudes que não são monopólios de deputados e senadores, mas de toda a sociedade. Somos um microcosmo de toda a sociedade, com todas as suas idiossincrasias e diversidades.

 

Siriri in fest

 

Será comemorado de 27 a 29 de janeiro do ano em curso na cidade de Siriri, a Festa de Santos Reis na oportunidade também será comemorado a tradicional Festa das Cabacinhas.

A programação da sexta-feira se fará presente a s Bandas: Mastruz com leite, Serginho e Banda Maria Joaquina e Tayrone Cigano, no sábado: Arrastão das crianças com Carla Perez a partir das 15:00 há, em seguida Abalada, Ricardo Chaves, Brasa do Forró e Batukerê, já no domingo a animação fica por conta das Bandas: Arrastão com Swing Art Mania, Arrastão com Beto Jamaica e no Palco Luiz Caldas e Forró Brasil.

O nosso amigo Valdomiro juntamente com os organizadores convida amigos e simpatizantes do mega evento.

 

Bordas de Prata Dourada

 

O jovem casal Nilton Sá Vieira de Melo e Maria Virginia Passos Vieira de Melo comemorará no próximo dia 28 de janeiro de 2006, As “Bordas de Prata Dourada”, com uma missa de Ação de Graças na Igreja Santa Terezinha, na Rodovia dos Náufragos, parabéns ao jovem casal que estará completando 45 anos de vida conjugal.

 

Geraldo Alckmin no Pré-Caju

 

O Governador de São Paulo se fez presente na maior prévia carnavalesca do País, ao ser entrevistado lhe foi perguntado se realmente era pré-candidato a Presidência da Republica e a resposta foi a que todos nós já sabemos, sim, também foi indagado se a provável pré-candidatura do atual presidente Lula lhe atrapalharia, o mesmo informou que não.

O Governador esteve todo tempo acompanhado do ex-governador Albano Franco, do ex-deputado estadual Valter Franco, deputado Federal Bosco Costa, deputado estadual Fabiano Oliveira entre outras autoridades sergipana.

 

Deputado visita municípios

 

O deputado estadual Francisco Gualberto tem aproveitado o recesso parlamentar para fazer visitas a correligionários e amigos buscando novos apoio para a sua reeleição tanto na capital como no interior do Estado.

Na próxima quarta-feira, será instalado o comitê dos professores do município de Aracaju em pró da candidatura do deputado Francisco Gualberto. Os próximos comitês a serem fundados serão os de petroleiros e petroquímicos e o comitê dos sindicalistas.

No sábado o deputado terá um encontro no município de Nossa Senhora do Socorro com adeptos que apóiam a sua candidatura. No período da noite o deputado terá um novo encontro no povoado Colônia Treze, no município de Lagarto. No domingo o encontro será no município de São Cristóvão, com os militantes do PT e simpatizantes a candidatura do deputado.

 

Nossos Parabéns mais uma vez ao Deputado Fabiano Oliveira

 

Já não temos Carnaval de rua em Aracaju e ainda tem gente que diz que o nosso Pré-Caju não atrai turista, é não conhecer ou não gostar do Pré-Caju.

Mais uma vez está de parabéns o nosso amigo deputado Estadual Fabiano Oliveira, pela realização e por não deixar morrer esse nosso Carnaval, não precisa fazer muito esforço para ver a multidão agitar e se divertir pra valer, a festa é de todos, afinal é sem duvida o Carnaval de Aracaju.

E por falar em Fabiano Oliveira, a equipe do Jornal Povão agradece a gentileza e atenção que teve com essa equipe durante todo o evento, agradar e atender a todos num mega evento desse porte é dificílimo, mas só o Fabiano juntamente com a sua equipe conseguem fazer esse milagre e atender a contento os foliões, amigos e admiradores.

 

Batizado

 

Aos 11 anos de idade a princesinha Débora de Oliveira Santos, filha do jovem casal Degivaldo Santos e da senhora Acácia Maria de Oliveira Santos, foi batizada no domingo (22/01/2006), a espera se deu pelo fato dos padrinhos serem natural da Cidade de Cumbe/SE e residirem a mais de 30 anos em São Paulo, são eles: José Gabriel de Oliveira e a Rosalina Pereira da Silva.

O churrasco que se estendeu durante todo o dia, se fez presentes as seguintes personagens: Ex-vereador Batatinha da Cidade de Cumbe, Cícero, Djenal, Orlando, Jailson, Pedro, José Claudionor, senhora Fátima, José e Teca e este colunista acompanhado da sua esposa Patrícia Mattos e seu filho Miguell Mattos Andrade, não fosse dessa forma não saberia contar os detalhes.

 

GRANDE OPORTUNIDADE

 

VENDE-SE OU TROCA POR CARRO TERRENO NA PRAIA DO ROBALO, PROXIMO AO CLUBE DA POLICIA FEDERAL – MEDINDO 18X35 VALOR R$ 20.000,00 – TRATAR COM JOÃO EVANGELISTA PELO FONE: 9959 2600.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários