Comandaroba (SE): construção jesuítica em Laranjeiras

0
Construção símbolo de Laranjeiras. Foto: Sílvio Oliveira

Carmelitas, franciscanos, jesuítas são algumas das ordens religiosas que marcaram a história da colonização e expansão do povo brasileiro. Em Sergipe não foi diferente e prédios históricos contam parte desse período (1575 – 1759), a exemplo da igreja Comandaroba e do Retiro, em Laranjeiras, última matéria da série “Caminho dos Jesuítas em Sergipe”.

Além de ser um dos símbolos e ponto turístico da cidade histórica de Laranjeiras (SE), a igreja de Nossa Senhora da Conceição de Comandaroba é um dos marcos da passagem jesuítica por Sergipe, provavelmente a última construção por essas terras. A igreja data de 1734, (documentos dizem que ela existia antes em formato precário), período final da Companhia de Jesus em solo brasileiro (1759), data em que foram expulsos das colônias portuguesas, acusados de promoverem um “Estado dentro do Estado”.

Imagens harmonizam com o altar de madeira. Foto: Sílvio Oliveira

O templo apresenta as características das demais construções jesuíticas no Nordeste, com cruzeiro em frente à igreja, pórtico de pedra calcariana na entrada com data da construção.  Dos dois lados, muitas janelas adornam os amplos corredores com diversos arcos, concedendo a arquitetura um harmonioso contraste entre luz e sombra.

Os adornos exteriores não são tão trabalhados como em outras construções jesuíticas, mas dentro do templo o altar é esculpido em madeira com adereços marianos, especificamente nesta igreja, em homenagem à Virgem da Conceição.Comandaroba foi erguida com dois andares e o púlpito do lado esquerdo com detalhes orientais. Não há mais o símbolo principal da Companhia de Jesus no teto como acontece na igreja de Tomar do Geru (SE), mas as evidências jesuíticas estão presentes na imagem de São Benedito e nos adornos marianos talhados no altar.

O altar é todo talhado em madeira cedro, com adornos marianos. Foto: Sílvio Oliveira

Documentos mostram que os jesuítas construíram Comandaroba para catequizar os índios da região do Cotinguiba e para marcar presença numa outra região sergipana, já que estavam presentes também na região de Santa Luzia do Itanhy. Eles tinham habilidades da navegação, do comércio, da criação de gado, da agricultura, além de diversas artimanhas militares. Em Sergipe, foram prósperos artesãos da construção de navios, além de criadores de gado, principalmente nas regiões dos rios Vaza-Barris, Cotinguiba, São Francisco e Piauí-Real. Mas Comandaroba não foi a primeira construção jesuíta em solo laranjeirense.  A primeira delas foi a igreja de Santo Antônio e o casarão da Companhia de Jesus, construções às margens do rio São Pedro. Inaugurada em 1701, hoje instalada em terras de uma indústria de fertilizantes do grupo Votorantim.

Comandaroba, Tejupeba, Retiro, Igreja do Socorro em Tomar do Geru são algumas das edificações do grande legado deixado pelos jesuítas para os brasileiros. Muita história ainda há de ser contada, conhecida e desbravada. Porém, é sabido que Turismo e História são aliados quando as edificações contam um passado, através do qual todos se sentem parte dele. As construções jesuíticas em Sergipe são a história dos brasileiros ainda a ser desbravada turisticamente para o mundo.

Arquitetura em arcos e colunas permitem um jogo de luz e sombra.Foto: Sílvio Oliveira

Fonte: Viagem realizada com participantes do III Ciclo de Visita Técnica “Caminhos dos Jesuítas”, do Grupo de Pesquisa Culturas, Identidades e Religiosidades – GPCIR, doDepartamento de História da Universidade Federal de Sergipe. Pesquisadores: Antônio Lindvaldo ,Josileide Luciano.

Dicas de viagem

  • Laranjeiras fica no Vale do Cotinguiba, a pouco mais de 33km de Aracaju, partindo pela BR 101 no sentido Alagoas. Não precisa adentrar a cidade para ter acesso à igreja. Na entrada do centro urbano, há uma sinalização para virar à esquerda e logo se avistamas torres da igreja. A igreja fica em solo da atual fazenda Boa Sorte, de propriedade da família Sobral.

  • Há um caseiro que toma conta e uma zeladora que mantém a limpeza da igreja. Ainda há celebrações na igreja e é aberta a visitação pública com o consentimento dos proprietários.

  • Vale a pena agregar a visita à Comandaroba com outros monumentos de Laranjeiras. São pontos turísticos: a igreja matriz do Sagrado Coração de Jesus, Casa do engenho Retiro e igreja de Santo Antônio, capela do engenho Jesus, Maria e José, igreja de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, gruta da Pedra Furada, terreiro Filhos de Obá, Trapiche, Mercado Municipal, museus de Arte Sacra e Afro-brasileiro de Sergipe, entre outros.

  • As imagens sobre o altar da igreja não são originais, mas harmonizam com o altar totalmente talhado na madeira. No andar superior, há uma bela vista do entorno de Laranjeiras.

  • A cidade detém o título de “Capital da Cultura Popular”, por ser berço de diversas manifestações folclóricas, a exemplo da festa de Lambe-sujo e Caboclinhos e do Encontro Cultural de Laranjeiras.

  • O conjunto arquitetônico do Retiro só pode ser visitado com agenda prévia através da Votorantim.

Gastroterapia

Cabeça de frade servido em um dos botequins de Macéio (AL). Alho com ervas finas e queijo ralado.

Você já comeu Cabeça de Frade? Nos melhores botecos de Maceió (AL), o cabeça de frade nada mais é do que a “cabeça” de alho completa embebecida de azeite de oliva e ervas.  O alho com casca é colocado em forno com alto grau de temperatura. O azeite cozinha o alho e as ervas dão um gosto e aroma especiais. O modo como é cozido faz com que os dentes de alho saiam totalmente da casca e percam parte do apurado gosto. A porção é servida com torradas e queijo ralado.

Na Bagagem

Museu do Mangue

Uma bela estrutura que deveria ser um dos cartões postais de Aracaju, além de movimentar a economia do bairro Coroa do Meio, nunca foi utilizada para tal. O Museu do Mangue foi finalizado em 2011 dentro de um projeto de urbanização do bairro, mas nunca foi inaugurado como museu. Um incêndio praticado por vândalos destruiu um dos cinco quiosques. Em 2012, em nova gestão municipal, sofreu ajustes e foi inaugurado como Centro de Educação Ambiental. Para se ter uma ideia, o investimento inicial custou mais de R$ 1.671.627,27. Você já ouviu falar do Centro de Educação?

Reforma da Orlinha da Coroa do Meio

O secretário da Indústria e do Turismo de Aracaju, Walker Carvalho, anunciou em entrevista a um jornal que a reforma e ampliação da Orlinha do bairro Coroa do Meio deverá sair do papel. A população aguarda a tão sonhada obra. O turismo agradece.

Orla do bairro Industrial

A segunda etapa da construção da orla do bairro Industrial continua a todo vapor, mesmo que a primeira etapa necessite urgente de manutenção. As madeiras do deck e da mureta estão quebrados e a jardinagem precisa ser mantida. Parte dos alambrados das quadras não existe mais. Os bares registram queda na procura. Estado ou município, o espaço público precisa de reformas.

XIV Fórum do Forró de Aracaju

Exposições, debates, seminários, exibição de documentários comporão a programação do XIV Fórum do Forró, a ser realizado no período de 16 a 18 de junho, no Centro de Cultural de Aracaju. Neste ano as homenagens vão para Gerson Filho, em seu centenário. Também farão parte das homenagens os sergipanos: João da Passarada, Marcos Guedes, Luiz Paulo, Robertinho dos oito baixos e Zé Rosendo e Marluce.

Passeio junino Ta Tu na Roça

O irreverente passeio junino Ta Tu na Roça, onde homens se vestem de mulher e vice-versa, será realizado no dia 24 de junho, a partir das 7h30, nas proximidades da praça da Bandeira, em Aracaju.

Leia mais:

www.facebook.com.br/tonomundo

silviooliveira@infonet.com.br

Comentários