Como venci a minha primeira meia maratona

0

Domingo, 12 de abril, participei da Golden Four Asics, no Rio de Janeiro. Na noite anterior conversei com minha mãe pelo telefone. Antes de desligar ela me diz:

– Ganhe viu meu filho.

– Tá bom – respondi.

Acordei no dia da prova pensando nisso. Pensei em todas as infinitas possibilidades para cruzar a linha de chegada em primeiro. A corrida estava bem ali. Faltavam alguns minutos para começar. Olhei um e outro e marquei todos os coelhos.

A minha largada foi às 7h10. De início deixei muita gente passar. Queria provar que eu poderia vencer todos em questão de minutos. Eu queria exibir meu orgulho e dizer que ultrapassei um por um.

No segundo quilômetro acompanhei um rapaz. Aproveitei pra conversar com ele. Contou-me que na infância era uma criança muito inquieta. Não conseguia se comportar em sala de aula e os pais sempre buscavam alternativas em outras unidades de ensino, mas em vão. Dei um adeus e segui correndo. Não ia render.

Um pouco mais na frente colei em outra pessoa. Puxei conversa. Esse me revelou muitas histórias quando ainda criança e início da adolescência. Disse que ficou sem falar com os irmãos. Não sabe o motivo até hoje. Talvez as pequenas brigas do dia a dia que foram se acumulando. Atualmente, apesar de uma boa relação, continua sem conversar com eles. Ouvi o suficiente e falei que eu precisava aumentar o ritmo.

Sem querer, esbarrei em outro corredor. Pedimos desculpas um ao outro e iniciamos um bate papo no percurso. Conversamos sobre como o Rio de Janeiro é bonito e concordamos que é um excelente lugar para voltar e conhecer com mais afinco. Esse é um cara cheio de sonhos políticos. Daqueles que não gostam de partidos. Queria viajar o mundo de bicicleta e sentir o gosto da humanidade.  “Quem sabe um dia” – disse. A conversa com esse rendeu um bocado.

As minhas gordurinhas extras já estavam fazendo efeito. O joelho dava seu sinal. Entre esse momento de “preciso emagrecer mais” encontrei um corredor que, com certeza, estava com o peso acima do meu. Eu sabia que iria deixa-lo para trás, mas antes procurei saber um pouco sobre sua vida. Entre baforadas, ouvi que o objetivo era perder peso e recuperar a autoestima. Antes e depois de uma cirurgia no joelho ele ficou muito debilitado. Estava em busca da vida. Um tapinha na mão e tchau.

Encontrei outro corredor que fez uma rápida explanação sobre seus momentos. Há cinco anos teve uma crise de pânico sem causa aparente. Ficou com medo até mesmo de subir escadas. Isso e mais algumas coisas desencadearam a síndrome e outros medos começaram a aparecer. Não tinha mais tesão de jogar bola com os amigos, viajar, pedalar, dirigir ou estudar. Tudo era sinônimo de medo. Ouvi com atenção, mas era hora de aumentar os passos.

Ao longo da corrida percebi que poderia conhecer várias pessoas. Uma delas me chamou a atenção porque não queria estar ali. Ele foi insistentemente convidado pelos seus familiares que o chamaram para correr. Estava com o rosto emburrado, chateado porque preferia estar fazendo outra coisa. Deixei desabafar e me mandei enquanto ele ainda continuava esbravejando.

Corri tanto que não percebi que faltavam apenas dois. O segundo olhou para mim e tentou acompanhar as passadas. Rapidamente eu disse: “cuidado para não se machucar”. Ele retrucou: “A vida é uma competição”. Fiz algumas perguntas. Fiquei sabendo que era estudante de Direito e estava ali porque queria entrar no mercado, construir uma família, ter estabilidade financeira e ser advogado de um grande escritório. Muito regrado, ambicioso, determinado e burocrático, mas não o suficiente para seguir meu ritmo.

Apenas mais um. Eu tinha que conversar com ele, ainda que estivesse faltando poucos quilômetros para a chegada. Era eu e ele. Precisava saber sobre aquele cara. Ele foi direto: “são essas namoradas da vida. Acham que a gente deve gostar mesmo quando não estamos satisfeitos. Isso é chato. Só pra dizer que está de mãos dadas com alguém. Não quero isso”.

Não precisei render assunto com esse último. Estava claro que ele estava insatisfeito com algum relacionamento. Eu precisava vencer e cumprir com o pedido da minha mãe. Esse último comeu poeira na entrada da orla em São Conrado. Entre passadas, corri para a vitória. O primeiro a cruzar a linha de chegada. Olhei para trás e curiosamente não havia mais ninguém. Meus medos sequer completaram a prova. Eles não gostam de meia maratona.

Golden Four Asics

A estrutura da corrida é um evento à parte. Diversos pontos de hidratação ao longo do percurso, com água e repositor energético. A cada quilômetro uma frase para dar um gás no ânimo. Percurso muito bonito (Recreio dos Bandeirantes até São Conrado). Animação na saída e chegada. Massagem e crioterapia pós-prova e outros mimos. Uma prova para correr sempre que possível. Fotos aqui. No blog Mil Corridas conto mais detalhes como foi a corrida.

Corrida Viver Bem

Continuam abertas as inscrições para a Corrida Viver Bem Shopping Jardins 2015. O evento será realizado no dia 26 de abril, com provas de 5 e 10 km. As inscrições podem ser feitas através do site.

Cumbe

A cidade de Cumbe, distante 63 km da capital sergipana, realizará a 1ª Corrida do Trabalhador, com 8 km de percurso. O evento será no dia 3 de maio. As inscrições, que custam R$ 25,00, são limitadas para 100 atletas. Haverá premiação em dinheiro e troféu, com um total de R$ 4.860,00 divididos em sete categorias. Os interessados devem procurar Joaquim, responsável pela Equipe Pé no Chão, ou a loja Esporte e Lazer, que fica localizada na Rua Geru, 295, Centro.

Corredores de Aracaju

No próximo domingo, 19, acontece a Corrida Corredores de Aracaju.  O evento, que foi organizado de corredores para corredores, promete fazer um grande nas areias da praia de Atalaia. A largada está prevista para às 7h na Passarela do Caranguejo. As inscrições foram limitadas para 200 participantes.

Central da Corrida

Estão abertas inscrições para as seguintes provas:

Corrida do Trabalhador 2015
– Data: 01 de maio de 2015
– Local: Ginásio do Sesi em Nossa Senhora do Socorro/SE
– Valor: R$ 40,00

Corrida de Prevenção a Cegueira
– Data: 30 de maio de 2015
– Local: Orla de Atalaia. Aracaju/SE
– Valor: R$ 55,00 até o dia 15/04. R$ 65,00 a partir do dia 16/04

XXV Corrida Rústica Santo Antônio
– Data: 14 de junho de 2015
– Local: Praça Siqueira de Menezes. Bairro Santa Antônio. Aracaju/SE
– Valor: R$ 40,00

Mais informações no site da Central da Corrida.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais