CONVERSAS NO AVIÃO

0

O governador eleito de Sergipe. Marcelo Déda (PT), teve ontem o primeiro encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto, em audiência formal. Esperou uma hora, aproximadamente. O suficiente para contatos com a ministra chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. No encontro se falou de tudo, principalmente (óbvio) em política e resultado das eleições. Quando Déda informou ao presidente que ele ganhou em Aracaju, arrancou-lhe um sorriso: “É verdade? Então dá um abraço no Edvaldinho (prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira – PCdoB)”.

Durante a conversa, Marcelo Déda disse ao presidente que antes ficava encabulado para pedir alguma coisa, “mas agora não”. Considerou que era fundamental para ele (Déda) que Sergipe tivesse um nome entre os auxiliares do Governo Federal em qualquer dos escalões. O presidente não confirmou nem negou. Durante o atual Governo, Sergipe indicou um nome para Presidência da Petrobrás (José Eduardo Dutra), cargo tão importante (ou mais) que alguns ministérios.

Ao despedir-se do presidente Lula, o governador eleito Marcelo Déda avisou que passaria o final de semana prolongado em uma das praias próxima a Salvador, para descansar um pouco e retornar a Sergipe no domingo. Lula pegou-lhe no braço e falou: “também vou a Salvador agora. Você almoça comigo e viajamos juntos”. De Brasília, Déda ligou para sua mulher e comunicou a alteração de percurso. Ela viajou de carro para encontrar o marido na capital baiana. Marcelo Déda ficou em um hotel e o presidente Lula hospedou-se na base militar de Aratu, uma praia controlada pela Marinha, ao lado da mulher Marisa, dos filhos e parentes. Também retorna a Brasília no domingo, para dar continuidade às conversas com governadores eleitos e lideranças políticas.

No vôo presidencial também veio Pedro Lopes (PT), que trabalha com o governador eleito de Sergipe há vários anos.

Marcelo Déda veio conversando com o presidente Lula na cabine reservada e fez um apelo para a abertura da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), que é uma reivindicação dos governadores da região. Lula da Silva revelou que fará um fórum de debates com todos os governadores do Nordeste, para por em andamento a reabertura do órgão que esteve presente em todas as dificuldades do Nordeste, principalmente no setor industrial. Outra reivindicação de Marcelo Déda: “gostaria que o senhor convocasse todos os governadores nordestinos para que coloquem suas posições em relação à transposição do rio São Francisco”. Aproveitou para avisar que é a favor da revitalização do rio.

O governador Marcelo Déda ficou impressionado com a memória do presidente Lula da Silva: “ele lembrou de velhos companheiros da fundação do Partido dos Trabalhadores em Sergipe, que eu não me lembrava”, disse. Lula realmente perguntou por vários líderes sindicais que já estão fora da militância e quis saber onde andava o ex-vereador Marcélio Bomfim: “esse não está mais conosco, presidente”, respondeu-lhe Déda. Ao desembarcar no aeroporto de Salvador, os dois se despediram. Déda foi para um hotel e ficará em uma das praias da Bahia até o domingo pela manhã.

Quando se preparava para embarcar no avião presidencial, o governador eleito de Sergipe foi abordado por jornalistas, interessados em saber os planos de Lula: “deixa o homem descansar”, respondeu Déda, plagiando um dos slogans da campanha da reeleição do presidente (“Deixa o homem trabalhar”). Na próxima segunda-feira, Marcelo Déda começa a trabalhar o processo de transição, ao lado da equipe que já está elaborando projetos e analisando propostas orçamentária para 2007. Quanto à escolha do secretariado, Déda não faz revelações. Diz apenas que vai tratar do assunto sem pressas e só fará convites em dezembro, depois de conversar com membros de partidos aliados. Por enquanto, os nomes que estão surgindo são meras especulações, naturais em todos os períodos de transição.

 

 

 

DÉDA

O governador eleito Marcelo Déda (PT) falou ontem, em Brasília, sobre mudanças na direção nacional do PT. Disse que tinha novos interlocutores do partido para isso.

“Não queremos suprimir ninguém. Queremos um partido novo. Queremos um diálogo com São Paulo e Rio Grande do Sul, mas levando em conta novos sotaques”, disse Déda.

 

MAIS FORTE

Marcelo Déda avaliou que o PT saiu “muito fortalecido” das eleições e precisa aproveitar o momento para resolver uma agenda interna “muito complexa”.

Para Déda, essa agenda “não pode ser resolvida com quarteto de cordas, mas que seja um debate sinfônico”. Uma das missões do novo PT, disse, é resgatar o discurso da ética.

 

CÂMARA

Já começou a disputa pela Presidência da Câmara Municipal de Aracaju para o próximo biênio. O eleito substituirá o vereador Zeca eleito deputado estadual pelo PSC.

Os dois nomes que se apresentaram como candidatos, Sérgio Góes (PL) e Emanoel Nascimento (PT), já estão brigando sério pelo cargo.

 

DIVISÃO

As brigas intestinas entre vereadores do mesmo bloco pela presidência do legislativo municipal terminam prejudicando a hegemonia do grupo.

Historicamente essas disputas mais acirradas terminam favorecendo a candidatos que são adversários declarados do prefeito do município.

 

ASSEMBLÉIA

Na Assembléia Legislativa houve uma parada nos contatos para a Presidência da Mesa, embora o deputado Ulices Andrade (PSDB) não esconde que pretende disputar.

Como o momento é de preparação para votação do orçamento para 2007, o pessoal está deixando para depois a questão da Presidência.

 

DUTRA

Nota do Painel, da Folha, diz que José Eduardo Dutra é cotado para ser o presidente do Partido dos Trabalhadores, substituindo a Ricardo Berzoini.

Como é quase certa a ida do governador do Acre, Jorge Viana, para presidir o PT, Dutra deve assumir um cargo na administração indireta ou no governo de Marcelo Déda.

 

VENÂNCIO

O deputado estadual reeleito, Venâncio Fonseca (PP), disse que não deixará a legenda mesmo que a Executiva Nacional decida apoiar o presidente Lula.

Venâncio lembrou que o “PP sempre foi Lula desde pequenininho, mas o pessoal aqui é que não queria enxergar isso”. Lembrou a atuação de Delfim Neto (PP) junto a Lula.

 

OPOSIÇÃO

O Venâncio, que é líder do governo, disse que mesmo com o seu partido integrando a base de apoio a Lula, ele será oposição em Sergipe.

Adianta, entretanto, que não fará oposição às pessoas, mas à política do novo governo, através de críticas construtivas.

 

FONTES

O deputado federal João Fontes (PDT) avisou que estará sempre disponível a ajudar o estado e anunciou que colocará suas emendas individuais do orçamento para Aracaju.

Disse que pretende ajudar o governador eleito Marcelo Déda, com relação às emendas, da mesma forma que fez quando ele era prefeito.

 

DEFINIDA

João Fontes já definiu que colocará R$ 2 milhões para a orlinha da Atalaia e mais R$ 2 milhões para a praia de Aruana.

Vai deixar R$ 30 milhões para direcionar para onde o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) quiser. “Estou para ajudar, embora cobre depois”, disse.

 

REELEIÇÃO

O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PCdoB), pode candidatar-se à reeleição em 2008, mesmo tendo sido eleito vice-prefeito pela segunda vez.

Há jurisprudência sobre isso, inclusive de Geraldo Alckmin. Na realidade, Edvaldo assumiu a Prefeitura de fato e de direito pela primeira vez.

 

MACHADO

O deputado federal reeleito José Carlos Machado (PFL) deve reunir a bancada na próxima semana para discutir as emendas do orçamento 2007.

Machado acha que o tempo é curto e a bancada federal deve se manifestar o mais rápido sobre essas emendas, para que haja tempo suficiente para discuti-las.

 

PSDB

O deputado federal eleito Albano Franco (PSDB) deve reunir o partido na segunda quinzena do partido, para ver como ficará a legenda a partir de agora.

Albano pretende conversar com lideranças da capital e interior, com o objetivo de mantê-los no partido e se preparar para os próximos pleitos.

 

 

Notas

 

AEROPORTO

Os problemas de atraso de vôo estão afetando passageiros que saem e desembarcam em Aracaju. Ontem à tarde houve demorada espera para a chegada e saída da aeronave que levaria passageiros de Aracaju a Brasília, com escala em Salvador. O que provocou irritação a quem estava embarcando.

A princípio a direção da Infraero em Sergipe evitou informações à imprensa, mas diante do constrangimento dos passageiros resolveu falar e admitir que a situação dos aeroportos era difícil em todo país.

 

DÍVIDAS-1

O relator-geral do Orçamento para 2007, senador Valdir Raupp (PMDB-RO), manifestou-se contra a renegociação das dívidas de estados. A questão será abordada em encontro com o presidente Lula, na próxima semana, pelos governadores, que querem discutir maior prazo do pagamento dos débitos com a União.

A revisão exigiria mudanças na proposta orçamentária do Congresso e altera Lei de Responsabilidade Fiscal, que fixa níveis de gastos nas esferas de governo e limita o endividamento para governos estaduais e prefeituras.

 

DIVIDAS-2

O senador Valdir Raupp diz que se a idéia da renegociação avançar ficará ainda mais difícil fechar o atual orçamento. O senador lembra que a proposta encaminhada pelo governo não previu recursos para as emendas coletivas (apresentadas por bancadas e por comissões), para o que faltam de R$ 5 a R$ 7 bilhões.

O projeto veio com reserva de R$ 3,9 bilhões e compensa estados por isenções tributárias da Lei Kandir, com diferença de R$ 1,3 bilhão para se chegar ao mesmo valor programado para 2006, o que descontenta os governadores.

 

 

É fogo

 

Municípios têm até 8 de dezembro para enviarem ao Ministério da Educação informações sobre freqüência escolar dos alunos de famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família.

 

Em outubro, a cesta básica custou, em Aracaju, R$ 136,96 ou 4,53% a mais do que o valor verificado em setembro.

 

Aracaju voltou a ter a cesta mais cara apurada pela pesquisa no Nordeste. Entre janeiro e outubro, a custo da cesta caiu em -5,74%, enquanto em 12 meses subiu 2,67%.

 

Esquenta a disputa pela Presidência da Câmara Municipal. Pelo menos quatro vereadores estão pretendo o cargo.

 

O presidente da Assembléia Legislativa, Antônio Passos (PFL), não está interessado em candidatar-se para permanecer no cargo nessa nova legislatura.

 

O deputado federal reeleito José Carlos Machado (PFL) se manteve em Brasília até ontem para tratar sobre o orçamento.

 

Dos candidatos eleitos e reeleitos para deputado federal, apenas dois não devem integrar o bloco de apoio ao presidente Lula (PT).

 

O deputado estadual Luiz Mittidieri (PSDB) já teria decidido permanecer no partido, ao lado do ex-governador Albano Franco.

 

O pessoal que está saindo ou que já saiu do PSDB quer que Luiz Mittidieri integre o grupo e ingresse em outra legenda.

 

O INSS liberou, desde ontem, o pagamento de aposentados e pensionistas e auxílios referentes ao mês de outubro.

 

brayner@infonet.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários