Corrupção histórica

0

O brasileiro já não fica indignado com os casos de corrupção que todos os dias aparecem nas manchetes de jornais e noticiários de televisão. A corrupção, seguida da impunidade, já faz parte do cotidiano do sofrido povo brasileiro. Já se vulgarizou e a sua ausência, em algumas atividades públicas, é que causa estranheza. Infelizmente vive-se em um país que tem a corrupção como marca registrada e ela está nos segmentos mais importantes de todos os poderes. De alguma forma alguém está sempre sendo submetido ao ato de corromper. Desde a simples fiscalização de veículos, até ao boy que recebe uma grana para colocar um documento à frente dos outros. O jeitinho brasileiro, que se tornou universal, nada mais é do que conseguir alguma coisa com uma boa lábia. Tudo seguido de um aperto de mão, com alguma cédula dobrada em uma das palmas.

 

Quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) acenou para medidas sociais amplas, que davam ajuda a quem não tinha condições para o trabalho e vivia faminto, lógico que não o fez com o objetivo de criar uma rede de corrupção em todo o país. Mas, evidente, que ofereceu meios para que se praticasse o jogo dos espertos, que sabem usar de qualquer ação pública para enriquecer. A criação da Bolsa Renda, que destina de R$ 15,00 a R$ 60,00 a famílias pobres do semi-árido nordestino, passou a ser o filão que os coordenadores e responsáveis do programa esperavam. Uma benção para os corruptos, pela facilidade e falta de fiscalização do projeto. Ora, logo numa região paupérrima como o Nordeste cadastrar pessoas para receber cartão para retirada da Bolsa Renda, sinceramente, foi entregar o ouro ao bandido. Isso não é possível num país que jamais levou a sério o desemprego, a fome, a educação, a habitação e a segurança.

 

Só a ingenuidade do presidente Lula e seus burocratas poderia imaginar que daria cartões a pessoas, por esse Nordeste afora, e não houvesse a maldita corrupção. Dá para desconfiar até que a Bolsa Renda foi feita exclusivamente para isso.

 

O programa que algumas Prefeituras promoviam para entrega de cesta de alimentos às populações carentes, também era uma sensação para assaltos aos cofres públicos. É verdade que as famílias recebiam e choravam de alegria por isso. Entretanto, se a Polícia Federal ou qualquer outro aparelho de investigação fizer um levantamento, vai constatar que muita gente enriqueceu com a fome e a miséria. Fornecedores e prefeitos. O golpe sempre foi muito simples: para onde deveriam enviar mil cestas de alimentos, contabilizavam-se duas mil e a nota de venda era tirada nesse valor. A maior parte do dinheiro referente ao que não fora entregue ficava para o prefeito e o restante para o comerciante e coordenadores. Um comércio fantasticamente promissor. Há denuncia de que certo prefeito de Sergipe, quando precisava de algum dinheiro, mandava pegar apenas a nota do envio de três mil cestas básicas para um desses lugares carentes, mas lá não chegava nada. O dinheiro era dividido, com proporção maior para o chefe do Executivo.

 

A mesma coisa acontecia com a distribuição de água através de caminhões pipas. Primeiro a questão eleitoreira: o prefeito só abastecia os seus eleitores. Quem fosse adversário que morresse de sede. Segundo, a questão da corrupção: pagava-se a 15 caminhões, quando na realidade apenas seis serviam à comunidade. O dinheiro sempre foi parar no bolso do chefe maior. Essas coisas são tão comuns, que não existe prefeito de cidade miserável que não seja rico. Lógico que há exceções, como é o caso de frei Enoque e outros que têm pensamento igual. Mas, a maioria, vive desse tipo de falcatrua, jogando com a miséria que se espalha por esse Nordeste faminto, carente e esquecido até mesmo por quem saiu miseravelmente dele.

 

Evidente que a corrupção não está apenas nessa área miserável que dá lucro. Mas nos grandes escalões de todos os setores da República. Agora mesmo a Câmara Federal está passando por uma série de denuncias que envolve deputados acusados de corrupção. Eles estariam recebendo dinheiro de empresários, altos industriais, executivos e até bandidos, para que não aprovassem requerimentos de CPIs ou intimação para depor. E lá está a confusão e assim se convive com a triste realidade de um país, cuja sociedade vive sempre na suspeita de que alguém está praticando algum ato de corrupção e, como sempre, se dando bem. Tudo isso ficou tão comum, que essa mesma sociedade trata com desdém e ironia qualquer cidadão que esteve em um cargo alto e não se deu bem.

 

PROJETO

O presidente da Assembléia Legislativa, Antônio Passos (PFL), retirou o projeto de resolução que antecipava as eleições da Mesa Diretora da Assembléia para 7 de dezembro.

Houve uma reação muito grande dos deputados, que avisaram ao presidente que votariam contra. A eleição acontecerá em fevereiro.

 

AUGUSTO

O deputado Augusto Bezerra (PMDB) não traçou seu futuro político no partido, onde é acusado de traição por ter contribuído para a reeleição do prefeito Marcelo Déda (PT).

Augusto está aguardando ser citado pela Comissão de Ética do PMDB e não vai se pronunciar até receber a citação.

 

DÉDA

O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda, chegou no final da tarde de ontem a Maceió e hoje toma café da manhã com um grupo de empresários alagoanos.

Vai falar sobre o sucesso da administração do Partido dos Trabalhadores em Aracaju, que o fez o prefeito proporcionalmente mais votado do país.

 

NATAL

Marcelo Déda passou todo o dia de ontem em Natal, fazendo campanha para a coligação que tem como vice um nome do Partido dos Trabalhadores.

Participou de caminhadas, fez panfletagem e esteve em comício. No final da tarde viajou para Maceió. Amanhã ele chega a Aracaju.

 

BOLSA

Um leitor mandou e-mail fazendo críticas ao deputado Venâncio Fonseca (PP) por ter dito que o cadastramento da Bolsa Escola é de responsabilidade do Governo Federal.

Por pedir a omissão do nome, Plenário não publica todo o teor do e-mail apenas a parte que esclarece: “quem fiscaliza a Bolsa Escolar são as prefeituras”.

 

VENÂNCIO

O deputado Venâncio Fonseca (PP) garante que a administração de Boquim está aberta para quem tiver dúvidas sobre o procedimento administrativo de Luiz Fonseca (PP).

Venâncio acha que o futuro prefeito Pedro Barbosa tem todo o direito de fazer uma auditoria, para comprovar a lisura da administração de Luiz Fonseca.

 

RELAÇÃO

Também de Boquim, Silva de Joca manda e-mail dizendo que o grupo dos Fonseca não está entendendo porque o nome do prefeito eleito de Boquim, Pedro Barbosa (PL), consta na relação dos aliados do governador.

Acrescenta que o grupo perdeu os municípios de Salgado, Rosário do Catete e Tomar do Geru, “mas a perda maior e mais dolorosa foi a de Boquim”.

 

FLORO

O delegado Abelardo Inácio disse ontem que lavou a alma ao constatar que a sua apuração sobre a fuga de Floro Calheiros, foi absolutamente correta.

Tanto que o promotor José Augusto Lobão está denunciando exatamente as pessoas que, na época, Abelardo Inácio investigou e indicou como autoras do delito.

 

CAMINHO

Abelardo Inácio diz que a posição do Ministério Publico, um ano depois, demonstra que “estávamos no caminho certo das investigações”.

Segundo Abelardo Inácio, o interesse daquele momento (quando ele apurou a fuga) era uma questão política contra o secretário da Segurança, Luiz Mendonça.

 

RETORNO

Quando retornar da Europa, hoje, o governador João Alves Filho (PFL) terá uma série de reuniões políticas com prefeitos do interior e alguns parlamentares.

Alguns deputados continuam descontentes com o tratamento que vêm recebendo e farão várias queixas sobre questões políticas e administrativas.

 

ESTIAGEM

O deputado federal Heleno Silva está cobrando do Governo Federal a reestruturação do Dnocs, para cuidar da seca no Nordeste.

Denunciou que as cidades de Poço Redondo e Porto da Folha, no sertão de Sergipe, já estão reclamando da falta de água.

 

ANTECIPAÇÃO

Heleno Silva pediu ao Ministério do Desenvolvimento Nacional que se antecipe no combate à seca na região, para evitar o aprofundamento do caos.

Há necessidade de contratação de carros pipas e outros tipos de assistência ao sertanejo, que pode enfrentar uma nova estiagem prolongada.

 

EMERGÊNCIA

O prefeito de Poço Redondo, Salvador Enoque, vai decretar situação de emergência no município, nesta segunda-feira, por falta d’água.

Enoque disse que o Deso tem se revelado pior do que antes, porque onde existe encanação para a água, o líquido não chega.

 

ROUBO

O engenheiro Kleber, do Deso, responsável pelo abastecimento na região, disse que foi enviado pessoal para verificar o problema e constatou roube da água.

Segundo ele, tem pessoas fazendo desvios e furos nos canos para roubar água do Deso. Isso, inclusive, está prejudicando até o município de Nossa Senhora da Glória.

 

Notas

 

COMITÊ

O Comitê da Bacia do Rio São Francisco, depois de reunir-se por dois dias em Salvador, resolveu não permitir o uso das águas do rio fora da bacia, para qualquer projeto, exceto para consumo humano e dessedentação de animal. Sergipe teve uma participação importante no Encontro de Salvador.

Segundo o prefeito de Poço Redondo, frei Enoque, que participou da reunião, os juristas interpretaram que o Comitê tem competência para impedir a transposição, porque a Agência Nacional da Água (ANA) arbitra sobre as águas.

 

MINISTÉRIO

A luta agora do Comitê será fazer com que sua decisão seja reconhecida pelo Ministério do Desenvolvimento Nacional, que já anunciou que a entidade não tinha poderes para impedir a obra de transposição, o que fere a lei 9.433. Os técnicos do ministério defenderam a transposição, mas não tiveram êxito.

A reunião do Comitê aconteceu na terça e quarta feira, no Centro de Convenções de Salvador, contando com a presença de parlamentares de todos os estados banhados pelo rio, além de juristas, OABs e a população.

 

CRIMINALIDADE

Alírio Cavalcante Ferreira envia e-mail e diz que estava de passagem por Aracaju quando leu comentário sobre as razões da criminalidade, em que Plenário sugere que os marginais também estão nos gabinetes e têm influência na cúpula decisiva do estado: “concordo com as suas argumentações em todos os sentidos”, disse.

Alírio faz uma pergunta: “o que precisamos fazer para deter esse estado de coisas? Valorizo sua iniciativa, sua coragem! Mas, precisamos fazer mais e fazer com inteligência”. Alírio sugere uma ONG para combater esse mal.

 

É fogo

 

O governador João Alves Filho vai conceder entrevista à imprensa amanhã pela manhã e falar sobre a viagem que realizou à Europa.

 

Os deputados estaduais estão conversando sobre a eleição da Mesa Diretora. Já existem algumas negociações.

 

O deputado Antônio Passos (PFL) também está trabalhando para a reeleição, mas sabe que terá adversário dentro do seu bloco.

 

Na Câmara Municipal também já se está contatando para formação da Mesa Diretoria para o biênio 2005/2007.

 

O vereador Zeca da Silva é o que tem mais conversado com os vereadores recentemente eleitos. É candidato declarado.

 

O feriado de hoje, dia do servidor público, foi adiado para segunda-feira. O Estado fecha amanha e só reabre na quarta-feira.

 

Os prefeitos estão apertados para fechar o ano e pagar as dívidas, para obedecer à Lei de Responsabilidade Fiscal.

 

Os reeleitos ainda podem refazer a dívida para o próximo ano, mas quem perdeu tem que pagar o que deve até 31 de dezembro.

 

O prefeito de Nossa Senhora da Glória, José Israel Andrade (Zico) não dá declarações contra seus adversários.

 

A taxa de inadimplência bancária cresceu 0,3 ponto percentual em setembro sobre agosto, atingindo a 7,5%,

 

As lojas de telefonia registraram, em setembro, a maior inadimplência do cheque, segundo levantamento da Telecheque.

 

A epidemia da gripe de frango, no sudeste da Ásia, colocou o Brasil como um dos maiores exportadores da carne da ave à região.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais