Criando despesas

0

Antes de adotar qualquer providência para enxugar a máquina administrativa, o prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), vai aumentar as despesas da Prefeitura com a criação de novas Secretarias e transformação de algumas já existentes. Hoje, a Câmara de Vereadores se reúne extraordinariamente para aprovar a criação das pastas da Cultura; Indústria, Comércio, Serviços e Turismo; Infraestrutura e Meio Ambiente: e Defesa Social. A Secretaria de Participação Popular passará a ser denominada de Articulação Política e de Relacionamento Institucional, enquanto a Funcaju ganhará nova estrutura. A Emsurb e a Emurb também serão reformuladas. Pelo visto, João Alves não recebeu a Prefeitura em petição de miséria, como denunciaram alguns secretários. Fosse isso verdade, ele não estaria aumentando o tamanho da máquina para aboletar aliados políticos.

Não pago

O Movimento Não Pago promove daqui a pouco um ato público em frente à Prefeitura para protestar contra o pedido de reajuste da tarifa dos ônibus feito pelas concessionárias. Um documento será entregue a João Alves Filho propondo que antes de autorizar qualquer reajuste seja feita uma auditoria para avaliar os custos e lucros das empresas. O movimento também vai solicitar a melhoria da frota.

De volta

Após ter se licenciado no final do ano passado, a deputada estadual Susana Azevedo (PSC) reassumiu o mandato esta semana. Com o retorno da parlamentar à Assembleia, o radilista Gilmar Carvalho (PR) retornou à condição de primeiro suplente. Ele torce pela eleição da colega como conselheira do Tribunal de Contas do Estado para “herdar” o mandato legislativo.

Vitória

E o vice-governador Jackson Barreto (PMDB) festejou muito a vitória na Justiça do novo prefeito de Aquidabã, José Carlos Santos, o ‘Carlinhos’ (PMDB). Ele postou no twitter que “com essa vitória conseguimos reverter o quadro político”. Carlinhos derrotou Euriquinho (PSC) por quase mil votos de diferença, porém só anteontem o Tribunal Regional Eleitoral reconheceu que não havia ilegalidade na candidatura do peemedebista.

Tapa na macaca

A população de Estância surprendeu-se com uma faixa colocada na lateral da escola Jorge Amado, defendendo a legalização da Cannabis sativa. “Maconha, legalize já…”, diz a pequena faixa pintada nas cores vermelho, amarelo, verde e preto. Como foi afixada na calada da noite, ninguém sabe quem é o autor do desejo de dar um tapa na macaca sem ser importunado. Ave Maria!

Lançamento

O economista Ricardo Lacerda lança nesta quinta-feira o livro Economia Sergipana Contemporânea (1970-2010). A noite de autógrafos está marcada para começar às 19h, no Museu da Gente Sergipana. O livro registra as transformações da economia sergipana no período, construindo um panorama geral e setorial, e colabora para qualificar o debate sobre o nosso desenvolvimento econômico. Prestigie!

Mais álcool

O percentual de álcool misturado à gasolina passará de 20% para 25% a partir de amanhã. O governo espera que a medida ajude a reduzir o impacto do aumento do preço da gasolina, que teve reajuste de 6,6% nas refinarias. Pois é, enquanto se proíbe o motorista de beber antes de dirigir – medida acertadíssima –, autoriza-se elevar o volume de álcool no tanque nos carros. O que vai ter de fusquinhas embriagados por aí não estará no gibi!

Desculpa

O governador Marcelo Déda (PT) usou o twitter para se desculpar com os baianos. É que, durante a inauguração da ponte Gilberto Amado, anteontem, o petista disse que “toda a obra será iluminada com olhos de gato para os baianos não se perderem. Não é que eles sejam menos inteligentes, só não enxergam tão bem”. Ontem, Déda disse ter feito uma brincadeira de extremo mau gosto. “Peço desculpas aos vizinhos”. Então tá!

Agenda

E o senador Antônio Carlos Valadares (PSB) respondeu na buxa a proposta feita pelo também senador Eduardo Amorim (PSC) para que ambos se reunissem para tratar de uma agenda positiva para Sergipe. Valadares postou no twitter que “o senador pede uma agenda positiva. Eis a mais positiva: deixar Marcelo Déda trabalhar com as obras do Proinveste”. É, pode ser!

Do baú político

As brigas políticas travadas entre os líderes itabaianenses Euclides Paes Mendonça (UDN) e Manoel Teles (PSD) assustaram o Estado entre 1945 e 1963. Uma pequena mostra de como era o clima entre os dois, é dada em uma longa carta enviada em 1957 por Manoel Teles ao governador Leandro Maciel (UDN). Entre outras coisas, ele denunciou que “as senhoras amigas de minha esposa são proibidas de freqüentar minha residência, face a ameaça de que, se assim fizeram serão presas”. Em seguida, o queixoso revela que “o suplente de vereador Vital José da Lapa (PSD) foi preso e teve seu rosto cuspido e queimado com charuto pelo próprio deputado Euclides Paes Mendonça”. Mais adiante, Manoel Teles denuncia que “centenas de pessoas, entre mulheres e homens, têm sido presas e humilhadas, a ponto de serem obrigadas a carregar água em latas furadas para a faxina do quartel, tudo a mando do meu adversário”. Em 1963, Euclides foi fuzilado pela Polícia Militar e, anos depois, Manoel Teles foi morto por pistoleiros.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais