Curto e grosso: debate insosso

0

 

 

Faltou alguma coisa no debate realizado ontem pela TV Sergipe. A estrutura estava toda de primeira qualidade. Porém os candidatos deixaram a desejar, talvez pelo rigor das regras. Esse modelo de debate (escolar) está superado. É preciso deixar livre os candidatos, mesmo com risco de debates mais acirrados. Parece que faltou calor humano, faltou sensibilidade para tocar no eleitor que ficou acordado até às 00:51(o debate foi iniciado às 22h36). As propostas foram apresentadas muito formalmente. A avaliação deste mero jornalista é que o debate pouco vai contribuir para o resultado final da eleição deste ano. O índice de indecisos, cerca de 5% neste momento, deve fluir para todos os candidatos, principalmente para João e Deda, mas normalmente, e não por conta do debate. Dois seis candidatos ao governo, apenas professor Celestino, do PCB, por não ter representação no Congresso Nacional não foi convidado. Abaixo a opinião deste jornalista sobre os candidatos, por ordem alfabética.

 

Adelson Alves (PSDC) – Como ele passou a noite toda dizendo: veja bem (27 vezes), deprimente – Parecia que tinha caído do cavalo (com todo respeito a São Jorge). De guerreiro não tinha nada, amarelou literalmente. Aliás, a todo o momento esfregava as mãos uma nas outras, parecendo uma marionete do marqueteiro de plantão, até a voz mudou. A culpa não é dele, foi de quem o escolheu para ser candidato.

 

João Alves (PFL) – O primeiro bloco parecia que não era o velho João Alves. Parecia um político sem experiência, balançando o corpo a todo o momento e sem uma linha de resposta. João Alves estava perdido extremamente nervoso e até extrapolou em seu tempo umas cinco vezes.Depois ficou mais calmo e da maneira dele destacou o que fez no Estado, principalmente nos últimos quatros. Não teve espaço para falar dos dois temas principais de sua campanha: transposição e a ponte Aracaju/Barra. Em dado momento, ficou no chamado “escanteio” vendo o debate de Deda e Fontes, mesmo assim conseguiu dar o seu recado quando foi preciso e não deve ter perdido voto da parcela do eleitorado que já definiu a intenção em votar nele.

 

João Fontes (PDT) – Conseguiu aparecer mais do que João Alves. É aquele ditado à criatura superou o criador. Se não tivesse citado o nome de Lula mais de cinqüenta vezes poderia ter aproveitado o importante espaço para mostrar o que deseja para Sergipe. Na pergunta sobre segurança pública feita por Deda saiu-se bem principalmente quando citou o assédio do PT a Albano Franco, que foi citado pelo petista lembrando que João o chamou de frouxo na questão da segurança pública. No quarto bloco se perdeu trocou o nome de Adelson Alves para Barreto e acusou vários políticos num ato de desespero, por conta das coligações. Falou da aliança de Deda com Jackson e “esqueceu” que em 2002 foi eleito na coligação e estava no palanque com Deda, Jackson e Valadares. Sem querer colocou-se no mesmo saco e Deda soube usar isso muito bem. No final chegou a pedir para que o eleitor vote “até em Toeta”.

 

Marcelo Deda (PT) – Soube explorar bem a posição central que ficou através do sorteio, mas em dado momento estava irreconhecível e não usou o tão falado poder de convencimento e de sedução que tem. Na questão da educação, quando respondeu uma pergunta de João Alves saiu-se bem principalmente porque a assessoria do pefelista lhe passou que o petista não tinha construído uma escola na Prefeitura. Deda mostrou que tinha construído três escolas. O petista conseguiu também passar uma boa mensagem para o servidor público por duas vezes: uma com o Funaserp, onde assumiu o compromisso de devolver 100% e a outra com a valorização profissional de várias categorias. Mesmo assim faltou algo, parece que o velho Deda tinha sumido.

 

Toeta (PSTU) – Sem comentários. Esqueceram de avisá-lo que é candidato a governador de Sergipe e não a presidente da República. Heloisa Helena que se cuide em 2010.

 

Obs: Delis Ortiz – a jornalista já foi melhor em mediação de debates em Sergipe. Parecia cansada e no primeiro bloco se perdeu demais, deixando que os candidatos comandassem o debate. Depois recuperou-se e conseguiu impor as regras do jogo.

 

 

Crime  na “casa” da Justiça Eleitoral

É fácil provar, tem testemunhas. Há alguns dias, João Alves, Maria e Mendonça Prado estiveram no posto do Ceac (vinculado a Séc. de Administração) no Shopping Rio Mar. A gerente do posto fechou o local em pleno expediente para que os três pedissem o voto dos servidores e terceirizados que trabalham no local. Esqueceram de um detalhe: lá funciona um posto da Justiça Eleitoral. Cadê a coligação de Deda? Neste caso nem precisa de provas como fotos e vídeos, para provar o crime eleitoral Tem testemunhas. É só enviar para o Ministério Público Federal, para o procurador Eduardo Pelella.

 

Briga no posto de gasolina da saneamento

Deu até polícia ontem à tarde num posto de gasolina da Avenida Saneamento. Tudo porque um político tinha acertado com cerca de 100 motoqueiros para participarem de um evento em favor da candidatura dele e daria o combustível. No local, parece que não tinha avisado ao gerente. Foi uma confusão grande. Depois que viram que a confusão  estava chamando a atenção de todos pediram para que os motoqueiros deixassem o local e viessem aos poucos para não criar mais problemas. O posto de gasolina é de um parente de um candidato a deputado federal. Também, caro leitor, este jornalista está ficando chato, descobre tudo. Deixe os motoqueiros encherem os tanques das motos, afinal campanha é só de dois em dois anos.

 

Ponte: custou até agora a bagatela de R$ 136,4 milhões

No Diário Oficial de Sergipe com a data de 19 de setembro de 2006, que circulou ontem foi publicado o quarto termo aditivo celebrado (em 25 de agosto) para a construção da ponte. Com este termo aditivo o custo da ponte chega à bagatela de R$ 136.432.890,68 (cento e trinta e seis milhões, quatrocentos e trinta e dois mil, oitocentos e noventa reais e sessenta e oito centavos). Este, porém, não é o preço final da obra, tendo em vista que houve um quinto termo aditivo de acréscimo ao valor original que ainda não foi publicado….

 

Capilaridade proibida é mais gostosa de ler

Esta coluna foi proibida de ser acessada em determinada empresa estatal de Sergipe. Porém, de nada adiantou a proibição. Já que estão controlando os e-mails da intranet da empresa, alguns servidores já chegam no local com a coluna impressa em casa (5h da manhã já está na rede é só entrar no link colunistas), tiram cópias e distribuem para os colegas. A disputa é acirrada para ver quem ler primeiro, também pudera, tudo que é proibido é mais gostoso, principalmente neste momento de capilaridade eleitoral.

 

Quem está certo: Jorge Alberto ou Jackson?

No programa eleitoral exibido ontem dois candidatos da coligação de Deda bateram cabeças. Jorge Alberto disse que foi o deputado que mais trouxe recursos para o Estado, na ordem de R$ 56 milhões. Logo após ele, entrou Jackson dizendo que foi o que mais trouxe recursos para o Estado, na ordem de R$ 30 milhões. E aí, quem fala a verdade? Quem mentiu? Por falar em coligação de Deda, dizem que esta semana teve um “pega pra capar” por conta de um partido ter invadido o tempo do outro. A coluna vai conferir os detalhes.

 

Tem promotor eleitoral em Itabaiana?

O ex-prefeito de Itabaiana, Luciano Bispo, desde quinta-feira passada diariamente presta “entrevista” a emissora Itabaiana FM com o mesmo discurso: “Lembro aos meus amigos de dois anos atrás, que sofrimento causou (o candidato dele perdeu para Maria Mendonça), estou avisando aos meus amigos não esqueçam dos sofrimentos”. Isso é repetido pela manhã, tarde e noite. Quando o sindicato abrir um curso de radialista avise logo a Luciano, pelo amor de Deus. Ah! E onde entra o promotor? Sei não, o que Luciano está dizendo é pedindo votos, é fazendo campanha eleitoral? Acho que não, também este jornalista é leigo no assunto…

 

Luciano diz que João estará na ponte hoje

E Luciano Bispo se superou ontem. Convidou os amigos para estarem hoje à tarde, às 15h, no calçadão de Itabaiana para seguirem com ele, em comitiva para Aracaju para visitarem a ponte. Detalhe: no convite Luciano Bispo disse que o governador João Alves estará na ponte, já que não esteve presente na inauguração por força da legislação. Sei não! Acho que não avisaram a ele que a Justiça Eleitoral proibiu qualquer ato do governador na ponte. Acho que esse Luciano quer criar problema para Doutor João…

 

 

Governo reconheceu que cometeria crime fiscal

De parabéns o Governo do Estado. Depois de publicar um decreto que renunciava receita, voltou atrás e revogou o mesmo. Existia um grave erro de princípio jurídico, tendo em vista que qualquer tipo de renúncia de receita deveria estar disposta na respectiva LDO conforme art. 5, inciso II, da LRF e art. 165 parágrafo sexto c/c o art. 150, parágrafo sexto da CF, que diz textualmente que qualquer isenção somente se dará mediante lei específica, federal, estadual ou municipal e, nunca por decreto.Enfim o Governo do Estado, leia-se Gilmar Mendes,  descobriu que aquele ato estava enquadrado como crime fiscal, além de ser um ato de improbidade administrativa.

 

Fontes mais rico do que João Alves?

Algum sergipano em plena consciência acredita que João Fontes é mais rico que João Alves? Pelo menos na declaração de bens é. Fontes, pelo jeito, declarou tudo que tem. Já João Alves passou a Habitacional, a fazenda Jundhy, a rede Jornal e outras propriedades para os filhos. Com isso João Fontes tem um patrimônio avaliado em R$ 774.307,93. Já João, o Alves, tem apenas R$ 340.285,58 em ações, terrenos, títulos e bibliotecas. Já o candidato do PT, Marcelo Deda tem um patrimônio avaliado em R$ 248.042,50.

 

Dutra tem R$ 1 milhão, Maria 700 mil

Entre os candidatos ao Senado Federal, Maria do Carmo e José Eduardo Dutra não esconderam nada. Maria tem um patrimônio de R$ 726.971,00, quase tudo em apartamentos. Já Dutra, tem um patrimônio de R$ 1.078.000,00. Além de um apartamento, uma casa e um carro, Dutra tem R$ 810 mil aplicados no fundo de renda fixa do Banco do Brasil. Esse dinheiro foi ganhos nos últimos anos como presidente da Petrobrás através da participação de lucros da empresa.  

 

Aqui todos os nomes são divulgados

No site Congresso em Foco foi divulgada uma relação com os candidatos favoritos em todos os Estados. De Sergipe foi divulgado o seguinte (sem cortar nenhum nome): Por coligação: coligação Sergipe Vai Mudar (PCdoB / PSB / PL / PT / PTB / PMDB) = de 2 até 3; coligação Sergipe no Rumo Certo (PFL / PSDB / PTdoB / PHS / PV / PP / PSC / PPS / PAN / PTN) = de 5 até 6. Por partido: PTB = 0 a 1   Jackson Barreto (atual); PSB = 0 a 1  Valadares Filho (filho do senador Antônio Carlos Valadares); PT = 0 a 1  Nilson Lima (ex-secretário municipal de Finanças); Iram Barbosa (professor); PMDB = 0 a 1  Jorge Alberto (atual); PFL = 2 a 3  Mendonça Prado (atual),   Jerônimo Reis (ex-deputado federal); Pedro Valadares (secretário de Turismo do estado) e  José Carlos Machado (atual); PSC = 1  Eduardo Amorim (empresário, ex-secretário de Saúde) e PSDB = l  Albano Franco (ex-governador).

 

Sarney  pode perder eleição

Matéria publicada na Folha de São Paulo de ontem mostra que o ex-presidente e senador José Sarney que chegou a ter 50% de diferença na eleição deste ano, está correndo o risco de perder para uma ex-policial, novata em eleições no Amapá. Na última pesquisa Cristina Almeida (PSB) aparece com 40% e Sarney com 48%. Sarney conta com 37% de rejeição. Cristina tem 40 anos e Sarney, 76. O ex-presidente enfrenta 37% de rejeição, resultado de campanha de Cristina, que se refere ao maranhense como “forasteiro”, delicia-se com um site chamado “Xô Sarney” na Internet.

 

Como fica o terreno do Aeroclube de Sergipe?

Com a história da vinda de uma refinaria para Sergipe, no terreno da Barra dos Coqueiros, o Governo do Estado esqueceu que no ano passado, mais precisamente no dia 28 de novembro assinou um termo de permuta da área de 416 mil metros quadrados para o Aeroclube de Sergipe. Em troca o governo ficou com o terreno da Avenida Maranhão, para construção do Sergipe Tec, que também não saiu do papel. Agora, se não explicar direito à história pode ver voar, literalmente os votos que tinha no aeroclube.

 

É cano demais, digo, é informação demais

Desde ontem esta coluna recebe diversas informações sobre os bastidores da Deso. Calma pessoal. Este tema não morrerá agora, vai continuar até mesmo mergulhando mais profundamente nas águas turvas depois da eleição. Tem de tudo, contratos de engenharia, de serviços, de produtora de vídeo, com rádios e etc. Ou seja, uma verdadeira transposição de recursos para todos os fins. Quem quiser passar mais informações e estiver com medo de passar por telefone ou por e-mail é só enviar uma correspondência para: Infonet, aos cuidados de Cláudio Nunes, no endereço: Rua Monsenhor Silveira,276 – Bairro São José – Aracaju (Se) – Cep:49015-030.

 

João preocupado com Umbaúba

Em menos de um mês, será a quarta vez hoje que o governador e candidato à reeleição, João Alves aparece em Umbaúba, na região Sul do Estado. Lá, o prefeito Zé de Francisquinho e o professor Anderson estão trabalhando tanto que pelas pesquisas já divulgadas Umbaúba é um dos que João perde com o maior percentual. E olhe que lá tem apenas 13 mil eleitores. Hoje ele vai ao local porque a juíza proibiu o asfaltamento da cidade pelo governo, mas ele conseguiu uma liminar.

 

Assessor técnico é afastado em Umbaúba

Em Umbaúba, não tinha delegado era um assessor técnico que respondia pelo cargo. O nome dele: sargento Gelton. Por não prender um carro de som da oposição no dia da inauguração de uma escola estadual e por ter colocado a equipe na rua durante o evento denominado Carnaúba, Gelton foi exonerado do cargo. Precisa dizer mais alguma coisa?

 

Mais violência contra comunicador

Há 15 dias o radialista Marcos Aurélio foi agredido dentro do Hospital João Alves. Ontem foi a vez do ex-prefeito de Estância, José Nelson, candidato a deputado estadual pelo PV, tentar invadir a Prefeitura daquele município para agredir o assessor de comunicação Genilson Máximo. Ele só não invadiu por conta dos seguranças, mas bradava em voz alta, chamando o mesmo de “safado, moleque e puxa-saco”, com um cinto nas mãos. O assessor prestou queixa na delegacia regional.  Só para lembrar: o caminho dos homens de bem é a justiça quando entende que foi atacado por algum profissional de imprensa.

 

PF investiga plano de vôo de helicóptero

Após várias denúncias uma decisão de bastidores foi tomada. Está sendo levantado todo o plano de vôo do helicóptero alugado pelo Governo do Estado. Isso é bom sinal e pode ser um atestado até mesmo para o próprio governador João Alves para provar que onde o helicóptero passou ele não estava fazendo campanha eleitoral. Porque tem cada boato correndo. O último é que sábado passado João Alves desceu num povoado de Tobias Barreto e passou no local uns 20 minutos. Imagine se o governador faria isso e deixaria de transitar nas rodovias estaduais que parecem um tapete, sem buracos e todas com asfalto novo, principalmente naquela região.

 

Queda do jegue ainda repercute

A queda de uma menina do jegue na Festa de Itabi ainda repercute entre os moradores. Tudo porque no local estavam dezenas de ambulâncias do Samu Estadual que não deram socorro a criança porque não tinham nenhum serviço médico preparado. Com isso sobrou para o candidato e médico Rogério Carvalho que fazia campanha no local. Ele atendeu a criança, que sofreu um trauma, mas não teve maiores problemas que deixasse alguma seqüela. Já imaginou se fosse grave?

 

Frase do Dia

“Mude. Isto tem o poder de enobrecer, curar, estimular, surpreender, abrir novas portas, trazer experiência nova e criar excitação na vida. Certamente vale o risco.” Leo Buscaglia.  

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais