Dança dos números

0

Nas ruas desde ontem, a última pesquisa eleitoral mostra o governador Marcelo Déda (PT) com quase 10 pontos à frente de João Alves Filho (DEM). Para o Senado, Albano Franco (PSDB) está na dianteira, seguido de Valadares (PSB), que tem na cola Eduardo Amorim (PSC). Feita pelo Instituto Única e publicada pelo Jornal do Dia, a consulta exibe José Carlos Machado (DEM) patinando com 10 pontos atrás do terceiro colocado. A margem de erro é de 3%. Tanto para o Governo, quando para o Senado, os demais candidatos estão embolados lá embaixo. Registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), a pesquisa foi feita entre os dias cinco e 10 deste mês, e ouviu 1,2 mil eleitores em nove municípios de todas as regiões do Estado. O estudo permite afirmar que João Alves terá muito trabalho para tirar a vantagem de Déda e mostra que “Machadão” poderá ser o “calo” no sapato de Eduardo Amorim. Felizmente, para os candidatos, estes ainda são os primeiros números de uma campanha que está só no começo.

 

Bote cambão

 

Tem candidatos mais preocupados com a fidelidade dos cabos eleitorais do que com o voto no varejo. É que, segundo dizem, existem lideranças políticas do interior que não resistem ao verde do ‘arame’ e pulam a cerca mais rápido do que boi fujão. Quem se apressou e comprou apoios políticos no período de engorda, vai ter um trabalhão danado para não perder o ainda incerto. Com diz o amigo jornalista Sílvio Rocha: É uma luta!

 

Campanha proibida

 

A propaganda eleitoral em presídios e nas unidades de internação de menores é expressamente proibida pela Justiça Eleitoral. O impedimento ocorre porque esses locais de acolhimento são bens públicos e a legislação eleitoral proíbe qualquer tipo de propaganda eleitoral em locais e eventos públicos. Portanto, uma das poucas maneiras de os presos ou internados tomarem conhecimento das propostas dos candidatos é através do horário eleitoral gratuito do rádio e da televisão, além da circulação de impressos como jornais e revistas.

Sabatina

 

A convite do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura de Sergipe (Crea), o candidato a reeleição, governador Marcelo Déda (PT), apresenta hoje suas propostas para o Estado. Será à noite, na sede da Associação dos Engenheiros Agrônomos de Sergipe, ali pertinho do parque da Sementeira. O palestrante da semana passada foi o ex-governador João Alves Filho (DEM). O Crea vai ouvir todos os candidatos ao Governo.

 

Garupeiro

 

O candidato João Alves Filho está mesmo com a corda toda. Durante uma carreata em São Domingos, ele saltou do carro e pungou na garupa de uma moto, que o transportou por quase toda a cidade. A carreata demista passou por Macambira, Campo do Brito, Itabaiana, Moita Bonita e terminou com um comício em Ribeirópolis. Haja fôlego!

 

Últimos retoques

 

Os marqueteiros estão dando os últimos retoques nos primeiros programas para o horário eleitoral gratuito, que estréia amanhã no rádio e na televisão. Todo cuidado é pouco para que não haja qualquer falha na estréia, pois a primeira impressão conta muito. Os publicitários garantem, no entanto, que o eleitor só começa a se interessar pelos programas eleitorais depois dos primeiros 15 dias. Na reta final, a audiência vai quase ao topo e ajuda os indecisos a se definirem.

 

Dono do pedaço

 

A coluna ficou sabendo que determinado candidato tem uma vistosa campanha em uma cidade do interior. Boa parte das casas está com o retrato do homem nas paredes e grande número da população revela-se seu eleitor. Não que ele tenha feito muito pelo município. É que, segundo dizem à boca miúda, os cargos comissionados e prestadores de serviço da Prefeitura foram obrigados a colocar a propaganda em suas casas e coitado daquele que disser que não vota no dito cujo. É mole?

 

Já chegou

 

O PT já começou a distribuir em Sergipe a propaganda de Dilma Rousseff (PT). Alguns carros já circulam em Aracaju com o adesivo exclusivo da candidata a presidente colado no pára-brisa traseiro. Segundo um petista de carteirinha, um volume maior de material chegará nos próximos dias para atender aos simpatizantes da candidata em todo o Estado.

 

Pobre futebol

 

E o Confiança, hein? Perdeu no Batistão para o CSA de Alagoas por 2 a 1. Pior foi o Sergipe: apanhou de 2 a 0 para os reservas dos regras três do Vitória da Bahia. Do River Plate não adianta nem falar. Tomou uma ‘lavagem’ de 5 a 1 do Central de Caruaru. Faça assim não, gente!

 

Do baú político

 

Em 1950, uma pequena explosão no local onde eram contados os votos em Itabi causou o maior reboliço na política sergipana, a ponto de o governador Arnaldo Garcez (PSD) só ter tomado posse quase um mês depois da data limite. Nesse período, o Estado foi administrado simultaneamente pelo presidente do Tribunal de Justiça, desembargador João Dantas Martins Reis, e pelo vice-governador eleito Edézio Vieira de Melo, que, num ato de coragem, foi à Assembléia e tomou posse. Mas voltemos à explosão. A contagem de votos ocorria tranqüila quando, de repente, ouve-se o barulho e muita fumaça. Com o susto, o juiz Nicanor Leal, que presidia a apuração, sente-se mal e morre dias depois em Aracaju. Tanto Leandro Maciel, quanto Arnaldo Garcez ‘cantavam’ vitória. O PSD queria uma nova eleição em Itabi, mas a UDN era contra. Depois de muita discussão e graças ao voto de minerva do presidente do TRE, desembargador Enoque Santiago, um novo pleito foi marcado. Nesse meio termo, o PTB de Francisco Macedo fechou com Arnaldo Garcez, que venceu em Itabi por 134 votos de frente, sendo consagrado governador. Dizem os pessedistas que Leandro morreu com essa diferença mínima entalada na garganta.

 

Resumo dos jornais

 

Clique aqui para ler os destaques de capa dos principais jornais do Brasil

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários