Déda e conversas

0

O prefeito de Aracaju, Marcelo Déda (PT), deve voltar a conversar com alguns dos seus aliados, que não sejam presidentes de sigla partidárias, mas que tenham potencial eleitoral em Aracaju. A reforma que ele fez na sua equipe de auxiliares, deixou algumas insatisfações, que terão de ser corrigidas, o mais breve possível, para consertar ressentimentos e falta de atenção, natural a quem está em constante contato para fortalecimento de uma candidatura à reeleição. Às vezes, a falta de um simples telefonema pode causar um transtorno dentro da equipe, que prejudica a sua unidade. Quem tem voto, quer atenção. É o caso do deputado estadual Fabiano Oliveira, presidente municipal do PTB, que se mostra ressentido por não participar dos encontros de lideranças. Isso ficou explícito quando ele disse que a indicação da nova secretária da Ação Social, Maria do Rosário, foi do presidente regional do PTB, deputado federal Jackson Barreto: “não tenho nada contra a nova secretária, mas se ela passar por mim, não sei quem é”. A impressão é que o deputado Fabiano Oliveira, com um potencial acima de 10 mil votos em Aracaju, também gostaria de ser consultado sobre as coisas do seu partido. Aliás, Fabiano diz que o deputado Adelson Barreto sente o mesmo isolamento e que o ex-prefeito de Lagarto, Jerônimo Reis, também não é ouvido para nada. Esse clima não favorece ao candidato petista, porque provoca calafrios numa composição que tem de permanecer coesa. Fabiano lembra que mantém a sua posição partidária e atua na Assembléia Legislativa em favor do grupo, mas não tem a atenção que merece, a não ser do presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra, de quem diz ter tratamento diferenciado, tanto nas reivindicações, quanto na relação política. O deputado Fabiano Oliveira vai trabalhar para reeleição de Marcelo Déda, mas resolveu lançar o nome de Waldoilson Leite, seu chefe de gabinete e compadre, para a Câmara Municipal. Há apenas um detalhe: Waldoilson é do PSDB, que não integra o bloco de sustentação ao prefeito, mas é o cidadão que sempre esteve do lado do deputado. Essa será a única diferença, mas, no restante, o parlamentar continua com a mesma disposição de cidadão que está na oposição, sem fugir das suas convicções, expostas desde quando se candidatou a deputado estadual. O prefeito Marcelo Déda considera satisfatório conversa com os presidentes dos partidos aliados. Talvez imagine que eles escutem as demais lideranças que integram a legenda. Isso, entretanto, não está acontecendo com o PTB, como vem sendo esboçado pelo deputado estadual Fabiano Oliveira, que tem reduto eleitoral em Aracaju e pode contribuir para uma vitória do candidato a prefeito. O que Déda realmente deveria fazer era se reunir com todos os membros de cada sigla, para que as posições partidárias fossem tomadas através de um consenso. É o caso, por exemplo, do companheiro de chapa de Marcelo Déda. O nome não deve sair de um entendimento apenas de presidentes regionais, mas de toda estrutura partidária, assim como Déda está fazendo com o seu Partido dos Trabalhadores. É possível que Jackson Barreto, Antônio Carlos Valadares e Heleno Silva assinem compromisso de apoio a qualquer nome que Marcelo Déda indicar, mas as demais lideranças e a militância podem discordar e, se não contestam, podem cruzar os braços e simplesmente não trabalhar. Para evitar problemas desse tipo, é bom que também se dê ouvido a nomes importantes de cada partido que integra o bloco de oposição ao Governo, porque todos eles estão de olho na vice e não aceitam uma chapa puro sangue. Essas lideranças também gostariam de ser consultadas sobre as vagas na equipe de Governo, afinal eles também queriam ter direito a sugestões, porque o partido não é apenas o seu presidente. GILMAR Há expectativa na categoria dos professores, porque se encerra amanhã o prazo que o secretário da Educação, Gilmar Mendes, pediu para anunciar o reajuste salarial. Já está marcada para o próximo dia 6, uma assembléia geral dos professores, para analisar o reajuste que deve ser anunciado. PAUTA Os agentes penitenciários vão elaborar uma pauta alternativa, para discutir com os secretários Emanuel Cacho, da Justiça, e José Alves Neto, para Assuntos Políticos. Ontem houve uma longa conversa entre os secretários e os representantes dos agentes, mas ainda não chegaram a um entendimento. Ontem a Justiça considerou a greve ilegal… CANDIDATO O deputado estadual Augusto Bezerra (PMDB) disse que “quanto mais candidato o partido tiver, será melhor”. O deputado federal Jorge Alberto já lançou sua pré-candidatura, com o apoio do Diretório Estadual, “mas isso não impede que Walter Franco mantenha a sua e também converse”. ESPERA O pessoal está na espera pela confirmação das candidaturas do PMDB. O empresário Walter Franco geralmente desiste no meio do caminho. Isso aconteceu em 2002, quando ele anunciou que disputaria as eleições para o Senado e depois recuou. Walter já está colocando out door lembrando seu nome para prefeito. JORGE Dentro do PMDB também existe alguma dúvida quanto à sustentação da candidatura pelo deputado Jorge Alberto. Apesar do apoio do diretório do partido, Jorge só definirá sua disposição para a disputa caso o governador João Alves Filho esteja do seu lado. LIDERANÇA A fonte é da oposição e pediu reservas: “o deputado Fabiano Oliveira não pode exigir atenção de um líder, já que é liderado”. Acrescentou que Fabiano foi candidato duas vezes e elegeu-se na segunda com o apoio do Governo. Advertiu: “a próxima eleição será diferente”. FLORO Segundo uma fonte bem conceituada na área jurídica, o foragido Floro Calheiros tem feito visitas constantes a Canindé do São Francisco. Hospeda-se em uma fazenda nas proximidades da sede e se reúne com um grupo de pessoas que mantém naquela cidade e que lhe passa informações. GALINDO Há, também, informações de que o detento Genivaldo Galindo tem recebido uma média de 30 pessoas, nos dias de visita, para despachos na penitenciária. Apesar de preso, Galindo mantém influência política em Canindé do São Francisco e trabalha para eleger o seu grupo. DÉDA O prefeito Marcelo Déda (PT) viaja a Paris e participa de encontro da Organização Mundial de Cidades Unidas, que vai definir a unificar das entidades congêneres. Como presidente da Associação Nacional dos Prefeitos de Capitais, Marcelo Déda vai reivindicar um representante na nova entidade, que poderá ser ele próprio. CONVERSA Marcelo Déda ainda não teve um encontro com o presidente regional do PT, Severino Bispo, para oficializar sua pré-candidatura a prefeito. A reunião agora só deve ocorrer quando Marcelo Déda retornar da Europa. O objetivo é ouvir o partido sobre sua candidatura à reeleição. PISTOLAGEM O deputado federal João Fontes (sem partido) informa que o presidente da Câmara, João Paulo, revogou a CPI da pistolagem por 45 dias, a partir da data que se encerrou (24/03). Segundo João Fontes vai durar mais três dias. O relator, Luiz Couto, ficou irritado e fará requerimento dizendo que a Câmara também não tem interesse nesta CPI. EMENDA O deputado Heleno Silva (PL) disse ontem que toda a base aliada do Governo está esperando a liberação das emendas orçamentárias antes de junho. Será exatamente neste mês que expira o prazo dos convênios com as Prefeituras, “e os deputados precisam levar alguma coisa para seus municípios”. DECISÃO O Partido Liberal deve apoiar o candidato Paulo Barbosa de Deus (PH) para a Prefeitura de Canindé do São Francisco. Já houve conversa sobre isso. Está faltando apenas o aval do prefeito de Poço Redondo, freio Enoque, que ainda não se manifestou sobre isso. A tendência do PL está definida. Notas JUSTIÇA O Pleno do Tribunal de Justiça agiu sabidamente ao revogar concurso que realizou, embora o tenha feito tardiamente. Seria mais importante que sequer o realizasse dentro de um processo que levantasse suspeição. É bom lembrar, que o atual momento político não é propício a espertezas que atinjam a sociedade. Um novo concurso será feito e o pessoal que foi inscrito estará isento da nova taxa de inscrição. Será aberto para novos candidatos. Tudo isso pode estar bem, mas onde ficam os R$ 500 mil pagos a quem elaborou as provas anteriores? MACHADO O deputado federal José Carlos Machado (PFL) é um dos membros da Comissão Mista que vai relatar o veto ao Projeto de Lei 659, de 1999, que trata sobre as questões da agricultura orgânica, cujo tema tem sido foco de constantes debates. Machado foi indicado pelo partido, mas pela Câmara e Senado. Machado diz que é contra a ingerência política no setor que mais cresce no Brasil, salvo para proteger a população de novidades tecnológicas nocivas ao consumidor e que venham favorecer ao envolvimento escuso de terceiros. DÍVIDA Através de requerimento do deputado federal José Carlos Machado, o presidente do BNDES vai à Comissão de Fiscalização Financeira falar sobre a dívida do consórcio Southern Eletric do Brasil, cujo prejuízo, segundo informações do Banco Central, é de R$ 2,2 bilhões. Que é o valor total do empréstimo. Machado disse que “isso só pode ser uma piada. O empréstimo foi feito em 1977 e até hoje o BNDES não recebeu um centavo de volta. Alguma coisa estar errada em algum lugar”, afirmou José Carlos Machado. É fogo A deputada Susana Azevedo, pré-candidata pelo PPS à Prefeitura de Aracaju, está iniciando os contatos em busca de apoio. O Pleno não deu continuidade a ação para contestar a anulação do concurso do Tribunal de Justiça, porque considerou que não dava tempo para isso. Segundo a resolução do Pleno, há pressa para a realização do concurso, em razão da necessidade de contratação de novos funcionários. O ex-governador Albano Franco está quebrando algumas arestas, para solucionar problemas empresariais e políticos. As lideranças políticas estão satisfeitas com a atuação de José Alves Neto à frente da Secretaria para Assuntos Parlamentares. Quando retornar a Aracaju, possivelmente hoje, o deputado federal Jorge Alberto (PMDB) vai dar andamento a sua candidatura a prefeito de Aracaju. O empresário Walter Franco (PMDB) também trabalha, do Rio de Janeiro, para manter sua pré-candidatura à Prefeitura da Capital. A deputada estadual Maria Mendonça (PSDB) está sugerindo a formação de uma comissão suprapartidária, para negociar as reivindicações dos professores. O presidente do sindicato dos agentes penitenciários disse que o pessoal aceita o salário de 168 reais, desde que não mexam na gratificação. O deputado estadual Augusto Bezerra vem intermediando o diálogo entre os agentes penitenciários e o Governo do Estado, para por um fim à greve do pessoal. Francisco Boaventura é um jovem político que está tentando mudar a política de Riachão dos Dantas, com sua candidatura a prefeito. O desemprego atingiu 12,8% da população economicamente ativa das seis maiores regiões metropolitanas do Brasil. É um dado assustador… Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários