Denúncias de Floro

0

O semanário “A Semana”, com apenas 29 edições, já brindou os seus leitores com duas reportagens exclusivas de repercussão em todo o Estado. A primeira, uma entrevista com o foragido Marcos Munganga, num momento em que toda a polícia utilizava experiência e força para captura-lo. A segunda, neste domingo passado, em que dedicou mais de uma página ao fugitivo Floro Calheiros, que estava detido na primeira Delegacia Metropolitana de Aracaju, com um forte aparato policial a segura-lo. O jornal trata Floro Calheiros respeitosamente, dando-lhe a profissão de empresário. Sua foto está bem posta. É de um cidadão muito bem vestido e simpático. Apesar de se tratar de um homem tido como de alta periculosidade pelos órgãos de segurança do Estado, é preciso fazer uma análise minuciosa do que ele declara à jornalista Kátia Paim, única repórter que teve acesso exclusivo ao atual entrevistado e a Marcos Munganga. As acusações de Floro não podem ser desprezadas, só porque se trata de um sujeito que responde a processos. Se isso acontecer, pode-se incentivar a impunidade em nome da tese de que palavra de “bandido não tem a força da verdade”. Não se pode imaginar que a versão de alguma pessoa envolvida em crime, só seja verdadeira quando revele alguma coisa que interessa à Polícia. Floro disse uma coisa certa, o nome dele não aparece, em nenhum momento, no processo de Joaldo Barbosa. A sua prisão foi efetuada pela decretação da preventiva, no processo do roubo das urnas em Canindé do São Francisco. É preciso que se vá a fundo nas declarações de que a fuga dele fora negociada, entre amigos da Bahia e o ex-secretário de Segurança Pública, Luiz Mendonça, embora se conheça o caráter de Mendonça e se saiba da rivalidade entre os dois. Mesmo assim, continua sendo estranho que um homem, da periculosidade de Floro Calheiros, tenha sido mantido preso em uma frágil delegacia metropolitana, sob argumento de que a Penitenciária de São Cristóvão oferecia facilidades para a fuga. Só duas hipóteses poderiam justificar a permanência de Floro na delegacia: o interesse em mata-lo, como ele denunciou, ou a abertura do caminho para a fuga. Floro, inclusive, diz que sempre era avisado de que seria morto em determinada data. Quem o avisava? Acusou a delegada Meire Belfort de fazer o que o secretário queria e mal chegava para falar com ele, mas evitou qualquer comentário sobre os soldados que lhe davam guarda. Uma bem entrosada fonte policial disse que agora será muito mais difícil recapturar Floro Calheiros, porque ele fez muitos amigos na Polícia e certamente será comunicado todas as vezes que houver alguma pista e agentes se deslocarem ao local. O fugitivo Floro Calheiros vendeu sua fazenda em Teixeira de Freitas por algo em torno de 4 milhões de reais e teria gastado parte desse dinheiro (R$ 1 milhão) em sua fuga. Não se tem qualquer suspeita de onde ele se e encontra neste momento. A avaliação dessa dificuldade é muito simples: se a policia ainda não conseguiu por a mão no “ausente” Antônio Francisco, que deve estar a um palmo do nariz dos policiais, imagina em Floro Calheiros, que tem toda uma estrutura pesada de fuga? Ontem, antes de viajar a Brasília, o governador João Alves Filho recebeu, às 10 horas, em audiência, o procurador geral da Justiça em exercício, Moacir Motta. Ele foi pedir que seja apurada, rigorosamente, a fuga de Floro Calheiros. Pediu também a sua prisão e a do ex-deputado Antônio Francisco, além de querer segurança para os promotores que trabalharam no caso de Canindé do São Francisco e na denuncia de Floro Calheiros. Segundo uma fonte bem avisada da Polícia, João Alves vai atender a Motta, mas também teria conversado com o secretário interino da Segurança, delegado João Eloy. Deu-lhe determinação para que utilizasse de todos os instrumentos para apurar as denuncias formuladas por Floro Calheiros, sem tratamento diferenciado a ninguém. Os culpados terão que ser punidos. O delegado Abelardo Inácio, responsável por todo o caso, já está investigando tudo. A fuga de Floro tem novas vertentes e ganha prioridade. Mesmo que seja mentira, a Polícia tem que chegar a essa conclusão através de investigações. Não basta deduzir que é isso. João Alves Filho retorna hoje a Sergipe, para receber o ministro da Justiça, Marcio Bastos, que vem assinar um convênio para o sistema de segurança. Com certeza lhe será feito um apelo para que seja colocada, à disposição, a Polícia Federal e se contate a Interpol para localização de Floro. Agora, além dos processos a que responde, ele deve revelar como fugiu. MORATÓRIA Prefeitos de Sergipe, reunidos ontem, em Aracaju, propuseram a decretação de moratória em todos os municípios, em razão da difícil situação financeira que passam. As Prefeituras estão com salários atrasados, por causa da queda, superior a 50%, do Fundo de Participação Municipal (FPM). Depois de muito diálogo, os prefeitos desistiram da moratória. MOVIMENTO Os prefeitos de todo o Nordeste vão fazer um movimento nacional em Sergipe, entre 8 e 9 de agosto, fechando o tráfego sobre a ponte que liga Alagoas a Sergipe. Vão protestar contra o Governo Lula, que provocou um corte drástico no FPM e está levando as Prefeituras a demitir servidores e atrasar os salários. FECHAR Os prefeitos de Sergipe, que não conseguiram aprovar a idéia da moratória, queriam fechar as portas das Prefeituras durante uma semana, como está ocorrendo no Paraná. Também não conseguiram, mas no dia do bloqueio à ponte, todas as Prefeituras da região serão fechadas por um dia. Hoje, os prefeitos têm nova reunião em Rosário. ENCONTRO O governador João Alves Filho marcou para hoje, por volta das 18 horas, uma reunião com todos os deputados estaduais do PFL. O teor não foi revelado. O encontro será realizado antes do jantar que será oferecido ao ministro da Justiça, Márcio Bastos, no Palácio de Veraneio. NÃO VOLTA Uma forte fonte do Governo disse, ontem, que seja qual for o resultado da escolha do novo procurador de Justiça, Luiz Mendonça não retornará à Secretaria da Segurança. É da mesma fonte a informação de que o ex-secretário João Guilherme assume a pasta. Já teria conversado com o governador João Alves Filho. MENDONÇA O promotor Luiz Mendonça garante que a “fonte está mal informada”. Acrescenta que seu retorno à Segurança está bem definido, “sem nenhuma duvida”. Mendonça disse, inclusive, que quando retornar pretende encontrar os dois foragidos presos e, mesmo fora, vem acompanhando o trabalho da Polícia. SILÊNCIO O ex-secretário Luiz Mendonça não quis falar sobre o que disse o fugitivo Floro Calheiros em um jornal semanário. Mendonça acha que cabe à Polícia fazer as verificações e estranho um fato que revelou, mas pediu sigilo porque será fruto de investigações. INTERIOR A oposição se reuniu, sexta-feira à noite, em Monte Alegre. Marcelo Deda, Jerônimo Reis, Heleno Silva, Antonio Carlos Valadares e Jackson Barreto estão dispostos a cumprir o que determinaram anteriormente. A disputa do mandato de prefeito, no interior, será feita por qualquer membro de partido aliado, desde que tenha a maior chance de eleger-se. CONSOLIDA Segundo um dos membros da cúpula oposicionista, esse tipo de estratégia vai colocar a oposição bem orientada em cidades do interior, evitando a divisão campanhas municipais. A decisão é que todos se incorporem ao nome que for escolhido pela cúpula, formada por lideranças de todos os partidos. DISCURSO O deputado federal João Fontes (PT) fez, ontem, na Câmara Federal, pronunciamento sobre o ex-deputado Antônio Carlos Franco. Lembra que sempre conversou com ACF e foi dele que recebeu incentivo para ser candidato: “quando fui eleito, foi dele o telegrama mais carinhoso que recebi”. SARAPATEL O deputado federal João Fontes disse, ontem, que o presidente Lula, com a reforma da Previdência, conseguiu desagradar a CUT, que está se incorporando à greve dos servidores, e ao Judiciário. Acha que se criou um “sarapatel de coruja grande e que o presidente não está mais em condições de contornar”. JUDICIÁRIO Segundo ainda o deputado João Fontes, o judiciário está fazendo reunião em todos os Estados, para ver se declara a paralisação dos trabalhos. Todos em protesto ao projeto de Previdência do Governo Federal. Fontes diz que agora toda a imprensa reconhece que os radicais é que estavam certos. ENTREVISTAS O governador João Alves Filho (PFL) teve dia agitado, ontem, em Brasília. Gravou para a TV-Record, a TV-Senado, para o jornalista Carlos Chagas, na CNT, para a na Globo News. Falou, principalmente, sobre a Reforma Tributária, que ele contesta, sobre os problemas do Nordeste e sobre seu livro, recentemente lançado. Notas NORDESTE O governador de Sergipe, João Alves, mandou fazer detalhado estudo que joga por terra essa falsa crença que o Nordeste é um fardo para o Governo. Contabilizando-se todos os recursos que a União envia ao Nordeste e todos os que saem de lá para o Governo Federal, a região dá, por ano, 3 bilhões de dólares a mais do que recebe da união. Esse montante era o triplo da 20 anos atrás. Aliás, nos anos 70, o Nordeste recebia da União o equivalente a 15,8% do orçamento global, em investimentos. Hoje esse percentual não passa de 7%”. FUNDEF O Sindicato dos Professores foram ao Tribunal de Contas levando dossiê que denuncia várias Prefeituras do interior sergipano em desviar os recursos do Fundef para outras atividades. E é uma verdade, porque a maioria dos prefeitos está utilizando o Fundo para pagamento da folha do pessoal. A situação financeira das Prefeituras é de calamidade, com a queda busca do Fundo de Participação Municipal (FPM). Para não demitir, os prefeitos estão recorrendo a recursos de outras rubricas para pagamento dos salários. CANINDÉ A desembargadora Clara Leite Resende negou, ontem, o segmento à medida cautelar que pedia a concessão do efeito suspensivo à decisão de cassar o mandato da prefeita de Canindé do São Francisco, Rosa Feitosa. A juíza vai esperar a decisão do TSE fora do mandat0. Assume o segundo mais votado, Jorge Carvalho. O advogado Manoel Costa Dias entrou com pedido de afastamento imediato da prefeita, na parte que se refere à cassação do mandato. Ele argumenta que nesse caso não cabia o poder suspensivo. O juiz da comarca é quem cumpre a decisão. É fogo Descontentamento em setores próximos ao Governo que tem preocupado o governador João Alves Filho, que tenta conciliação. A disputa por segmentos fortes do mercado tem provocado rixas que não devem existir entre setores do Estado. O ex-governador Albano Franco silenciou com a morte do irmão Antônio Carlos. Agora redobrou as atenções ao pai, Augusto Franco. O ex-deputado federal Jorge Araújo assumiu, ontem, a Delegacia do Ministério da Agricultura em Sergipe. O comentário, “O Homem e a Palavra”, publicado nesta coluna sobre Antônio Carlos Franco, foi transcrito na Câmara Federal e lido na Voz do Brasil, por iniciativa do deputado federal João Fontes. O jovem sergipano Vinícius vai integrar a seleção carioca de futebol de praia. Ele foi levado para disputa no Rio por Raimundo Luiz da Silva Filho. O deputado Valmir Monteiro (PFL) está solicitando ao secretário a Infraestrutura, Luiz Durval, que faça a manutenção de trecho da rodovia Lourival Baptista. Representantes do Banco do Povo estiveram presentes no Japãozinho, para apresentar o programa de micro-crédito àquela comunidade. O deputado federal João Fontes (PT) esteve, domingo, em Belo Horizonte, para debater sobre a reforma da Previdência. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) de vez em quando dá uma cutucada: “Lula vai logo, logo, perceber que não pode tudo”. O deputado João Fontes disse que o relator da reforma da Previdência, deputado José Pimentel, participou de algumas reuniões contra a taxação dos inativos. Segundo, ainda, João Fontes, depois que teve o direito de indicar o presidente do Banco do Nordeste, José Pimentel mudou completamente. A Assembléia Legislativa terá funcionamento, pela manhã e à tarde, a partir de agosto. Foi um entendimento entre parlamentares Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários