Depoimento não convence

0

O depoimento do secretário de Segurança, Luiz Mendonça, na CPI da Pistolagem, mexeu com um vespeiro. Principalmente pela acusação que ele faz a imprensa, de que ela escandaliza os fatos policiais. Em alguns segmentos, isso tem uma boa dose de verdade. Mas, sinceramente, no amontoado de equívocos entre a prisão de Floro e a sua fuga, não se cometeu nenhum exagero. A imprensa divulgou o que estava às vistas da população. O secretário não pode negar que até o momento, o tumultuado período Floro não foi bem explicado. Há um quê de dúvidas e desconfianças no ar. Numa entrevista concedida na Rede Ilha, há pouco mais de 30 dias, o governador João Alves Filho declarou textualmente que, na fuga do bandido Floro Calheiros, havia indícios de suborno e que isso deveria ser devidamente apurado. Disse também que não entendia porque Floro Calheiros fora preso em uma Delegacia Metropolitana. Tivera a explicação de que havia a tal segurança que Luiz Mendonça decantou. Mas, depois da fuga pueril, toda a argumentação da Secretaria de Segurança foi de água abaixo. Além disso, as regalias e a movimentação que o preso tinha e promovia dentro da Delegacia Metropolitana, era algo incomum. A imprensa não escandalizou, apenas mostrou fotografias de um detento, de alta periculosidade, com uma intimidade de visitante. Bem diferente do tratamento concedido aos demais presos. Por que o privilégio? Não é possível que o secretário Luiz Mendonça tivesse conhecimento do que estava acontecendo numa das suas principais delegacias, à época comandada por uma pessoa de sua mais alta confiança, que era a delegada Meire Mansueto Belfort. Ontem, pela manhã, na Assembléia Legislativa, o deputado estadual Gilmar Carvalho fez um pronunciamento, contestando palavra por palavra tudo que fora dito pelo secretário, na CPI na Pistolagem. Garantiu que o depoimento prestado não corresponde com a verdade. Exceto os índices de redução da criminalidade, o que não cobre a imperdoável fuga de um homem com a periculosidade de um Floro Calheiros, que até o momento não foi recuperado e não se tem notícia da prisão dos principais envolvidos no projeto de fuga. Quanto ao paraíso de tranqüilidade que é Sergipe, o secretário exagerou. Exagerou e muito. Basta que ele faça uma pesquisa junto à sociedade e verá que ela pode até estar tranqüila, mas não absolutamente confiante no sistema de segurança do Estado. Voltando ao deputado Gilmar Carvalho, ele já está enviando documento à CPI da corrupção, se colocando à disposição dos seus membros para retornar e revelar dados bem mais contundentes. Mas isso não será preciso. Ontem pela manhã, por volta das 8 horas, um deputado integrante da CPI, que por questão de ética pediu para não revelar o nome, disse que nos bastidores o discurso de Luiz Mendonça não convenceu a ninguém. E isso é tão verdade, que a CPI, na noite do depoimento, resolveu promover uma acareação entre o secretário Luiz Mendonça, o deputado Gilmar Carvalho e a delegada Meire Belfort. Com uma diferença: os três serão convocados a depor sob juramento e sairão da condição de distintos convidados. A CPI quer saber quem está mentindo em toda essa história. Antes desse confronto, vão ser ouvidos os delegados Sérgio Ricardo e Luciano Cardoso. O mesmo deputado garantiu que a CPI da Pistolagem vai fundo na apuração de todo esse problema que envolve Floro Calheiros, como também penetrar no intrincado mundo de um grupo de extermínio chamado “A Missão”. FLORO Uma emissora de televisão divulgou, ontem, a prisão do foragido Floro Calheiros em Rondônia. Deu alguns detalhes da prisão, sobre a questão de transferência. O superintendente da Polícia Federal, Kércio Pinto, desmentiu a informação. Revelou que a polícia de Rondônia enviou fax para à Secretaria de Segurança, solicitando o mandado de prisão, porque Floro poderia estar lá. FAZENDA Um dos agentes da Polícia Federal, em Rondônia, sequer sabia quem era Floro Calheiros, mas em Sergipe a informação é que tudo está sendo mantido em sigilo. Floro Calheiros realmente tem fazenda naquele Estado e seria um lugar para refugiar-se. Entretanto não teria segurança, porque a polícia sabe dessa propriedade. DEBATE O deputado federal Jackson Barreto (PTB) trocou sua participação na CPI da Pistolagem para ir a um seminário no BNDS, sobre mobilidade urbana em regiões metropolitanas. Jackson foi um dos debatedores e considerou o encontro importante. A promoção foi do Ministério da Cidade. ESCANINHO Ao abrir o escaninho do seu apartamento para ver se tinha correspondência, o deputado Jackson Barreto recebeu o jornalzinho do PDT sobre as denuncias contra Déda, com os cumprimentos do senador Almeida Lima. Irritado, Jackson devolveu a correspondência com um bilhetinho: “devolvo o seu pasquim, para que você coloque no último compartimento de sua casa e faça uso dele como quiser”. MULETAS Jackson Barreto não gostou porque o seu primo Almeida Lima o comparou a um “fóssil”, que está esquecido. Respondeu que nunca precisou de muletas para eleger-se: “já ele usou a mim e a João Alves como muletas para eleger-se”. CANDIDATURA Jackson Barreto diz que não pensa em candidatura a vice-prefeito de Aracaju: “não existe essa hipótese”. Acrescentou que se o “PTB for convidado nós vamos discutir, mas eu mesmo não serei este nome”. Jackson acha que está bem na Câmara Federal. LIBERAL O deputado federal Heleno Silva, presidente do Diretório Estadual do PL, tem muita coisa a explicar aos filiados do partido. Fechou a sede da rua Arauá e ninguém o encontra. Heleno Silva participou, quarta-feira, da CPI da Pistolagem, mas quando chegar em Aracaju deve resolver esse pequeno pepino. ESTRATÉGIA A estratégia do PT é eleger o maior número possível de vereadores nas próximas eleições. Quer pessoas que sejam fieis ao partido, para depois não ser prejudicado. Citam como exemplo de traição o vereador Antônio Samarone, que procurou justamente os inimigos do PT para aliar-se. CANINDÉ A festa do dia 13 próximo, em Canindé do São Francisco, é para lançamento da pré-candidatura de freio Salvador Enoque (PL) à Prefeitura daquela cidade. Políticos do bloco da oposição vai estar presente, inclusive o prefeito Marcelo Déda e o ex-governador Albano Franco (PSDB). ACORDO Dentro do Partido Liberal existem pessoas que preferem um entendimento entre frei Enoque e o prefeito de Paulo Afonso, Paulo Barbosa de Deus (PHS). Acha que os dois juntos seriam imbatíveis contra a prefeita Rosa Feitosa, que é candidata a reeleição e domina as pesquisas na região. GALINDO Lideranças políticas de Canindé do São Francisco reconhecem que a prefeita Rosa Feitosa vem fazendo um bom trabalho à frente da Prefeitura e agrada a sociedade. Vêem como problema a influência do ex-prefeito Genivaldo Galindo. Rosa nega, embora admita que ele integra o grupo político do qual ela faz parte. MOBILIZA O deputado federal João Fontes (PT) pretende que deputados e vereadores iniciem uma mobilização para tentar impedir a aprovação da lista pré-ordenada na Comissão de Constituição e Justiça. João reconhece que se não houver um movimento de caráter nacional, a lista pré-ordenada vai terminar passando e não será derrotada em plenário. MARCÉLIO O vereador Marcélio Bomfim diz que o PT tinha um projeto político e social de mudança para a sociedade brasileira e foi isso que fez Lula presidente da República. Entretanto – no entender de Marcélio – estão construindo agora um projeto de poder, que contraria exatamente tudo que pregou na campanha. Notas MENDONÇA O secretário da Segurança, Luiz Mendonça, é um cidadão sério, bem intencionado e cheio de vontade de transformar o sistema policial do Estado. É competente, mas demonstrou ingenuidade ao não fazer mudanças imediatas na coordenação administrativa da Pasta que ocupou com tanta ansiedade. Talvez Luiz Mendonça não soubesse das divisões existentes dentro da Segurança, onde predominam grupos políticos fortes. Alguns frustrados porque não foram escolhidos e outros querendo boicotar a administração. UNIDADE O secretário Luiz Mendonça tem absoluta certeza de que não existe unidade na Polícia Civil e aconteceu uma certa resistência de determinado grupo à indicação de um nome saído do Ministério Público. Trata-se de uma elite policial que tem condições de assumir o cargo e gostaria que o secretário fosse um deles. A fuga de Floro Calheiros fez aflorar esse sentimento, tanto que a delegado Meire Mansueto teve toda a cobertura e se articulou um movimento para desestabilizar o novo comando. A impressão é que conseguiu. CONDENA O vereador Antônio Góis (PT) também foi um dos que condenaram, em Sergipe, o anteprojeto de lei da reforma Política, que foi votado e aprovado na Comissão Especial da Câmara de Deputados, em Brasília, sobre o voto para o partido, através de uma lista pré-ordenada, que privilegia alguns candidatos. Góes pediu ao vice-presidente da Câmara Municipal, Zeca da Silva (PSB), que presidia a sessão, que fosse aprovado um voto de protesto dos vereadores contra a proposta de reforma, para que fosse enviado a Brasília. É fogo A deputada Susana Azevedo fez o registro do dia mundial do portador de deficiência, comemorado todo dia 3 de dezembro. A deputada Ana Lucia (PT) também lembrou o dia internacional do portador de deficiência: É um dia de reflexão sobre um tema muito importante. O vereador Antônio Góes acha que é preciso uma ampla discussão com a sociedade sobre a Reforma Política que está sendo proposta “nos corredores de Brasília”. O radialista Adjan Souza (PPS) mais uma vez vai testar sua popularidade nas eleições do próximo ano. A deputada estadual Susana Azevedo convidou Adjan Souza a disputar uma vaga na Câmara de Vereadores. O deputado Garibalde Mendonça quer que a Sergiportos tome logo uma posição com relação a decisão da H. Dantas que pretende substituir as lanchas para Atalaia Nova, por ônibus. O Estado e a Prefeitura de Aracaju vão trabalhar em parceria, com subsídios do Ministério Público, para assegurar a matrícula do maior número possível de alunos com alguma deficiência. Pelos cálculos dos membros do Partido Liberal, há muita chance da legenda fazer três vereadores no próximo ano. Sob as frondosas árvores da Praça Olimpio Campos está instalado o escritório de José Ribeiro (Rola), candidato a vereador pelo Prona. O PDT está com o programa que será exibido na televisão, segunda-feira, praticamente pronto. Almeida Lima promete que vai ser duro. De acordo com o Indicador Regional de Cheques Sem Fundos da Serasa, aumentou a taxa de devolução de cheques sem fundos no mês de outubro. No Nordeste o número de cheques sem fundos é maior. Em outubro, as devoluções na região foram de 24,0 cheques por grupo de mil compensados. O governador João Alves Filho e comitiva retornaram da Espanha ontem à noite. Os contatos foram proveitosos. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais