Desarmem o palanque estadual

0

 

  Ninguém tem dúvida que as eleições foram históricas este ano em Sergipe. A vitória incontestável de Marcelo Deda (PT) no primeiro turno mostra que a maioria do eleitorado do Estado optou pela mensagem da mudança, por um novo projeto administrativo comandado pelas chamadas oposições. Até então Sergipe era o único Estado do país que após a redemocratização em 1985, não tinha eleito um governador da oposição.

  A disputa foi acirrada, disto ninguém tem dúvida. Aliados do atual governador usaram algumas artimanhas velhas e ultrapassadas, como a compra de títulos no interior para que o eleitor não fosse votar e forçasse o segundo turno, a ligação de contas de águas que estavam cortadas, principalmente no sertão, pressão nos cargos comissionados e nos trabalhadores terceirizados e tudo mais que já foi divulgado por uma pequena parte da imprensa.

   Nestes três meses o governador João Alves Filho (PFL) pode sair da história política de Sergipe como um homem que soube perder. Ou seja, nestes três meses ele tem que lembrar da Lei de Responsabilidade Fiscal e de que o mais importante neste momento é aceitar a vontade dos eleitores para que o Governo do Estado seja entregue para outras mãos. Tem um ditado popular que resume bem todo esse momento: “quem não sabe perder também não está preparado para vencer”.

  Por outro lado, os partidários do candidato vencedor, Marcelo Deda, têm que lembrar que a euforia da vitória deve ser trocada pelo amadurecimento político. E este amadurecimento político passa primeiramente pelo respeito ao governante que foi derrotado. Se por um lado João Alves tem vários defeitos, é preciso lembrar que ele também faz parte da história política de Sergipe. Gostem ou não, João Alves foi o responsável por grandes mudanças no Estado de Sergipe nos últimos 30 anos. Querer jogar tudo isso para baixo do tapete é ruim para o Estado.  Respeitar o nome de João Alves Filho como um político que fez muito por Sergipe não é se diminuir politicamente. É saber reconhecer a história.

  Político experiente, o governador eleito, Marcelo Deda, deve ser o primeiro a pedir que seus correligionários, principalmente os que têm mandatos e são lideranças políticas, esqueçam os incidentes e os ataques das eleições estaduais. É hora de não só descer dos palanques, mas desarmar todos eles. O mesmo eleitor que soube votar pela mudança não aceita retaliações, perseguições e chacotas.

  O segundo turno para a presidência da República não pode ser transformado na continuidade das eleições estaduais. Se fizer isso Deda estará cometendo um erro estratégico, dividindo o Estado em dois grupos: nos que votaram nele e nos que votaram em João Alves. Se quiser fazer a parte dele, dando uma vitória expressiva de Lula em Sergipe, o primeiro teste para Deda é esse segundo turno. Liderança não se impõe, se conquista.

  Para assumir efetivamente o papel da maior liderança política atual do Estado de Sergipe, Deda já conseguiu o primeiro caminho, a consagração nas urnas, porém ele deve lembrar que os maiores lideres da história mundial nunca tripudiaram seus adversários derrotados. Pelo contrário assimilaram o que eles tinham de bom para que pudessem ser melhores do que eles. É essa mensagem que Deda deve passar agora para seus aliados: não só desçam dos palanques, desarmem todos eles, porque a palavra de ordem agora é levar Sergipe para um novo caminho de desenvolvimento através do cumprimento das promessas de campanha, independente da vitória ou não de Lula no segundo turno eleitoral.  

 

Ligia Tricot: cidadela em defesa da liberdade

Sábado à noite, mais precisamente às 20hs, depois que o TSE acolheu o recurso concedendo a liminar suspendendo a decisão do TRE que proibiu a divulgação da pesquisa do Ibope, alguns políticos subiram o morro para tentar impedir que a TV Sergipe divulgasse a pesquisa no intervalo da novela “Páginas da Vida”. Lá encontraram uma cidadela em defesa da liberdade de divulgação: Ligia Tricot. Este jornalista não conhece a diretoria de jornalismo da TV Sergipe, tão pouco sabe onde ela nasceu, porém tem a certeza que ela deu um exemplo para muitos profissionais de comunicação que se curvaram neste pleito eleitoral. Parabéns Ligia Tricot, a democracia agradece.

 

Quem tentou proibir a divulgação do Ibope?

O ex-governador Albano Franco, o candidato a vice-governador Fabiano Oliveira, o secretário da Fazenda, Gilmar Mendes, o secretário de Esportes Carlos Batalha, o ex-secretário da Educação, Nilson Socorro e o empresário João Alves Neto. Anotem estes nomes caro leitor. Foram eles que subiram o morro na sexta-feira e tentaram de todas as maneiras que a pesquisa do Ibope não fosse divulgada. Fica para a história. Registrasse aqui neste momento o nome daqueles que pensam que Sergipe tem dono e mandam em tudo. Parabéns a Ligia Tricot, seu nome estará registrado na história política de Sergipe

 

Análise eleitoral será feita com calma

Toda análise das eleições estaduais será feita com calma por esta coluna. O colunista pede apenas ao leitor que tenha calma. Tudo será desnudado. Desde a grande parte da imprensa que fez um papel indigno até as pesquisas eleitorais. Todos os números e índices estão guardados. Não é nenhuma briga nem perseguição é a verdade que será dita. Quem tiver “rabo preso” que feche suas portas, que faça suas malas.

 

Mensagem ao leitor desta coluna

O colunista agradece sensivelmente todas manifestações de carinho recebidas pessoalmente, por telefone e e-mail de leitores desta coluna. O espaço está consolidado graças a todos vocês. Tenham a certeza que não haverá mudança no rumo da linha editorial. Pelo contrário, o respeito a imprensa tão cobrado nesta coluna será uma reivindicação constante para o futuro governador. Vocês não imaginam o que se passou nos bastidores. Esse colunista não é melhor do que ninguém e respeita todos os colegas de imprensa que fazem ou tentam escrever apenas a verdade para o leitor. Mas também tem aqueles que serviram ao poder, as verbas publicitárias e ao patrão de plantão. Pessoas que se dizem guardiões da democracia como a direção do sistema Atalaia que se ajoelhou literalmente ao poder. Isso tem que ser colocado e exposto para os sergipanos. As pressões foram muitas de todas as formas: profissional, financeira e a mais cruel de todas, a psicológica.

 

Livro vai virar realidade

Um empresário sergipano enviou um e-mail querendo publicar os principais artigos da coluna deste período de campanha eleitoral. Será um retrato do outro lado da história política de Sergipe já que a maioria dos meios de comunicação se curvou ao que o Governo do Estado determinava. O livro não será deste jornalista, mas de todos que acreditaram nesta coluna.

 

Procuradoria Regional Eleitoral fez a parte dela

Embora com poucas condições de estrutura, a Procuradoria Regional Eleitoral que teve à frente o procurador federal Eduardo Pelella fez a parte dela. Toda equipe está de parabéns pelo trabalho desempenhado e que com certeza ainda terá continuidade. São muitas denúncias e irregularidades que estão ainda sobre apreciação da Procuradoria que podem dar outro rumo as eleições de Sergipe.

 

Fitas de um banco devem ser solicitadas

A Procuradoria Regional Federal, mais diretamente o procurador Eduardo Pelella pode dar uma grande contribuição a campanha eleitoral deste ano. Solicitar a um determinado banco cópias das fitas das câmeras que ficam instaladas na entrada da tesouraria. As fitas, desde a última quinta-feira são a única prova de que algo de anormal ocorreu neste banco, com a saída de um montante de recursos nunca visto em tão pouco tempo. Pelella sabe qual é o banco

 

Vários apartamentos serão alugados na Beira Mar

Durante toda esta semana a coluna está aberta para que os leitores informem fatos pitorescos dos bastidores desta campanha eleitoral estadual. Ontem, por exemplo, um conhecido correto de imóveis da cidade, dizia para todo mundo que já tem quatro opção de aluguel de apartamentos de servidores públicos graduados que não se mudar da Avenida Beira Mar – mais precisamente da 13 de Julho – porque não poderão manter o padrão de vida pagando altos condomínios a partir de janeiro. Juro que a coluna não entendeu…

 

Frase do Dia

Hermes Fontes, um dos maiores poetas brasileiros – sergipano de Boquim – escreveu um poema sobre o mapa do Brasil que tem o seguinte trecho: “…mas, há também no tórax um coração, no estupendo tórax  do titã juvenil febricitante, ansiante, palpitante. Sergipe é o coração deste gigante. Sergipe é o coração glorioso do Brasil”.

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários