Desistência de Pedrinho

0

Não foi surpresa a desistência da candidatura do secretário de Turismo, Pedrinho Valadares (PFL), à Prefeitura de Aracaju. Isso já era esperado por um grupo forte, tanto do partido, quanto das demais legendas que integram o bloco que dá sustentação ao Governo do Estado. Aliás, havia gente importante da cúpula pefelista que sempre negou que Pedrinho Valadares fosse o nome para enfrentar o prefeito Marcelo Deda (PT) nas eleições de outubro. Além disso, Pedrinho não se movimentava, não procurava outros partidos, não demonstrava agilidade para conquistar adesões. Pelo contrário, vibrou quando soube que a sua desincompatibilização poderia ocorrer em maio. Pedrinho Valadares foi cogitado para disputar a Prefeitura de Aracaju, no momento em que assumiu a Secretaria de Turismo, por ter sido um dos candidatos a deputado federal que obteve boa votação na capital. Quando começaram a surgir nomes, dentro da coligação que elegeu João Alves Filho, como pré-candidatos à sucessão municipal, o secretário Pedrinho Valadares exigiu que sua candidatura tivesse o apoio total do seu partido. Exigiu uma fidelidade impossível, num processo eleitoral em que os partidos servem apenas para acomodar políticos que procuram o melhor quociente eleitoral, com o objetivo de eleger-se. As pesquisas também não animavam o candidato pefelista e o encontro do próprio governador João Alves Filho, com os pré-candidatos dos demais partidos, mostrou que ele não teria exclusividade no apoio do Palácio dos Despachos. Também quando quis se desincompatibilizar, não estava conseguindo encaixar alguém da sua mais absoluta confiança. Parentes, amigos, ex-correligionários que o acompanhavam, começaram a lhe mostrar que deixar a Secretaria para disputar um mandato, principalmente se não contasse com o apoio incondicional de todos os segmentos do Governo, seria um projeto suicida. Pedrinho também começou a perceber que ele não reunia a vontade da maioria do secretariado, o que já representava um risco para sua candidatura. A somação de tudo isso, inclusive do afastamento da Secretaria de Turismo, o fez repensar a candidatura e na terça-feira passada comunicou a decisão ao governador João Alves Filho. Numa altura dessas, seria difícil conseguir um outro candidato, mas o nome do secretário da Fazenda, Max Andrade (PFL), sempre freqüentou as especulações em torno de candidatos à Prefeitura de Aracaju. Max, inclusive, integra o setor empresarial do comércio e esteve à frente da CDL, entidade que já elegeu um prefeito da Capital (João Augusto Gama). Ele agrega todo o Governo em torno do seu nome e se trata de um cidadão sem qualquer mancha em sua vida pública e privada. Embora sempre estivesse na mídia, o secretário da Fazenda jamais revelou desejo de disputar o mandato, também nunca desfez as informações expostas. Essa posição fazia crer que Max toparia trocar a Fazenda pela candidatura à Prefeitura, embora o seu trabalho a frente da Pasta seja de vital importância para a condição financeira que Sergipe se encontra, cuja uma arrecadação supera o Fundo de Participação Estadual (FPM). Ontem pela manha o secretário da Fazenda, Max Andrade, teve uma conversa com o governador João Alves Filho. Algumas pessoas que o viram entrar no gabinete, já passaram a imaginar que seria uma conversa inicial para que o secretário aceitasse a candidatura à Prefeitura de Aracaju. Não vazou o que foi conversado, mas, depois do encontro, em conversa com um amigo, Max Andrade disse que não aceita a participar das eleições municipais, embora, anteriormente, tenha dito que é um homem de partido e sempre está à disposição para uma convocação. Max não quer, mas também não será fácil resistir aos galanteios do governador, quando ele deseja que alguém entre numa missão política. De qualquer forma o PFL está nesta sinuca e só tem uma solução: apoiar um nome competitivo para a Prefeitura, mesmo que seja de outra legenda, e tenha um integrante do PFL como vice. CONFIRMOU Em Sauipe, onde se encontra, o secretário Pedrinho Valadares relatou que comunicou a João Alves Filho, terça-feira à noite, que não pretendia disputar a Prefeitura de Aracaju. Pedrinho Valadares passou a considerar que a sua candidatura era um projeto do partido, o PFL, e não dele. FORTALECER Pedrinho Valadares também revelou que não sabe sobre o lançamento de outro nome e admitiu que isso o partido é que decide. Na opinião de um auxiliar do Governo, Pedrinho está querendo se fortalecer para a campanha, porque sente que não há unidade em torno do seu nome. PROBLEMA O secretário Pedrinho Valadares terá um problema na CTI, da qual é presidente, porque já havia dito para o seu vice, o secretário de Turismo do Ceará, que iria renunciar. Animado em assumir a CTI, o secretário levou o governador do Ceará, Lúcio Alcântara, para o encontro da BNTM, em Sauipe, pensando que assumiria a presidência da Comissão. GILMAR O secretário para Assuntos Políticos, José Alves Neto, voltou a conversar, ontem, com o deputado Gilmar Carvalho (PV), para que ele mantivesse sua candidatura a prefeito. Gilmar manteve a posição de não ser candidato e pediu compreensão, porque ele está querendo se fortalecer profissionalmente. REUNIÃO Os presidentes dos partidos que formam o bloco de oposição tiveram reunião ontem, na sede do PT, para discutir sobre as eleições municipais. Está havendo alguns problemas graves entre candidaturas no interior, inclusive com ameaças de rompimento. EDUARDO O deputado federal Heleno Silva (PL) não abre mão da participação do presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT), nos palanques da oposição em todo Estado. Ele lembra que Dutra teve 455 dos votos em Sergipe e não pode ficar fora do pleito. Hoje Zé Eduardo participa da radio conferência, na Rede Ilha, às 7:30 horas. CONFIRMA O presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT) está disposto a participar da campanha de Marcelo Deda (PT) à reeleição e de outros candidatos do PT ou de partidos aliados. Ponderou, entretanto, que agora será diferente do tempo que era senador, porque na Petrobrás tem limites em razão do tempo que dedica à empresa. SOBRE VICE José Eduardo Dutra reivindica que todos os membros dos partidos aliados tenham opinião e reivindiquem posições, mas o PT também tem direito de querer a vice. Eduardo não gosta da expressão puro sangue e acha que a melhor candidatura à vice é aquela que pode nortear um entendimento amplo. CANDIDATURA José Eduardo Dutra participou, ontem, da radio conferencia, na Rede Ilha, e informou que não pretende discutir as eleições estaduais de 2006. Reconhece que a política está em seu sangue, mas qualquer decisão quanto à candidatura ao Senado, só será revelada mais adiante. COMUNICADO Antes de lançar sua pré-candidatura à Prefeitura de Aracaju, o deputado federal Jorge Alberto (PMDB) teve uma conversa com o governador João Alves Filho (PFL). Agora, todo o partido vai começar a se empenhar no fortalecimento do nome e iniciar os contatos para a formação de uma ampla coligação. POSIÇÃO O deputado Augusto Bezerra, secretário geral do PMDB, acha que o partido deve retomar a sua posição de legenda forte, sempre freqüentando as chapas majoritárias. Reconhece que o partido perdeu um pouco essa performance e passou a ser uma legenda apenas de apoio a outras candidaturas. TOBIAS O deputado federal José Carlos Machado (PFL) acha que o partido deve jogar todas as fichas na candidatura de Esdras Valeriano à Prefeitura de Tobias Barreto. Machado reconhece que Esdras teve um desgaste, como acontece com qualquer prefeito, mas que pode muito bem se recuperar. DETONAR Machado considerou que o ex-prefeito de Poço Verde, José Everaldo, está com uma postura errada, querendo detonar a candidatura de Esdras Valeriano. O deputado lembrou que o governador João Alves Filho sempre foi bem votado em Tobias Barreto e que Esdras tem condições de fazer uma boa coligação. Notas CONCURSO O juiz federal Edmilson da Silva Pimenta concedeu, ontem, medida liminar suspendendo a validades e os efeitos do concurso público realizado pelo Tribunal de Justiça, para ingresso nas carreiras de Analistas Judiciários e Técnicos Judiciário, conforme ação Pública Cível da Ordem dos Advogados do Brasil. O juiz Silva Pimenta determinou que o Estado de Sergipe não convoque, para fins de nomeação, os candidatos aprovados no concurso. Foi detectada uma série de vícios que beneficiou pessoas importantes. IMPRENSA O presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT) disse ontem que as notas publicadas na imprensa do Rio e São Paulo, contra ele, tiveram maior repercussão em Sergipe do que nos demais Estado. Acrescentou que não entendia porque se dava tanta importância a essas notícias que o criticavam. Disse que está presidente da Petrobrás e está gostando do trabalho que vem realizando, mas lembrou que o cargo é do presidente da República, Lula da Silva, que pode solicitá-lo para entendimentos que fortaleçam seu Governo. SUSPEITAS José Eduardo Dutra disse, ainda, que via, nos meios de comunicação especializados na área de economia, desconfiança em relação ao nome escolhido, com receio de uma politização da estatal. Admite que esse temor era natural, porque ele vinha do Congresso Nacional para ocupar uma empresa da importância da Petrobrás. Segundo Dutra, depois de 14 meses à frente da estatal, as suspeitas presentes nesses veículos de comunicação não são mais relatadas e não há mais questionamentos. Pelo contrário, já ocorreram elogios ao seu trabalho. É fogo O presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT) revelou que era muito melhor ser oposição do que Governo. José Eduardo também disse que o presidente Fernando Henrique Cardoso decidiu quebrar a espinha dorsal do sindicalismo petroleiro. Chorando muito, o deputado federal João Fontes (sem partido) comemorou a liminar que anulava o concurso do Tribunal de Justiça. O senador Antônio Carlos Valadares (PSB) pediu a transcrição, nos anais do Senado, de comentário da jornalista Tereza Cruvinel, que chama a atenção para a onda de violência, que toma conta do país. Quinta-feira não houve sessão na Assembléia Legislativa, porque nenhum deputado apareceu. Estenderam o feriado de Tiradentes. O Governo do Estado não vai beneficiar especuladores imobiliários do Coqueiral. Só terá título de posse quem realmente mora lá. O Partido Liberal vai indicar o ex-vereador Francisco Dantas para ocupar um cargo na equipe da Administração Municipal. O prefeito Marcelo Deda vai anunciar os novos auxiliares na próxima terça-feira. A posse será conjunta. Na segunda-feira chega a Sergipe o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rosseto. Vai para o sertão sergipano. O deputado Belivaldo Chagas (PSB) quer saber o os imóveis pertencentes ao Governo, localizados no interior do Estado. O BNDES lançou, esta semana, um programa para modernização da frota de caminhões, voltado para a micro empresa. Cada vez mais os técnicos do Governo estão defendendo o emagrecimento do Estado, para que possa acumular recursos e usar em obras de infraestrutura. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários